sábado, 5 de junho de 2010

Portugueses e baratos


«O futebolista Castro, cedido há duas épocas pelo FC Porto ao Olhanense, vai regressar ao Dragão sob as ordens do novo treinador André Villas-Boas, disse hoje [04-06-2010] à Agência Lusa fonte do clube.»

Castro, Ukra e Sereno têm em comum serem portugueses e ingressarem no plantel do FC Porto a custo zero.
É provável que não façam parte do onze titular de André Villas-Boas, pelo menos no início da época, mas acredito que não irão fazer pior figura que Tomás Costa, Mariano ou Stepanov (jogadores para as mesmas posições, em cujos passes a SAD gastou mais de 12 milhões de euros).
Às vezes é bom não haver muito dinheiro para gastar...

Foto: abola.pt

13 comentários:

R.M.Silva da Costa disse...

Acredito que, também na política da formação do plantel, o FCP vai mudar. Seja qual for a razão dos insucessos de algumas das contratações mais recentes é imperioso o regresso à opção dos activos nacionais, preferencialmente dos oriundos da formação azul e branca. Isso não exclui a prospecção interna e externa, todavia, baseada em critérios de selecção muito rigorosos executados por observadores competentes.
Uma das mais importantes vantagens de podem advir da integração com sucesso de atletas na equipa principal saídos da nossa formação é, sem dúvida, a mensagem que isso representa para dentro dos departamentos onde eles praticam o amor ao clube.

Anónimo disse...

A questão do "custo zero", meu caro, é que há jogadores que, se o seu custo fosse zero, se calhar nunca teriam sido contratados.

João Diogo Reis disse...

Concordo com o Castro e o Ukra no plantel para 2010/2011, mas não concordo com a contratação do Sereno.
Isto de serem Portugueses, jovens e baratos é irrelevante se não forem bons, aquilo que realmente interessa.

Quando à “figura” do Stepanov, Tomás Costa e Mariano… O Stepanov de facto teve oportunidades em 2007/2008 e os resultados não foram bons, e desde então não teve mais oportunidades no FCP.
Por mim dar-lhe-ia uma nova oportunidade em 2010/2011, em vez do Sereno. Nem sequer é uma questão de ir gastar vs. Jogador livre, porque o FCP já gastou há 3 anos.

O Tomás Costa é um jogador útil para ter no plantel, não percebo a hostilidade de alguns adeptos do FCP com ele. Ele é culpado exactamente de quê?
Eu também prefiro o Castro (ou o Paulo Machado que já se foi embora) no plantel em vez do Tomás Costa, mas visto que tal como o Stepanov já cá está, mais uma vez não é uma questão de ir gastar vs. Jogador livre.
Há lugar para todos: Fernando, Castro, Guarín, Rúben Micael, Tomás Costa… e ainda para mais 1 ou 2 médios.

Finalmente, o Mariano, outro jogador perseguido, eu nunca percebi muito bem porquê. O Mariano FOI muito útil no FCP. Recordo particularmente a parte final de 2008/2009, quando o Lucho se lesionou e o Lisandro esteve alguns jogos castigado, foram o Mariano e o Farías que entraram na equipa, e os resultados foram bons, o FCP ganhou os jogos praticamente todos.
Como já está a ficar velhinho (29 anos) o FCP devia tentar vendê-lo agora, mas se isso não acontecer, (da minha parte) também é bem-vindo no plantel para 2010/2011.


Fazer regressar o Castro e o Ukra foi uma excelente decisão.
Também seria uma boa decisão fazer regressar o Rentería, ou o Bruno Moraes, ou até mesmo os dois. Esta época a dada altura o FCP nem sequer tinha avançados suficientes, enquanto o Bruno Moraes andava a marcar golos contra o FCP e o Rentería a marcar golos que fizeram com que o Braga terminasse à frente do FCP.

Villas Boas, próximos regressos dos empréstimos: Rentería, Bruno Moraes (?), Pelé (?), Stepanov (?), Bruno Vale (?) …

Jorge Aragão disse...

Gosto da aposta nos jovens da cantera, era interessante ver estes dois na equipa mais o Nuno André Coelho, por exemplo...
Mas há que ir com calma, lançando a rapaziada de forma sustentada.

Anónimo disse...

O Mariano não é "perseguido" por ninguém, caro João Diogo Reis. Nem ele, nem o Tomás Costa, nem nenhum outro. A não ser que se entenda por perseguição a opinião, tão legítima como outra qualquer, de que nada acrescentam ao valor do plantel.

Os períodos melhores do Mariano apenas se notaram por contraste com a mediocridade por ele geralmente exibida. Mas não vai agora ser vendido ou pura e simplesmente dispensado, pois está a recuperar de uma lesão grave.

André Oliveira disse...

O que eu posso dizer é: João Diogo Reis, ainda bem que não és dirigente do FC Porto, senão tavamos lixados!

RENTERÍA?! Stepanov? BRUNO VALE?! Mariano? Tomás Costa?

Por favor..

Pitágoras disse...

