domingo, 12 de setembro de 2010

Dragão à prova de bala


Grande jogo, grandes golos, uma vitória de exigência máxima, que faz elevar e certificar o patamar qualitativo deste FC Porto de André Villas Boas. Com apenas 4 jornadas cumpridas o Dragão já reserva para si uma liderança folgada, mercê de um domínio inquestionável explanado nos campos por onde tem passado. Um cenário difícil de encaixar mesmo no melhor dos sonhos, tanto mais estando a equipa num processo de transfiguração da sua filosofia de jogo, completamente antagónica à anterior dos últimos 4 anos.

A caminhada portista neste inicio de época segue auspiciosa e triunfante, faltava-lhe apenas o "teste do algodão" para se aquilatar até onde pode ir este Porto versão 2010/11. Descontando o confronto com as aves depenadas e, por hora, quase moribundas, a contenda com o Braga de tarimba europeia era sem dúvida o exame ideal às capacidades do conjunto azul e branco.


Com efeito, a partida revelou-se uma verdadeira prova de fogo para os nossos rapazes. Para além de terem de superar aquilo que já todos sabíamos ser os predicados da equipa Arsenalista; A sua boa disposição no terreno de jogo, saindo, sempre que possível, em ataques rápidos com base na qualidade individual e técnica dos seus jogadores - os comandados de Villas Boas viram-se obrigados a inverter uma situação de desvantagem no marcador pela 1ª vez no campeonato. Por 2 vezes conseguiram-no, com sucesso.

Curiosamente, a agitação que pautou grande parte do encontro, contrasta com aquilo que foram os primeiros 16 minutos, momento em que Luís Aguiar levanta a cartola para um número mágico. O golo sofrido teve o condão de obrigar o Porto a abdicar da sua politica de “não agressão”, para uma postura mais interventiva e decidida. Sem ser colectivamente brilhante nesta fase, a equipa soube partir em busca da igualdade de forma serena e tranquila, mas é justo dizer que quem fez verdadeiramente a diferença, contribuindo decisivamente para a igualdade aos 33 minutos, foi Hulk.



Hulk, de resto, foi figura de cartaz em quase toda a contenda. Correu, desequilibrou, chutou, falhou e marcou. Todo o manancial que lhe bem conhecemos, que foi bem útil aos 63 minutos ao restabelecer o empate pela 2ª vez, quando 2 minutos antes Lima nos havia deixado com as calças na mão com uma bomba monumental.

A reviravolta de Varela veio trazer justiça a um jogo que apenas se mantinha no limbo da indefinição do resultado pelas 2 obras-primas dos jogadores Bracarenses. Se nos primeiros 45 minutos o domínio azul e branco não era muito marcante, no 2º tempo raramente a bola rondava a baliza de Helton. Lima apenas suscitou a falsa ilusão de surpresa, mas não demoveu a sede de vitória do Porto de Villas Boas. Um triunfo inteiramente merecido, que só pecou pela escassez do resultado.

Fotos: MaisFutebol

23 comentários:

Louro disse...

Hulk está mais jogador: defende , joga mais para a equipa e já sabe jogar de cabeça levantada , algo que o Jesualdo se esqueceu de ensinar.
Assim sendo, temos de dizer que este Porto começa a depender e muito deste Hulk - o Altrúista!
Grande Porto e VITÓRIA Cristalina que nem Água Pura!

Eduardo Caldeira disse...

As duas melhores equipas do Campeonato, a proporcionarem uma excelente noite de futebol, cheia de emoções fortes, no Palco das emoções! Nas imediações do Estádio já se viam vários adeptos, já que houve partida de andebol no Dragão Caixa, em que o FCPorto venceu o Madeira SAD por 31-24.

Um estádio praticamente cheio, com cerca de 2500 adeptos da equipa visitante. A principal dúvida para o 11 do FCPorto, era se ia jogar Sapunaru ou Fucile, no qual o treinador optou pelo romeno... e nota para a mudança de visual do Álvaro Pereira, primeiro muda o nome para Palito e agora o penteado, eu se fosse o AVB, não permitia tal coisa :-)

A 1ª parte não foi muito bem conseguida, um pouco tremida e aquele golo nos minutos iniciais não veio a ajudar nada, mas mesmo assim, a equipa azul e branca demonstrou uma grande alma e conseguiu fazer o 1º golo ainda na 1ª parte, numa boa jogada individual de Hulk que Varela concretizou da melhor maneira.

