segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Só eu sei porque não fico em casa


«(…) queremos pedir aos sócios e adeptos do Benfica que continuem a apoiar, de forma inequívoca e sem reservas, a equipa nos jogos que o Benfica realiza no Estádio da Luz, mas que se abstenham de se deslocar aos jogos fora de casa. (…) A nossa ausência será o melhor indicador da nossa indignação.»
Comunicado do slb

Conforme já aqui tinha chamado à atenção, no último Guimarães x slb, num estádio com capacidade para 30 mil lugares, quase metade ficaram vazios (a assistência foi de 17730 espectadores). E pior. Quem viu o jogo, percebeu que os adeptos vimaranenses estavam em esmagadora maioria, isto apesar da propaganda benfiquista dizer que o Minho é vermelho.

Mas as fracas assistências em jogos do slb não começaram em Guimarães. No slb x Setúbal, disputado em 28 de Agosto, o estádio da Luz tinha quase 30 mil lugares vazios (36975 espectadores foi o número oficial indicado pelo slb). Ora, para quem se arroga de ser o único clube que em Portugal enche estádios, a começar pelo seu, estes números devem ter feito disparar uma campainha de alarme e deixado os dirigentes benfiquistas à beira de um ataque de nervos.

E pior devem ter ficado na passada terça-feira, ao verem mais de metade do estádio vazio num jogo da Liga dos Campeões (estiveram cerca de 30000 espectadores no slb x Hapoel).

Ao contrário do que, por exemplo, se passa em Inglaterra, os adeptos portugueses vão aos estádios quando a sua equipa joga bem, dá espectáculo, ganha jogos e está bem classificada, mas ficam em casa quando a equipa não joga a ponta dum chavelho. Isso acontece tanto no FC Porto, como no Sporting ou no slb e, apesar da propaganda encarnada nos querer convencer do contrário, os números falam por si. Esta época e nas anteriores.

Por isso, este apelo ridículo dos dirigentes do slb não passa de desespero e, se as exibições dos encarnados não melhorarem significativamente, serve apenas para preparar uma desculpa esfarrapada para o fim de mais um mito.

Foto: www.fotosdacurva.com

15 comentários:

rbn disse...

Já perceberam ainda na 2ª liga em Guimarães que seus próprios adeptos enchem o estádio.

E apesar de conchavos com lampiões, já só deixam a claque rosinha ficar atrás de uma das balizas, ao invés daquelas invasões até os anos 90, onde o Afonso Henriques era quase todo vermelho.O mesmo se passava em Braga, mas hoje em dia os galináceos já não invadem as bancadas como estavam acostumados.

Se mais 2 ou 3 cidades fizessem o mesmo, o campeonato ficava mais atraente e rentável, acabava a subserviencia e a dependencia dos ben7as encherem o estádio e com isso, ganhava o futebol portugues.

Mas os dirigentes de clubes pequenos já ficaram "horrorizados" pelo facto do orelhas dizer para os lampiões não comparecerem em jogos fora de casa.

É por isso que vão continuar sendo pequenos, pois preferem ter a sua casa entupida de rosinhas e fazer caixa por um dia do que jogar em casa com maioria de adeptos nas bancadas.

Obs:a coisa tá tão feia pra Scolari no Brasil, que ele anda apostando nos 25 bichos do Jogo do Bicho e os que dão no sorteio é tipo lesma, gambas, antílopes...não ganha nunca...

Pedro Azevedo disse...

Dizer que o minho não é vermelho, sendo-o só por propaganda vermelha, é só mesmo de quem nunca colocou lá os pés. Andei por lá mais de 20 anos e acho que era tão difícil ser portista lá como em Lisboa. Atenuou-se nos últimos anos com o crescimento do FC Porto mas continua a ser esmagadoramente lampiónico.

Concordo em absoluto que os adeptos portugueses só vão aos estádios quando a sua equipa ganha, lidera e joga bem.

