sábado, 23 de outubro de 2010

Baía e os Talibans

É verdade que como dizia, esta semana, PdC temos um país cheio de Bin Laden's, que devemos combater, mas quando internamente temos Talibans que são mais papistas que o Papa, venha o diabo e escolha.

Vem isto a propósitos dos "ataques" ao Baía, que as suas palavras de 5ª feira suscitaram. E não vou aqui falar muito sobre o conteúdo das mesmas, concordo com umas, discordo de outras, o que interessa aqui é o porquê de ter sido tão violentamente atacado nestes 2 dias.

Se agora foi tão atacado por portistas, por que motivo não o atacaram da mesma forma em fevereiro deste ano quando deu uma entrevista à revista Focus em que basicamente disse o mesmo que disse 5ª feira? Por que motivo não pediram nessa altura a sua demissão? Por que motivo na altura só teceram elogios à entrevista?


Pois!

A diferença é que entretanto saiu do Porto e como não saiu propriamente a dizer bem de tudo e todos - tal como já não dizia em Fevereiro, qualquer palavra que possa ser entendida como uma crítica a PdC e à sua estrutura tem sempre os talibans à perna. São os mesmos que há uns anos nem podiam ouvir falar no Fernando Gomes, o bi-bota, que logo vinham os insultos, e hoje são só elogios.

Aqui ficam algumas das palavras do V. Baía em Fevereiro, comparem-nas com as de 5ª feira, e depois comparem as reacções de certa franja de portistas a ambas.

Sobre a visibilidade se tivesse jogado no ben7ica:

Quando o Benfica ganhava tinha essa identidade. A partir de certa altura mudaram a estratégia e aproveitámos para ocupar esse lugar e não querer sair de lá. O problema é que a nós custa-nos muito mais do que as outras estar no top. E a nós custou-nos muito estar lá, a ganhar, a lutar contra tudo e contra todos.
(...)
É a tal questão cultural. Se calhar a imprensa também, tem muita culpa nisso. Repare, estamos a 300 e tal quilómetros e as outras equipas estão a metros. Há jornalistas sérios, há políticos sérios, há gente séria, mas também há gente que não o é. E custa-me conceber que jornais, generalistas ou desportivos, sejam tendenciosos e parciais. Isso custa-me muito.
(...)
A brincar fiz uma afirmação no meu livro, que responde um pouco à questão de visibilidade que falámos anteriormente. Se tivesse feito a carreira no Benfica, tenho a certeza que à frente da estátua do Eusébio estava uma baliza comigo, com o Eusébio a rematar e eu em frente a defender a baliza. Sei que isto é forte, mas com isto respondo a tudo.

Sobre o seu cargo:

E esta posição deu para conhecer o clube em outras áreas. Mas não é onde eu possa ser uma mais-valia directamente.
Então onde é que é?
É no dia-a-dia da equipa, nas estratégias da equipa, foi ai que cresci. Não falo como treinador, logicamente.

Sobre o Helton:

O Co Addriaanse acabou por ir embora no final dessa época mas já tínhamos decidido que, no ano seguinte, com Jesualdo Ferreira, se tivesse de jogar, jogava, mas a minha missão principal era ajudar o Helton. Se calhar não é coincidência, ajudei-o mesmo e o melhor ano do Helton foi aquele em que esteve ao meu lado, em que lhe expliquei exactamente o que é ser o guarda-redes do FCP, em que lhe dei a estabilidade de que necessitava, em que o ajudei em determinados momentos, sem qualquer tipo de maldade.

33 comentários:

Ana Martins disse...

Eu gostaria muitíssimo q Pinto da Costa deixasse de utilizar expressões como Taliban. N é por nada, é q comparar futebol a algo tão desgraçadamente importante no sec. XXI, cai-me francamente mal. Mais a mais, era uma expressão de Octávio Machado. O q n augura nada de bom.

Quanto a Baía, felizmente o João Saraiva (bem-haja) puxou o filme atrás e reavivou a memória às pessoas, levadas e influenciadas pelos media.

