sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Em busca de um Messias

Parece que o SCP, órfão de presidente, anda em campanha eleitoral. Digo "parece-me" porque não tenho seguido isto minimamente nos media (da mesma forma que não sigo as eleições num Beira Mar ou num Ramaldense; a motivação é a mesma).

No entanto uns amigos sportinguistas (sim, mesmo sendo uma espécie em vias de extinção parece que ainda há alguns por aí) despertaram-me a atenção para o assunto, e em particular porque parecem entusiasmados com o candidato "anti-sistema" (i.e. cara mais visível da oposição). Parece mesmo ter (pelo menos entre eles) uma espécie de aura tipo "A.V.B. dos dirigentes" (i.e. jovem, competente e algo irreverente). Falo de um tal de Bruno Carvalho.

Parece que é mesmo o único candidato com um programa eleitoral (que um amigo meu me enviou por email). De tanto falarem nisso dei uma vista de olhos, principalmente à parte que mais interessa (i.e. onde propõe como dar a volta à situação desportiva da equipa enquanto equilibra as contas).

Dando já o desconto da ordem à "palha" que lá meteu para entreter adeptos ("maior clube de Portugal", blablabla), constatei que afinal a montanha pariu um rato. Aquilo está cheio de lugares comuns com que é muito difícil discordar, sendo mais um manifesto de desejos (ser campeão e fazer boa campanha na Liga dos Campeões para valorizar jogadores e aumentar outras receitas, falando nisso como se tivesse descoberto a pólvora) do que propriamente um "programa" concreto de acção. Tem mesmo algumas contradições a que achei alguma piada:

1) diz por um lado que vai estabelecer "contenção de custos" (sem quaisquer detalhes...) mas por outro que vai investir a sério em contratações. Mesmo presumindo que os custos dos passes seriam custeados por fundos (mais sobre isto mais à frente), o que já é pedir um bocado de fé, expliquem-me por favor como é que um SCP vai comprar vários jogadores de 5M€ ou 10M€ sem aumentar consideravelmente a folha de salários...

2) Ao mesmo tempo que fala em gastar imenso em contratações, fala numa aposta em reforçar a produção da Academia (diga-se de passagem que se há coisa que já fazem bem é isso, e não vejo como credível que melhore - pelo contrário é mais provável que piore). Em que é que ficamos?

Vejo que no fim de contas o que ele propõe concretamente resume-se a uma medida: arranjar quem invista 50M€ (ou mais) num fundo para comprar jogadores. Bem, isto é muito bonito de falar, mas assinalo que a não ser que descubra gente disposta a fazer caridade, não é assim tão simples de colocar em prática (principalmente em moldes favoráveis ao SCP a médio prazo).

Mas já agora há outro factor que os sportinguistas parecem esquecer-se frequentemente (e vi isso claramente na discussão sobre o caso Kléber): há que convencer esses jogadores de 5M€ ou 10M€ a ir para o SCP, para além de convencer o vendedor e os financiadores da contratação.

E quando estamos a falar de jogadores de 5M€ ou 10M€, de certeza que têm outras alternativas interessantes ao SCP. Muito mais do que um Kléber, aliás. E o que é q o SCP pode fazer para os convencer (para mais estando de fora da Liga dos Campeões)? Uma coisa, acima de tudo: oferecer um salário claramente mais alto do que a concorrência. Tem o SCP (ou terá, mesmo com um eventual "Messias") capacidade para isso? Duvido, na maior parte dos casos (pelo menos sem arrebentar com os tais custos).

O SCP nesse ponto não é exactamente um FCP (por exemplo), nomeadamente não tendo o que nós temos:

1) orçamento estruturalmente mais elevado
2) maior cartaz (quase todos os anos estamos nos 1/8 final da LC)
3) uma história sistemática como "catapulta" para os jogadores (são bastantes os jogadores que foram comprados pelo FCP para depois serem vendidos para clubes ricos europeus. Quantos jogadores é q o SCP comprou nos últimos 10 anos para depois fazer o mesmo? Eu não me lembro de um único exemplo)
4) estabilidade e reputação de clube muito bem organizado

Concluindo: este Bruno Carvalho até parece ter um perfil teoricamente interessante (CV com percurso engraçado tanto no desporto como em gestão), mas o seu programa resume-se a um manifesto de desejos e por consequência quem votar nele parece-me estar mais a fazer um voto de fé do que outra coisa qualquer (tal como com os outros candidatos, já agora...). Mas de facto eles bem precisam de Fé, Esperança e Caridade, ao olhar para a situação actual por aquelas bandas...

9 comentários:

The Blue Factory of Dreams disse...

- O Sporting não funciona como uma democracia, lá não é como no FC Porto, onde cada sócío tem direito a um voto.
Normalmente ganha as eleições quem "botar a mão" à maior parte do grupinho de 2000 ou 3000 velhos cheios de votos.

- Por aqui é fácil de ver quem tem mais acesso e poder entre estes alvos.

- Eu vejo o mesmo género de candidatos de sempre, muitos repetidos, outros "escondidos"...o que quer dizer que aquilo vai ser mais do mesmo.

- Não vi, ouvi ou li qualquer coisa que me parecesse séria. Uma única! E tudo começou com o salvador Angolano, Braz da Silva, que depois jurou que foi traído por quem lhe lançou o convite...

Consta que o lançador de convite está em grande no xadrez das eleições, pois mandou o angolano às malvas, mas continua na corrida. Sem dar a cara.

- O populismo do "somos os maiores", "vamos ser campeões", "vamos comprar tudo que mexer", vai uma vez mais vencer. Porque parece-me que lá tudo protesta, mas ninguém quer resolver nada, só querem mais um messias que lhes minta para os manter durante uns tempos enebriados.