O 2º tempo foi praticamente dominado pela nossa equipa, só que o futebol é feito também de injustiças e num belo remate de Lima, faz o 1-2 para os bracarenses e voltam a colocar a equipa do Minho em vantagem.
Mais uma vez, a nossa equipa conseguiu responder rapidamente a essa adversidade e momentos depois, voltou a empatar, por intermédio do Incrível Hulk!

Pouco depois, Varela põe em delirio todos os adeptos presentes no Estádio, fazendo o 3-2 que se manteu até ao final da partida. Uma vitória bastante saborosa e preciosa, já que ganhámos a um adversário directo e deixámos os nossos rivais mais distanciados.

Provámos hoje novamente, que temos um excelente banco, algo que não tinhamos no ano passado, ter no banco jogadores como o Souza que hoje voltou a fazer um jogaço, Ruben Micael, Fucile, etc... sem dúvida uma mais valia!

Agora segue-se o Rapid Viena, já esta 5ª feira, ás 20h05. Na próxima jornada do Campeonato, o FCPorto vai à Madeira defrontar o Nacional, jogo que está agendado para 2ª feira.

http://www.dazuis.blogspot.com

Pedro disse...

5 grandes golos, estádio cheio, quase ausência de erros dos árbitros, vitória do FCP. Que se pode pedir mais?

Não estou convencido com o Helton no 2º golo, nem com o rendimento defensivo do A.Pereira. Mesmo assim esta equipa está a crescer, e dá gosto ver o empenho em cada jogo. A chama que se foi apagando com o Jesualdo parece estar de volta. Daqui a 9 dias teremos no campo do Nacional um grande teste de fogo em fds de clássico. Ganhar esse jogo pode ser um passo muito importante.

Ps: Hulk tem potencial para ser um dos 5 melhores avançados do mundo. É um prazer vê-lo quando joga para si mas também para a equipa.

meirelesportuense disse...

Foi um jogo muito emotivo, aguentei até ao terceiro golo do Porto e aí explodi...E foram cinco magníficos golos, assim vale bem ir de corpo inteiro a um Estádio!
-Não é que o resultado fosse surpreendente, mas a sorte parecia estar do lado bracarense e em cada remate a bola anichava-se na baliza do Porto.Se aquilo -Domingos- é ser infeliz...Mas o Porto soube dar a volta por cima. Sempre confiante nas suas capacidades, sem virar a cara à luta, com muita qualidade e também com alguma genialidade à mistura, fez um resultado bom, mas que eu diria insuficiente para as oportunidades construídas...O lance de Hulk que destruiu toda a defesa -Filipe incluído- merecia melhor destino final...
O Braga mostrou muitas qualidades, Domingos tem ali um excelente trabalho realizado.O Porto quis dar a conhecer como é diferente de anos anteriores, mais envolvente, sem medo de ter a bola, aqui e ali ainda muito egoísta, fez um jogo de qualidade superior pelo menos naquilo que todos exigimos, suprema vontade de ganhar!...
Nos dois golos "arsenalistas" Helton esteve hesitante, num e noutro deu a sensação de que podia ter feito qualquer coisa mais. No primeiro lançou-se muito tarde -talvez não tenha visto bem o remate- e no segundo, pareceu estar adiantado e novamente tardio na reacção.Ainda a acabar teve uma falha que poderia ter sido absolutamente comprometedora.
-Helton -nervosismo inexplicável-, chamam arsenalistas aos bracarenses, mas apenas por terem o mesmo tipo e estilo de equipamentos!...

José Correia disse...

A 1ª parte foi fraca e os primeiros 15 minutos foram muito fracos.
A 2ª parte sim, bem jogada, intensa, com grandes golos e alternância no resultado.
Vitória justíssima do FC Porto e só foi pena os problemas físicos que afectaram o Hulk nos últimos 10 minutos, porque se assim não fosse é muito provável que tivéssemos marcado mais golos.
Destaco o facto de o FC Porto ter estado a perder por duas vezes e ter dado a volta ao resultado. Não é uma equipa qualquer que o faz.

José Correia disse...

Hulk voltou a demonstrar a enorme importância que tem nesta equipa. Um golo, uma assistência, um remate à trave e um perigo constante para a baliza bracarense.
O dr. Ricardo Costa sabia perfeitamente o que estava a fazer quando o suspendeu por 3 meses...

José Correia disse...

meirelesportuense disse...
"Nos dois golos "arsenalistas" Helton esteve hesitante, num e noutro deu a sensação de que podia ter feito qualquer coisa mais"

Inteiramente de acordo. No jogo de ontem não tivemos o Helton seguro e confiante que tivemos nos restantes jogos deste início de época.