Quanto ao facto do Benfica ser o único que enche estádios fora, eu neste ponto acho que são mesmo os únicos. Podem não ser tantos como antigamente mas ainda são mais que as mães por todo o país.

Aliás a reacção dos clubes mais pequenos a essa decisão do Benfica corrobora essa tese. Parece que ficaram todos um bocado em pânico.

E não me surpreende se esta semana, depois da vitória de ontem sobre os lagartos, o Benfica vier dar o dito pelo não dito. Faz parte do folclore.

José Correia disse...

@Pedro Azevedo
A minha mulher é minhota e, por via disso, tenho muitos familiares e conhecidos dessa belíssima região.
Há no Minho muitos benfiquistas? Concerteza, como também há cada vez mais portistas, os quais não têm que se esconder. Até um sócio do FC Porto há 30 anos chegou a presidente do Braga…
No Minho ainda há mais benfiquistas que portistas? Provavelmente, mas daí a dizer que o Minho é “esmagadoramente lampiónico” vai uma grande distância, a não ser que tenhamos conceitos diferentes para a palavra “esmagador”. Aliás, as assistências registadas nas últimas épocas nos jogos que o slb disputou em Braga e Guimarães foram elucidativas. O slb não jogou em casa, bem pelo contrário.

Blue Blood disse...

Pois eu não tenho familiares nem amizades que me contem como é no Minho. Eu Sou do Minho.
Toda a minha vida cresci com os ouvidos "emprenhados" que nós (Portistas) éramos uma espécie rara no meio do mar vermelho que é(?!) o Minho. MENTIRA.
Sempre conheci mais Portistas que benfikistas ou sportinguistas, e nunca ninguém se dá a conhecer ou não perguntando primeiro de que clube são, simplesmente vai-se conhecendo pelas circunstâncias do dia a dia as pessoas que nos aparecem no caminho.
Poderá ser uma coincidência rara e algo muito pontual, acontecer o que me aconteceu toda a vida, de conhecer sempre mais Portistas que benfikistas num sitio onde todos dizem haver mais dos "outros".
Pois será então uma espécie de milagre mas garanto que não é uma histórinha minha inventada para ser engraçado ou para defender aqui com uma mentirinha inofensiva o meu clube. É a mais pura verdade.
Porém é também verdade que até há uns 9, 10 anos atrás quando benfik vinha jogar a Braga ou a guimarães era dia de ver essas cidades cheias dos aldeões periféricos das grandes cidades (para não lhes chamar de parolos) de cachecol vermelho ao pescoço e garrafão na mão a caminho dos respectivos estádios onde se realizavam os jogos.
Passou essa "doença", já não é assim e tanto em Braga como em guimarães hoje em dia já muitos bormêlhos do slv metem a violinha ao saco até entrarem no estádio e voltam a arruma-la à saída para não terem encontros pouco agradáveis com as claques dos clubes minhotos. E é assim que eu gosto.
Eu como nascido e criado nesta zona deveria ser também do clube da minha terra mas... o meu pai nasceu no Porto e sempre foi Portista, assim como o meu avô, esse nascido em Trás-os-Montes e sempre Portista até à medula.
Para além disso tenho família no Porto e estou constantemente a ir ao Porto e gosto muito da cidade e mais, sempre é mais razoável ser Portista no Minho, que está junto ao Douro e é do Norte, que ser adepto de um clube da capital sulista e com a qual a maior parte das pessoas das regiões cimeiras do país não têm qualquer ligação.

meirelesportuense disse...

Ontem falava-se em 51 000 espectadores na Luz, o que reflecte uma quebra de pelo menos 25% relativamente à capacidade do estádio.
O Dragão no jogo com o SCBraga, teve números muito aproximados daqueles e a sua lotação, é de 50 000 espectadores...Isto significa apenas uma coisa, descrença!

meirelesportuense disse...

E estava lá o Ministro da Administração Interna, com gravata vermelha e tudo...

Pedro Reis disse...

