sexta-feira, 10 de setembro de 2010

O Braga de António Salvador

«(…) no negócio do futebol, uma boa gestão não basta para garantir o sucesso. É preciso ter também rasgo e ousadia, porque muitos dos tabus neste desporto tão conservador não seriam quebrados sem uma pontinha de loucura. E é aí que entra o presidente António Salvador, um self-made man que soube contagiar um clube e uma cidade e provar que a ambição pode ser também a riqueza dos pobres. (…)

Em sete anos, as receitas operacionais (sem venda de jogadores) subiram de dois para oito milhões de euros, ainda assim insuficientes para fazer face às despesas, que só em amortizações atingiram esta época os três milhões de euros. A diferença foi sendo colmatada com as transferências de jogadores. Percebendo que o tempo era de "vacas magras", Salvador promoveu cortes orçamentais. Depois dos 14 milhões de euros gastos em 2008/09 (com Jorge Jesus), o Braga investiu apenas 11 milhões no ano passado e preparava-se para só gastar dez nesta temporada. Esse valor deverá ser ligeiramente ultrapassado, face aos investimentos de última hora na equipa. (…)

Mas Salvador sabia que o equilíbrio financeiro nunca poderia ser dissociado da estabilidade desportiva. E, em sete épocas, o Braga nunca falhou um apuramento para as provas europeias, somando três quartos lugares, dois quintos, um segundo e um sétimo. Neste âmbito, começou por ser fundamental o trabalho do técnico Jesualdo Ferreira. A sua saída, em 2006/07, criou instabilidade em resultado da aposta em Carlos Carvalhal, Jorge Costa e Manuel Machado. A normalidade regressou com Jorge Jesus, que terminou em quinto e ajudou a vencer a Taça Intertoto, antes de a sua mudança para o Benfica render 700 mil euros. (…)

O Braga partiu para esta época com o plantel mais forte e equilibrado de que há memória. É verdade que perdeu os laterais (Evaldo e João Pereira) e o guarda-redes Eduardo, mas a defesa foi razoavelmente recomposta (embora falte alternativa ao nigeriano Elderson). Mais do que isso, manteve-se a espinha dorsal formada pelos centrais Moisés e Rodrigues (a melhor dupla da Liga?), o médio-defensivo Vandinho e também Alan, talvez a unidade mais desequilibrante. Segurou também Matheus, um ala rápido que Domingos tem sabido transformar num avançado letal. Mas a estes pode-se agora acrescentar Leandro Salino, um médio de muita qualidade que chegou a preço zero do Nacional. Mas a grande diferença verifica-se no ataque, onde Meyong passou a ter a concorrência de Lima, Keita e Elton. O primeiro já o tínhamos elogiado quando, na época passada, vestia a camisola do Belenenses. Tem algo que, salvaguardando as devidas diferenças, faz lembrar Lisandro. E só custou 400 mil euros. Não contando com os gastos que normalmente decorrem do pagamento de "luvas" aos jogadores e empresários, o Braga fez ainda duas excelentes contratações: Felipe e Elton. Foram negócios de ocasião. O primeiro era o guarda-redes titular do Corinthians, que abandonou após um litígio com o presidente. O seu passe foi então comprado por um grupo de investidores, que aceitou utilizar como "montra" o Braga, que só pagará 30 por cento dos ordenados. Elton, um avançado que marcou 17 golos no Vasco da Gama, chegou numa situação idêntica. É provável que o Braga tente ainda garantir mais um ou dois reforços, designadamente um médio-defensivo.

Prestes a completar 90 anos de história, o Braga tem sabido puxar por uma cidade que durante anos foi conhecida pelo elevado número de benfiquistas. A média de assistências subiu de 11.550 (2005/06) para 14.274, no último campeonato. E o número de sócios é agora de 22 mil. (…)»

Bruno Prata, PÚBLICO, 27/08/2010

----------

Há sete anos, quando António Salvador chegou à presidência dos “arsenalistas do Minho”, o Braga vinha de um 14.º lugar no campeonato. O primeiro treinador que contratou (para a época 2003/04) foi Jesualdo Ferreira, o qual alcançou um quinto e dois quartos lugares, isto antes de vir para o FC Porto (com uma passagem efémera pelo Boavista), quando Pinto da Costa o escolheu para substituir Co Adriaanse.

