quarta-feira, 2 de março de 2011

Deve haver engano...


13 comentários:

rbn disse...

Não há engano nenhum, e tenho uma teoria:

-no IFFHS, o ben7as foi o melhor clube do mundo do mês de fevereiro 2011, como havia sido o FCP em dezembro 2010, de modos que provavelmente estão à espera de uma vitória sobre os lagartos, para que em letras garrafais, estampem "melhor clube do mundo" e lambam botas até enjoar em cima dos lampiões nas 1ªs páginas e arredores.

Estes pasquins não se enganam, e quando o fazem, fazem com propósito.

Posso estar enganado, mas talvez mais tarde ou mais tardar amanhã, há de aparecer com todo o destaque, pompa e circunstância o "melhor clube do mundo do mes de fevereiro 2011" do IFFHS.

A ver vamos.

XTina disse...

Sim isto deve estar enganado.

Ó IFHHS bota os olhos no super hiper mega maxi fabuloso fantástico fabulástico Benfica!

Usando o "Jesulês" : Mas ca cambada de teristes que acarditam nestas notícias!

hehe :P

Mefistófeles disse...

Algo que não sabia é o que o "Rascord" hoje publica: que o slbosta ganhou os dérbis todos da época ! Notável ! O que quer dizer que os 2-0 da supertaça e os 5-0 do Dragão foram apenas fruto da nossa imaginação, um qualquer delírio colectivo.

Carrela disse...

Mefistófeles, não vi o jornal, mas sendo rigoroso, Porto-benfica e vice versa é um clássico e não um dérbi, dérbi é para clubes da mm cidade.
Penso eu de que.

Alexandre Burmester disse...

Da mesma cidade ou da mesma região, caro Carrela. Vide, por exemplo, o derby minhoto Braga v Guimarães.

Joaquim Varela disse...

Percebo a ironia, mas gostaria de ir um pouco mais longe.

Já algum de vós se deu verdadeiramente ao trabalho de ir verificar o que é esta "federação" ao certo?

Tem um site em www.iffhs.de

Dando de barato o seu aspecto muito básico, todo e qualquer dado que se queira consultar é, para mim, extremamente difícil de encontrar.

Após algum esforço e perseverança lá se chega a estes rankings. No caso do desta notícia "O Ranking do último ano" ele lá aparece em "Club Ranking World" lá em cima, do lado esquerdo e sem grande destaque. Seleccionamos "Present Club Ranking World" em seguida e lá aparece a lista. E refere que isto se trata de pontos dos últimos 12 meses.

Olhando assim muito rapidamente (e na transversal) só para a ordenação das equipas, algumas coisas, para mim são estranhas.

- O Actual campeão inglês em 9º?
- O Internacional de Porto Alegre em 5º?
- o PSG em 12º?
- O At. de Madrid, que venceu a Taça UEFA e a Supertaça Europeia em 18º?
- A Juventus em 22º deve ser mesmo para rir não?
- O Lyon em 36º?
- O Bate Borisov em 42º?
- O Shalke 04 em 48º? É o vice campeão alemão e passou a fase de grupos da CL, apesar de estar a fazer um campeonato abaixo das expectativas.
- No meio de alguns clubes que eu nem conhecia, aparece em 120º lugar o Rubin Kazan!!!

Aqui eu parei na lista, pois já eram coisas estranhas a mais. Não posso ver com bons olhos o facto do actual 3º classificado do campeonato russo (e recente bi-campeão) estar neste lugar no meio de Sudaneses e Iranianos e fui procurar a forma como se faz este ranking.

Após algum esforço, pois não é fácil de encontrar a coisa, lá estava a explicação do mesmo.

Toda e qualquer organização pode adoptar o sistema que muito bem enteder para calcular os rankings que muito bem entender. Esta tão propalada "Federação", com um nome tão pomposo quão emproado, decidiu fazer o seguinte:

-1 vitória na UEFA CL vale 14 pontos (emp 7).
-1 vit na UEFA Euro League, 12
pontos (emp 6).

e vai decrescendo até aos 7 pontos atribuidos por cada vitória na "Taça UEFA" da AFC, onde devem participar grandes colossos de Taiwan, Bahrain e afins.

Posto isto restava apurar que importância teriam as provas domésticas.

Os senhores dizem que consideram para a pontuação ligas nacionais e Taça organizadas pela Federação (excluem a Taça da Liga e por mim isto é legitimo).

