quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Da Revigrés à MEO

Em Agosto de 1983, o FC Porto tornou-se o primeiro clube português a ter publicidade nas camisolas. A eleita foi uma empresa de Águeda quase desconhecida, a Revigrés, cujo fundador (em 1977) e presidente era um grande portista - o Eng. Adolfo Roque. O "casamento" entre o FC Porto e a Revigrés durou 20 anos e, para além da componente comercial, foi pautado por uma relação de confiança e amizade inexcedível, conforme Pinto da Costa relata na sua autobiografia:

"Corria o ano de 1992, confraternizávamos com o pretexto dos meus dez anos de Presidência e, em cinco minutos, com um aperto de mão "selámos" o acordo. Passados dois anos, rigorosamente cumprido que fora o contrato por ambas as partes, resolvemos renová-lo. Só então demos conta que o aperto de mão era tudo (e bastava) o que havia como contrato!"

"Noutra ocasião, durante o "reinado" de Eduardo Catroga como Ministro das Finanças, é-nos hipotecado o Estádio e a sanita do balneário do árbitro. O Eng.º Roque, sem qualquer obrigação, e no mais completo anonimato, envia-nos um cheque de cinco mil contos para ajudar a resolver o problema. Talvez isto ajude a compreender que, ao fim de mais de vinte anos, o azul do Porto se confunda com a Revigrés."

Em 2003, a Revigrés passou a figurar apenas nas camisolas usadas pelo FC Porto nas competições internacionais, tendo sido substituída pelo logótipo da PT nas competições internas.

Numa lógica de maximização das receitas, é para mim indiscutível que o FC Porto deve ter publicidade nas camisolas, nos calções, nas meias, ... e percebo perfeitamente o interesse económico em termos como parceiro comercial uma empresa da dimensão da Portugal Telecom. Contudo, como portista custa-me ver uma das marcas da PT - a MEO - no naming de uma das bancadas do Estádio do Dragão e, mais ainda, a conspurcar as nossas camisolas.

Eu sei que o dinheiro não tem cor, nem tem pátria, mas em futuros contratos (com a Portugal Telecom ou outras empresas), não seria possível incluir uma clausula, que nos salvaguardasse de ter de fazer publicidade a marcas cujo rosto(s) sejam pessoas que usam a sua notoriedade para, publicamente, denegrir o FC Porto?

Evidentemente, não está em causa a liberdade de expressão. O que está em causa é se faz sentido associarmos a nossa imagem, os nossos símbolos (emblema, camisola), a marcas que são promovidas por indivíduos que, de forma pensada e sistemática, usam a comunicação social para atacar o FC Porto, o seu presidente e até comentadores portistas!

Por isso, Revigrés, Super Bock, Coca-cola, BPI, BES, CGD, PT, TMN, tudo bem, mas MEO não!

P.S. Sou cliente da ZON e enquanto a publicidade da MEO for fedorenta, os comerciais da PT nem sequer têm oportunidade de me explicar as "magnificas vantagens" que eu teria em mudar de operador de TV/telefone/Net. Antes de começarem a falar, a resposta que levam à cabeça é: Não estou interessado.

15 comentários:

Portuense Verdadeiro disse...

Boas!

Que saudades dos tempos em que o logo era apenas o da Revigrés...Agora as camisolas mais parecem o picadilly...É a lei do mercado...é pena não termos a força e o poder económico de um barcelona, para podermos ter camisolas sem publicidade ou a "publicitar" a UNICEF...

abraço

http://saboraporto.blogspot.com

Jorge disse...

concordo a 100%. é verdade que guito é guito, mas não podemos deixar de nos manifestar contra um patrocínio de uma empresa que não se preocupa em manter afastadas as questões clubísticas. o Post Scriptum está perfeito!

Jorge
http://porta19.blogspot.com

Zé Luís disse...

Sou cliente da ZON e enquanto a publicidade da MEO for fedorenta, os comerciais da PT nem sequer têm oportunidade de me explicar as "magnificas vantagens" que eu teria em mudar de operador de TV/telefone/Net. Antes de começarem a falar, a resposta que levam à cabeça é: Não estou interessado"

Também sou assim, José Correia, mas para recusar o Meo basta-me saber que um canal de clube é cedido gratuiitamente na grelha mas eu não o desejo e não admito que me imponham algo que não quero.