Concordo com o ingresso de jovens com valor no plantel. Por esse motivo fico muito contente com esse facto.
O Tomás Costa é, na minha opinião, um dos maiores flops do plantel do Porto. Para quem duvida revejam os jogos em que ele participou e contem: o número de passes falhados, erros ao nível das opções de jogo, etc. É um dos piores elementos do plantel e não entendo a razão de ser da sua permanência. Penso que um dos erros graves de Jesualdo Ferreira foi a insistência na sua utilização.
Nada me move contra o Homem Tomás Costa, mas sim contra a falta de qualidade do jogador Tomás Costa.

João Diogo Reis disse...

André Oliveira,

Caso não saibas, de acordo com as regas da UEFA, o plantel do FCP tem de ter no mínimo 4 jogadores das escolas do clube. Caso contrário, em vez de poder inscrever os 25, têm de se “cortar” alguns: esta época, por exemplo, cortou-se o Nuno André Coelho, o Prediguer e o Orlando Sá (e a partir de Janeiro saíram o Sapunaru e o Valeri e entraram o Nuno André Coelho e o Rúben Micael).
Logo aí, o Castro e o Ukra são muito bem-vindos ao plantel para colmatar esta lacuna. E o Bruno Vale também seria bem-vindo, não vejo qual o problema de o ter como 3º guarda-redes (era ele o 3º guarda-redes em 2003 e 2004 se não me engano).

Depois, o Stepanov… Se de facto o Bruno Alves sair, haverá uma vaga para defesa central no plantel. Por mim preferia que fosse o Stepanov a ocupar essa vaga, e não o Sereno.

O Mariano e o Tomás Costa são bons jogadores. Penso que já o disse no teu blogue, se fosse possível usava-os como “moeda de troca” num negócio, por exemplo, para trazer jogadores como o Enzo Pérez ou o Boselli para o FCP. Mas claro, era preciso que o Estudiantes concordasse, e eles concordassem, ou seja, é apenas uma hipótese teórica.

Finalmente, o Rentería, outro perseguido pelos adeptos do FCP, apenas porque falhou um remate no Estádio da Luz há 3 anos!
O Rentería é um bom jogador, penso que será muito melhor para o FCP ter o Rentería no plantel e o Orlando Sá emprestado, do que o contrário. O Orlando Sá está numa fase em que precisa de jogar regularmente, e o Rentería é um bom suplente. Na Taça Libertadores 2006, pelo Internacional, era suplente do Rafael Sóbis e do Fernandão, mas foi muito importante em vários jogos. E depois, no Braga, também demonstrou que é um bom jogador.


André, achas que o FCP estaria lixado com a presença destes jogadores no plantel? Pois eu acho que o FCP estaria lixado com a presença de Colmans & companhia.

André Oliveira disse...

Para mim falta magia. Recuperar o Quaresma para o futebol, se ele quisesse claro, era fantástico. Trivelas para o Falcao...

Bernini disse...

Isto no futebol há coisas que nos escapam completamente... o Stepanov cometeu 2 ou 3 erros e nunca mais mereceu uma oportunidade. O Rolando cometeu erros atrás de erros e jogou sempre.

O Sereno só é contratado apenas pelo diferendo com o Guimarães, nunca pelo seu valor. E ninguém duvida que Castro e Ukra poderão ser dois jogadores úteis no plantel, mas se dependermos de jogadores que temos emprestados então tamos perdidos que vamos passar mais uma época a penar...

Rui disse...

Já ontem ao ouvir o discurso do Vilas Boas fiquei com a ideia que ele mandou um recado interno ao dizer que as contratações devem ser bem ponderadas e com margem mínima de erro.

Parece-me que a aposta no Castro já tem dedo do treinador mas vamos ver se nos próximos tempos ficamos com uma ideia melhor da responsabilidade das decisões tomadas.

miguel_canada disse...

Uma coisa é certa... O Castro e o Ukra só se poderão transformar em grandes jogadores se ingressarem no FCPorto imediatamente. A pressão constante de vitorias, a dimensão das ambições e o confronto directo com grandes equipas europeias numa base regular é que transforma meninos com jeito em grandes jogadores.
É urgente apostar sem medo nestes miúdos que revelam aptidões acima da média. Obviamente que em cada 20 apenas poderemos aproveitar dois ou três mas teremos de investir tudo nesses dois ou três para que se tornem em reais mais valias que irão jogar com uma postura de amor ao clube impossível de encontrar na esmagadora maioria dos jogadores estrangeiros.

Não sei bem porquê mas tenho imensa fé no trabalho do André Villas Boas. É Portista, destemido e muito trabalhador.
Demonstrou desde muito cedo uma aptidão fora do normal para o estudo do futebol e do seu conhecimento profundo.
Não creio que irá ter problemas em impor disciplina e rigor ao plantel pois será coadjuvado por dois elementos mais velhos e prata da casa, sendo um deles o grande Pedro Emanuel.
Para mim, a grande dificuldade do Villas Boas será combater o sistema tunelar que se instalou no futebol Português apesar de contar com o facto de não haver mais Ricardo Costa nem Lucílio Batista.

meirelesportuense disse...

Boas noites Miguel...