domingo, 11 de julho de 2010

Moutinho, a perspectiva financeira

«Esta aquisição foi realizada pelo montante de 11.000.000 € (onze milhões de euros) sendo que a Sporting SAD fica com o direito a receber 25% da mais valia que se venha a verificar numa futura cedência do jogador da FC Porto SAD para outro Clube, por um valor superior a 11.000.000 € (onze milhões de euros).
Como contrapartida adicional, a FC Porto SAD cedeu a favor do Sporting SAD, a título definitivo, os direitos de inscrição desportiva do jogador Nuno André Coelho, pelo montante de 1.000.000 € (um milhão de euros), mantendo na sua titularidade 50% dos respectivos direitos económicos.»
in Comunicado (rectificado) enviado pela FC Porto SAD à CMVM


Há várias maneiras de olharmos para a transferência do João Moutinho, nomeadamente: i) a valia desportiva do atleta; ii) os encargos financeiros da operação; iii) o factor psicológico na mobilização dos adeptos; iv) a estratégia de poder (enfraquecimento de um rival).
Neste texto, a minha análise vai focar essencialmente a perspectiva financeira.

Antes de mais nada, convém dizer que considero o João Moutinho um bom jogador, extraordinariamente regular e de alto rendimento desportivo. É impressionante o número de jogos que ele fez nos últimos anos, época após época, sem se lesionar e mantendo um elevado ritmo competitivo. Contudo, não o vejo o ex-capitão do Sporting como um médio de top, do nível de um Deco, Lucho ou Anderson.
Após seis épocas na equipa principal dos leões e com quase 24 anos ainda irá evoluir e atingir esse patamar? Não creio e, se assim for, podemos dizer que João Moutinho terá sido sobre-avaliado, a que se junta ir auferir um dos ordenados mais elevados do plantel portista (1,2 milhões de euros por ano, mais objectivos).

Em termos comparativos, e pegando em exemplos cujos valores foram divulgados à CMVM, recordo que a FC Porto SAD pagou 10,25 milhões de euros pelo Lucho (tranche 1, tranche 2) e 6,78 milhões pelo Lisandro (tranche 1, tranche 2).

Ora, no caso do Moutinho, se bem percebi, o FC Porto irá pagar 10 milhões de euros mais 50% do passe de Nuno André Coelho, avaliado em um milhão de euros, o que perfaz o montante de 11.000.000 € referido no comunicado. E sendo certo que a evolução futura de Nuno André Coelho ainda é uma incógnita, havendo uma aposta continuada neste jogador, parece-me que ele tem potencial para se transformar num central valioso (pelo menos desportivamente falando).

Mas há outra maneira de olharmos financeiramente para esta transferência. A saída do Raul Meireles é dada em diferentes quadrantes como quase certa e, por isso, já li e ouvi que o Moutinho vinha para substituir o homem das tatuagens. Partindo então deste princípio, e de que Meireles será vendido por, pelo menos, 15 milhões de euros, então poder-se-á dizer que o FC Porto troca um médio box-to-box por outro, que é três anos e seis meses mais novo e, além disso, encaixa uns bons milhões no diferencial das duas transferências.
Será assim? Veremos, porque se não se confirmar a transferência de Meireles, ficaremos com médios a mais (e caros) para algum deles ficar a aquecer o banco de suplentes.

Seja como for, Pinto da Costa tem razão quando afirma que caros são os que não jogam e, infelizmente, nos últimos anos a SAD portista gastou muitos milhões de euros em jogadores para a bancada ou para emprestar. No caso do Moutinho, penso que não correremos esse risco.

7 comentários:

R.M.Silva da Costa disse...

Não, João Moutinho nunca será uma aposta de risco. Não é uma incógnita é um "produto" testado em todas as valências que possui.
Perfilho do entendimento que distingue Moutinho de Deco, Lucho ou Anderson. São individualidades diferentes, cada um com o seu estilo e interpretação do jogo.
Em termos contabilísticos as comparações podem levar a conclusões nem sempre ajustadas à realidade do momento. Cada negócio tem a sua história.
Caro considerámos nós a factura de um almoço para o qual escolhemos comer lebre e nos serviram gato...

John Aarson disse...

(...) "Após seis épocas na equipa principal dos leões e com quase 24 anos ainda irá evoluir e atingir esse patamar? Não creio" (...)

Podemos ver isto de outra forma: Quem será melhor? Raúl Meireles com 23 anos ou João Moutinho hoje em dia?
Acho que o Moutinho TEM sim ainda margem de progressão. Ainda irá evoluir, ainda para mais porque agora já não está numa equipa estagnada em termos de objectivos. Ele no Sporting já tinha atingido o seu máximo e tinha-se apercebido disso. Era capitão desde os 22. Era dos melhores jogadores, se não o melhor. Não se vislumbrava que o Sporting desse para mais e também não ia ser ele a levar a equipa às costas. Agora que ele está no FCP, pode evoluir mais e melhor. Tornar-se num jogador mais completo. Porque aqui, apesar de ser tratado bem, também será severamente criticado se não der o tudo por tudo e/ou se jogar algum jogo mal. Algo que no Sporting simplesmente não acontecia. Por exemplo, a lenga lenga que ouvi principalmente o ano passado, a seguir a um jogo dos lagartos era que todos no Sporting tinham estado muito mal mal, e só se safavam o Moutinho e mais um ou outro jogador, que ao menos se tinham esforçado. Nem importava muito que o Moutinho nem jogasse bem. Bastava suar um pouco a camisola, que já se distinguia pela positiva no meio de tanta mediocridade. No FCP isso não acontecerá. A qualidade está lá. Queremos é que os jogadores suem a camisola. E o Moutinho aí poderá praticar o seu futebol e retomar a sua excelente evolução que quase que estagnou nos últimos dois anos, não inteiramente por culpa própria. Um jogador para evoluir também precisa que a qualidade à sua volta aumente. No Sporting ele não tinha isso. Que ele melhore no FCP e que seja vendido dentro de uns 3 ou 4 anitos por 40 milhões, quando já for um dos melhores do nosso plantel e do nosso país!

John Aarson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JB disse...

Concordo, e muito com esta contratação. Mas pronto, lá está: o ano passado dizia-se que o problema do FC Porto era «não ter banco». Hoje, é de ter «jogadores a mais e caros para aquecer no banco». Sinceramente, agrada-me mais a segunda alternativa, mesmo que pense que não vai ser o caso.

José Correia disse...

@JB
Num clube como o FC Porto (que não tem o dinheiro de um Real Madrid, Chelsea, Inter, etc.), não faz muito sentido investir 11 milhões de euros num jogador se não for para ele ser titular de caras.

José Correia disse...

John Aarson disse...
«Que ele melhore no FCP e que seja vendido dentro de uns 3 ou 4 anitos por 40 milhões, quando já for um dos melhores do nosso plantel e do nosso país»

Tenho dúvidas que a SAD portista venha a ganhar dinheiro, pelo menos de forma significativa, numa hipotética venda do Moutinho daqui a dois ou três anos. Não só teria de o vender por mais de 11 milhões de euros, como 25% da mais-valia (e os direitos de formação) pertencem ao Sporting.
No caso do Moutinho, que vai fazer 24 anos em Setembro, já ficarei muito satisfeito se tiver um rendimento desportivo do nível do que patenteou no Sporting há duas épocas atrás.

Tripeiro disse...

Munster 1-1 FC Porto.