terça-feira, 23 de novembro de 2010

A maldição de Mourinho


«Antes de ser Special One (Chelsea), Il Speciale (Inter de Milão) e El Especial (Real Madrid), Mourinho foi Tarzan (União de Leiria) e merda (FC Porto) - a sério. Recuperemos aqui quem o mimoseou com tanto carinho quando ele não era Mou, mas apenas o filho de Mourinho Félix que alimentava ódios nos decanos da velha guarda. Entre eles, Manuel José e Octávio Machado. O deles a seu dono.
"O Mourinho foi deselegante comigo e com os técnicos portugueses. Estou farto de ver tarzans como Mourinho. Ele ainda é um aprendiz de treinador", por Manuel José em Abril de 2001; "O Mourinho como homem é uma merda", por Octávio Machado, em Fevereiro de 2004. Eles tinham as suas razões, que eram as mesmas: serem trocados por Mourinho. O primeiro, na União de Leiria; o segundo, no FC Porto; e ambos tiveram de pôr um freio nas críticas porque o homem construiu (e continua a construir) uma carreira que muitos tentarão copiar.
Mourinho é um treinador de causas. E de efeitos. Quando entra num clube causa alvoroço - os jogadores rendem mais, a equipa idem e os títulos sucedem-se; e quando sai desse clube, o efeito é imediato - os jogadores rendem menos, a equipa idem e os títulos desvanecem. Exagerado? Talvez. Mas o que está a acontecer a Rafa Benítez no Inter só reforça aquilo a que vamos chamar de Maldição Especial: quem vier atrás de Mourinho que feche a porta.»
Jornal i, 23/11/2010

O artigo completo pode ser lido aqui.


Em 2004/05, o FC Porto teve três treinadores – Luigi Delneri, Victor Fernández e José Couceiro – mas nenhum deles foi capaz de formar uma equipa que funcionasse como tal. À quarta tentativa (Co Adriaanse), já na época seguinte, o FC Porto voltou a ganhar o campeonato.
Após ter saído do Chelsea, em dois anos passaram pelo comando da equipa londrina nomes como Avram Grant, Scolari e Guus Hiddink. É verdade que depois de despedir o Mourinho, o Chelsea chegou na mesma época à Final da Liga dos Campeões, mas perdeu e só à quarta tentativa - Carlo Ancelotti - é que o Chelsea voltaria a ganhar a Premier League.
Agora chegou a vez do Inter. Falta saber quanto tempo irá durar Benitez, um treinador que tem no seu curriculum uma Liga dos Campeões, uma Supertaça de Inglaterra, uma Supertaça Europeia (Liverpool), duas ligas espanholas e uma Taça UEFA (Valencia).

Haverá várias razões que explicam os maus resultados dos clubes no pós-Mourinho, algumas internas (por exemplo, a reformulação do plantel do FC Porto em 2004/05) e outras externas, que têm a ver com a melhoria da concorrência. Mas, independentemente da opinião que tenhamos do Mourinho (como treinador), há uma coisa que me parece indiscutível: o FC Porto de Mourinho foi o melhor FC Porto dos últimos 20 anos (pelo menos); o Chelsea de Mourinho foi, provavelmente, o melhor Chelsea de sempre; o Inter de Mourinho foi o melhor Inter dos últimos 45 anos.

Mourinho “suga” o que de melhor os jogadores têm para dar, formando colectivos fortíssimos. Contudo, depois dele sair dos clubes, tem havido sempre uma espécie de vazio, quer nos jogadores, que ficam “órfãos do pai”, quer nos adeptos. Será que em Milão, casa do actual campeão europeu e penta-campeão italiano, já sabem pronunciar a palavra saudade?

23 comentários:

Pedro Reis disse...

Um texto muito acertado e pertinente!

Podemos (como portistas) ter alguns "qui pro quo" com o Mourinho pela forma como saiu do FCP, mas é inegável que ele é um fantástico treinador, provavelmente o melhor do Mundo!
E que naturalmente deixa algum vazio nos clubes por onde passa após a sua saída.

Mas isto não invalida que ele tenha um feitio "também especial" e que não seja propriamente a pessoa mais humilde do mundo... A propósito ao ouvi-lo agora falar do Portugal-Espanha e do percurso fantástico que a selecção está a ter com o Paulo Bento, nota-se alguma inveja, no sentido em que ele era apresentado como o único salvador da Selecção e na verdade tenho muitas dúvidas que ele tivesse feito melhor que o Paulo Bento nestes 3 jogos.

