terça-feira, 5 de outubro de 2010

Rui Moreira abandona Trio D'Ataque em directo


Rui Moreira abandonou o programa de hoje Trio D'Ataque, na RTPN, em total desacordo com a forma como a RTP decidiu tratar a questão das "novas" escutas de Pinto da Costa colocadas recentemente no Youtube. Mais uma vez, e à margem da legislação em vigor, a televisão pública decidiu dar voz ao representante do slb para este mencionar as referidas escutas e, inclusive, dizer que "Pinto da Costa pediu árbitros para alguns jogos", facto que nem sequer pode ser provado pela visualização dos videos roubados por alguém do Ministério da Justiça e colocados no Youtube. O video do programa está aqui, não sei por quanto tempo...

75 comentários:

Filipe Martins disse...

Acho que o Hugo Gilberto esteve bem, tentou de tudo para demover o APV de falar das escutas.

O cineasta foi para ali lavar roupa e o Rui Moreira fez bem em sair, para dar voz aos que como eu defendem a honra das pessoas. Quem julga são os tribunais e não a praça pública. Devia ser assim.

Aliás o cineasta estava a pedir isto à muito.

Sérginho disse...

Já todos esperávamos que isto um dia aconteceria. Dou os meus parabéns ao Rui Moreira por ter deixado o APV a falar sozinho.

John Aarson disse...

Chego a casa, abro o blog e deparo-me com esta notícia. Que choque!
Bem, vou ver agora o programa no link aqui fornecido. De qualquer das formas, uma palavra de apreço para o grande Rui Moreira. Certamente que se ele achou melhor tomar essa atitude, então terá sido a mais correcta. Já há muito que ele tem de comer e calar.

Carrela disse...

É o serviço público, publicidade aos jogadores do clube do regime e agora isto... E ANDAMOS NÓS A PAGAR ESTA MERDA?????????????????

Zero disse...

Tenho pena porque ouvir Rui Moreira é a única razão válida para assistir a um programa deste tipo. Mas claro que ele tomou a única atitude digna, e diga-se que o representante do Sporting só não fez o mesmo por ter tido receio de ser apelidado de seguidista.

Pedro disse...

discordo um pouco dessa posição algo extremista em relação à RTP. penso que o hugo gilberto esteve bem na moderação e ao impor a lei. no entanto, ele não pode controlar nem impedir o APV de repetidamente se basear em falsas notícias e rumores para fundamentar as suas opiniões.

iur disse...

Muito bem o Rui Moreira. Parabéns!

Por que motivo não é instaurada, por quem de direito, uma queixa crime ao subsídio dependente e chulo do povo português?

meirelesportuense disse...

Rui Moreira tomou uma atitude digna, mas seria melhor face aos parâmetros actuais, que tivesse lábia suficiente, para chamar ao RealizadorMenor aquilo que ele merecia escutar: -Canalha!...

Pedro disse...

Não creio que ele tenha saido pela RTP ter dado voz ao senil realizador.

Acho que saiu para evitar dar um murro nas trombas ao infeliz...

Lamentável que alguém com espaço de antena se tenha tornado num fantoche do SLB e que repita mentiras semana a semana.

Mesmo assim, eu não teria saido do programa. Talvez fosse melhor chamar os bois pelos nomes, e dizer que há 6 meses que o APV é um pau mandado do LFV e que frequentemente prova com ele em reuniões sobre a comunicação externa do clube do regime.

cinemadafebre disse...

Os meus parabéns ao Dr. Rui Moreira (quem eu já critiquei noutros locais, pelo visto injustamente)... que vão difamar a grandecissima primeira dama lá de baixo que os pariu. A escumalha encornada bem que gostava de poder continuar a fabricar verdades e autos-de-fé, mas hoje em dia, os Tribunais Internacionais e Civis já não deixam. E todos os Portistas deviam seguir o exemplo do Rui Moreira e começar a hostilizar imediatamente quem tenha o desplante de nos difamar na cara, em vez de ficarem como de costume passivamente a levar com a lama que as gertrudes encornadas nos tentam atirar, devido à ENORME dor de cotovelo que sentem. Até o representante do Sporting se desmarcou daquele verme encornado. Os Portistas deviam ainda exigir imediatamente a expulsão desse crápula senil Antonio Pedro Traidor do referido programa, por indecente e má figura. E o FCPorto devia levá-lo a tribunal por difamação.

Luis disse...

O Dr.Rui Moreira tomou a atitude correcta, e por isso dou-lhe os meus parabéns.
Aquele pseudo-programa,não merece ter comentadores de qualidade.
Está feito para os paineleiros e adeptos do clube do barbas.
Mais uma vez: Obrigado Dr.Rui Moreira!

miguel_canada disse...

Estes últimos dias foram uma desgraça em três actos para o FCPorto e foram dias para esquecer o mais rapidamente possível.

1. André Villas Boas:
A sua reacção ao jogo de Guimarães foi um disparate completo sem pés nem cabeça. Acho que nem vale a pena entrar em pormenores sobre coisas que toda a gente viu.
Não ganhou o jogo por culpa própria pois o ritmo e a intensidade que os jogadores emprestam ao mesmo são da sua exclusiva responsabilidade.
Não há penalty nenhum a favor do FCPorto que tivesse ficado por marcar e aquela conferência de imprensa foi um autentico desastre.
AVB não teve estofo para aguentar aquilo que dizia que estava mais do que preparado, um mau resultado, apesar de um empate em casa do segundo classificado não ser de todo um mau resultado.

2. Pinto da Costa: Tantas vezes que o nosso Presidente pecou por ficar calado. Tantas vezes que nós, adeptos Portistas nos revoltamos com o seu silêncio. Agora, perdeu uma excelente oportunidade para fazer aquilo que melhor fez nos últimos dois anos... ficar calado.

3. Rui Moreira: Estou absolutamente ciente das razões que o assistem e concordo com a sua tese de ilegalidade de determinados conteúdos mas acho que a sua atitude no Trio D'Ataque foi a pior possível. A sensação que deixou é que optou pela fuga fácil a um assunto que não queria discutir por manifesto desconforto ou até vergonha.
Eu compreendo que um homem com o nível de educação de Rui Moreira se sinta constrangido em ter de representar o clube manchado por estas escutas e tentar na medida do possível defender o indefensável mas também acho que com um pouco de sangue frio e diplomacia politica ao mais puro estilo Socratiano teria sido capaz de uma saída airosa daquele momento mais confrangedor forçando uma mudança de assunto.

Foram dias negros, de nuvens pesadas e muitos aguaceiros para os quais fomos todos apanhados de manga curta e sandálias. Nada que uma grande vitoria na Turquia e outra no Dragão frente a União de Leiria não dissipe e que tudo isto não passe de uma lição que AVB tinha mesmo de aprender.

Soren disse...

Rui Moreira, sem duvida, um homem de principios, de palavra e um grande Portista.

Ja ha meses noutro blog Portista, no qual participei activamente durante mais de 2 anos, apelei aos Portistas que tivessem "voz" na podre comunicaçao social portuguesa, para que batessem com a porta.

Que atitudes de caracter como esta, bem como a formaçao de um Partido do Norte, sejam tonicos para uma actuaçao e posicionamento diferentes por parte dos Portistas perante a Ditadura centralista, (desportiva e economica), que traça (mal) o destino da naçao.