Para o sucesso desportivo e financeiro alcançado (nestes sete anos o Braga encaixou cerca de 33 milhões de euros em vendas de jogadores), contribuíram directores desportivos, jogadores e treinadores, particularmente Jesualdo Ferreira, Jorge Jesus e Domingos Paciência. Mas, tal como no FC Porto, neste período de ouro do Braga, o único denominador comum é o presidente António Salvador.

Li na comunicação social que este empresário do ramo da construção civil, de apenas 39 anos, é sócio do FC Porto há 30 anos. Estará ele entre os possíveis sucessores de Pinto da Costa, daqui a três ou seis anos?

Fotos: O Jogo, Correio da Manhã
Nota: Os destaques no texto a negrito são da minha responsabilidade.

27 comentários:

Pacheco disse...

Já não é a primeira vez que ouço a possibilidade de Salvador ser o sucessor de Pinto da Costa, até porque é um conhecido Portista e a relação entre os dois é boa.

Veria com muito bons olhos Salvador como presidente do FCP, nomeadamente pela sua vertente de gestão.

Me myself and I disse...

Sem dúvida e espero que sim.

David disse...

Não!!!! Ó da Guarda! : -)

Desculpem lá, mas ainda recentemente vocês aqui publicaram um artigo a louvar este mânfio!

O tipo é um matarroano! Nem pensar nisto!

João Inocêncio de Vale e Azevedo Calabote disse...

Não gosto de me repetir e nem de fazer "copiar e colar" mas tenho de voltar a dizer o mesmo que foi dito por mim num outro artigo deste mesmo blogue há umas semanas atrás.
O Salvador, eu conheço-o pouco mas dou-me com que se relaciona muito com ele e de uma forma constante, é uma bronco do pior.
Em cada frase de 10 palavras 5 são ditas com erros de português que nem putos da primária dão, sendo também um artista das calinadas ao nível de um Jesus vermelho que ainda ontem disse mais uma (dice-versa em vez de vice-versa) e quanto ao facto de ser empresário de sucesso não há duvidas, é mesmo, embora que...
Qualquer um de nós pode ser empresário de sucesso também se se tiver o compadrio de presidentes de câmara e de outros "artistas" que dão uma ajuda imensa no desenrascar de licenças e de dinheiros que precisam de lavandaria.
É bem o típico xico-esperto português que vai mamando na teta da coragem(dele) e da falta gente séria neste país para fiscalizar muita porcaria que por aí vai sendo feita e das quais os beneficiados são sempre os mesmos.

Muitos pensam que ele, numa espécie de Cavaco Silva da rodagem do carro, apareceu sem querer na direcção do clube e teve saber e/ou sorte para levar adiante e com sucesso um projecto, mas na verdade ele foi lá posto pelo Mesquita e pelo menos nos primeiros tempos foi uma marioneta controlada pelo edil de Braga, agora não sei como anda aquilo mas desconfio que a "mão continua enfiada no boneco".

Digo mesmo mais. Só faltava juntar no FC Porto Salvador e Jesus e tínhamos um clube de stand up comedy de nível internacional, com outro pormenor em comum, que é o facto de que ambos são bons a meter as mãos cheias aos bolsos.

José Correia disse...

João Calabote disse…
«O Salvador (…) em cada frase de 10 palavras 5 são ditas com erros de português que nem putos da primária dão, sendo também um artista das calinadas»

Cavaco Silva, que foi primeiro-ministro durante 10 anos e se apresta para renovar por mais cinco o seu mandato de presidente da república, nunca foi propriamente um erudito e, quando falava, tinha um problema de saliva que era visível nos cantos da boca. Para o resolver teve aulas de dicção e expressão oral com Glória de Matos.

