sábado, 18 de setembro de 2010

Política e futebol

O ex-presidente do Barça e actual candidato à Generalitat da Catalunha pelo Partido de Solidariedade Catalã para a Independência, respondeu assim quando confrontado com a eventualidade do FC Barcelona passar a disputar uma liga pouco competitiva:
"Pode perfeitamente jogar-se a liga catalã, a liga espanhola e a liga dos povos ibéricos com Portugal, Espanha e Catalunha. Oxalá possamos apresentar esta questão num futuro imediato, mas, em última instância, o Barcelona poderá escolher onde jogar."

Se for eleito, duvido que Joan Laporta consiga convencer a UEFA e a Real Federación Española de Fútbol mas, pelos vistos, o futebol e os interesses do Barça poderão ser um forte travão à aspiração de uma Catalunha independente.

P.S. Em vez da desacreditada Taça da Liga, porque não organizar uma Taça Ibérica, envolvendo os clubes das duas principais ligas dos dois países?

15 comentários:

Orgulhoazulebranco disse...

Sempre era mais interessante --'

Desde que muito bem pensado e organizado,como é evidente.

rbn disse...

Uma Taça Ibérica com os 4 1ºs colocados de Portugal e Espanha, ou mesmo com os 2 de Madrid(Real e Atl) e de Barcelona(Barça e Espanyol) era muito melhor que a deplorável taça da cerveja.

Para além de ser muito mais interessante jogar contra espanhóis do que contra Leirias e Penafiéis.

O problema é que em Portugal, para competir (no real sentido da palavra) nesta Liga, podemos escolher apenas 4 (contando com o Braga), enquanto eles podem se dar ao luxo de mandar um Valência, um Sevilha, um Getafe ou mesmo o Málaga disputar esta mesma Liga com chances de sucesso, visto que a diferença de qualidade do dito 2º escalão espanhol é muitíssimo alta em relação aos ditos clubes pequenos lusos.

Mas ainda assim, com valencias ou getafes, era muito melhor que a beer cup.

Mas se os ditos 3 grandes lusos mais o Braga não participarem, não vejo quem possa ganhar a embrionária Liga Ibérica para Portugal.E mesmo com os grandes, será mui difícil.

Alexandre Burmester disse...

Um clube jogar numa Liga exterior ao seu país não é inédito nem portanto proibido pela UEFA, pelo que não vejo por que uma liga comum a mais que um país pudesse esbarrar nas uefeiras objecções. O Cardiff City, o Swansea City, o Wrexham e o Newport County são todos clubes galeses que disputam campeonatos ingleses (os dois primeiros no Championship - 2ª divisão -e os dois últimos na Conference - 5º escalão do futebol inglês); e o Derry City, clube da Irlanda do Norte, disputa a Liga da Irlanda, campeonato da República da Irlanda.

Isto não significa que eu apoiasse a ideia de uma "Liga Ibérica", apenas pretendo ilustrar que conceito não é absurdo.

meirelesportuense disse...

Um Liga Ibérica seria muito interessante e ganha-la não era tarefa fácil, de forma alguma...Uma Liga Ibérica, seria muito superior à Liga Europa, porque o nível dos intervenientes, especialmente os dos "nuestros hermanos" seria por si suficiente, para dar outra qualidade à competição...Real, Atlético, Barcelona, Espanhol, Valência, Sevilha, Deportivo, Getafe, Villa Real, Ossassuna...é fácil perceber isso.
Provavelmente beneficiaria ainda mais os nossos representantes, mais que os Espanhóis, porque nos submeteria a um ritmo diferente daquele a que estamos habituados e brigaria a uma competência maior...Teria por isso consequências benéficas nas Ligas Europeias -na Champions especialmente- e nas representações Nacionais...

David disse...

"Teria por isso consequências benéficas nas Ligas Europeias -na Champions especialmente-"

Resta saber quantos clubes portugueses chegariam à "Champions"...

Já sei que o nosso campeonato é pobre em qualidade e receitas, mas é o nosso, que havemos de fazer? E quem nos diz que a castelhanada estaria interessada em tal arranjo? Só se fosse por motivos políticos.

Miguel de Vasconcelos ainda acaba por ir para o Panteão Nacional.

meirelesportuense disse...