Mefistófeles disse...

Obrigado por este artigo, José Correia.

Trouxe-me à memória o seguinte: quando iniciei a minha carreira profissional, em Lisboa, os meus colegas de trabalho, maioritariamente lagartos e lampiões, puseram-me a alcunha de "Revi". E assim me tratavam.

Demonstra bem como a Revigrés se confundia com o FC Porto.

Dragão dos Diabos disse...

Completamente de acordo...pra mim é uma mágua não poder ver mais "revigrés" nas nossas camisolas.... praticamente já fazia parte do equipamento....

A acrescer a isso só mesmo o facto de termos de levar com uma publicidade que, conforme referido, está conotada com alguns fedorentos que nos tentam atacar covarde e indiscriminadamente...mas enfim..são as leis do mercado... agora que se devia fazer um esforço pra arranjar outro tipo de patrocinador lá isso era evidente...

Também eu sou ZON e, no estado actual das coisas, não serei MEO tão rapidamente...e é só vantagens... não só não dou dinheiro pra sustentar fedorentos (pelo menos directamente!!)como não tenho canais como a "BimboTV" ou "A Casa dos Degredos" lolol

Miguel Pereira disse...

O que eu não consigo admitir e é algo que nunca vi em nenhum campeonato do Mundo é a partilha do mesmo patrocinio com os nossos rivais directos. Imaginem a Movistar a patrocinar R. Madrid e Barcelona, a Vodafone nas camisolas de Chelsea, Liverpool e Man Utd ou a FIAT nos equipamentos de Roma, Inter e Juventus?

É algo que, nostalgias, equipamentos estragados por aquelas caixas sem sentido estético nenhum e fedorentos à parte, não consigo entender. Parece que não há, no mercado, outros patrocinadores. Não me lixem...

Ah pois disse...

De acordo Miguel Pereira. Portugal também foi o país onde o Rui Costa dava a cara pela Betandwin ainda enquanto jogador do SLmerda e ninguem levantou uma palha.

Escárnio disse...

Não podia estar mais de acordo e subscrevo inteiramente o PS.

Zero disse...

Não só estou absolutamente de acordo com tudo, como penso que esta questão dos patrocínios tem muito mais importância que aquela que lhe é habitualmente dada.

Que alguns produtos se queiram promover à custa do FCP e dos muitos valores que nos são associados, eu ainda engulo (com dificuldade, mas é a sociedade que temos), agora conspurcar as nossas míticas camisolas NÃO. E hoje em dia, os equipamentos são horrendos porque parecem um dicionário. Já quase mal se vê as riscas no meio de tantas letras e manchas de cor. Terrível, básico e pelintra.

Que essas manchas conspurcadoras venham de uma empresa como a meo, que é objetivamente um adversário... acho simplesmente inadmissível. E dói-me que o(s) responsável(is) por isto na SAD do FCP se estejam a vender por um prato de lentilhas.

PS: No mesmo tópico e se me é permitida uma sugestão aos autores do blog, não utilizem tantas fotos de bafuquistas nojentos no mesmo. Estraga a disposição de um tipo a seguir ao almoço.

jdm.dragão.lisboeta disse...

Absolutamente de acordo.

Relativamente ao "P.S.", também já disparei essa resposta nas várias vezes em que foi "incomodado" pela marca fedorenta.

AZUL DRAGÃO disse...

JC :

..."os comerciais da PT nem sequer têm oportunidade de me explicar as "magnificas vantagens" que eu teria em mudar de operador de TV/telefone/Net. Antes de começarem a falar, a resposta que levam à cabeça é: Não estou interessado."...


Mais nada !

Um abraço

Miguel Magalhães disse...

Assim por baixo. Do meu lado levam sempre a mesma resposta. Prefiro pagar mais pela ZON.

Orgulhoazulebranco disse...

Saudades da Revigrés...

Delindro disse...

Já alguém experimentou numa dessas tentativas dos comerciais da PT perguntar se é no Meo que tem o canal fanfica? Eles entusiasmam-se e apressam-se a dizer que sim e depois tenho que os voltar a colocar no sítio até pedirem desculpa antes de desligarem a chamada.

tazzz disse...

Eu sou zon, e este ano mais que nunca,dao umas borlas no cinema, bilhetes para o futebol, e comparando preços a diferença nem é assim tão grande