Baía, mesmo na versão descontextualizada, tem toda a razão naquilo que disse.

1) Alguém duvida q se ele tivesse conquistado aquilo que conquistou no slb/scp teria tido uma projecção estratosférica?

2) SIM, o fcp n trata os seus antigos jogadores com amplificação. Vai buscar alguns e dá-lhes trabalho. Não os glorifica nem os redimensiona. Queiramos ou não,temos 1 clube centrado na figura do Presidente. O resto é, infelizmente, paisagem. Se quiserem, a título de exemplo, tenho aprendido mais sobre as ex-glórias do fcp mais aqui neste blog do que por alguma iniciativa do clube;

3) SIM, faz parte do DNA do clube ser fechado sobre si mesmo, e tb aqui a crítica - mesmo a descontextualizada - tem razão de ser. Eu própria já falei nisso, alertando que os sistemas fechados caminham inexoravelmente para a entropia.


Ao q parece, Baía fez 1 comunicado a esclarecer. Eu n precisava de comunicado nenhum para perceber o q quis dizer. E como n sou nenhuma fora de série, só posso deduzir q quem acreditou na polémica só podem ser 1) pessoas distraídas e facilmente manipuladas e 2) pessoas com memória curta.

cumps

José Correia disse...

Comparação muito oportuna feita pelo João Saraiva, entre as declarações que o Baía fez anteontem e as que fez em Fevereiro passado.

Eu não me revejo em todas as afirmações que o Baía fez, mas daí a fazer dele um proscrito, ou um alvo a abater, vai uma enorme distância.

r.m.silva da costa disse...

O Vítor Baía é ou não um dos nossos? É, e vai continuar a ser um membro querido da família portista.

É bonito discutir na "praça pública" as divergências ou pequenos atritos que acontecem no seio da família?

Eu não o faço nem jamais o farei enquanto o objecto da crítica fizer parte dela.

David disse...

Os meus parabéns ao Reflexão Portista! Depois de 48 horas de caça às bruxas nos habituais antros portistas claustrofóbicos, onde a média de Q.I. ronda os 70 e o português rivaliza com o dos PALOPs e onde, se a estupidez pagasse imposto, o Teixeira dos Santos encontraria a solução para o buraco onde estamos metidos, é, para usar um palavrão muito chic e muito em voga, "gratificante" poder ler posts assim tão sensatos e desapaixonados.

Aguardemos pela atribuição de um Dragão de Ouro ao Baía e aí teremos esse pessoal mais uma vez engasgado e a fazer exercícios de contorcionismo que mostram que têm tanto elástico nos músculos como fezes nas meninges.

José Correia disse...

Vítor Baía-Autobiografia

Pedro disse...

ele esteve la' dentro e, por isso, conhece muito bem o clube.
concordo com quase tudo o que ele disse e não tem mal nenhum ele dizê-lo. não foi nenhuma crítica descarada, foram apenas uma série de verdades.
é óbvio que essa gente tendenciosa vai logo associar estas declarações do baía como sendo uma crítica pelo facto de ele já ter saído do porto. podem tentar derrubar-nos, mas nós não vamos cair.

dragao vila pouca disse...

Ó David, se é que te chamas David, cobardólas de perfil desconhecido, tens toda a razão, tu aqui podes mandar bocas à vontade, contra o F.C.Porto, o presidente do F.C.Porto, os adeptos do F.C.Porto, alguns blogs do F.C.Porto. A ti, meu cobardólas, não será fácil apanhar, mas quem te permite as aleivosias, a esses, mais cedo que tarde, eu encontro-os e aí muita coisa vai ter de ser explicada...ai, vai vai!

Sir Winston disse...

espero que o nóvel benfiquista Vítor Baía passe muito bem... mas afastado do Dragão.

É que aqui a palavra carácter é importante e o Sr.Baía está a tornar-se alguém com a coluna vertebral muito "ágil". E as duas coisas não combinam bem.

O dito: muitas felicidades pessoais para a personagem e tudo de mau a nível desportivo para o seu novo clube.