Ou a elevaçao vem do Porto e se propaga pelo pais, ou ao invés, se o Porto adormece, o lodaçal alastra-se e nao sei como sera possivel reverter este estado de coisas.

Este centralismo é vergonhoso e mais vergonhosa é a forma miseravel como determinados agentes do regime, com um sorriso idiota de Orelha a Orelha, propagandeiam o circo.

meirelesportuense disse...

Todos cometemos erros, Rui Cerqueira não foge à regra, mas convém que depois de episódios como estes -e já assisti a coisas semelhantes com muitos outros- as considerações feitas e as informações dadas a terceiros, sejam rigorosas, para preservar a verdade e evitar embaraços...
-Quanto à reacção do Villa Boas e ao castigo aplicado pelo árbitro, recordo um belo exemplo -um gesto de claro surripiar, feito pelo actual Seleccionador Nacional em directo ao juiz de uma partida entre SLB/SCP...


"Reacção imprevisível
JORGE MAIA
André Villas-Boas é jovem e impetuoso, dois "defeitos" que costumam passar com o tempo. Se não fosse tão jovem, nem tão impetuoso, poderia ter tido a presença de espírito para dar os "parabéns" a Carlos Xistra pela sua arbitragem. Foi o que Jesus fez no Marítimo-Benfica: deu os "parabéns" a João Capela. E deu-lhos com vontade. Aliás, a vontade de dar os "parabéns" ao árbitro era tanta que não parou de esbracejar na direcção dele durante todo o jogo, não resistindo a partilhar as suas boas intenções com o quarto árbitro, que lhe foi pedindo paciência, explicando-lhe que não, não podia estar a gritar-lhe assim os "parabéns" desde a linha lateral por tudo e por nada. E no final do jogo, foi ver Jesus apressar-se na direcção de João Capela e perder uns bons três ou quatro minutos a dar-lhe efusivamente os "parabéns", no que, de resto, foi acompanhado por Carlos Martins e Rui Costa. Uma festa, com o árbitro no centro, sem reacção. O problema é que nunca se sabe quais são as festas e os "parabéns" que deixam os árbitros assim, sem reacção."

Saci Pererê disse...

Desde já quero dar os meus parabéns ao Rui Moreira, esteve muito bem e fez o que qualquer pessoa que nao é papagaio nem está agarrado a uma cadeira num platô de tv deve fazer.

Perante a desonestidade intelectual, e a prática de um crime num canal pago pelo estado (aka todos nós) com o beneplácito do seu apresentador, abandonou e deixou o APV a falar pro boneco.

Agora toca-nos a todos nós, escrever dois e-mails.
O primeiro para o provedor do telespectador (http://ww1.rtp.pt/wportal/grupo/provedor_tv/enviarmensagem.php )e o segundo para o Ministério público (mailpgr@pgr.pt) e denunciar esta ilegalidade.

Mefistófeles disse...

O nosso país é um país de revista.

Quando este imbecil do APV diz que "há um sentimento generalizado que os media é que nos defendem na Justiça", está tudo dito. Aliás, a Justiça devia ser exercida pela "A Bolha" e pelo "Pasquim da Manhã".

O problema é que ele tem razão: a maioria pensa assim. E tem razão também quando diz que a Justiça não funciona. Se funcionasse, não havia Tarrafal que aguentasse tanto difamador.

Rui Oliveira e Costa demarcou-se dignamente do chavasco lampião. Ficou-lhe bem.

Vítor Hugo disse...

Não suficiente, APV, em comentário ao lance da expulsão do Fucile, disse que o comportamento do jogador, nesse lance, se coadunou com a conduta que revelou no túnel da Luz onde, segundo APV, Fucile se fartou de distribuir porrada!
Até Rui Oliveira e Costa se indignou com este tipo de juízos de valor, trazidos despropositadamente à conversa, quando se estava meramente a comentar o lance em questão.

Zero disse...

Ouvi dizer que o programa vai mudar o nome para "Duo d'Ataque" ;^)

David Duarte disse...

Volto a dizer para que fique bem claro e para que a repetição de um argumento falso não retire legitimidade a muitas criticas que estão a ser feitas neste (e não so) blog.

O que é ilegal é a divulgação dos conteudos das escutas. O Antonio Pedro Vasconcelos nao divulgou ontem conteudo algum. Limitou-se a um comentario geral. Continuar com este argumento é destruir os vossos proprios argumentos.

Pedro disse...

será que o Rui vai abandonar o programa?
se assim for, o MST, de certa forma, até era um substituto razoável para dar umas marretadas no APV.

José Correia disse...

David Duarte disse...
“O que é ilegal é a divulgação dos conteudos das escutas. O Antonio Pedro Vasconcelos nao divulgou ontem conteudo algum. Limitou-se a um comentario geral.”

É falso que o cineasta subsidio-dependente se tenha limitado a fazer um comentário geral. Quer no programa de ontem, quer noutros programas fez diversas referências a CONTEÚDOS DAS ESCUTAS, com a agravante de várias vezes o ter feito de forma distorcida. Por exemplo, quando disse que há escutas em que Pinto da Costa aparece a falar ou a escolher árbitros para jogos do FC Porto.
Conforme é sabido, quem aparece numa escuta a rejeitar/escolher árbitros para um jogo do seu clube (slb x Belenenses) é Luís Filipe Vieira.

José Correia disse...

Pedro disse...
“penso que o hugo gilberto esteve bem na moderação e ao impor a lei”

O Hugo Gilberto referiu a lei, e bem, várias vezes, mas não impôs a lei. Se o tivesse feito teria interrompido e cortado a palavra ao Vasconcelos da treta.

A questão que se coloca é a seguinte: Deverá a RTP, que sendo a televisão pública tem obrigações acrescidas, ter num seu programa um comentador fixo (a quem paga!) que, de forma impune e reiterada, infringe a lei?
Têm a palavra José Alberto Lemos (director de programas da RTPN) e Carlos Daniel (director adjunto da RTPN).

David Duarte disse...

Parece-me que o José Correia acaba de fazer referência a conteudos cuja divulgação é ilegal. Tomo como exemplar a reacção do Rui Moreira, e por agora não volto mais a este blog... ridicula a reacção não?

David Duarte disse...

Tenho pena que o moderador deste blog tenha publicado o segundo comentario que fiz (que começa por "volto a dizer") e não o primeiro onde apresento uma argumentação mais desenvolvida.

Como sou muita coisa mas não ma pessoa paranoica e com a mania do complot, e como não acuso pessoas que não conheço do que quer que seja (muito menos de censura), tomo este facto como o resultado de uma distração.

José Correia disse...

David Duarte disse…
“Tenho pena que o moderador deste blog tenha publicado o segundo comentario que fiz (que começa por "volto a dizer") e não o primeiro onde apresento uma argumentação mais desenvolvida.”

A participação neste blogue, através de comentários, está aberta a todos (incluindo a benfiquistas como o senhor), mas o ‘Reflexão Portista’ não se rege pelas regras do serviço público.
Comentários insultuosos ou, que de forma ostensiva, procurem atingir a instituição FC Porto não são publicados. Está claro?
Quem não gosta destas regras não é obrigado a vir cá.

Nelson Machado disse...