José Correia disse...

João Calabote disse…
«Qualquer um de nós pode ser empresário de sucesso também se se tiver o compadrio de presidentes de câmara»

Não sei se António Salvador é ou não um empresário de sucesso na sua vida privada mas, para o cargo de presidente do Futebol Clube do Porto, essa não é a característica mais importante. Porque se assim fosse, Pinto da Costa nunca teria alcançado o enorme sucesso que alcançou na presidência do FC Porto.

Para presidente do FC Porto parece-me fundamental alguém que perceba de futebol, se possível com experiência no dirigismo desportivo, e que saiba rodear-se de pessoas competentes, para além de saber escolher treinadores e negociar a compra/venda de jogadores.

paulop disse...

Talvez daqui a uns dez anos se fale sobre candidaturas reais.
As conjecturas servem principalmente para queimar nomes, de qualquer maneira numa hipotética candidatura prefiro um empresário com sucesso, com conhecimentos sobre futebol, que a um candidato tipo placebo como o Dr. Rui Moreira, apesar de lhe reconhecer grandes qualidades que não no campo do futebol.

VIVA O FUTEBOL CLUBE DO PORTO

João Inocêncio de Vale e Azevedo Calabote disse...

Caro José Correia
O Salvador percebe de tudo. Ele mete-se em tudo que faça o dinheiro circular e em que ele possa "açambarcar" algum.
O que ele percebe de futebol ou parece que percebe, tem o dedo de Pinto da Costa, como se pode ver pelos negócios que vão sendo feitos com o FC Porto. Uma boa parte dos jogadores do Braga foram dados ou vendidos a bom preço pelo FC Porto.
E não sabe que ele é um dos sócios da empresa Britalar que construiu o centro de treinos do bencoiso, no Seixal?
São negócios de milhões, logo os lucros também são de milhões e logo é um empresário de sucesso. Não interessa como lá chegou, dirão 99% dos portugueses, nem como faz ou arranja esses negócios mas uma coisa é certa ganha muito dinheiro.

E problemas de dicção ou glandulares são uma coisa, outra coisa é ter a 4ª classe tirada à noite e nem sequer se saber expressar.
O José não tem visto quando ele dá fala para as televisões?
Ele quer dizer alguma coisa inteligente mas sai-lhe sempre coisas como; "vimos de Vraga aqui para sermos rouvados e vamos emvora com a sensação de que nos querem empurrar para vaixo".

É que ele para falar "vem" usa sempre os vês e deixa de usar os bês tão característicos de Braga. Quer-se mostrar diferente do parolo que é mas acaba é por acentuar ainda mais a realidade dos factos. É um bronco maior que a Sé de Braga.
O que vale e o que me deixa tranquilo é que ele tem tantas hipóteses de vir a ser presidente do FC Porto como eu de vir a ser presidente do bencoiso.

David disse...

Caro José Correia,

Com o devido respeito, acho a sua comparação entre António Salvador e o Prof. Cavaco Silva, um homem doutorado em Finanças Públicas numa universidade inglesa, um completo disparate. Também se poderia então comparar Salvador com o Dr. Mário Soares, por exemplo, porque nenhum dos dois fala inglês.

Mas mais a propósito seria compará-lo com Sousa Cintra e Luís Filipe Vieira porque, além de todos se terem ficado pela 4ª classe (ainda não havia as Novas Oportunidades), partilham um estilo muito peculiar que me abstenho de adjectivar. E eu pergunto se é um presidente tipo Cintra ou Vieira que queremos no FCP. Eu, pelo menos, não quero. Passar de Pinto da Costa para um tipo destes seria como passar de Wagner para o Abrunhosa.