HOOLIGAN disse...

MEUS AMIGOS,

REPAREM NESTA CAIXA DE COMENTÁRIOS...

a divisão está criada.

e não foram os que gostam do Baía que a fizeram.

procure-se, sem cegueiras, o verdadeiro culpado e perceba-se que a reserva mental é uma coisa muito feia para quem de nós só recebeu durante décadas aplausos.

é uma pena mas o Baía anda com azia.

assim não!

Pedro disse...

"Se agora foi tão atacado por portistas"

- Mas quem foram esses portistas? Eu leio quase todos os jornais, passeio pelos sites de desporto, tenho n conversas de café, e não vi essas famosas criticas. Nem ouvi um únicio pio da SAD.


Já agora, não seria mais interessante um post com a comparação entre as declarações de facto, e a interpretação dada por alguma comunicação social. A única coisa interessante disto é ver como uma critica clara à imprensa lisboeta se tornou num caso interno do FCP.

paulop disse...

@davidezinho
Como tu és insignificante

VIVA O FUTEBOL CLUBE DO PORTO

Mário Faria disse...

É sempre o homem e a sua circunstância. Fernando Gomes (o bi-bota) esteve de costas voltadas (para PdC, pois sempre foi um portista acima de qualquer suspeita) durante muitos anos e reconciliou-se. Não o considero hoje melhor ou mais útil que ontem, embora considere que me tem agradado mais que Baia no desempenho da função de embaixador do FCP. Não se sente constrangido na função e desempenha o papel com (aparente) satisfação.

Vítor Baia e Jorge Costa sempre gozaram de um estatuto especial , tal como Fernando Gomes ou Hernâni no passado. Personificavam a mística de antes quebrar que torcer, com ganas ilimitadas de ganhar e capazes de dar a pele por isso. Também por um claro sentido de liderança, que o seu exemplo exercia junto do balneário. Por essas e por outras desenvolveram imensos anti-corpos, no reino dos donos da bola e da verdade desportiva. Scolari só teve que seguir o guião e esgotar o filão.

As circunstâncias mudam e o homem não é de pau. Vítor Baia saiu precocemente como futebolista (digo eu) e aceitou o cargo que lhe ofereceram, porque provavelmente o FCP preferia tê-lo noutra função, talvez por considerar que VB merecia mais que ser suplente de Helton.

Sempre pensei que VB pudesse ser o mentor de uma escola de guarda redes e projectar-se, desde logo, na condição de treinador, um pouco na esteira de Mly. Não quis trilhar esse caminho por achar pouco, provavelmente por falta de vontade ou de vocação, e aceitou um lugar para o qual não estava talhado. Queria mais, mas o lugar não dava direito a progressão.

No futebol quem manda é PdC e não precisa de mais intermediários. Chegam os que lá estão que serão certamente úteis, embora de alguns pouco se conheçam os proveitos. Os directores desportivos , ex-futebolistas de gabarito, têm sido um fracasso, na minha perspectiva. Fernando Couto tem sido mais prudente : está a crescer fora das saias da mãe e , isso, faz toda a diferença.

O FCP não é um clube fechado. Acho que essa mentira tanto foi repetida que até passou a ser verdade. Parece mentira, mas é verdade. Até o Baia acreditou, apesar das críticas que fez aos poderes desportivos (institucionais e fácticos) deste país. Como pode um clube crescer num terreno minado, pintado de vermelho e com inimigos à porta de casa. Um muro invisível foi construído para evitar o crescimento. Objectivo : desvalorizar, desgastar, detonar e demolir o nosso esforço e os nossos exitos. O FCP não tem uma região como a Catalunha e, por isso, não pode ser o Barcelona.

Apesar de todas as dificuldades estamos bem e o reconhecimento que nos é prestado além fronteiras é a prova clara disso.

Li o que VB disse, exactamente da forma que confirmou. Saiu certamente com mágoa do FCP. É verdade que lhe deram poucas oportunidades para crescer. Outros e outras parecem ter mais sorte. A VB resta-lhe subir o caminho a pulso. Aliás, é essa a melhor forma de construir uma carreira, como muito bem sabe.