É a diferença entre um clube de gente cordata e respeitadora e outro que acha que é dono de tudo e de todos e que pode dizer e fazer o que lhes apetece.
O Dr. Rui Moreira abandonou o programa em protesto contra as irregularidades e ilegalidades que se estão a tornar um hábito naquele espaço que devia ser de debate mas que é cada vez mais um espaço de campanhas e contra-informação, porém os do outro clube o que se tem visto das suas reacções quando não gostam do que se fala?
Ligam em directo para o programa para destratar jornalistas e comentadores e isto se não despirem o pijama e vestirem o fato para irem directamente ao estúdio, irrompendo por lá dentro, como se fosse o dono daquela porra toda.
São pormenores de carácter que mostram bem quem é quem e que distinguem bem o "trigo" dos autistas prepotentes.

David Duarte disse...

Caro José Correia,

Fico surpreendido pelo seu ultimo comentario. Bastante surpreendido mesmo!

O meu primeiro comentario não foi em nada insultuoso e considero uma falta de elegância (e, sim, um abuso de poder) referir-se a ele publicamente como tendo sido de natureza insultuosa sem tornar publico o dito comentario, ou seja, sem demonstrar o seu proposito. Por outras palavras, legitima a sua atitude (pressuponho que foi você que decidiu não publicita-lo) pela ignorância que os possivéis leitores e participantes deste blog têm relativamente ao meu comentario.

E trata-se de um abuso de poder, não porque decidiu não publicar um comentario (esse é um direito seu), mas porque legitima uma tal atitude com argumentos que não se relacionam com o meu texto ("Comentários insultuosos ou, que de forma ostensiva, procurem atingir a instituição FC Porto não são publicados"). Não insultei ninguém e muito menos o FC Porto. Assim, pedia-lhe que publicasse o meu comentario. Acusou-me de algo, e a minha unica forma de me defender é a dita publicação. Espero que não me retire este "direito" que todos temos como cidadãos de defendermo-nos dos ataques.

Sim, sou benfiquistas, mas não é por ser benfiquista que considero que a idiotice é um defeito que toca apenas a certos adeptos de certos clubes. Infelizmente ela està presente em todo o lado pois a idiotice é um defeito humano e não portista, benfiquista ou sportinguista. Na mesma logica, penso que posições de adeptos que não são do meu clube podem ser tão interessantes como as dos que partilham a minha preferência clubistica.

Por esta razão comecei a vir regularmente a este blog. Se apenas participei agora foi pela simples razão de pensar que toda esta historia das escutas "cheira mal", mas cheira mal por todos os lados. Parece-me que mais o tempo passa e mais as posições radicalizam-se tornando os argumentos das partes muitas vezes ilegitimos e caricaturais. Tornou-se impossivel falar de forma pausada e calma sobre este assunto que toca não apenas o futebol mas também aquilo que nos compreendemos por liberdade do individuo e do cidadão. A prova: o facto de não ter colocado o meu primeiro comentario por tê-lo considerado insultuoso. Viu nele uma intenção que não foi a minha. Outra prova: o facto de agora haver quem critique as escutas por estas serem um atentado à liberdade e ao direito à vida privada (argumento legitimo)... mas tomando uma atitude de censura (como o fez Rui Moreira ao querer fazer calar Antonio Pedro Vasconcelos). Ha aqui uma contradicção que fragiliza a posição, volto a dizer legitima (que seja claro, sou contra as escutas), do Rui Moreira.

Basicamente, foi isto que quis manifestar. As posições radicalizam-se e as paixões fragilizam os argumentos daqueles que num primeiro momento até têm razão. Foi este ponto que quis colocar em evidência.

Saci Pererê disse...

David Duarte o que está em causa nao é só a lei. A lei deve imperar num estado de direito, mas nao só.
Quando se faz referências a escutas ilegalmente divulgadas, num canal público, afirmando que se fala em código e que uma coisa significa putas e outra porrada, colocando em causa os titulos obtidos pelo F.C. Porto dentro de campo e a nível internacional, mas pior que isso colocando em causa o bom nome da instituiçao e dos seus dirigentes, entao nao há que falar mais, é sair e deixar-vos zurrar.

Dizer que a justiça desportiva funcionou, quando tanto os tribunais civis, como o tribunal arbitral do desporto desautorizaram essa mesma justiça, é de bradar aos ceus. Afirmar que sao os jornais que defendem o povo da justiça, é de facto uma argumentaçao que só pode estar ao nivel dos mais atrasados mentais que existiram na história da humanidade.

E depois do video do Roberto, e de já mais que uma vez ter-se dirigido ao convidado representante do FC Porto em termos que sao para mim insultuosos, muita sorte tem este tolinho de ter perante si uma pessoa com muito nível, e que nos orgulhece a todos os portistas.

O APV assim como o tolinho da SIC à segunda-feira sao os papagaios da direcçao benfiquista, e demonstram bem o nível, a educaçao, o fair-play e o saber estar que têm. Por isso querem zurrar, zurram lá na casa do caralho, que nós já dissemos basta.

Nuno Nunes disse...

David Duarte disse...
Volto a dizer para que fique bem claro e para que a repetição de um argumento falso não retire legitimidade a muitas criticas que estão a ser feitas neste (e não so) blog.

O que é ilegal é a divulgação dos conteudos das escutas. O Antonio Pedro Vasconcelos nao divulgou ontem conteudo algum. Limitou-se a um comentario geral. Continuar com este argumento é destruir os vossos proprios argumentos.


Ainda pior do que ter divulgado o conteúdo das escutas foi ter afirmado que Pinto da Costa tinha escolhido árbitros para jogos do FCP nestas "novas" escutas, o que é totalmente falso.

David Duarte disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
David Duarte disse...

Fiz referência ao comentario do Nelson Machado. Voltei a lê-lo e constatei que não faz referência aos meus comentarios. Retiro o que disse sobre a sua tomada de posição.

José Correia disse...

Caro David Duarte, para acabar com esta conversa acerca da publicação de comentários, informo-o que reservamo-nos ao direito de não publicar comentários com frases como “a informação dada por este blog é tendenciosa” e onde reitera uma falsidade, isto é, de que “Antonio Pedro Vasconcelos não divulgou conteudo algum das escutas!!”. Foram essas as razões da não-publicação do seu comentário.

Chamo-lhe também à atenção que estamos num blogue portista (o nome não engana) e, por isso, é natural que sejamos mais rigorosos na aceitação e publicação de comentários de adeptos de outros clubes.
Dito isto, se quiser continuar a participar poderá fazê-lo, nós cá estaremos para fazer a moderação dos comentários.

Pedro disse...

Como já foi referido por aqui, o que está em causa é a divulgação e distorção do conteudo das escutas.

Não é só a ilegalidade, é a moralidade de divulgar conversas privadas que em 99% dos casos pouco diziam respeito a futebol.

O cineasta senil pega em pedaços das escutas e constroi uma realidade qual propaganda hitleriana.

Mesmo assim continuo a achar que o Rui Moreira deveria ter permanecido mais uns instantes e divulgado o que sabe sobre a convivência do APV com a direcção do SLB. E da razão pela qual neste momento não existe um cronista, um comentador do SLB na imprensa escrita ou na TV que não tenha o mesmo discurso, os mesmos documentos, o mesmo seguidismo.

Os que não seguem a linha do regime são afastados, e alguns quase ameaçados para deixar de ir ao estádio... Assim vai o clube menos democratico de Portugal. Afinal apenas uma amostra da sua história triste feita de justiça á la carte.

nelson barbosa disse...