Off-topic (ou não)

Acho que hoje na Madeira jogamos uma grande cartada, é fundamental ganhar o jogo. Não pela diferença pontual que será sempre grande, mas pelo aspecto psicológico. Basta ver as capas dos jornais de hoje depois daquele joguito de ontem...
O AVB é inteligente e sabe disso pelo que hoje não pode dar abébias, é um dos jogos mais importantes deste primeiro terço do campeonato!
Vamos a eles

Alexandre Burmester disse...

O fenómeno dos benfiquistas do Norte, embora real, é empolado. É natural que eles encham os estádios do Norte, pois é essa a maneira mais fácil de verem o Benfica ao vivo, já que a capital fica longe. Já os portistas do Norte podem ir com facilidade ao Dragão, pelo que é natural que não acorram em tão grande número aos outros campos do Norte. Parece-me óbvio.

Daniel Gonçalves disse...

Se no Minho há ou havia muitos benfiquistas, não são tantos como a propaganda quer fazer, a minha família materna é da Póvoa de Lanhoso, concelho contíguo a Braga, e nos contactos e relações que tenho com as pessoas de lá, verifico que existem muitos portistas por aqueles lados, e isto já se notava há 20 anos atrás, na altura (finais dos anos 80) já eu falava e reparava na existência de muitos portistas, de classe popular e humildes.

Alexandre Burmester disse...

Se repararmos bem nas assistências em Alvalade notaremos que, de hoje em dia, 25.000 espectadores naquele estádio é um apreciável número.

Traficante de pneus disse...

Estive presente num casamento em que a maioria esmagadora dos convidados eram ou de Vila Franca de Xira ou do eixo Braga, Barcelos e Ponte de Lima.
Como em qualquer festa deste tipo a dada altura o animador começou a colocar as musicas dos clubes. Começou com o Sporting e houve uns quantos manifestantes...a seguir colocou os "Filhos do Dragão" e para espanto dele e confesso minha, o salão da boda quase veio a baixo. Repito a esmagodara maioria dos convidados eram ou de Vila Franca de Xira ou do eixo Braga, Barcelos e Ponte de Lima.
O animador lá pôs a musica dos lampiões já com alguma vergonha, ele que é um lampião do Minho...

Bruno disse...

Em Viana do Castelo, desde a Primária até ao final do Secundário, em todas as turmas que frequentei, havia SEMPRE mais adeptos do F.C.P. do que do que do slb.
O meu grupo de amigos é 80% do F.C.P. e acreditem que não escolhi os amigos pelo bom gosto clubístico:)
Claro que existem muitos adeptos do slb nesta cidade, mas aposto que a percentagem deve ser semelhante entre os 2 clubes.
Nem pensar em esmagadora maioria vermelha...

Alexandre Burmester disse...

Resumindo: o lagarto do Norte é uma espécie ameaçada e o lampião da mesma região para lá caminha. É só dar tempo ao tempo! : -)

José Rodrigues disse...

Eu gostava era de ver a média de assistências dos jogos fora do ben7ica nos últimos 3 anos, comparada com a dos jogos fora do FCP no mesmo período.

Aposto q ia haver muita gente aparvalhada ao constatar q afinal os números são muito semelhantes, destruindo mais um mito.

Digo naturalmente "3 anos" porque a época passada foi anómala, com os vermelhos a terem uma grande época pela 1a vez em muitos anos, e nós uma péssima época tb pela 1a vez em muitos anos. Se pegarmos nos últimos 3 anos penso q teremos números muito mais representativos de uma situação "normal".

José Rodrigues disse...

Já agora, o José Correia esqueceu-se de mencionar uma estatística muito importante no artigo: se contra o ben7ica estavam 17mil em Guimarães, contra o Leiria (esse portento de adeptos fervorosos e em enorme número) estavam 14mil neste sábado.

Mas q ENORME diferença entre o clube q "arrasta multidões" e um clube de chacha (Leiria) q tem as assistências mais baixas do campeonato português (ou perto disso) jogando contra o mesmo clube, no mesmo estádio, em 2 jogos quase seguidos... LOL