David disse...

@paulop:

Não tão insignificante que não te sintas na necessidade de me dar troco.

Carlos Filipe disse...

Não há comparação possível entre o que o Baía disse há tempos e o que ele disse agora. Pelo amor de deus, as pessoas sabem ler. Não é o Sr João Saraiva que vai ensinar os portistas a lerem.

Baía disse que o Benfica e o Sporting tratam melhor os seus símbolos do que o slb e o sporting.

Eu quero é que o Sr Saraiva diga se concorda com isto.

Já agora Sr Saraiva, acha que Baía tinha lugar onde na estrutura portista? Tirava o lugar ao Antero henrique, não?

Ele que olhe para o que faz um Butragueno no Real Madrid e me diga se o cargo que ocupava era assim tão mau.

Sede de poder, é disto que se trata.

João Saraiva disse...

@dragao vila pouca

Vamos lá por partes:

1º O artigo é assinado com o meu nome, é por isso da minha responsabilidade e assumo o que escrevi.

2º O artigo, como todos os restantes aqui no blog, vincula quem o escreveu, não sei se os outros elementos do blog têm a mesma opinião ou não, nem sinceramente isso me preocupa. Como acontece desde o 1º dia, cada um escreve aquilo que lhe apetece, a única gestão que fazemos é para que haja uma distribuição dos artigos ao longo da semana.

3º Como é normal sempre que aqui publico algo que critique a estrutura do FCP e os seus indefectiveis, lá chovem as ameaças e coisas que tais, mas nunca se discute a essência do artigo. Continuo sem ver alguém a justificar as diferenças de tratamento que a entrevista do Baía de Fevereiro mereceu para as palavras de 5ª feira. E admira-me que os que passam a vida a falar dos jornalistas, da CS lisboeta, da Bola, do Record e companhias, tenham estado na 1ª linha de críticas ao Baía.

4º Como já deve ter reparado não são ameaças veladas que fazem com que não escreva aquilo que penso.


ps: O comentário só foi publicado na integra porque não há forma de editar e era importante responder à parte que me toca, porque a parte dirigida ao David faz parte do tipo de comentário que são rejeitados. Isto só para dizer que não vai haver réplicas daquele teor.

João Saraiva disse...

@Carlos Filipe

Eu não quero ensinar ninguém a ler, pelos vistos eu é que preciso de voltar à primária para aprender a ler. É que eu continuo a achar que o essencial de uma (entrevista) e de outra (intervenção) é o mesmo.

Como disse no artigo: "concordo com umas, discordo de outras", e esse caso por exemplo é um dos caso em que discordo do Baía, mas discordo agora como discordava em Fevereiro.

Até porque nesse aspecto o que tenho pena é que uma ideia muito boa aquando da construção do estádio do Dragão: o passeio da fama, não tenha tido a continuidade que merece.
E aí o Baía já foi homenageado e inclusive enquanto era jogador.

O clube deveria potencializar esta iniciativa, dar-lhe visibilidade, de modo a que quem lá está ache aquilo uma honra, e quem não está, queira um dia vir a estar.

O passeio da fama deveria ter um estatuto entre os portistas como tem em Hollywood ou como tem o retirar um n.º na NBA.

Catarina disse...

Por entre comentários que pegam em frases feitas das leis da termodinâmica e as aplicam como suas, por entre comentários que criticam alguns portistas por criticar o Baia (eu não vi muitos confesso), e outros que falam da estrutura fechada... não vi nenhum comentário que aplicasse a racionalidade pura.

A nossa estrutura fechada é a mesma que protege os jogadores e treinadores e que nos garante titulos. É a mesma que faz com que o FCP seja já em 2 faixas etárias o clube mais representativo.

O poder ser melhorada e afinada.. bem isso é universal. Tudo pode ser sempre melhorado e devemos lutar por isso. Agora este caso Baia.. é um não caso.