Não vi o programa. Embora seja o´"trio de ataque", o único do género que ainda consigo ver. Os outros são absolutamente execráveis, mas desde há bastante tempo que previa, que o Dr Rui Moreira iria tomar uma atitude destas. Continuar a participar num programa com o APV, seria descer ao nível dele e acho muito bem que Rui Moreira não esteja disponível para isso.

Até admito que haja quem aprecie aquele tipo de conversa e que se justifique a existência daquele género de programas, mas para discutir com com APV, convide-se um bêbado, da Ribeira.

Aproveito para saudar o Soren, que há muito tempo não via por cá, depois da sua excelente colaboração num outro blog.

Saudações portistas

David disse...

Eu quando liguei para o programa o Rui Moreira já o tinha abandonado. Ele disse lá que não voltava a pôr lá os pés?

Jon Marx disse...

Esteve bem Hugo Gilberto ao avisar, várias vezes, APV sobre a gravidade do que estava a dizer.
Esteve mal Rui Moreira ao abandonar o programa daquela forma. Protesta, diz o que tem a dizer, denuncia o acto aparentemente ilegal, mas não abandona o programa. Estamos em democracia, se aceitou fazer parte daquele painel e acha que o programa não se está a reger por princípios segundo os quais aceitou participar, espera pelo final, fala com a RTP e abandona. Nunca a meio do programa.
Foi coerente ROC ao manter a sua posição sobre as escutas, como já o havia feito há meses atrás.

O SLB anda, há algum tempo, a homogeneizar a forma e o conteúdo da comunicação dos comentadores deste tipo de programas. O nível propagandístico que APV, Manuel dos Santos e Rui Gomes da Silva têm usado de há algum tempo para cá, mostra trabalho, empenho, e um objectivo claro de passar uma mensagem coerente e a uma só voz.

Infelizmente, este tipo de comportamento, mostra a incapacidade de manter uma isenção relativamente ao clube a que pertencem e retira qualquer tipo de interesse às suas intervenções, visto poder ler-se o seu resumo nas crónicas de José Manuel Delgado.

Aliás, desde que as coisas se extremaram no Trio d'Ataque (há coisa de um ano e pouco para cá) que o único comentador equilibrado de todos esses painéis que por aí andam, é o Miguel Guedes.

David Duarte disse...

Peço que esqueçam este meu ultimo comentario. Apenas o fiz porque recebi uma mensagem dizendo que o comentario das 12h06 era demasiado longo. reproduzi pois os mesmos argumentos (e esqueçam sobretudo a referência ao Nelson Machado. voltei a ler o seu comentario e vi que não faz referência aos meus textos).

Saci Pererê, uma coisa é certa, não sou advogado de defesa de quem quer que seja. Isto por duas razões: tomar-se por advogado de defesa de alguém é reduzir os seus argumentos aos argumentos da pessoa em causa (tenho muito apreço minha minha liberdade de pensamento); as pessoas são adultas e sabem defender-se a si mesmas.

Sobre a posição do APV. Todos ja percebemos que o assunto das escutas trata-se de uma obsessão sua. Se num primeiro momento concordava com ela (não tapemos o Sol com a peneira, os conteudos são bastante explicitos), agora mudei de opinião. Não porque ache que os conteudos das escutas não são graves, mas porque pura e simplesmente existem coisas mais importantes que a corrupção no futebol (a liberdade e direito à vida privada por exemplo).

"entao nao há que falar mais, é sair e deixar-vos zurrar." Esse "-vos" é relativo a quem? Nao é a mim de certeza porque nunca falou comigo e não me conhece para me colocar numa categoria qualquer.

Uma coisa: não se esqueça que o Rui Moreira apenas saiu porque tentou censurar o PAV querendo que ele se cale. não o tendo conseguido foi-se embora. Para quem é contra as escutas porque colocam em causa os nossos Direitos Fundamentais, a utilização da censura é uma contradicção. O PAV tem a liberdade da palavra (a RTP deu-lhe a ele e aos outros). Ter liberdade da palavra é igualmente assumir a responsabilidade pelas palavras proferidas.

Mais uma coisa: não entre na teoria do complot. A situação do video do Roberto não tem nada de extraordinario. A transmissão do video não foi realizada com o intuito de promover o jogador, mas de legitimar os argumentos que o PAV apresentou durante semanas. Por outro lado, não vi nenhuma indignação pela "promoção" que o Freitas Lobos tem realizado de certos jogadores às no Pontapé de Saida. Nesta diferença de atitudes mostra-se uma certa posição tendenciosa.

cinemadafebre disse...

A parte que mais me enoja é que os juizes analisaram diversas vezes SETE MESES DE ESCUTAS e estes porcos difamadores continuam a fazer de conta que não. Nem no Uganda um cidadão é julgado seis vezes pelo mesmo crime, seis vezes inocentado e continua culpado inclusive à revelia da Constituição (que defende que todos somos inocentes até prova em contrário... prova essa que nunca foi encontrada, excepto na cabeça podre das gertrudes encornadas). O Rui Moreira disse bem, é nitidamente um auto-de-fé, uma caça-às-bruxas feita por uma população mediocre e invejosa que ainda tem saudades da inquisição e da pide.

Alexandre Burmester disse...

David Duarte disse: "Se num primeiro momento concordava com ela (não tapemos o Sol com a peneira, os conteudos são bastante explicitos), agora mudei de opinião. Não porque ache que os conteudos das escutas não são graves, mas porque pura e simplesmente existem coisas mais importantes que a corrupção no futebol".

Vamos cá a ver uma coisa: os conteúdos das gravações são embaraçosos e, se quisermos, graves. Mas não provam corrupção nem tráfico de influências, pois em gravação alguma alguém pede a um árbitro, ou este oferece, contrapartidas para fruta, café com leite, etc. Perante estas "provas" é evidente que qualquer tribunal só podia ilibar os arguidos, pois os tribunais - mesmo em Portugal - ainda não decidem processos pelas aparências. Acresce que os antigos árbitros que testemunharam como peritos em tribunal não viram nada de anormal nas arbitragens em causa, donde mais uma vez caiu pela base a tese de corrupção montada pelo MP.

Se me pergunta se acho tudo isto edificante, responder-lhe-ei que não, obviamente, mas por favor, é hora de acabar com a mistificação de que as escutas provam alguma coisa, e também com outra mistificação: a de dizer que não puderam ser usadas nos julgamentos. Se assim fosse, PdC não teria tido de dizer em tribunal que pensou que "JP" fosse Joaquim Pinheiro, pois esse acrónimo só aparece numa escuta.

Para mim a frase mais comprometedora de todas as escutas é, sim, quando Luís Filipe Vieira diz que poderá ter de tratar das coisas "por outro lado", isso sim. Mas essas palavras não deram origem a nehuma investigação.

Vitor disse...

Rui Moreira esteve muito bem e Rui Oliveira e Costa não esteve nada pior! Que nível....
Podiam juntar o realizador-moço-de-recados com o fernando maozinhas ceara, o rui gomez da cilva e o cílvio vidrinhos servan, num animado circo na benfastv, moderado pela lionor penhão e tenho a certeza que se tornaria no bastião democrático da justiça futeboleira!
Por outro lado, juntar-se-ia o Rui Moreira, Guilherme Aguiar, Miguel Sousa Tavares, Rogério Alves, Dias Ferreira e Rui Oliveira e Costa num outro programa na tv pública para assim poder o povo assistir a qualidade e grande nível de discussão!