P.S: Off-topic, o AVB também é um grande treinador e tenho a certeza que superou todas as nossas melhores expectativas! :-)

Miguel Pereira disse...

O Mourinho não só sabe criar um ambiente unico de balneário como sabe sacar o melhor de cada jogador, algo que parece ónvio à posteriori mas que não é assim tão fácil. Exemplos como o Milito ou o Drogba, colocando o Inter e o Chelsea a jogar com bolas largas porque sabia que ambos recebem bem e jogam de costas para a baliza sem problemas é algo que parece evidente, mas na era pós-Mourinho o Milito nunca mais recebeu uma bola assim porque o Benitez prefere a troca pelos flancos rápida que favorece mais o Etoo, o grande sacrificado de Mou.

Além do mais Mourinho gosta de equipas de rendimento imediato, não tem muita pachorra para jovens (preparar o futuro) e prefere a vitalidade dos veteranos que, depois dele, já estão saciados e sem pernas (e pulmões).

Por fim, e aí sofremos mais desse problema que qualquer um outro, Mourinho é capaz de pegar num jogador aparentemente mediano e fazer dele uma máquina de precisão (Costinha, Maniche, Derlei, McCarthy, J.Cole, Milito) que depois baixa naturalmente o rendimento.

Pessoalmente concordo com o José, o Mourinho tem o condão de montar a melhor equipa da vida de um clube por um curto periodo de tempo e criar um antes e um depois. Isso é sempre traumático. Mas também trabalha a estrutura e a mentalidade para quem sabe seguir o caminho. O PDC empenhou-se a destruir o legado de Mourinho em 2004 enquanto que a supremacia Chelsea hoje é espelho do trabalho de Mourinho em muitos aspectos extra jogo a partir de 2004.

É preciso é desfrutar e aproveitar o bom que fica porque este homem é um caixeiro viajante, e dos inimitáveis.

um abraço

Nuno Nunes disse...

Méritos inegáveis. Mas é um narcisista que há muito traçou o seu percurso profissional. Depois de 3 anos (não me acredito que cumpra a totalidade do contrato) deixará o Real Madrid numa seca de títulos e rumará a Old Trafford onde substituirá o velho Ferguson. É uma aspiração que ganhou em Inglaterra e nas longas conversas com Sir Alex. Aí terá de ficar uns 5 a 6 anos porque no United não se pensa a curto prazo e essa será condição fundamental. Depois, então sim, dirá que quer treinar a Selecção Nacional e a imprensa tratará de despedir o treinador que lá estiver.

É o melhor do mundo e poderá ser o melhor de todos os tempos.

Mas não se pode ter tudo. A Mourinho falta-lhe educação e bom carácter e isso não se ganha nem com títulos.

Ah pois disse...

José, permita-me a correcção mas o Rafa não ganhou duas ligas espanholas. As duas ligas espanholas do Valência na década passada foram ganhas pelo Hector Cuper.

reine margot disse...

Bem, mas não esqueçamos um pequeno pormenor de somenos importância: o Mourinho costuma levar atrás dele os jogadores de que gosta!...A maldição talvez seja essa...

Traficante de pneus disse...

Ah pois:

Na realidade o Benitez ganhou as duas ligas com o Valencia.

O Hector Cuper perdeu duas finais da UEFA CHAMPIONS LEAGUE. Ao perder a segunda e ao perder no ultimo jogo da liga contra Rivaldo foi despedido:

http://www.youtube.com/watch?v=M2ujBOUQIxw&feature=related

O mais fantastico jogo que vi algum jogador efectuar.

No ano seguinte e vindo do Tenerife, rafa benitez ganhou a Liga. Em 2004 ganhou a liga e a Taça UEFA ao Marselha, sucedendo ao nosso grande clube.

Daniel Gonçalves disse...

Para mim, após a saída de Mourinho do Porto em 2004, fiquei com um sentimento de perda e, quando o Porto, logo na temporada seguinte com o Fernandez a treinador, tivemos de defrontar o Chelsea de Mou/Ricardo Carvalho/ e a nossa ex-equipa técnica, senti uma espécie de "traição", como se alguém que me era querido e me tinha dado tantas alegrias e que agora estava do outro lado da barricada e a lutar por outros.
Reconheço que Mou transforma uma equipa banal numa equipa de luta e vencedora, e que puxa pelos jogadores para estes darem o melhor de si. Já o seu carácter arrogante e altivo aceito-o e compreendo, porque de facto ele é um vencedor, apesar de ser obcecado pela fama e vitória.