Ps: Por falar em entropias... não há por ai posts tipo mea culpa sobre um tal de Fucile?

Catarina disse...

@David

"onde a média de Q.I. ronda os 70 e o português rivaliza com o dos PALOPs"

Eu ia jurar, mas jurar mesmo, daquele tipo de juramento mesmo mesmo juramento, que essa era a descrição do típico benfiquista. Um dos poucos clubes conhecidos que raramente tem um Presidente com mais do que a 4ª classe.

David disse...

Para manter a elevação que caracteriza este blogue não vou responder ao Sr. Vila Pouca, apenas lamentando que ele venha para aqui provocar-me sem eu a ele sequer me ter dirigido. Digo-lhe contudo que estou tão identificado na blogosfera como ele. Ele que se remeta ao seu blogue, local onde eu não costumo ir incomodá-lo e que aliás não costumo frequentar, como homem livre que sou.

Porque não sou assim tão grosseiro como possam pensar, pretendo corrigir um lapso no meu post das 12 e pouco: onde se lê "fezes", leia-se "betão". Se alguém se sentiu ofendido, desde já as minhas sinceras desculpas. Isto ainda não é da Joana, como dizia o outro.

Quanto à D. Catrina, olhe, nem a inteligência nem a burrice são nosso monopólio, e a 4ª classe nada tem a ver com Q.I. Não alinho naqueles estereótipos idiotas que dizem que os benfiquistas são todos anormais e nós somos todos uns Einsteins do caraças. Poderei eu também não ser uma sumidade, mas não sou um criançola. E posto isto, vou mas é jantar.

PS Por uns tempos não farei aqui mais comentários, porque pelos vistos eles atraem presenças menos desejáveis.

José Correia disse...

Os leitores mais antigos do 'Reflexão Portista', saberão que sempre fomos muito liberais na publicação de comentários. Aliás, só há alguns meses é que activamos a moderação de comentários, porque havia adeptos de outros clubes que aproveitavam a liberdade que nós concedíamos para insultar o FC Porto e alguns dos autores do blogue.
Mesmo após a moderação estar activada, continuamos a ter um crivo largo na publicação de comentários, inclusive quando estes são menos elegantes ou fogem ao tema em questão.
Como penso ser óbvio, o facto de um dos autores do blogue aceitar a publicação de um comentário, não significa que concorde com o seu conteúdo.

José Correia disse...

Voltando ao tema do artigo, já o disse e repito, que não me revejo em todas as afirmações que o Baía fez na escola Nicolau Nasoni, ou nas que tinha feito à Focus em Fevereiro passado.
Mas eu pergunto: eventuais criticas a aspectos da gestão do clube ou SAD (que ainda por cima o Baía teve o cuidado de esclarecer), são motivo para fazer dele um proscrito, ou um alvo a abater?

Independentemente de pensarmos se ele tem, ou não, perfil para isso, é crime, ou ofensivo, o Baía dizer que gostaria de desempenhar no clube tarefas diferentes das que tinha?

Alexandre Burmester disse...

Independentemente das opiniões do Baía, nem todas expressas de modo muito feliz, e daquilo que delas possamos pensar, não posso aceitar que isso seja motivo para que haja portistas que o agridam verbalmente e/ou que se agridam verbalmente entre si, como nestes comentários infelizmente já vimos.

Há quem diga que há "um deficit (maldita palavra!;-))de cultura democrática" entre os portistas, mas o que eu acho mesmo é que há por vezes um grande deficit de educação na internet e na blogosfera, seja ela portista, benfiquista, socialista, social-democrata ou o diabo a quatro. Parece que as pessoas não são capazes de argumentarem sem serem boçais, nem conseguem ler ou ouvir uma opinião ou posição de que discordam sem imediatamente verem nelas um crime de alta traição. São pessoas que vêem o mundo a preto e branco e desconhecem a existência do cinzento. E contudo é uma cor que o tripeiro tem obrigação de conhecer bem - basta olhar para o céu!;-).

Nuno Vaz disse...

E assim do nada foi criado um caso e estamos a dar tiros nos pés...
Incrivel.

meirelesportuense disse...

