terça-feira, 6 de julho de 2010

FC Porto nos Mundiais (X)

Este, como jogador do Porto, nunca esteve num mundial, mas por muitos motivos apetece-me falar dele. Antes de mais por o mundial ser precisamente na terrinha, e como é o único elo que temos (que eu me lembre) à África do Sul, aqui vai.

E começamos por uma interrogação: como é que sendo uma oportunidade única - jogar um mundial em casa, ele acaba a época e chega ao pré-estágio com peso a mais?

Nestes anos já vi muito desperdício de talento, mas acho que ele é o pior caso que vi.

Sempre achei que potencialmente foi dos melhores jogadores que por cá passaram, tinha tudo para ser uma lenda, tinha tudo para ombrear/superar Drodba, Eto'o e companhias, tinha um clube que o adorava.



Por empatia "perdoei-lhe" coisas que a outros me levariam aos arames.

Tinha tudo ou melhor dizendo: tinha quase tudo. Faltava-lhe uma coisa: cabeça.

E a falta que faz a cabeça a um jogador - e não é propriamente para dar cabeçadas na bola (nunca hei-de esquecer aquela contra o Manchester).

E em alturas como estas, em que entram jogadores que também não foram ao mundial - apesar de todo o potencial que se lhe reconhece - é importante que acima de tudo tenham cabeça, que lhe mostrem estes exemplos e que lhe façam o acompanhamento necessário para que Vigo, cabeleireiras no estágio e vontades de empresários sejam histórias do passado. E que possamos ter exemplos destes, com "Vai Moutinho!":

7 comentários:

miguel87 disse...

Este menino esteve no França '98 e no Coreia/Japão '02.

José Correia disse...

Devido a problemas no blogger, não estamos a conseguir publicar os comentários recebidos.

José Correia disse...

Temporariamente, vamos usar soluções de recurso.

José Correia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
José Correia disse...

No França 98, numa altura em McCarthy ainda nem sonhava em vir a ser jogador do FC Porto, a África do Sul disputou três jogos: França (0-3), Dinamarca (1-1, golo de McCarthy aos 52') e Arábia Saudita (2-2).

A meio da temporada 2001/02, o McCarthy foi emprestado pelo Celta de Vigo ao FC Porto e teve um desempenho fantástico: 11 jogos, 12 golos.

No final dessa época, no Mundial da Coreia/Japão, a África do Sul voltou a ser eliminada na fase de grupos. Os três jogos disputados foram: Paraguai (2-2), Eslovénia (1-0), Espanha (2-3, golo de McCarthy aos 31').

No total, McCarthy disputou 78 jogos pela selecção sul-africana, ao serviço da qual marcou 32 golos.

João Saraiva disse...

@Miguel87

Quando escrevi que não esteve em nenhum mundial, queria escrever que não esteve lá na condição de jogador do Porto. Isso não era claro no texto inicial, e mesmo com esta rectificação que fiz ao texto se calhar até pode não ser totalmente verdadeiro, já que em 2002 também se pode considerar que esteve lá na condição de jogador emprestado ao Porto.

meirelesportuense disse...

Mais um jogador que me doeu ver sair.