Alexandre Burmester disse...

O principal problema dos clubes que o Mourinho tem treinado, após a sua saída, tem sido as escolhas desses clubes, incluindo o FCP em 2004/05. Apesar disso, o Chelsea, sob a batuta de Avram Grant, chegou à Final da LC em 2008, coisa que o Mourinho nunca conseguira em Stamford Bridge.

Mas também conviria dizer que o Chelsea na época anterior ao Mourinho lá ter chegado ficara em 2º lugar na Premier League atrás do imbatível e imbatido Arsenal (campeão sem derrotas) e atingira as meias-finais da LC, e que o Inter era tricampeão quando o milagreiro aterrou em Malpensa ou Linate.

O homem é o maior - e não cessa de nos recordar isso - mas também é um tipo insuportável, arrogante e mal-criado. Pelos países onde passa só arranja conflitos com toda a gente e tem a mania de provocar tudo e todos. Os ingleses, mais tolerantes com estas coisas, engraçam com ele, mas em Itália e em Espanha não lhe faltam inimigos. E havia necessidade? Os seus méritos falam por ele, caramba.

O Nuno fala em 5 ou 6 anos no Man. U., mas isso num clube inglês nem é um horizonte muito largo. Esse feitio salta-pocinhas e bate-recordes poderá ser o principal obstáculo à contratação do Mourinho pelo Man. U., além do estilo de futebol que ele prefere, pouco consentâneo com o histórico estilo de jogo do Man. U. Não creio que Sir Alex Ferguson o recomende para seu sucessor, por mais graxa que o Mourinho lhe continue a dar. Vejo-o mais depressa a ir para o Manchester City, uns aventureiros bem à sua medida.

Roberto Tavares disse...

Semana passada falei com alguém sobre este aspecto...

E apesar de o caos ficar instalado por 1 ou 2 anos, as equipas e adeptos ficam habituadas aos títulos, e mais ano menos ano eles acabam por aparecer, como aconteceu com o FCP e Chelsea, e será assim no Inter(mas com uma excepção, a ambição de vitórias e títulos é uma coisa muito particular entre adeptos do FCP, e isso não o devemos ao Mourinho!)

Por exemplo, época passada ficamos em 3º, conquistamos 2 títulos e foi uma época má. Mas houve outro clube que ganhou o mesmo número de títulos e foi uma época brilhante, e o mais engraçado é que a comunicação social, quer seja facciosa ou não, também já se habituou às conquistas do Grande Futebol Clube do Porto...

Com este último parágrafo, quero dizer que na mentalidade dos portugueses(e quando me refiro a portugueses, refiro-me todos adeptos e anti-adeptos!!!), as vitórias do F.C. Porto já estão bem enraizadas....

xandreazevedo disse...

O melhor Porto dos ultimos 20 anos???
Aonde?? o nosso Porto ?? NUNCA !! Então se fizermos analise ao jogo e espectáculo nem pensar!!!
Agora é o melhor treinador do mundo e merece esse elogio , mas é futebol resultado e quando sai conforme disseram aqui e bem decapita o plantel do clube.Só não fez no milão porque o Moratti não deixou mas não duvides que há sub rendimento da equipa por beiças de não sairem...
Abraço

Marreta Vizcaya disse...

JM é uma personagem criada pela pessoa que actualmente dirige a equipa técnica do Real Madrid.

É uma personagem trágico-cómica que tudo faz para chamar sobre si a atenção dos media e assim levantar a pressão sobre os jogadores.

Ao usar e abusar da máxima "nós contra toudo e todos" o treinador-personagem dá aos seus jogadores milionários uma motivação extra que é hoje em dia muito difícil de conseguir.

Subscrevendo a maioria dos comentários anteriores, resta dizer que só falta a JM fazer trabalho de Wenger para que seja o treinador perfeito.

José Correia disse...

reine margot disse...
“o Mourinho costuma levar atrás dele os jogadores de que gosta!...”

Não levou para o Inter jogadores do Chelsea, nem levou para o Real Madrid jogadores do Inter.

meirelesportuense disse...