O que o Baía disse não tem nenhuma importância, disse aquilo que a maioria de nós pensa, "se tivesse tido a carreira que teve no Benfica, seria um Deus, mas como a fez no Porto não é reconhecido da mesma forma"...Parece claro e todos pensamos que esta é uma confissão perfeitamente enquadrada na realidade...Aliás, quem o ataca agora tão violentamente, faz constantemente o mesmo tipo de raciocínios...Não percebo, quem levanta estas tempestades, quem as potencia, é que é o verdadeiro responsável pelos imprevisíveis resultados delas.
-Penso que há muita gente, que está mesmo muito perto da loucura...Que Deus nos proteja.

dragao vila pouca disse...

É extraordinário, o David, de perfil desconhecido, logo ninguém sabe quem é, até pode ser benfiquista, vem dizer que eu, que estou na blogsofera com o nome próprio, que conheço através da blogosfera, dezenas de portistas, com quem já falei pessoalmente, estou tão identificado como ele, que ninguém sabe quem é...

Fantástico David, cobardólas de perfil desconhecido. Sim, é o que és! E mais, desafio-te a deixar o perfil desconhecido e apareceres, se és portista, alguma vez deves ir ao Dragão, não a mim, mas aos portistas deste blog.

Saraiva, eu contigo nem quero conversa. Sabes, eu sou dos que achei bem a contratação de Moutinho, logo sou, como tu qualificaste, um portista de tasco - É, quando da contração do J.Moutinho, o Saraiva disse que Pinto da Costa tinha contratado o ex-capitão do Sporting para agradar aos portistas de tasco. Como se pode ver em cada jogo no Dragão, pela forma como recebemos e apoiamos o Moutinho, somos todos portistas de tasco - e como tal não quero conversa com seres superiores, criticos de tanga...

A estrutura que falas, Saraiva, tal como o Mourinho disse em relação ao Cruyff, nem deve dormir com as tuas reflexões...

A terminar quero dizer mais uma coisa: só vim aqui porque o comentário desse David foi rasca, baixo, insultuoso para muitos portistas e foi publicado.

Não se pode tocar no Baía, que foi um profissional muito bem pago no F.C.Porto e foi, enquanto jogou, muito bem tratado, tendo saído do clube porque quis, mas o reflexão portista permite que um tipo de perfil desconhecido, insulte do piorio portistas, muitos dos quais fazem das tripas coração para estarem com o F.C.Porto.

Foi isso que me fez vir aqui e não o que vocês postam ou deixam de postar.

Ah pois disse...

Eu fiz a tropa com o Baía. Ele é um gajo porreiro e gosta do Porto.

Agora mais a sério: o que ele disse é bem verdade. Grandes atletas do Porto nunca são reconhecidos a nível nacional, muito por culpa da Comunicação Social (grande novidade) mas também porque o clube nunca gostou do culto da personalidade, fora o do papa. Mas isso é outra história.

Por vezes muitos portistas idolatram demasiado o clube e o seu presidente. Muitos desses portistas quase que parecem ser do tipo que diriam "O Salazar? O Salazar era um cabrão mas pelo menos os comboios andavam a horas."

João Saraiva disse...

@dragao vila pouca

O incrível é como se deturpam opiniões.

Onde é que alguma vez eu escrevi que que Pinto da Costa tinha contratado o ex-capitão do Sporting para agradar aos portistas de tasco?

O que escrevi sobre a contratação do Moutinho está em http://reflexaoportista.blogspot.com/2010/08/santa-casa-da-misericordia-do-porto.html e em momento algum disse que a contratação foi para "agradar a portistas de tascos".

E não o escrevi, porque não penso assim, já que:
1º Sempre gostei do Moutinho
2º Em termos desportivos gostei da contratação do Moutinho

O que escrevi naquele artigo não teve que ver com a contratação, mas com os termos da mesma. O que são coisas diferentes.
O que não entendi e que escrevi naquele artigo foi que o Sporting tivesse dado uma procuração ao empresário para o vender por 10 milhões e que nós além desses 10 tivéssemos incluído o Nuno André Coelho.