David Duarte disse...

Alexandre Burmester, as escutas foram consideradas nos tribunais civis (e não desportivos) como sendo ilegais. Elas não puderam ser utilizadas como prova não porque o conteudo é mais ou menos claro, mas porque simplesmente não são permitidas escutas no tipo de caso que era este. A utilizaçao de escutas em tribunal é algo bastante restrito.

José Correia, continuo a achar injusto fazer referência ao meu texto seu o publicar integralmente. Isto porque neste momento so o José Correia tem acesso a ele (nem eu tenho e fui eu que o escrevi!) o que leh permite de retirar a informação que lhe interessa sem contextualizar. "a informação dada por este blog é tendenciosa". ora aqui està um exemplo de uma citação não contextualizada que lhe permite fazer a utilização que quiser.

David Duarte disse...

cinemadafebre, "é nitidamente um auto-de-fé, uma caça-às-bruxas feita por uma população mediocre e invejosa que ainda tem saudades da inquisição e da pide."

E é por esta razão que a melhor solução é mandar calar, censurar como o Rui Moreira fez? Hum... cheira-me que as saudades da pide são partilhadas por muita gente...

Alexandre Burmester disse...

David Duarte,

Não vou fazer cavalo de batalha da questão de as escutas terem ou não sido utilizadas em tribunal. Foi com base nelas que o TIC aceitou a acusação, disso não há dúvidas. E reitero o que disse acerca do seu conteúdo: nenhuma dessas conversas prova inequivocamente que houve corrupção,senão diga-me qual.

Eu lembro-me de uma decisão de um tribunal superior que considerou ilegal a utização de escutas no processo de que era alvo o presidente do U. Leiria, João Bartolomeu, e quer-me parecer que muita gente - uns de boa fé, outros não - generalizou isso como se tivesse sido aplicado aos outros processos do Apito Dourado.

Alexandre Burmester disse...

David Duarte disse: "Alexandre Burmester, as escutas foram consideradas nos tribunais civis (e não desportivos) como sendo ilegais."

Só mais uma coisa, David Duarte. A utilização das escutas pela CD da LIga, um orgão meramente disciplinar, é que é manifestamente ilegal, pois não é permitido por lei a utilização de escutas em processos disciplinares. Mas diga-se também que a sua utilização pela CD da Liga foi um mero pretexto para esta proferir a sentença que conhecemos e que - lembre-se - nem sequer deu como provada corrupção mas sim "tentativa de corrupção", o modo mais elástico que a dita comissão arranjou para poder condenar o FCP. E isto porque nem a própria CD encontrou nas escutas provas de corrupção, tendo de ficar pela formulação que referi.

Alexandre Burmester disse...

David Duarte disse: "Isto porque neste momento so o José Correia tem acesso a ele (nem eu tenho e fui eu que o escrevi!) o que leh permite de retirar a informação que lhe interessa sem contextualizar. "a informação dada por este blog é tendenciosa". ora aqui està um exemplo de uma citação não contextualizada que lhe permite fazer a utilização que quiser."

É como alguns fazem com as escutas: citações não contextualizadas que lhes permitem fazer a utilização que quiserem.

Nelson Machado disse...

Faço este pedido a todos os benfiquistas que lêem este blog e mais os comentários;

Deixem passar uma semana, ou mais, sem ouvirem essas porcarias youtubanas e depois peguem no teu computador e vão ao youtube e ponham essas escutas todas a "rolar" mas só a ouvi-las, sem estarem a ler as legendas encaminhadoras. Depois disso e a serem sinceros, digam o que tiram dali como prova do que quer que seja?

Vão ver que se derem tempo para se esquecerem do que lá está escrito da próxima vez que as ouvirem e só as ouvirem mesmo, sem leituras com interpretações à lá mode de carnide, pode ser que se apercebam que têm estado a ser mais uns carneiros encaminhado pelos pastores da religião do inferno da luz.

Acrescentar ainda que as escutas foram validadas pelos tribunal e que foram descartadas exactamente porque foram consideradas NADA RELEVANTES DE ACTOS CRIMINOSOS OU DE MAIS VALIAS PARA O PROCESSO ENQUANTO PROVAS.
E que os que fazem a simples transcrição ou a disponibilização sonora para alguém que não seja parte do processo sem autorização dos visados nas escutas(ou seja, quem as escreve em jornais ou disponibiliza na internet) estão a incorrer num crime, estando sujeitos a processo crime por tal acto e respectivas consequências.
Não percebo é como é que Pinto da Costa ainda não pôs cobro a esta palhaçada.

Quem não sabe que se informe. Informação e cultura são poder.

cinemadafebre disse...

Caro Alexandre Burmester, nos julgamentos do Pinto da Costa, para serem proferidas as sentenças de absolvição, foram tidas em conta e analisadas ao pormenor, sete meses de escutas, ao contrário do que tentam fazer crer as gertrudes encornadas que por aqui nos lançam lama. Apenas no caso do Presidente do União é que não foram tidas em conta... facto esse que os lacaios do clube do regime distorcem para poder continuar a intoxicar a opinião pública contra o Futebol Clube do Porto.

Estudasses disse...

Lampiões, continuem a aziar, a estrebuchar, que o grande Porto vai continuar a ganhar.

http://dossiers.publico.clix.pt/noticia.aspx?idCanal=1296&id=1269544

Gostava que fosse levantado um processo ao cineasta subsidiado.

Quanto ao resto, os cães ladram e a caravana passa.

tp disse...

Apareceu aqui um benfiquista, David Duarte, que deve sofrer de solidão. Argumenta pauperrimamente e culmina com o delírio de afirmar que Rui Moreira queria calar o chineasta.Sobre isto gostaria de dizer o seguinte:
1. APV é uma das pessoas mais facciosas que já vi a comentar na televisão. Isto porque com ele o fugir à realidade é uma constante, o habitar num mundo virtual um hábito. De há alguns anos para cá é divertidissimo observar o APV a acusar o Porto de tudo e mais alguma coisa. Para logo a seguir o RM e o ROC lhe lembrarem que o benfas fez exactamente a mesma coisa. Então o Ed Wood português esboça aquela expressão própria de quem acaba de ser informado que o nº de espectadores do seu último filme cabia numa Sharon e afirma : " Não é a mesma coisa ". Uma vez o delírio foi tanto que se afirmou indignado por " um juiz ter sido visto no Dragão ". Sim, que nos camarotes da Luz nunca está ninguém ligado à justiça ou ao poder.