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Ontem assistimos a um grande jogo de futebol, essencialmente na segunda parte.
Um estádio praticamente cheio e entusiasta, foram os condimentos para muita emoção dentro e fora do campo.
Na primeira parte, o Porto não conseguiu segurar as rédeas do jogo, muito por culpa de um Braga que entrou muito pressionante com as linhas bastante subidas, e Belluschi e Moutinho não conseguiam construir jogo. Domingos estudou bem o Porto e tentou travar os nossos pontos fortes ... mas o Incrível Hulk de ontem, nada há que o possa parar.
O Braga chega à vantagem graças um grande golo de Luís Aguiar de livre.
Na primeira parte vivemos muito graças às acções individuais dos nossos jogadores. Fernando esteve bem a sair a jogar e a criar desequilíbrios, mas foi Hulk que com uma jogada fantástica arranca deixando Elderson para trás e cruza para Varela empatar.
Na segunda parte entramos mais controladores e dominadores, mas o Braga consegue fazer o 2 a 1 num excelente golo de Lima, que é uma espécie de caça dragões ... desde que chegou a Portugal marca que se farta sempre ao FC Porto.
Mas eis que surge o Incrível Hulk em jogo, sempre a desiquilibrar até à exaustão os adversários e até ele próprio. Há um lance que ele e Sílvio depois de uma arrancada de Hulk ficam os dois agarrados às pernas. Alvaro vem da defesa ao ataque assistir Hulk para à bomba fazer o empate. Domingos não sabia como parar Hulk e coloca Miguel Garcia, mas foi Varela que após grande jogada de crer de Falcao, faz à bomba o 3 a 2 final.
Até ao final de jogo assistimos ao espectáculo Hulk, que sai esgotado, aparentando mesmo lesão, mas entra de novo cheio de força para os minutos finais.
Realce para as exibições de Hulk, Belluschi, Alvaro e Varela.
Mas foram Varela e Hulk quem mais brilharam na noite de ontem.
Resultado muito importante para consolidar a liderança e mentalmente para embutir espírito de conquista.
Nota final para esta bola jabulani. Quem souber bater nesta menina ... vai ser muito feliz, com golos fantásticos cheio de velocidade e trajectórias indefensáveis para os guarda redes.

Abraço

Paulo

pronunciadodragao.blogspot.com

Ana Martins disse...

Para além da importância de ganhar um jogo em casa a um rival directo e ganhar pontos a benfica e sporting, fiquei particularmente satisfeita pelo facto de a equipa ter conseguido virar o resultado. Para mim, entre outros parâmetros que precisam de ser melhorados, esse era 1 teste decisivo sobre a maturidade da equipa.

1 palavra para AVB:

Como sempre disse aqui, a minha aposta seria Domingos e não AVB, embora tb gostasse deste - achava apenas a aposta prematura. Tem demonstrado à saciedade que os treinadores dos "livros", tão desvalorizados pelos espertíssimos comentadores, também têm caminho próprio.Simplesmente têm um ponto de "break-even" diferente!

Nada está decidido e há muitos obstáculos pela frente. Lembremo-nos que o andor anda por aí (vide Record de hoje a acalentar o recreativo de benfica - enquanto há vida, há esperança!) e qualquer ponto perdido pelo FCP vai ser perspectivado como o início da retoma. Mais: o FCP normalmente n lida bem com vantagens gordas (vide Adriaanse e Jesualdo, só para lembrar as mais recentes).

Não vou falar de Helton: não merece ser apontado qd foi ele q nos safou nestas últimas jornadas qd os outros davam barraca. Mas acho estranho como Palito parece não jogar as 1ªs partes (sou só eu a achar isso?) e Sapunaru já está a descer na sua contribuição para o jogo. Mas enfim, como sabem, sou adepta de Fucile...


cumps

Steve Bracotelli disse...

Quanto ao jogo e ao post nada a dizer.
Talvez só reforçar o que o meirelesportuense já disse e o José Correia segundou, que Helton estava mal colocado nos dois golos que sofreu.

Mas o que eu quero dizer e chamar a atenção é para o papel higiénico usado disfarçado de jornal que hoje trás na capa algo tão improvável que mais parece a maçã vermelhinha e de aspecto delicioso da bruxa má e que na verdade está carregada de veneno lá por dentro.
Por favor não caiam na asneira de dar dinheiro a ganhar a esse pasquin abjecto.
Nem pelo simples motivo de servir para ao jeito de monstro de Loch Ness fazer acreditar em algo que não existe.
O ADN desse reles papel deixou-se contaminar pela evidência mas breve breve voltará a brindar-nos com mais doenças mentais, como não pode deixar de ser se não seria o fim dos privilégios de cassetes de vídeo de seguranças de certos estádios e outras regalias postas em causa e lembrem-se também que nem as recentes conquistas europeias do FC Porto serviram como referência nas capas desse(s) reles jornalecos.

