quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

A nova lei do fora-de-jogo


Jorge Coroado: "Valdés, no momento da assistência de Patrício, estava em posição irregular. O pontapé foi longo, e isso originou a distracção de José Ramalho, que não prestou atenção à movimentação do atacante."

Pedro Henriques: "Valdés, no momento do passe de Rui Patrício, está mais perto da linha de baliza do adversário do que a bola e o penúltimo adversário, ou seja, estava em fora-de-jogo."

Paulo Paraty: "É um facto que o assistente é traído pela grande distância que a bola percorreu até chegar a Valdés, não punindo a sua posição inicial de fora-de-jogo."

José Leirós: "Golo ilegal de Valdés. Valdés estava fora-de-jogo quando Rui Patrício pontapeou a bola, que não tocou em nenhum jogador."


Os ex-árbitros que opinaram publicamente sobre este lance são unânimes: o golo do Sporting foi irregular, pois Valdés estava em clara posição de fora-de-jogo no momento do pontapé de Rui Patrício.

Todos os especialistas de arbitragem estão de acordo? Não, há um "super-especialista" que tem uma interpretação diferente sobre a lei do fora-de-jogo. Segundo uma tese peregrina, enunciada e defendida por Rui Oliveira e Costa no último 'Trio de Ataque', não interessa verificar a posição do Valdés no momento em que Rui Patrício pontapeia a bola para a frente, mas sim após a bola ter passado por Rolando e Liedson e batido no relvado!!!
Na douta opinião do representante do Sporting no programa da RTP-N, o facto do Rolando, Liedson ou outro qualquer jogador não terem tocado na bola é irrelevante. Não tocaram mas podiam ter tocado...

Para quem anda sempre a queixar-se das arbitragens, do "Sistema", do "lobo mau" (Pinto da Costa), do relvado, do azar, etc., é impressionante a ginástica que os "calimeros" fazem para não reconhecerem aquilo que é óbvio.
Meus senhores, o jogo foi transmitido pela televisão, está gravado e não vale a pena negar as evidências. A arbitragem do último Sporting x FC Porto foi uma vergonha, tendo a equipa leonina sido claramente beneficiada, quer neste, quer noutros lances que foram fundamentais para o desenrolar do desafio. É assim tão difícil admitir este facto?

P.S. Foi uma pena que o Miguel Guedes não tivesse aproveitado a oportunidade e sugerido o Rui Oliveira e Costa para instrutor dos próximos cursos de arbitragem. Pelos vistos, árbitros e ex-árbitros têm muito a aprender com este "especialista"...

10 comentários:

miguel_canada disse...

Eu também me fartei de rir e inclusivamente telefonei a um amigo meu para saber se ele estava a assistir à arte de alterar a lei do fora de jogo em apenas 2 minutos!!!
Foi uma risota.

O Miguel Guedes não tem assim uma presença fulgurante, o que é pena. Falta-lhe um bocadinho de "arquivo" e deixar de se concentrar apenas nas bojardas do xineasta xubxidiado já que o mestre das leis do jogo tem andado a meter agua à brava.

Zé Luís disse...

E esta noite mais um golo irregular num Sporting de gatas, sem ponta de qualidade que mete dó. João Pereira escapou a expulsão mas não evita cenas de miúdo de rua que o tornam um pateta triste em campo.

Foi deplorável ver o Sporting, como já suspeitava, depois do estouro de sábado.

Quanto aos programas tv, não vejo e dos zappings ocasionais já vi que o Miguel Guedes é muito fraquinho, só retórica e poemas...

O ROC é como o Liedson, um artista.

E julgam que vão longe assim...

Alexandre Burmester disse...

Segundo me informam círculos próximos do Dr. Gilberto Madail, o distinto Presidente da não menos distinta Federação Portuguesa de Futebol aproveitará a sua estadia em Zurique esta semana para garantir a nomeação de Rui Oliveira e Costa para o International Board, organismo que superintende as leis do jogo e que certamente muito lucrará por passar a ter nas suas fileiras tão insigne individualidade.

navegante disse...

Miguel Guedes muito fraquinho.
Então não estamos todos a ver que esse é o critério destas sumidades da tv, nas suas escolhas de conveniência?

5 árbitros num jogo, e não conseguem ver o óbvio! Mais uma postigada calímera...

Bruno disse...

A falta que lá faz o Rui Moreira para calar aqueles gajos. Não é que o Miguel Guedes seja mão, mas como lhe disseram falta-lhe arquivo, conhecimentos mais por dentro do futebol e essencialmente capacidade de argumentação.

FernandoB disse...

Deixei de ver os paineleiros do futebol há mais de meio ano... Só tomo conhecimento de algumas coisas que lá se dizem, aqui na blogosfera. Miguel Guedes não tem decidamente vida para isto, por isso é acarinhado por quem o convida... Já nos Grandes adeptos (antena 1 - 2ª 19,00 H)foi sempre assim...tipo Jesualdo...educado, respeitador, preocupado com o cumprimento das Leis (tem formação Juridica), e tudo transforma em competencia ou incompetencia... Infelizmente as coisas não são só assim...
Agora se o Pateta Paraty, diz que foi ilegal, meu Deus deve ter sido ainda mais do que eu vi...
Quanto ao ROC, é um videirinho de grande classe... Construiu uma carreira, só por aparecer nos sitios. Conheço bem a peça desde 1974. Mas reconheçamos, defender os Calimeros, é tarefa " Herculeana"

Nelson Machado disse...

O Miguel Guedes não é fraco é fraquinho, então quando o cineasta de 5ª categoria dá um "fundo" a V-B por ter festejado de uma forma "ostensiva e arrogante" o golo do empate contra o sporting o Miguleito fica calado e não atira com as arrogâncias já diversas vezes demonstradas pelo senhor jesus.
Isso e o facto de que ser-se uma
"divindade" dá direito a estar constantemente a gritar com os árbitros e a sair da zona delineada para treinadores sem se ser sequer admoestado e já a outros ao 1º berro de descontentamento é expulso.

Alexandre Burmester disse...

Quando é o Mourinho a festejar seja o que for de "forma ostensiva e arrogante", coisa que nem sequer é rara, esse pessoal vibra intensamente e comunga dos festejos. Não há pachorra...

Pedro Reis disse...

Estes comentadores do SCP ainda conseguem ser piores do que a classificação do clube respectivo...
Têm a mania que são viscondes e diferentes e não passam de uns montes de merda, a começar no Eduardo Arruaceiro Barroso e a acabar neste pretensioso ROC.
Não há definitivamente pachorra!

maniche disse...

Já há algum tempo que venho dizendo isto nas minhas conversas com amigos: o Dr. Barroso fala de Futebol, na TVI, com a mesma eloquência do adepto que frequenta a tasca da esquina. As referências que fez ao Moutinho,e o incitamento à sua hostilização, antes, e as críticas descabidas ao AVB, depois do jogo, somadas a outras que proferiu anteriormente, fazem-me pensar que a sua reconhecida competência profissional fica prejudicada pelas tristes prestações que tem no tal programa da TVI. Não passa de um calimero malcriado!