2.Quando , numa voz dramática ( embora aquele shotaque elimine qualquer dramatismo )afirmou que apoiava totalmente o pedido de protecção feito pelos dirigentes benfiquistas ao MAI devido à " violência" típica da cidade do Porto e dos portistas, RM enumerou, a contrapor ao caso descrito das bolas de golfe, 4 ou 5 casos passados em Lisboa e que afectaram o FC Porto. ROC então afirmou, logicamente que o Benfica tinha razão em pedir a protecção e o Porto ainda tinha mais razão pois são mais os casos que afectam o Porto. A camâra focou então o chineasta e mostrou este a rir-se do que ROC disse. Isto é, se atiram bolas de golfe ao autocarro do benfica, é completamente legítimo pedir protecção.E a culpa é de portistas e bem demonstrativa do que são esses seres. Se apedrejam e incendeiam autocarros e automóveis portistas a culpa NÃO é de benfiquistas; é, como disse o chineasta, de um ou outro indivíduo isolado que em nada representa o Benfica . Mas se um tipo qualquer atira uma bola de golfe no Porto isso é a prova provada que os portistas são todos uns selvagens e que protecção é necessária urgentemente.
3. O Apito Dourado serviu, acima de tudo, para uma coisa: para dar um argumento a quem não os tem. Reparem que durante o ano passado em quase nenhum blog apareciam referências ao Apito Dourado. Este ano, em que o benfica tem jogado contra 11, e o seu percurso tem sido menos triunfal, apareceram logo, não só em blogs mas também em jornais ( chamemos-lhes assim )referências ao apito dourado.
O raciocínio é então este: nós benfica, ganhamos nos últimos 20 anos 3 campeonatos. Se não ganhamos os outros foi porque o Porto roubou.Isto foi o que APV basicamente escreveu no Público. Que um jornal tenha publicado este lixo já é de espantar. Que alguém, que aparentemente se consegue vestir sózinho, o tenha escrito, revela bem a demência que, na hora de argumentar, possui os paineleiros benfiquistas.
4. Mas , acima de tudo, sublinho a frase: os cidadãos deste país não devem confiar na justiça mas sim nos jornais.Jornaispor exemplo como o Record, cujo director escreveu
" E pensar que nos debatemos aqui, nos últimos anos, com a necessidade comercial de pisar o risco incensando na 1ª página vitórias tangenciais e exibições medíocres, do género" Aguias voam alto" ou " Aí está o Benfica!", tantas vezes quando o "alto"era baixo como o Colombo.....Será que nãp trecisaremos mais, não de mentir, mas de dar à verdade um embrulho de ouro para material de pechisbeque ? "
Ora um tipo que admite que o jornal que dirige tem este tipo de comportamento, é sem dúvida a pessoa ideal para dirigir um jornal que me irá " proteger da justiça ". Bem hajas, APV, é reconfortante saber que parte dos meus impostos paga o teu salário e te permite dirigir as tuas imortais películas. Agora, se ao menos sobrasse algum para te comprarem um cérebro em relativo bom estado.....

Dragaopentacampeao disse...

Também acompanhei em directo quer a intervenção do realizador frustrado, com cara de «anjinho», fazendo-se passar por gente impoluta (ai se fosse possível escutarmos as suas chamadas! Quanto tráfico de influências não iríamos encontrar!), quer da atitude digna, oportuna e exemplar dessa grande figura nacional que já é o Dr. RUI MOREIRA.

Estava na hora de acabar com essa paz podre e Rui Moreira fez o que qualquer pessoa de bem e com coragem tem de fazer.

Um obrigado e os meus parabéns do tamanho do mundo.

Um abraço

David Duarte disse...

TP... eu não sou o Antonio Pedro Vasconcelos... por este mesmo motivo peço que releia os meus comentarios e que reaja ao que ai està escrito e não como se eles fossem um requisitorio de defesa do APV. Se se der a esse trabalho, como outros o fizeram permitindo uma discussão sobre o tema (Alexandre Burmester por exemplo) verà que eu ja disse, e volto a dizê-lo em maiusculas, que SOU CONTRA A UTILIZACAO DAS ESCUTAS!! Tendo isto em conta verà igualmente que não posso estar de acordo com o APV.

Sobre o facto de o Rui Moreira ter saido(sem agora entrar na logica das pides, caricatura dos dois lados que não ajuda em nada a resolução deste tema) bom, notei logo no inicio uma coisa que penso que ninguém ainda referiu. Se voltarem a ver as imagens vão notar que ele estava com um ar bastante abatido, bastante cansado (vejam a expressão dele) e que a sua intervenção no topo e fundo foi bastante fraquinha.

Este cansaço visivel (a sério, voltem a ver as imagens) pode explicar a razão pela qual ele tomou aquela atitude teatral (uma saida de cena é sempre teatral, o que não significa que não seja legitima) quando normalmente o Rui Moreira reage aos comentarios do APV pela ironia. Ele não utilizou a habitual ironia, limitou-se a tentar calar o APV (dai eu ter falado da censura... argumento caricatural como muitos sobre este caso das escutas) numa atitude desesperada de quem ja não pode mais (a expressão dele faz-me pensar que este "ja nem pode mais" não foi apenas motivado pelo fundo do APV mesmo se isso tenha igualmente contribuido).

Vejam o ar abatido com que ele està no inicio do programa, os olhos pesados.

miguel disse...

Apoio totalmente a atitude do Rui Moreira, pois a especie de realizador é um pau mandado da direcção da mourada, não é que desculpe o PC, como aqui escrevi anteriormente tem culpas e já devia ter saido, mas bater sempre no cego e fazerem-se de virgens implutas, já chega.
Gostei da posição do Hugo Gilberto assim como do ROC que se mostrou enojado com a verborreia vomitada pelo mouro.

Alexandre Burmester disse...

Caro "cinemadafebre",

Obrigado pela informação, que corrobora o que eu pensava sobre o assunto.

Cumprimentos

David Duarte disse...

Ja agora, e porque ainda tenho tempo para mais uma ideia, queria dizer que se me permiti de vir aqui fazer comentarios é porque não estou em Portugal e que de facto apenas posso falar sobre o futebol português nestes blogs. Por este motivo, sim é verdade que é por um sentimento de solidão que venho aqui comentar tp. O futebol francês não me interessa e estou farto de ter de comentar um Lorient-Nancy a cada semana.

Sobre a qualidade dos meus argumentos, se eles são maus diga em quê tp. Dizer como se tal fosse uma evidência, penso que não chega nem a mim nem a quem efectivamente me leu.

Sobre o facto de o fazer num blog que não é dedicado ao Benfica, digo que não gosto de apresentar argumentos com os quais 80% das pessoas concordam pelo simples facto de pertencerem ao mesmo clube que eu. Prefiro falar com quem tem ideias contrarias. tp, em vez de olhar para mim como se eu fosse "uma lança espetada em Africa" seria talvez mais interessante ver-me como alguém que coloca em causa não apenas a perspectiva tomada pela maioria das pessoas que aqui vem (como o disse, venho ler-vos ha uns tempos e muitas vezes os argumentos repetem-se) mas igualmente as ideias defendidas. Porque uma coisa posso garantir-lhe tp: não é porque uns são portistas que têm razão no que dizem como não é por eu ser benfiquisa que tenho razão no que digo.

David Duarte disse...

Pois Alexandre Brumester (comentario das 14h30). Essa é uma das razões pela qual esta questão das escutas cheira mal... mas igualmente o porquê de eu achar incorrecto não poder defender-me com a publicação do dito comentario, considerado insultuoso quando em nada tive esse objectivo...

David Duarte disse...

Essa do mouro, ainda estou para perceber o sentido... porque até parece que o Porto não foi acupado pelos mouros durantes uns bons séculos... ou pior, que saiu da dominação dos Almohades pelos seus proprios meios...

Alexandre Burmester disse...

Tenho de corrigi-lo, David Duarte: a invasão árabe da Península deu-se em 711 e o Porto foi reconquistado (pelo conde portucalense Vímara Peres) em 869. Ora os árabes não chegaram ao norte da Península em dois dias, pelo que o Porto terá estado ocupado pelos mouros - que não deixaram rasto, diga-se - menos de 100 anos.