Aliás, isto é mais uma picardia ao clube a que eles tanta propaganda fazem a ver se os espevita e os "pica" para terem melhores resultados do que é o verdadeiro reconhecimento do melhor clube português e do melhor futebol jogado.

Não caias nessa Vanessa.

Nelson Carvalho disse...

Não vislumbro qualquer lapso de posicionamento de Helton em qualquer um dos golos sofridos, mesmo depois de rever os lançes via TV.

No 1º golo Helton estava ligeiramente flectido para a sua esquerda, já que à sua direita tinha a cobertura da barreira, trata-se, portanto, de uma postura correcta. Se bola contorna a barreira por cima pouco ou nada há a fazer.

No 2º golo golo Helton está colocado sob a linha de pequena area, um posicionamento ligeiramente adiantando e de maior amplitude de cobertura de angulo, dado o lançe estar a desenrolar-se em zona de disparo frontal a longa distância. A bola ainda por cima descreveu um ligeiro arco. Isto para além da expontaneidade do remate. Quanto muito neste golo existe falha de cobertura da zona central por parte os médios de cobertura defensiva (situação que se repetiu algumas vezes ao longo do jogo).

Acrescente-se que, em ambos os golos, os remates são efectuados com força e intensidade, limitando muito a reacção aos disparos.

Para mim, nos dois golos, apenas tenho de tirar o meu chapeu à excelência de execução do Luís Aguiar e do Lima. São 2 situações em que só consigo descortinar mérito de quem executa e não demérito de quem defende.

José Rodrigues disse...

Este início de época está a dar um gozo do caraças - muito por mérito próprio mas tb em boa medida por demérito alheio (nomeadamente dos galináceos: confesso q nem em sonhos pensei q chegássemos a 4a jornada com 9 pts de avanço).

Mas voltando ao mérito próprio, o "Cenoura" não podia ter um início de época mais auspicioso: 7 vitórias em 7 jogos (incluindo ben7ica e Braga), não se podia pedir melhor. Além disso dá MUITíSSIMO mais gosto assistir às exibições deste novo FCP, a diferença de atitude (colectiva) em campo é como água para o vinho.

Hulk começa a demonstrar maior maturidade e sentido de colectivo, e como aqui escrevi em artigo há umas semanas era mesmo isso q precisava para garantir a titularidade com unhas e dentes. Óptimo.

Agora não há que enveredar por deslumbramentos, dando sempre 100% em campo: basta por exemplo empatarmos na Madeira (bem possível) e as galinholas vencer o SCP para aparecer a onda do "renascimento do grande ben7ica". Não há q baixar a guarda.

ricardompr disse...

No 2.º golo se repararem é algo idêntico ao golo sofrido (CR7) nos 4.ºs de final da Champions contra o ManUtd, Fernando a ver jogar e quando o(s) avançado(s) vão armar o remate ele já chega tarde...vejam as imagens dos 2 lances e digam se não e verdade.

http://www.youtube.com/watch?v=NHBa7OWaPxY

http://futebol.videos.sapo.pt/zWlDRYMuj39Hlj8DugOM

FernandoB disse...

Ana Martins,

Viu a figura triste do nosso Domingos ontem ? Não percebeu o jogo, e deitou as culpas para 2 defesas...dele !!!??? Isto não aprendeu connosco... e foi mal educado com o André, viu ?

RCBC disse...

O jogo de ontem foi um autêntico hino ao futebol, com 2 grds equipas, 5 fantásticos golos e uma exibição de encher o olho do FC Porto.

Sinceramente não me parece que Helton pudesse fazer muito mais nos 2 grandes golos que o Braga marcou, pq foram isso mesmo, 2 grandes golos difíceis de defender por qq outro GR.

Qto à vantagem que neste momento temos para a concorrência, é exactamente como já vi aqui escrito, não baixar a guarda e continuar a amealhar pontos o máximo de jornadas possível. Seria importante até ao próximo jogo com um “grande” não perdermos pontos, de modo a manter distancias e conservar a liderança na prova!

BRUNO ROCHA disse...

@: Nelson Carvalho, boa apreciaçao e explicacao sobre os golos sofridos pelo Helton. Denota conhecimento de causa, sou totalmente de acordo com apreciacao feitas dos lances e do porquê do posicionamento.Parabens
Aos criticos do helton neste jogo, so quem nunca esteve la dentro é que pode tecer este tipo de critica...O Gr esta no campo nao ha pensar que nao vai sofrer golos, mas sim a pensar que vai evitar o maior nº deles, mas não faz milagres!!!