Mourinho tem os seus méritos sem dúvida, mas não respeita ninguém, nem os seus próprios jogadores, por isso está uma ou duas épocas, cansa-se de todos os que espremeu e vai embora...Vai ser assim também em Madrid, a não ser que comece breve a sua decadência e aí vai talvez querer desesperadamente ficar, mas em contrapartida vão desejá-lo longe...
-Concordo com os méritos mas acentuo os seus lados negativos, não tem carácter!...É como certos jogadores que secam tudo à sua volta, recordam-me os eucaliptos...Mas é assim, ninguém se faz, nasceu assim e assim morrerá...

Daniel Gonçalves disse...

Alexandre Burmester disse:
"que o Inter era tricampeão quando o milagreiro aterrou em Malpensa ou Linate." Tem razão Alexandre, mas convêm contextualizar esse tri-campeonato do Inter, o 1º título foi ganho na secretaria, o 2º foi porque a Juve desceu de divisão e o AC Milan começou o campeonato com -12 pontos, o 3º foi ganho por mérito mas com os adversários desorganizados e desmotivados, o grande mérito de Mou foi vencer a Liga dos Campeões pelo Inter, ambição europeia do clube, foi para isso que Mou foi contratado e não para vencer calcios, lembro-me de os dirigentes italianos lhe terem pedido ou "exigido" esse objectivo, pois o Inter raramente passava dos oitavos na Champions, como o Real nos últimos 6 ou 7 anos, talvez um grande pormenor para os madrilenos o contratarem.

Alexandre Burmester disse...

Conviria também salientar que na época de 2006/07 Mourinho não foi campeão em Inglaterra, e que foi despedido poucos meses após o início da época seguinte principalmente pelos maus resultados e fraca qualidade de jogo que a equipa vinha evidenciando. Portanto, o Chelsea já estava em curva descendente quando o Mourinho de lá saiu. Por vezes certo tipo de idolatrias leva ao reescrever da história.

O recém-falecido Malcolm Allison disse um dia que há três tipos de treinadores: 1) Os bons treinadores de boas equipas; 2) os bons treinadores de más equipas; 3) os que são bons num caso e noutro.

O Mourinho cai na primeira categoria. José Maria Pedroto, por exemplo, caía na 3ª categoria. Punha equipas banais a lutar pelo título (FC Porto 1968/69 e Boavista 1975/76)e de qualquer toco de vassoura fazia um defesa-central (ex: Lima Pereira);-). Mas quando tinha matéria prima (V. Setúbal 1969/70 a 1973/74 e FC Porto 1977/78-1978/79 e 1983/84) aquilo era um regalo de se ver.

Miguel Pereira disse...

Alexandre,

Creio que o que fez no Leiria e o facto de ter feito do FCP (uma equipa que não passava de Quartos da CL desde que fomos campeões europeus (a meia-final de 94 foi com outro sistema) campeão europeu toca igualmente na 3 categoria que mencionas, já que eramos tudo menos elite europeia. E claro, o mestre Pedroto estava preso ao triste fado do futebol luso e passou demasiado tempo entre Setubal, Boavista e até FCP enquanto que a evolução do Mourinho foi meteórica e não tivemos a possibilidade de ver como se exibia dentro de equipas com menos recursos (e de um indisciplinado displicente como o Maniche fez dele o melhor médio box-to-box da Europa ;-) ).

Um abraço

José Correia disse...

Alexandre, vale a pena recordar o que o Mourinho fez no Leiria na época 2001/02 (quando, em Janeiro, saiu para o FC Porto, deixou o Leiria em 3º lugar) e, principalmente, o que fez no FC Porto na época 2002/03. Sem dinheiro para contratações milionárias, com contratações feitas na “loja dos 300” – Paulo Ferreira, Nuno Valente, Derlei – e o ingresso de jogadores desaproveitados noutros clubes – Maniche – construiu a melhor equipa do FC Porto que eu vi jogar.

Mas este artigo não é propriamente sobre os inegáveis méritos do treinador José Mourinho, mas sim acerca do vazio e dos problemas que ocorrem nos clubes após ele sair.

Miguel Pereira disse...

No nosso caso, que é o que importa, continuo a achar que o efeito pós-mourinho tem pouco a ver com ele, porque podemos considerar que os seus 2 anos foram uma excepção a nivel europeu já que, em 20 anos, o dominio interno nunca esteve em causa (ao contrário de Chelsea, Inter e até mesmo R. madrid).