David Duarte disse...

E eu corrijo igualmente o seu. Porto e Braga foram conquistados em 868 mais precisamente. De facto a presença dos Almohades no Porto limitou-se a cem anos. E sim, deve-se sublinhar a importância de Vimara Peres. Foi ele quem restaurou a povoação de Portucalense na foz do Douro tendo sido igualmente a sua filha Mumadona quem mandou construir o castelo de Guimarães.

Contudo, continuo na mesma. Porquê a designação de mouros aos lisboetas quando a ocupação moura foi igualmente, e mesmo mais, sofrida? Parece-me que é pelo simples prazer de querer dividir onde a divisão não faz sentido.

BDragao disse...

Isto foge um pouco ao assunto , mas acaba por estar dentro dele , ja que esse senhor que fala pelo benfica todas as semanas se farta de criticar o FCP em toda a sua estrutura e alicarces usando adjectivos que nem vale a pena lembrar , fala de tudo menos de futebol vendo so o que lhe interessa , deixo o seguinte reparo. Este senhoe é realizador e recebe verbas do governo para relizar filmes , sera que ele nao se lembra que o dinheiro e o suor dos portistas estao nessa ajuda que ele recebe? nessa altura de certeza que nao mostra o seu repudio! ou sera, por ventura que ele pens que serao so os 6 milhoes que contribuem para tal?

Dito isto tenho a dizer que me revejo na atitude do nosso caro e grande representante Rui Moreira e depois do que vi , sem querer mal a Pinto da Costa , resta me dizer: RUI MOREIRA A PRESIDENTE !!!

Alexandre Burmester disse...

Já agor, David Duarte, continuemos o ping-pong: "Foi ele quem restaurou a povoação de Portucalense na foz do Douro". Decerto quer dizer o burgo de Portus Cale ("daqui houve nome Portugal").

Não sei qual foi a ocupação mais sofrida, sei apenas que a de Lisboa foi bem mais longa. Aquando da independência nacional (1143)o Porto já havia sido reconquistado há perto de 300 anos e Lisboa continuava nas mãos dos mouros. Razão suficiente para a alcunha de mouros, me parece;-).

Daniel Gonçalves disse...

Peço desculpa de me meter em conversa alheia, e sem me querer gabar de qualquer glória académica, mas relativamente à data de (re)conquista do Porto a diferença na data 868 ou 869 é controversa na obra historigráfica, pois uns historiadores atribuem uma data a essa (re)conquista, outros à outra data, tal facto é devido a diferente interpretação das fontes históricas.

Alexandre Burmester disse...

Obrigado pela achega, caro Daniel. No fundo, discutirmos isso não passa de um preciosismo sem grande significado.

maniche disse...

Eu até costumo ver o programa, e quase sempre me irrito com a prestação do cineasta, para quem só há gente virtuosa no Benfica e no Porto só há criminosos. Ontem, decidi não ver, porque já tinha ganho asco suficiente no DIA SEGUINTE ao tinhoso do Benfica, que insulta de desonestos árbitros e dirigentes que só prejudicam o seu clube, sem que lhe retribuam na moeda que acho adequada. Como este ano não têm o Ricardo andam a ver se fazem as coisas por outro lado como é seu timbre. Não sei se é por necessidade que os representantes do FCP se prestam a participar naqueles ramalhetes (acho que não!), mas também acho que, se eu lá estivesse, já tinha mandado aqueles tipos (cineasta, ex-ministro e mesmo o Seara) à pata que os pôs, ou mais vernáculo.

David Duarte disse...

Sim Burmester, mas apenas uma achega. Se o Porto foi conquistado antes foi pura e simplesmente devido a um determinismo geografico e não cultural ou étnico. A resistência cristã tendo existido nas Asturias, é logico que ela se tenha desenvolvido primeiro no norte da Peninsula.

Se falarmos em termos culturais ou étnicos, se é verdade que a ocupação no centro e no sul do actual territorio português foi mais longa, ela foi quase exclusivamente administrativa. A ocupação Almohade foi quase exclusivamente enconomica e institucional e não colonialista no sentido em que teria existido uma ocupação dos territorios pela população arabe.

Se formos ainda mais longe (mas trata-se de uma tese do Oliveira Martins que é bastante discutivel mesmo se ela é considerada valida) a particularidade dos povos ibéricos em relação ao resto da Europa é que a Peninsula foi povoada inicialmente não pelas populações vindas de leste (como os arianos da India por exemplo) mas pelas tribus berberes do norte de Africa. Se assim foi então, finalmente, temos todos uma costela moura (mesmo se o termo é anacronico).

Cumprimentos ;)

José Rodrigues disse...

"A ocupação Almohade foi quase exclusivamente enconomica e institucional e não colonialista no sentido em que teria existido uma ocupação dos territorios pela população arabe."

Desculpem meter o bedelho, mas ao ler isto perguntei para os meus botões: "bem, deve ser por isso q - em média - quanto mais para sul se vai, mais escura é a tez da pele e a cor dos cabelos e olhos da população...".

David Duarte disse...

José Rodrigues, eu nasci no centro (mais propriamente na Nazaré) e era daqueles que bastava apanhar um pouco de sol para apanhar um escaldão.

Ora bastaram 5 anos a estudar em Evora para que a minha pele tenha mudado. Agora não apanho escaldões. Tenha por isso em consideração a diferença que existe entre o numero de horas de ensolação no sul do Pais e sobretudo a intensidade do calor (sobretudo no Alentejo).

Por outras palavras, se a sua logica fosse correcta, isso implicaria que desde que a ocupação arabe acabou, as populações que ai viviam ha 8 séculos multiplicaram-se entre elas sem qualquer contacto com outras populações.

Não existe relação directa (falo em termos étnicos) entre as populações de ha oito séculos e as da actualidade. Essa dieia (da existência de uma relação étnica directa) é um mito criado pelos nacionalismos no século XIX.

Alexandre Burmester disse...

"A ocupação Almohade foi quase exclusivamente enconomica e institucional e não colonialista no sentido em que teria existido uma ocupação dos territorios pela população arabe."

Não é correcto. Isso até foi mais assim com os romanos, mas os árabes/mouros/berberes transportaram-se para a Península de armas e bagagens. De onde acha que apareceram os contos das "mouras encantadas"? Se a ocupação fosse apenas económica e institucional não havia mulheres, mas apenas escribas e soldadesca.

No Norte da Península a ocupação revestiu de facto o carácter que descreve, porventura pela sua menor duração. Quando o Porto foi reconquistado, a respectiva população árabe limtava-se à guarnição. O mesmo não se pode dizer de Santarém, Lisboa, Almada, Palmela ou Alcácer do Sal, onde existia uma larga população essencialmente provinda do Norte de África e que para lá não voltou.

É verdade que ao fim de oito séculos houve forçosamente uma grande homogeneização da população, mas provavelmente ainda é possível encontrar diferenças genéticas entre os portugueses a norte e a sul do Mondego.

David Duarte disse...

A partir do momento que a ocupação teve varios séculos, é obvio que tenha havido uma certa transposição de populações, mas ela não foi significativa de maneira a "acaba" com as populações préexistentes.