E não acredito que o PdC alinhe nessa onda, a não ser que queira fazer como o Cunhal e vingar-se do mundo escolhendo um Carvalhas para seu sucessor. : -)

Acima de tudo, o que me indigna é a possibilidade de se promover um futuro presidente nos bastidores, fazendo de conta que os sócios do FCP não têm de pronunciar-se. Mas na hora devida espero que eles se pronunciem contra candidatos sofríveis como seria este Salvador. Espero mas não estou muito confiante, habituado que estou a ver uma atitude de rebanho na nossa massa associativa.

O grande obreiro da actual equipa do Braga chama-se Domingos Paciência, e nem esse foi considerado à altura de servir o nosso clube, muito menos o poderia ser o homem que lhe paga o ordenado.

RS disse...

Não sei como os srs do Publico se esqueceram do Paulo Cesar, um dos mais importantes. E dizer que a dupla Moises/Rodriguez é a melhor da liga parece forçado...

Mefistófeles disse...

Estou absolutamente de acordo com o João Calabote em tudo o que disse sobre este Salvador.

O homem é um bronco do pior ! Poupem-nos.

José Correia disse...

@David
Não pretendi fazer uma comparação (directa) entre António Salvador e o Prof. Cavaco Silva, mas sim chamar à atenção que problemas de dicção e de expressão oral podem ser trabalhados e com bons resultados.

José Correia disse...

João Calabote disse…
“O que ele [Salvador] percebe de futebol ou parece que percebe, tem o dedo de Pinto da Costa, como se pode ver pelos negócios que vão sendo feitos com o FC Porto.”

A contratação de jogadores como Hugo Viana, Mossoró, João Pereira, Eduardo, Sílvio, Lima, etc., tiveram o dedo de Pinto da Costa?
A contratação de Jesualdo Ferreira, Jorge Jesus e Domingos Paciência tiveram o dedo de Pinto da Costa?

José Correia disse...

João Calabote disse…
“E não sabe que ele [Salvador] é um dos sócios da empresa Britalar que construiu o centro de treinos do bencoiso, no Seixal?”

Sei. Mas em quê é que isso o diminui na possibilidade de ele poder vir a ser candidato à presidência do FC Porto?
Durante muitos anos, o Pinto da Costa foi amigo e, segundo veio a público, visita de casa de Luís Filipe Vieira.

AFC disse...

Peço desculpa por colocar um link de outro blog, mas creio que nem com Glória de Matos este ia lá. Até pode ser um excelente gestor para um clube como SC Braga, mas no FCP creio que exigimos outro tipo de Presidente.

http://cromos_da_bola.blogspot.com/2008/02/antnio-o-salvador-e-mss-do-doente.html

José Correia disse...

David disse…
“o que me indigna é a possibilidade de se promover um futuro presidente nos bastidores, fazendo de conta que os sócios do FCP não têm de pronunciar-se”

De acordo mas, quando Pinto da Costa entender que estiver na altura de deixar a presidência do FC Porto (talvez daqui a seis anos, aos 78 anos), penso que haverá vários candidatos.
Sem me pronunciar quanto à qualidade/curriculum/perfil, penso que há vários putativos candidatos, entre os quais: Vítor Baía, António Oliveira, Rui Moreira, Fernando Gomes (o actual presidente da Liga) e António Salvador.

José Rodrigues disse...

Se o Salvador algum dia vier a ser candidato penso q é provável q seja levado bastante a sério pelos sócios (se o suficiente para poder ganhar é q já tenho bastantes dúvidas, depende muito da concorrência).

É bronco? É. Mas desde quando é q isso é o mais importante para os sócios?? Estou certo q isso é um critério bastante secundário para a esmagadora maioria dos sócios. Não é por declamar António Régio q PdC é muito popular entre eles...

Magalhães disse...

Espero que Nunca mas mesmo Nunca este senhor venha a presidir o meu clube..

Alexandre Burmester disse...

Por declamar António Régio também não creio, mas já José Régio tem outro peso!;-)

meirelesportuense disse...

