quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Estrelas apenas nos salários


«Rodríguez não é um dos jogadores portistas com rendimento mais destacado na era Villas-Boas, mas notícias vindas de Espanha através da “Marca” dão-lhe créditos no mercado e referem que Quique Flores pensa no uruguaio para o reforço do At. Madrid na próxima temporada.
O Cebola tem saída e o FC Porto não coloca grandes entraves a possíveis negociações do extremo contratado há dois anos. É que Rodríguez foi um investimento avultado (7 milhões de euros por 70 por cento do passe) e é também um dos atletas mais bem pagos do plantel.
Aos 25 anos, e sem conseguir superiorizar-se à forte concorrência de Hulk e Varela, não tem o rótulo de inegociável e pode ver o ciclo na Invicta chegar ao fim em junho. É que o esquerdino tem contrato até 2012 e não há notícias de negociações com vista à revisão do vínculo, o que pode resultar numa abertura ainda maior da SAD a eventuais propostas.»
Jornal Record, 20/11/2010

«A abertura da SAD para a cedência de James, conforme revelou o seu empresário, é mais um indício do regresso de Mariano González, que já está recuperado da lesão sofrida em março, mas que não compete por não ter sido inscrito na Liga, nem na UEFA.
Villas-Boas reservou para janeiro a reintegração competitiva do extremo, que será reforço para o que resta da temporada, mas que encerrará em junho o seu compromisso com os dragões. O internacional argentino é opção para a fase das decisões, mas não está no esboço do futuro.»
Jornal Record, 20/11/2010

Ainda que publicadas num popular pasquim da Capital, não significa que ambas as notícias aqui transcritas não tenham um fundo de verdade. Basta recordar que nas páginas de O Jogo, no último defeso, Cristian Rodriguez constava no lote dos atletas transferíveis.

Na verdade, o Uruguaio mesmo tendo sido das “bicadas” mais estrondosas ao clube do capoeiro nos últimos tempos, tem-se revelado muito aquém das expectativas que se criaram em seu redor. Desde a sua chegada, o Cebola tem baixado o seu nível exibicional – que só foi de excelência no primeiro terço da 1ª época de azul e branco – perturbado, também, pelas constantes lesões musculares.

O montante investido na sua aquisição e o alto valor salarial, que já foi matéria de conflitos internos (vide caso Lisandro), não correspondem ao seu rendimento desportivo, que de titular indiscutível, não passa actualmente de um elemento de 2ª linha.


Mariano limita-se seguir a mesma linha de avaliação de Rodriguez; Jogador que gerou esperanças, mas que tem ficado muito longe da performance expectável. As semelhanças no percurso dos 2 atletas no FC Porto coincide quer ao nível dos problemas físicos e lesões, quer na vertente financeira.

Um fardo demasiado pesado para uma SAD deficitária e com necessidades prementes de estabelecer prioridades bem definidas nos seus investimentos. E, na conjuntura actual, todo o dinheiro dispendido com Rodriguez e Mariano é “chorado”, bem “choradinho”, isto quando continuamos a aguardar impacientemente por uma renovação de contrato com Falcao, só para citar um exemplo.

3 comentários:

Rui disse...

Ha que saber esperar.
(pela decisão ultima de uma SAD que com alguns precalços tem sabido resolver casos semelhantes)
SD

reine margot disse...

Bem, nada de precipitações: ainda não vimos o Mariano a jogar às ordens do novo Boss!... Quem sabe??
como o Mariano de defeitos só tem "uma grande ansiedade" pode ser que este lhe tenha dado a volta...

Pedro disse...

o James ate' pode ser cedido, mas acredito q está a ser trabalhado pelo staff e q a sua altura ainda não chegou.
não estive a par desse caso Lisandro, mas penso que a situação não é comparável. apesar de so' se afirmar como grande marcador de golos na 3ª época, o Lisandro ja' tinha demonstrado qualidade suficiente ainda durante a 2ª época para jogar no Porto.