Dizem que têm todas as ligas divididas em 4 níveis consoante a sua qualidade. Tudo bem, é um critério aceitável. Por mais que tentasse não consegui encontrar estes 4 grupos...

Em seguida dizem-nos que uma vitória na liga do grupo 1 vale 4 pontos (empate 2). No nível 2 vale 3 pontos (empate 1,5).

Aqui eu parei. Então uma vitória num qualquer jogo da CL vale 14 pontos e menos de 1/3 na Liga? Há inúmeros jogos internos muito mais dificieis que os externos. Esta obscura federação nem sequer se dá ao luxo de informar (pelo menos eu não vi) se os jogos das pré-eliminatórias contam ou não.

Que é mais dificil para o Barça? Vencer 4 jogos na Liga espanhola ou 1 na CL? Para mim, é claramente a 1ª opção, mas para estes senhores são situações quase semelhantes.

Joaquim Varela disse...

(cont)

Enfim, depois do aparecimento do ranking de selecções da FIFA pensava que já não era possível dar-se valor a coisas deste calibre, mas aparentemente esta "Federação" lá continua a ter eco na imprensa nacional e a despertar comentários e remoques entre adeptos. Ora agora é o FCP que é o melhor do mês, ora agora é da década e depois é o outro que segundo a IFSHHFS tem isto e aquilo.

Por mim, após esta pesquisa, somente reforcei o que já era uma percepção antiga - por mim isto vale o que vale (ou seja é a aplicação de uma formula que estes srs adoptaram e com a qual alguns podem concordar, mas não é o meu caso) e são os rankings da UEFA , que nos fazem o favor de se limitarem a provas entre países não misturando as competições domésticas, que continuam a ser uma coisa com alguma lógica, inteiramnete perceptíveis e que para além de condicionarem em parte o acesso dos clubes e países às provas da UEFA, fazem uma boa resenha da performance dos clubes nessas provas.

Joaquim Varela disse...

Caro Mefistóteles, não enverede pela estupidez que grassa entre a nossa comunicação Social que utiliza, na sua esmagadora maioria, os dois termos de forma indiferenciada.

Para mim, qualquer jogo entre o FCP e o SLB deve ser designado por "Clássico". A exemplo de um Real-Barça ou de um Juventus-Inter.

"Derby" é um jogo entre equipas da mesma cidade/região e é aqui que se devem encaixar o SCP-SLB, assim como o Liverpool-Evertom; Boca-River Plate, Flu-Fla, Roma-Lazio, Barça-Espanhol e afins.

E neste caso, de facto esta temporada, o Benfica venceu os 3 confrontos entre as 2 equipas.

Mefistófeles disse...

Joaquim Varela, de uma má interpretação do termo a estupidez vai uma grande distância, não lhe parece ? Até porque como diz, não é sequer original.

Em todo o caso, grato pela correcção, assim é com efeito.

David Duarte disse...

As classificações da IFFHS são no minimo estranhas. Não coloco em causa o lugar do FC Porto, que tendo em conta a actual época, està entre os melhores. Mas ha sempre com cada barbaridade...

Bom, é daquelas coisas que aqueles que precisam do reconhecimento dos outros para encherem o seu ego precisam. Umas vezes agrada a uns outras vezes a outros.

Joaquim Varela disse...

Caro Mefitósteles, após reler o que escrevi, peço desculpa se o ofendi. Não era de todo a minha intenção.

Só que me irrita de sobremaneira, a forma como a generalidade da Comunicação Social designa estes jogos confundindo estes dois termos (derby e clássico) a seu bel-prazer e deixei-me levar por esse sentimento.

A um curioso (como é o nosso caso) admite-se perfeitamente esta situação. A um profissional acho reprovável e sim é uma estupidez, pois revela descuido, má preparação e falta do dito profissionalismo. Mas, infelizmente, isso tem sido a regra ao invés da excepção nos últimos (largos) anos e com tendência para piorar.

XTina disse...

Agradeço e apreciei bastante a explicação aqui deixada pelo Joaquim Varela.

No entanto pelo menos a mim não me veio trazer nenhuma novidade Joaquim, cada um valoriza ou neste caso desvaloriza consoante a conveniência do momento. Sabemos perfeitamente que esses são rankings que têm mais expressão analítica quando avaliam períodos de tempo mais extensos, o que em média diminui o erro (sabemos isso da estatística).
Concordo que estes rankings mensais sejam mais variáveis e volúveis do que possamos julgar e logo os seus valores possam ser contraditórios.