Houve mais uma mestiçagem (fenomeno muito ibérico graças à diversidade de povos que ocuparam a peninsula) entre a minoria arabe e a maioria latino-germânico-celta. O projecto arabe na peninsula foi na sua essêcia administrativo-economico e não étnico (e, com certas nuances, podemos mesmo dizer cultural pois na Peninsula foi exercida, na maior parte do tempo de ocupação, uma grande tolerância em relação aos costumes e religiões diferentes).

José Rodrigues disse...

"Tenha por isso em consideração a diferença que existe entre o numero de horas de ensolação no sul do Pais e sobretudo a intensidade do calor (sobretudo no Alentejo)."

A intensidade do calor não faz qq diferença (e já agora não me parece q os alentejanos da costa atlântica sejam mais pálidos, de olhos azuis e cabelo loiro do q os de Évora - e conheço bem as duas zonas).

De resto não preciso ser um biólogo para saber q é um disparate pensar q 2 ou 3 graus de latitude faz qq diferença. Se fosse o caso os nativos de Nottingham eram mais pálidos e loiros do q os de Southampton, os alemães de Francoforte do q os de Munique, os angolanos do Huambo do q os angolanos de Luanda. O q faz diferença numa distância geográfica tão curta é os genes.

Até pq concerteza o Duarte não vai dizer q um casal de olhos azuis q se muda para Évora vai ter filhos com olhos pretos... e não haja dúvidas q há muitos mais loiros e gente de olhos azuis no Norte do q no Sul (mesmo q aí sejam uma relativamente pequena minoria).

Vários séculos de ocupação árabe deixaram as suas marcas genéticas no sul, e apesar de uma certa homegeanização ao longo dos séculos esta não foi tão grande como isso (não se consta q na alta idade média ou Renascimento os lavradores alentejanos ou do ribatejo tivessem tendência a mudar-se para o Minho, ou vice-versa; só nos últimos 50 anos é q se começou a assistir a uma maior mobilidade interna no país).

Aliás, estou disposto a apostar q EM MÉDIA um minhoto de gema tem geneticamente mais em comum com um francês de Bordéus do q com um alentejano de gema.

David Duarte disse...

Bom, com esta conversa toda até podiamos era fazer um blog de historia-cultura! Agora mais a sério, o José Rodrigues ja foi ao norte de Africa? Se o fez viu, como por exemplo em Tunis, que uma boa parte da população tem uma pele mais clara que, por exemplo, os Alentejanos.

O objectivo na frase que citou não era o de reduzir a tonalidade da pele à ensolação. Existem muitos factores (e sim genéticos igualmente). Mas não pode ignorar esta influência.

Agora o que diz, por exemplo sobre o casal de olhos azuis que tem um filho no Alentejo, não é por isso que ele tera olhos pretos... bom, uma bela caricatura. Tem piada, apenas isso.

Sobre a questão da latitude, depende da influência do clima. Portugal é uma terra que possui varios microclimas: atlantico (litoral centro e norte), continental (basicamente as regiões do interior) e mediterranico (Algarve). A comparação que fez com a Inglaterra foi inoportuna pois a Inglaterra possui um clima Atlantico. O que significa isto? Que sim, uma diferença de 2 ou 3 graus de latitude influencia a fisionomia em Portugal. Em Inglaterra não porque é um pais homogéneo ao nivel climatico.

Quer outro exemplo mais explicito? O Saara tem a extensao da Europa. Contudo a fisionomia dos nomadas que vivem nas regiões limitrofes do Saara é relativamente homogénea. Ja na Europa existe uma diferença entre povos do sul e norte, este e oeste. A latitude não é importante. O importante (mas não é o unico factor) é efectivamente o clima...

penta1975 disse...

fónix!

um tema que aborda a saída de estúdio por parte de um comentador termina (será que já terminou?) numa aula de História e no tema da diferença de pigmentação a nível territorial nacional.

é caso para escrever - e perdoem-me o "francês" - c'um car@lxx! ;)

é por estas e por outras que o Reflexão é um ponto de paragem obrigatória para mim nesse maravilhoso mundo que é a bluegosfera®.

bem hajam!

saudações PENTAcampeãs!

Tomo I

José Rodrigues disse...

Duarte,

se o q interessa é o clima, fico à espera de uma explicação porque é q os alentejanos do litoral (onde as temperaturas médias e horas de sol têm muito mais em comum com a Nazaré e Aveiro do q com Évora) são muito mais parecidos com os alentejanos do interior do q com os da costa central ou norte.

O facto é q o maior factor é a proximidade do Equador e não o clima. Os naturais das montanhas do Quénia ou do Peru têm a pele escura por causa dessa proximidade, apesar de terem um clima completamente diferente do clima das florestas tropicais da Amazónia, Congo ou Indonésia.

Quanto aos tunisinos, têm em termos de fisionomia muito mais em comum com os argelinos, egípcios (pelo menos os do norte do país) ou líbios do q com os portugueses (principalmente os do norte). Por outras palavras, uma tez mais escura tal como cabelo e olhos (para além de gente com cabelo escuro encaracolado) devido à herança genética em boa parte comum. No campo oposto, os naturais do deserto de Atacama no Chile ou Thar no Paquistão não têm a pele mais escura (bem pelo contrário) do q um congolês apesar de estarem expostos a muito mais horas de sol e temperaturas muito mais altas.

A razão porque os portugueses do norte são de forma marcada (ainda q não extrema) diferentes dos do sul é a mesma q em Espanha, ou a diferença entre um dinamarquês e um alemão natural de Colónia(q fica tão longe da Dinamarca como o Minho fica do Alentejo): diferenças genéticas devido a influências diferentes nos últimos 2000 anos.

David Duarte disse...

"se o que interessa é o clima". José Rodrigues, que parte da frase "O importante (MAS NÃO é O UNICO FACTOR) é efectivamente o clima..." não percebeu?

Eu contra-argumentei o seu comentario no qual desvalorizava a questão climatica comparando a Inglaterra a Portugal. Expliquei-lhe pois que essa comparação era inoportuna pois trata-se de dois paises diferentes em termos climaticos (um sendo relativamente uniforme o outro marcadamente influenciado por varios climas). Neste caso, sim!, a diferença de dois ou três graus de latitude é importante.

Sobre os naturais do litoral alentejano serem mais parecidos com os Nazaré (Aveiro não conheço bem) que com os de Evora, discordo completamente. Mas pronto, até se pode dar o caso de estarmos a tomar alhos por bugalhos, ou seja de, quando fomos aos ditos locais, tomarmos por nazarenos ou alentejanos pessoas que nem o são (mesmo se um nazareno é inconfundivel).

David Duarte disse...

Ah!, percebi agora o mal-entendido. Escrevi de facto "a latitude não é importante". Corrijo o que disse. A latitude não é importante se for tomada como um valor absoluto, exclusivo. Ela é de facto uma condicionante mas sempre relacionada com outros factores (entre os quais o clima).

José Rodrigues disse...

"se o que interessa é o clima, José Rodrigues, que parte da frase "O importante (MAS NÃO é O UNICO FACTOR) é efectivamente o clima..." não percebeu?

Percebi-a perfeitamente! Dai' a minha resposta de que a latitude *e'* o factor mais importante, e nao o clima.

[com exemplos muito concretos de 1)climas identicos com tez diferente, e 2) latitudes identicas com climas muito diferentes em que... a tez e' igual]