A gestao do PdC, tentando criar uma equipa com pouco que ver com o génio de setubal. A mentalidade de muitos jogadores que queriam fazer o contrato das suas vidas. E claro, o facto de que as expectativas estavam pelas nuvens e é sempre dificil gerir o exito (lembro que, mesmo com 3 treinadores, lutamos pelo titulo até ao fim e fomos campeoes do mundo...antes de mais um tetra).

Quanto à personalidade, se há algo que não entendo é que se julgue fulano ou sicrano pelo seu caracter. Quando falamos de técnicos ou jogadores deveriamos pensar apenas no seu talento (ou falta dele) e na forma de trabalhar. Que mais dá que o Ronaldo seja um gigolo andante, que o Mourinho goste de transformar a sua estadia num clube numa peça de teatro de 365 dias ao ano ou que o Villas-Boas faça birrinha em Guimarães mais ao jeito de um adepto de coração do que de um técnico top?

O que conta é o trabalho que fazem, nunca me importaria de ter 1 treinador mal educado e uma pandilha de jogadores armantes como o Ronaldo, se no final os resultados e a qualidade de jogo corresponda.

Um abraço

Alexandre Burmester disse...

Caros Miguel e Zé Correia,

Nada me custa incluir o Mourinho na tal 3ª categoria, mas chamar ao FC Porto de 2002/03, ou mesmo ao Leiria da época anterior (com Derlei e Nuno Valente, entre outros) más equipas, parece-me forçar um pouco a nota.

E, Zé, o Derlei etc. podem ter sido baratos, mas barato não é necessariamente sinónimo de fraco, como se viu nesses casos.

Quanto ao carácter, caro Miguel, é difícil ignorar esse aspecto quando se é vítima dele, como nós fomos no caso do Mourinho, no modo como tratou da sua saída, nos termos com que posteriormente mimoseou a cidade do Porto e na indiferença estudada com que desde a sua saída trata o clube.

Miguel Pereira disse...

Alexandre,

Entendo-te perfeitamente, a saída do Mourinho não foi propriamente digna, tal como a não celebração da CL. Mas o Robson, o Yustrich e o Guttman também não sairam propriamente a bem e para mim continuam a fazer parte da grande lista de técnicos do FCP, independentemente do carácter que exibiram na hora de se ir embora.

Já li muitas entrevistas do Mourinho à posteriori, e exceptuando os comentários comparativos à Sicilia só vi boas palavras à equipa e ao clube. Talvez não tanto destaque como dá ao Chelsea e ao Inter, é certo, mas também não vejo nada forçosamente negativo à parte disso.

Quanto à tal 3 categoria, penso apenas que o Leiria era e é uma equipa de segunda metade da tabela que não só estava em 3 lugar, como jogava manifestamente bem e aquele FCP, há 3 anos sem um titulo, era uma lástima quando Mourinho chegou com aquele ar de superioridade e montou um bloco que fez de um 3 classificado doméstico num campeao europeu em tempo recorde ;-)

um abraço

Alexandre Burmester disse...

Miguel,

Nem Robson nem Guttmann andaram a negociar no "Camelo".

Quanto ao Yustrich, esse foi vergonhosamente despedido.

Em relação à tua indulgência para com o Mourinho, isso mostra que tu, sim, tens bom carácter;-).

Miguel Pereira disse...

Alexandre,

Tens razão, mas o Guttmann foi o homem que andou a adiar a renovação com desculpas de no final da época falamos e já tinha contrato com o Benfica e o Robson, depois de ter tido todo o apoio do mundo quando foi operado não teve problemas em assinar com o Barça e levar com ele o Baía quase sem dar cavaco ;-)

E quanto à minha indulgência com o Mourinho, confesso, é defeito meu ;-)

um abraço

Ricardo, RSW disse...

Faço apenas a minha intervenção em relação ao referido "termo com que mourinho mimoseou a cidade do porto" tais declarações foram desmentidas na altura, e corre ate que isso corresponde a mais um boato ao estilo dos "6 milhões". uma mentira repetida ate a exaustão nunca passa a uma verdade.

Em relação ao resto estou globalmente de acordo, e na minha opinião o Mourinho é actualmente o melhor tecnico do mundo.

Mas estou muito satisfeito com o AVB, tem todo o potencial para vir a ser mais um "mourinho" mas como portista tenho de colocar em evidencia o inegavel portismo de AVB, este tipo nunca "trataria da sua vida" ele sente o clube como um adepto, e é-o, nunca faria como fez mourinho quando quis sair.