No entanto fica plasmado neste mesmo ranking a sempre e constante superioridade do FCP relativamente aos outros clubes nacionais. Em média, nas várias análises, dá sempre o mesmo clube e há muitos anos destacado de outros representantes portugueses.
Já para não falar do ranking que aglutina a última década de competições, esse que sem dúvida nos dá uma visão mais generalizada da expressão de cada clube, indelevelmente marcada pelas suas carreiras internacionais - daí o FCP se destacar estando no top 20 - talvez se as competições internas contassem mais, tivéssemos uma outra posição bem mais elevada. Portanto se formos a ver bem, até podemos estar aqui a pecar por defeito.
Se é naquele específico posto que está, isso não é o importante, a questão aqui é analisar tendências imparcialmente. E vendo deste modo não se pode fazer o esforço depreciativo deste ranking ao ponto de quase o tornar nulo e sem qualquer motivo para contar na análise.

Sei que por vezes este ranking é abusivamente usado para o FCP se vangloriar e eu confesso também esse pecado irresístivel.
Mas acho ainda mais tristonho tentar desvalorizar e ignorar estes rankings quando eles CONSTANTEMENTE nos demonstram a realidade portuguesa. Que o Futebol Clube do Porto é o clube dominador das últimas décadas do desporto português (sim, desporto também incluo aqui outras modalidades sem receio) e o clube com mais expressão internacional a nível de títulos - a fama é efémera, mas as taças são o que ficam para o demonstrar.

Sei que existem clubes que fogem a sete pés de números objectivos e frios. Estes podem ser discutíveis mas uma coisa é certa: demonstram a verdade das coisas. Bem haja

portodocrime disse...

Amigos vejam lá os ingleses.

Porto cruising under Villas Boas

There's a team in Europe that is still in the hunt to win every competition this season. A club which is dominating its league, ahead of its perennial archrival, which itself is having, statistically at least, a great season. Its numbers, across all competitions, are frighteningly good: Played 40, Won 33, Drawn 4, Lost 3.
I'm talking about Porto, one of the truly amazing success stories of 2010-11. And to think this was supposed to be a transition year, following the sale of its midfield general, Raul Meireles, and its defensive stalwart, Bruno Alves. The club replaced them with Joao Moutinho and Nicolas Otamendi and while the former has been a solid contributor, the latter has been slowed by injuries. Beyond that, it's largely the same crew as last season.
With one important difference: the manager, Andres Villas Boas. And, at just 33 years old, Villas Boas was arguably the biggest roll of the dice of all. Before taking the job in the summer, he had just 23 games worth of managerial experience. Talk about being fast-tracked.
Villas Boas knows he's precocious and knows the comparisons are inevitable -- we in the media like our stories plain, simple and linear -- but he's also his own man. Indeed, while Porto's 4-3-3 is vaguely reminiscent of Mourinho's in some respects, it's a more attack-oriented outfit and, tactically, looks more sophisticated.
Porto's success this year isn't just down to the manager. It's also down to the fact that it's one of the best run clubs in Europe, an organization that understands its role in the global pecking order. It's a big fish in a small pond that, most years, needs to compete in the wider pond of continental soccer. And that means constant reinvention, because you become a victim of your own success almost every year in the sense that you lose your best players to wealthier rivals.
In the last four years, Porto has lost not just the aforementioned Raul Meireles and Bruno Alves, but also the likes of Lucho Gonzalez, Lisandro Lopez, Aly Cissokho, Ricardo Quaresma, Jose Bosingwa, Pepe and Anderson ... that's nearly a quarter of a billion dollars worth of talent. Replacing that player drain goes beyond the manager. To do it effectively you need a first-rate scouting system, a general manager capable of getting the right guys at the right price and a willingness to gamble.
This season it has all paid off. And the good news is that, despite having suitors from all over Europe, Villas Boas has pledged to stay at least another year and test himself in the Champions' League. To many, it's just a steppingstone as Villas Boas seems destined to follow in the footsteps of Mourinho and take the realms of a larger club. But even if he does go a year or two from now, Porto will be ready. They're used to showcasing talent and watching it leave. And usually they don't miss a beat when it happens.