segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Outro parvo no teu lugar

Dizia o homem (que pelos vistos é subintendente da PSP):

- Maças não vão entrar, e espero que bolas de golfe também não, no entanto como sabe a claque lá mais a norte é muito pródiga na utilização de bolas de golfe.


Eu acho uma piada do caraças a estes artistas, e outros que tais que se surpreendem pela entrada de bolas de golfe, petardos, galinhas, cabeças de porco, maças ou coisas que tais. Será que alguma vez foram a um estádio de futebol sem ser pelas portas VIP? As revistas servem para dissuadir e pouco mais, porque quem quiser entrar com bolas de golfe, entra, quem quiser entrar com petardos, entra.

E como era óbvio:

não é só a claque cá mais a norte que é pródiga em bolas de golfe, a estupidez é universal.

Isto só acaba quando houver um série de problemas sérios - o gajo que a semana passada em Alvalade ficou sem 3 dedos ao rebentar um petardo, quase que aposto que não vai repetir a graça. E fazendo aqui um parêntesis, um dia gostava de saber o que é que o pessoal gosta nos petardos, eu até percebo as tochas, as bombas de fumo, isto sem falar nos velhos extintores, sempre dão outro colorido ao estádio, mas agora um petardo? Para quê?

Mais do que andarem a dizer que não entra isto ou aquilo, deviam era deixar bem claro que os principais prejudicados podem vir a ser os próprios clubes, para que um gajo que lance um bola de golfe - e os gajos que estão à sua volta e acham piada - perceba que com aquele acto pode estar a prejudicar seriamente o clube que diz amar. O dia em que existir um interdição podem descobri-lo pelas piores razões.

Infelizmente tem de ser a mentalidade dos espectadores a mudar, como mudou em relação a tantas outras coisas. Lembro o  tempo em que havia redes a separar o terreno de jogo das bancadas, lembro a quantidade de situações de pessoal a subir as redes à mínima discordância com uma decisão do árbitro, lembro várias vezes ver as redes irem abaixo. Hoje sem nada a separar, há muito mais civismo.

É deste civismo que precisamos para que acabem os arremessos de objectos. Era nisto que a polícia se devia empenhar e deixar-se de fazer comentários parvos, e não é só o comentário é o tom jocoso com que foi feito, sobre o pessoal cá de cima.

7 comentários:

alemanha22 disse...

como eu dizia a algum tempo , o nosso maior adversário é vitor lampião pereira... e só está a começar..

reine margot disse...

Engraçada a preocupação em que o Moutinho fosse protegido;
deveria era ter sido protegido dentro do campo!!...
Mas enfim aí já não haveria direito a bocas sobre o pessoal do norte ( que como se sabe em lisboa quer dizer aquela entidade geográfica que eles não sabem ao certo onde fica, só sabem que fica para Norte de lisboa, e que quer dizer mais ou menos: o Porto...)

meirelesportuense disse...

@alemanha22:
-"vitor lampião pereira" ou "victor lamp'rei'a"?...
Mas foi, uma arbitragem "sem problemas"...E as bolas de golfe "transformaram-se" em bolas de Natal...Que romântico!...Que pitoresco.
E as laranjas do Pomar de Alvalade em maçãs de qualidade fraca, farinhentas...Mas como o relvado tem que ser artificial, as frutas também o serão...Serão de plasticina ou plástico duro?...Talvez de osso, de corno.

meirelesportuense disse...

Este Comissário merecia uma chamada de atenção às aulas de Geografia Política Portuguesa!
E um louvor pelo seu lambe-botismo!
-Assim, é que é LAMBER!
Mas não vai longe este Linguarudo, está aqui e está a ir para Toalha de Interiores!...De Miudezas.
Lembram-se daqueles macacos de Sete-Rios, que normalmente têm um cú muito saliente e vermelhão?...É das Maçãs Podres!

Miguel Magalhães disse...

Um imbecil será sempre um imbecil. Quanto ao polícia, é só.
Relativamente às bolas de golfe e outras que tal, porque não usarem as câmaras nos estádios para identificarem quem as atira e simplesmente obrigarem os clubes a proibirem a entrada dessas pessoas nos estádios até ao fim da época ou, melhor, obrigarem-nas a apresentar-se numa esquadra à hora dos jogos?
Percebo a perspectiva do civismo não não a partilho totalmente. Quando havia redes as pessoas penduravam-se mas não saltavam porque são cobardes, só atacam a coberto do anonimato. Tal como acontece com as bolas de golfe. E por isso não entram agora que não têm redes.

meirelesportuense disse...

Na terra do Comissário devem atirar Batatas e Couves aos árbitros, ou Nabos, ou solas de Botas!...
Na nossa, tem que ser o que está mais à mão, bolas e vira-ventos...

José Rodrigues disse...

O Miguel Magalhães disse tudo.

Na Inglaterra é raríssimo ver-se estas cenas pq lá quem prevarica é identificado (e cá como lá, o q mais há hoje em dia é câmaras de TV) e a partir daí tem q se apresentar na esquadra na hora de jogo do seu clube.

Não há pior punição (portanto, mais eficaz) do q isto.