Pegar nisto e dizer que eu escrevi que Pinto da Costa tinha contratado o ex-capitão do Sporting para agradar aos portistas de tasco é no mínimo deturpar por completo opiniões alheias.

José Correia disse...

@dragao vila pouca
A maior parte das pessoas que comentam na blogosfera fazem-no por trás de um nickname e com perfis que não permitem que as mesmas sejam identificadas. Neste e noutros blogues.
Ao contrário de outros blogues, no 'Reflexão Portista' não permitimos comentários de Anónimos.
Ao contrário da maior parte de outros blogues, os autores do 'Reflexão Portista' assinam todos os seus artigos e comentários com o seu nome e apelido.

José Correia disse...

dragao vila pouca disse...
"só vim aqui porque o comentário desse David foi rasca, baixo, insultuoso para muitos portistas e foi publicado"

Pior que comentários feitos em blogues, entre portistas anónimos ou mais ou menos conhecidos, é ver PORTISTAS com o passado que Vítor Baía tem no clube, a serem alvo de ataques e insinuações por parte de outros portistas.
E porquê? Porque Baía cometeu o crime de lesa pátria de fazer declarações em que lamenta/critica aspectos relacionados com o seu clube.

dragao vila pouca disse...

Saraiva, peço desculpa, foi confusão minha e quem escreveu isso foi o Nelson Carvalho, no dia 5 de julho, num post com o título, Moutinho no Dragão:

«Pinto da Costa tem tanto de bom dirigente como de populista. Sabe dar o pão e exibir o circo nas proporções exactas, bem ao gosto do Zé Povinho. E o Presidente sabe, melhor que ninguém, que transferências como a de Moutinho fazem encher o ego do adepto de tasco como se não houvesse amanha. Deixa-se facilmente levar em “loucuras” quando se trata de “sacar” trunfos ao adversário, pelo que receio que possa cometer o mesmo erro que já se verificou anteriormente. Moutinho é bom jogador e é bem-vindo. Mas não troco a sua aquisição pela “compra” de uma guerra com Falcao ou Hulk, só para citar 2 exemplos.»

Sem comentários...

José Correia, qual é a diferença entre um comentário anónimo e um de perfil desconhecido?

Nem precisa de responder...nenhuma!

A questão não é essa, vocês, disse o Saraiva, tiveram relutância em publicar o meu comentário, o desse tal David, que já não é primeira vez que insulta, nem é questionável...

meirelesportuense disse...

Relativamente a alguns comentários que eu lamento terem sido postados, até parece que regressamos ao 19 de Outubro de 1921, só falta -será que falta?- andar por aí uma carrinha com o "dente de ouro" do Alfeite pela calada da noite, a bater à porta dos portistas desalinhados e a fuzilá-los sem apelo nem agravo!
-Adeptos destes só dão mau nome ao Clube e fomentam uma imagem terrível do espírito do Povo da Cidade do Porto...Que mau aspecto!
Tenho que esclarecer que estes adeptos se calhar nem sequer são nascidos na Cidade do Porto, mas julgam-se os seus legítimos representantes porque não percebem não entendem as suas limitações...Loucura e nada mais!...

José Rodrigues disse...

Ainda não me tinha pronunciado sobre isto, porque não me parece assunto q justifque dar muita corda. As palavras do Baía não me pareceram nada de particularmente assinalável ou polémico, seja pela negativa seja pela positiva.

O que eu penso:

1) dá a clara impressão, ainda q implícita, de q Baía saiu magoado com (alguns) dirigentes. Isso é lá com ele, e não me é difícil imaginar q eventualmente tenha algumas razões legítimas para tal.

2) parece-me pacífico (pelo menos entre os portistas) q se de facto o Baía tivesse jogado antes no ben7ica ou esportingue teria sido elevado aos píncaros pelos media e pela opinião pública portuguesa em geral.