- Para finalizar, todo esse post podia começar com o trunfo desse Bruno Carvalho, Inácio para VicePresidente do futebol

Em resposta ao outro que veio com o Futre.

É tão anedótico que não sei como isto colhe por lá. Mas siga a novela que ainda há-de dar para muita e boa gargalhada.

BS disse...

Não sou economista mas dá para perceber que o Sporting está mal, acima de tudo porque aquilo parece uma brincadeira pegada, eles continuam a ter uma boa base de adeptos (muitos menos dos que reclamam, mas isso, aprenderam com os outros...) caso contrário nem sequer se discutiria mais o clube. Encerrava portas.

Acho curioso que agora, apareçam fundos de 50 milhões de euros, jogadores,treinadores, directores-desportivos. Quando nem para salários tem havido que chegue...

Quem ganhar as eleições vai prometer mundos e fundos. Sabendo que não poderá cumprir. Parece-me esse o caminho.

Para mal deles, que não lamento, minimamente.

José Rodrigues disse...

O q é engraçado é q até há ano e meio acho q o clube estava ser *relativamente bem gerido* (nos 3-4 anos anteriores).

Com a "ressaca" financeira q tinham herdado do início do milénio (q levou a forte aperto do cinto em meados da década), acho q até tinham resultados bem dignos. Aliás, até ao ano passado andavam a dar muito mais luta na corrida do título do q um slb, e só não ganharam a Taça UEFA por ter o Labrecas. E não estiveram mal nas contratações (por ex Vukcevic e Izmailov).

No entanto no último ano e meio a coisa descambou bastante. Estouraram o pouco dinheiro q tinham em Pongolles e Grimis, e a nível organizacional deu para ver q não sabiam o q andavam a fazer (mudanças de treinador, conflitos constantes com jogadores importantes como Vukcevic, Liedson, Moutinho ou até mesmo Stojkovic, etc).

Para mim está claro q o maior problema está na direcção q tiveram nos últimos 2 anos. Fez-lhe muita falta um Carlos Freitas, por exemplo.

hulk mocc disse...

"(...) Quantos jogadores é q o SCP comprou nos últimos 10 anos para depois fazer o mesmo? Eu não me lembro de um único exemplo) (...)"


Comprou não sei, mas que venderam o Moutinho a um grande clube europeu lá isso venderam!

José Rodrigues disse...

"Comprou não sei, mas que venderam o Moutinho a um grande clube europeu lá isso venderam!"

O Moutinho não entra nestas contas (senão tb um Nani tinha q entrar).

Eu estava a falar especificamente de jogadores comprados q foram depois valorizados. Nessas contas não entra, claro está, a "prata da casa".

Amphy disse...

"Estouraram o pouco dinheiro q tinham em Pongolles e Grimis"

E em Postigas... Bastante jeito nos deu essa política duvidosa de contratações.

:-)

rbn disse...

Quando me lembro que ben7as e lagartos vieram me dizer em tons irônico-mauzinhos que Pinto da Costa estava velho e gagá, e que fez péssimo negócio em "trocar" Moutinho por 11 mihões de euros, mais o Nuno André Coelho e o perdão ao passe do Postiga, eu simplesmente retrucava que que enquanto os outros levam o milho, Pinto da Costa já traz as pipocas.

No meu ponto de vista, despachamos 2 jogadores que nada acrescentavam e compramos um craque a nível de selecção.

E lá está: Postiga, mesmo em excelente forma não resolve nada nem safa o Sporting e o NAC consegue a proeza de ser suplente de Polga e do argentino de nome italiano.

O Sporting está passando por aquela fase pré-Vale e Azevedo pela qual passaram os galináceos, e agora, gostava mesmo era de ver os eduardos barrosos, dias ferreiras e outros lagartos dos programas desportivos nas tvs que falam, descrevem, criticam e tem a cura para os todos os problemas, se candidatassem a presidente e cumprissem na prática o que dizem todas as semanas atrás das câmaras.

Falar, é fácil...

Por isso, por muito que critiquem o Pinto da Costa, mesmo os portistas, eu penso que qualquer ben7a ou lagarto daria um braço para ter um líder que fizesse 1/4 do que o nosso fez em 30 anos.

Mas, assim como Pelé, Amália, The Beatles, Elvis, Beethoven, Babe Ruth, Cassius Clay, Sinatra ou quem sabe Mourinho, Pinto da Costa só há um, e é nosso.

José Correia disse...

«O Sporting era uma incógnita à partida para este jogo. Não sabíamos que equipa iríamos ver em campo, pois tanto podia ser aquela equipa competitiva e concentrada que bateu o pé ao FC Porto, como podia ser, e foi, um grupo frágil defensivamente, com uma tremenda falta de confiança, a dar espaços ao adversário, com falta de agressividade e ofensivamente sem ideias e, principalmente, sem alguém que pense o jogo e crie os desequilíbrios necessários para ganhar jogos deste género. Não foi preciso passar muito tempo para se perceber que estávamos perante uma equipa sem liderança, completamente à deriva.»
João Vieira Pinto (a propósito do Sporting x slb)
in O Jogo

hulk mocc disse...

José Rodrigues disse...
"(...) O Moutinho não entra nestas contas (senão tb um Nani tinha q entrar).

Eu estava a falar especificamente de jogadores comprados q foram depois valorizados. Nessas contas não entra, claro está, a "prata da casa."


Caro JR (estilo Dallas), eu estava apenas a fazer referência ao "Grande Clube Europeu" que é o nosso FC Porto em comparação com eles (Sportem).

Abraços