David disse...

Só por ser um grande guarda-redes é que alguns colocam dúvidas acerca da eficácia do Helton nos dois golos ontem sofridos. Eu bem sei que por vezes os guarda-redes fazem defesas ainda mais difíceis do que estas seriam - e ainda ontem vi o Van der Saar fazer uma defesa impressionante num livre ainda mais difícil de defender que o do Luís Aguiar, pois a bola ia para o canto da baliza, mas levantar sequer a hipótese de que o Helton "podia ter feito mais" é elevar os padrões de exigência a um nível exagerado.

Quanto ao jogo: mesmo que nada mais se ganhasse esta época, André Vilas Boas devolveu ao Porto o estilo de jogar à Porto: o controlo do jogo é nosso, a iniciativa é nossa. É assim que o FCP tem de jogar.

A primeira parte deixou bastante a desejar, contudo. Claro que devemos muito ao Hulk neste jogo, mas o Hulk faz parte da equipa, tanto como o Roberto faz parte da equipa do SLB ou o Postiga (quando joga) faz parte da equipa do SCP.

Este foi o segundo grande teste à equipa esta época e mais uma vez ela foi aprovada com distinção. Sofrer no mesmo jogo dois golos que não saem todos os dias e reagir daquela maneira é um óptimo sinal.

O Braga pode não ter causado muitos problemas ofensivamente falando mas soube sempre o que estava a fazer em campo.

Dragaopentacampeao disse...

Foi sem dúvida um jogo muito emotivo e intenso, onde não faltou o entusiasmo civilizado dos apoiantes de ambas as equipas, com os bracarenses a deslocarem ao Dragão cerca de 3.000 adeptos, que ajudaram a colorir o ambiente frenético, digno das noites futebolísticas do mais alto nível.

O jogo começou muito táctico pelos receios evidentes de ambas as turmas.

Depois que o resultado começou a funcionar, de bola parada, pois então, o futebol, principalmente o dos Dragões, começou a desbloquear e o jogo tornou-se intenso e emocionante, com belos golos, belas jogadas, e um intérprete espectacular, o incrível Hulk. Jogou, correu, rematou, assistiu para golo,marcou e entusiasmou a plateia, até à exaustão. Que mais pedir.

Está de parabéns também André Villas-Boas, que passou incólume esta prova de fogo, sem se deixar deslumbrar, conforme demonstram as suas sensatas palavras na conferência de imprensa.

Um abraço

Dragaopentacampeao disse...

Foi sem dúvida um jogo muito emotivo e intenso, onde não faltou o entusiasmo civilizado dos apoiantes de ambas as equipas, com os bracarenses a deslocarem ao Dragão cerca de 3.000 adeptos, que ajudaram a colorir o ambiente frenético, digno das noites futebolísticas do mais alto nível.

O jogo começou muito táctico pelos receios evidentes de ambas as turmas.

Depois que o resultado começou a funcionar, de bola parada, pois então, o futebol, principalmente o dos Dragões, começou a desbloquear e o jogo tornou-se intenso e emocionante, com belos golos, belas jogadas, e um intérprete espectacular, o incrível Hulk. Jogou, correu, rematou, assistiu para golo,marcou e entusiasmou a plateia, até à exaustão. Que mais pedir.

Está de parabéns também André Villas-Boas, que passou incólume esta prova de fogo, sem se deixar deslumbrar, conforme demonstram as suas sensatas palavras na conferência de imprensa.

Um abraço

Pedro disse...

A análise e atitude do Domingos no final do jogo é o reflexo de alguém que acreditava piamente que ia ser o escolhido. Está ressabiado.

Mas é ser humano, é portista, e merece o nosso respeito. Que faça uma grande época no Braga e ganhe aos galinaceos 2 vezes.

José Rodrigues disse...

Quanto ao Domingos, e' bem possivel q haja algum ressabiamento.

Mas tb nao me admirava nada q se tratasse de um caso de, sabendo ele como tem a imagem colada ao FCP, tentar ser mais papista do q o Papa evitando dar qq merito ao FCP de forma a nao ser criticado como um poodle do FCP.

José Correia disse...

É preciso saber dar um desconto às declarações de jogadores e treinadores no final dos jogos, principalmente quando perdem.

ultrafcporto disse...

Boas portistas, que grande jogo assistimos talvez um dos melhores deste campeonato, com bons golos, boas exibições, com muito empenho de ambas as equipas, sem casos polémicos, uma arbitragem muito consistente, um autentico hino ao futebol.
Cumprimentos,
ultrasfcportomatosinhos