José Correia:
Ainda hoje, o Prof Cavaco quando fala em público, não está quieto dois segundos, parece ter um problema de equilíbrio ou alguma deficiência nos seus membros inferiores...Já fala melhor, bem melhor, mas continua inexpressivo no olhar, parece um zoombie...Mas por favor, deixem lá este homem em Braga, prefiro um milhão de vezes, o PC de bengala e a babar-se.

José Correia disse...

meirelesportuense disse…
“prefiro um milhão de vezes, o PC de bengala e a babar-se”

Não é isso que está em questão, mas Pinto da Costa não é eterno e daqui a seis anos terá 78 anos.

Daniel Gonçalves disse...

Considero que, como o José Correia referiu, daqui por uns anos o Fernando Gomes, actual Presidente da Liga, será um forte candidato a presidente do nosso clube, tem experiência no comando e conhecimentos de gestão económica-financeira, tanto ele como Angelino Ferreira foram analisados num artigo de Rui Frias que aqui foi publicado neste blog em 13 de Junho do corrente ano.
Sobre o Salvador penso que não é o facto de se saber ou não expressar em português correcto que fazem um bom dirigente.

meirelesportuense disse...

Eu sei disso José Correia, aliás porque expressei um pouco essa opinião há uns meses atrás, fui incensado como aqui já dei a conhecer...Mas por enquanto ele está seguro -se é que alguém está seguro- e portanto...Mas eu sempre fui da opinião de que ele deveria começar a pensar nisso e provavelmente estará a fazê-lo, só que ainda não o revela.
Também acredito mais num perfil tipo Fernando Gomes, embora me pareça demasiado distante e frio...

Daniel Gonçalves disse...

Meireles Portuense disse "Também acredito mais num perfil tipo Fernando Gomes, embora me pareça demasiado distante e frio..."
Eu até não vejo mal nenhum em um Presidente ser frio e calculista, tem as suas vantagens.

P. Cardoso disse...

Queria apenas realçar a contratação do guarda-redes do braga filipe.

Fiquei admirado com a dispensa do mário felgueiras, sabendo que foi o titular nos primeiros jogos do braga e que o quim só volta lá pra dezembro.

parece que apesar da saída de carlos freitas o braga continua a fazer bons negócios, algo que eu não tava a espera que acontecesse...
já agora, qual o grupo de empresarios que paga 70% do ordenado do filipe?

José Correia disse...

«Cerca de 50 quilómetros separam a cidade do Porto de Braga, mas a distância geográfica abate-se nos inúmeros pontos de contacto entre dois clubes movidos pela mesma ambição presidencial. Os dragões e os guerreiros do Minho estão muito associados, respectivamente, à imagem de Pinto da Costa e de António Salvador, dois líderes que alteraram rotinas e filosofias instaladas e colocaram as instituições no trilho do sucesso. E ambos cultivam uma profícua relação de amizade, incapaz de ser beliscada pelos desígnios da bola.

O F. C. Porto e o Braga são duas instituições que defendem a mesma política desportiva e atacam o mercado de forma semelhante. Gostam de comprar activos baratos, apostam na sua valorização e são negociadores implacáveis quando é preciso vender. Só no último defeso, os azuis e brancos encaixaram 35 milhões de euros nas transacções de Bruno Alves e Raul Meireles, enquanto os minhotos receberam 7,5 milhões pelas transferências de Eduardo e Evaldo.»
Norberto Lopes, JN, 11/09/2010

José Correia disse...

«A forte relação de amizade institucional é bem evidente durante o defeso, quando os dois clubes aproveitam a abertura de mercado para trocar jogadores entre eles. Esta época, o guarda-redes Kieszek transferiu-se do Minho para a Invicta, enquanto Hélder Barbosa fez o caminho inverso. Na temporada passada, aconteceu o mesmo em relação a Orlando Sá e a Diogo Valente. Além de existir um histórico de várias transferências de portistas para o Braga, entre elas, as Alan, Adriano e Jorginho. E o empréstimo do avançado Rentería em duas épocas consecutivas.»
Norberto Lopes, JN, 11/09/2010