Acho que o David percebeu bem o que eu quis dizer...Por essa ordem de ideias do "antes só, do que mal acompanhado", não sei então porque vamos jogar com Ingleses, Italianos ou Franceses, será que são preferíveis aos Espanhóis?...Tenho dúvidas.
Assim, ficaríamos melhor nos Regionais que andar pelos Nacionais, que são muito menos íntimos, mais arriscados e dispendiosos.
Temos que abandonar esse tipo de mentalidade do género Nacionalismo de antanho.O Mundo é cada vez mais global.
-Não entender isso, é querer manter-se sempre na Cidade, no Bairro, na casa da Família, no quarto particular, voltar ao útero e derradeiramente desaparecer...

miguel_canada disse...

Credo...criar mais uma prova que corria o risco de ser boicotada pelo benfica??? Nunca!

Roberto Pollo disse...

Já à algum tempo que eu mencionei este cenário como possível e até como uma antecâmara da Superliga Europeia.

Sendo que as nacionalidades e nacionalismos se estão a esbater na Europa Comunitária (e não só) e que já existem antecedentes a nível da organização conjunta de torneios e também a nível de clubes (como menciona o Alexandre) este seria um passo lógico no aproximar das ligas (leia-se receitas geradas) à Liga dos Campeões.

Existem no entanto dois grandes entraves a este cenário:

1) Clubes habituados a vencer (Porto, Benfica, Sporting) dificilmente aceitariam participar numa liga onde teriam maior probabilidade de disputar um terceiro lugar E estou a ser generoso já que em Espanha existem Atletico Madrid, Valência e Sevilha) do que um primeiro.

2) Porque é que a Liga maior - neste caso a Espanhola - quereria abrir as portas a outros clubes? Os Hércules, Huelvas, Saragoças e afins nunca aceitariam abdicar do seu estatuto actual.

Por isso, a menos que hajam (1) patrocinadores generosos a financiar toda esta operação ou (2) um ditame vindo da UEFA ou dalgum ditador Ibérico, o mais certo é isto não passar de uma ideia.

David disse...

Nacionalismo de antanho? Antes só que mal acompanhado? Mas onde sugeri eu isso? Claro que qualquer português que se preze sabe que ingleses, italianos e franceses são mil vezes preferíveis aos espanhóis, mas aquilo que você sugere é uma falsa alternativa. Nós não temos de ir jogar para outro campeonato que não o nosso. Aliás, dê-me um exemplo de dois países europeus que partilhem o mesmo campeonato e nessa altura já podemos continuar a conversa. O mundo é cada vez mais global, sim senhor, e eu até sou defensor da tão vilipendiada globalização, mas ainda não a vi chegar aos campeonatos de futebol. Até parece que a posição que eu defendo - jogar o nosso campeonato - é uma ideia bizarra e extraordinária.

E mais: se as principais equipas portuguesas deixassem o nosso campeonato, este estava condenado, pelo menos com o nível actual, que apesar de tudo não é mau para um país de 10 milhões de habitantes e apenas com dois grandes centros urbanos.

Meireles, você pegou nas minhas palavras em que sucintamente procurei expressar o meu ponto de vista e fez deduções indevidas e hiperbólicas, sem dúvida para melhor efeito pirotécnico da sua argumentação. Mas não apresentou nenhum argumento sólido ou bem estruturado. Ficamos apenas a saber que para si defender os campeonatos nacionais de futebol é uma posição de "nacionalista de antanho". Tá bem, tá.

José Correia disse...

@Alexandre Burmester

E há, também, o caso do Monaco que joga na Liga francesa.

José Correia disse...

E também podíamos falar no desejo do Rangers e do Celtic em jogarem na Premier League.

José Correia disse...

A ideia de ser criada uma Taça Ibérica seria em substituição da desacreditada Taça Lucílio Baptista, mantendo-se as ligas espanhola e portuguesa.
Poderia haver uma fase de grupos (com os clubes agrupados por região/país) e depois uma fase a eliminar.

Alexandre Burmester disse...

@ José Correia,

É verdade, mas o Mónaco é um caso diferente, pois nem liga há no Principado, naturalmente.

miguel_canada disse...

"...E estou a ser generoso já que em Espanha existem Atletico Madrid, Valência e Sevilha)".

Não reconheço a nenhum destes três capacidade de se baterem com o FCPorto e ao Real de Madrid, apenas num dia bom.

Roberto Pollo disse...

Miguel, Uma liga não é como uma eliminatória europeia. Numa potencial liga ibérica o Atlético, o Valência e o Sevilha poeriam muito bem vencer mais jogos do que o FC Porto.

Eu considero O Sevilha e o Valência clubes de projecção idêntica ao FC Porto, e ainda que o Porto tenha um currículo vastamente superior, regra geral, os orçamentos destes clubes é bastante superior ao nosso.