3) concordo em boa medida q os nossos "heróis" não são tão aproveitados/exaltados/homenageados pelos nossos dirigentes como podiam ser (embora tenha havido algum exagero da parte de Baía, a meu ver).

4) se por um lado me parece normal q viesse a haver algumas críticas ao q ele disse, fico pasmado com o destaque q se deu a isto (pelo menos da parte dos portistas) e ainda mais pela forma fortíssima como o próprio Baía (não apenas o q disse mas a pessoa, assinale-se) foi atacado violentamente por alguns adeptos, chegando-se mesmo ao ponto de o chamarem de "benfiquista", como vi aqui num comentário do RP. Fico com a impressão q há alguns portistas q ou facilmente vão a reboque do q os media anti-FCP lhes põe à frente; ou têm reacções pavlovianas a toda e qualquer crítica (de fora, claro...se for de dentro se calhar até elogiam) aos dirigentes; ou então fervem muito facilmente em pouca água.

Para resumir: parece-me q alguns andaram a fazer uma tempestade num copo de água. Em várias décadas já vi outros portistas (ou outros q passaram por aquela casa) a fazer declarações muito mais controversas ou bombásticas sem q isso tenha despoletado reacções idênticas.

José Rodrigues disse...

Dragao Vila Pouca disse:

"A ti, meu cobardólas, não será fácil apanhar, mas quem te permite as aleivosias, a esses, mais cedo que tarde, eu encontro-os e aí muita coisa vai ter de ser explicada...ai, vai vai!"

[...]

"A questão não é essa, vocês, disse o Saraiva, tiveram relutância em publicar o meu comentário, o desse tal David, que já não é primeira vez que insulta, nem é questionável..."

Dando uma vista de olhos ao q por aqui se passou parece-me q as passagens acima citadas merecem-me um comentário, nomeadamente porque abordam os autores do blogue.

1) como já foi aqui elucidado no passado, temos por critério na publicação de comentários não publicar comentários em q se insulta outros comentadores ou autores do blogue. O valor acrescentado disso para a discussão é ZERO; para essas coisas servem os emails directos ao destinatário (autores do RP incluídos), se assim bem entenderem.

2) O David começou por deixar um comentário muito pouco simpático para com alguns portistas, sem dúvida, mas um comentário generalizado, portanto sobre portistas não identificados (e nem sequer mencionou ou deixou implícito se se referia a blogs, fóruns, comentadores do RP ou meros portistas do mundo "real", i.e. fora da Net). Não violou portanto o princípio enunciado no parágrafo anterior.

3) Quem o violou pela 1a vez nesta caixa de comentários foi precisamente o Dragão Vila Pouca, enveredando por insultos ao David (presumo q por ter enfiado a carapuça, só pode ser) e, se bem entendi, ameaçando mesmo os autores do blog por terem cometido o crime de publicar o comentário do David.

4) Como fica claro no ponto anterior, reli 2 ou 3x o primeiro comentário do David e não está lá qq insulto ao Dragão Vila Pouca, daí não compreender minimamente o comentário deste último na 2a citação q acima fiz, para mais qdo até publicamos os insultos deste último ao David logo a seguir.

5) Não temos por hábito publicar insultos mas às vezes até o fazemos quando se enquadra com o assunto em discussão no artigo; como por ex no insulto aqui publicado nesta caixa de comentários a Baía ("benfiquista"), insulto q é aliás o maior insulto q se pode fazer a um portista, como sabemos :-)

Para terminar, um pequeno comentário sobre um fait-divers: falou-se aqui de maior ou menor anonimato... numa troca de bitaites entre comentadores q são (pelo menos para mim) totalmente anónimos (ou quase), Dragão de Vila Pouca incluído (presumo apenas q seja de Vila Pouca de Aguiar, pelo nickname).

Bem, sobre isto posso apenas elucidar q de um ponto de vista do blog e os seus autores o q mais interessa de longe é o QUE É ESCRITO, não quem o escreve. Seja o autor um "nighwish", "ah pois", "David", "Dragão Vila Pouca" ou o Pato Donald.