terça-feira, 22 de março de 2011

Homenagem a Artur Agostinho

Artur Agostinho nunca escondeu o seu sportinguismo, mas quer como relatador de jogos de futebol e de hóquei em patins, quer quando assinava artigos de opinião em jornais desportivos, não me lembro que alguma vez se tenha servido do seu acesso a meios de comunicação social para a maledicência, ou para cultivar ódios contra outros clubes.

Dir-me-ão que isto não devia ser motivo de elogio, porque a ética profissional a isso obriga.
Pois, mas basta ler o que escrevem, ou o que dizem, indivíduos como José Manuel Delgado, Fernando Guerra, Leonor Pinhão, João Querido Manha, Octávio Ribeiro e tantos outros jornalistas da capital, para se perceber a diferença em relação a Artur Agostinho.





No meio do clima de ódio que actualmente se vive no futebol português, fazem falta pessoas como Artur Agostinho.

P.S. Apesar de no filme 'O leão da estrela' o FC Porto ter perdido o jogo que disputou contra o Sporting no estádio do Lima, é daqueles filmes que gosto de ver e rever.

7 comentários:

Nelson Machado ℗ disse...

Concordo com a homenagem mas também quero fazer um reparo ao post, quando diz: "...quando assinava artigos de opinião em jornais desportivos, não me lembro que alguma vez se tenha servido do seu acesso a meios de comunicação social para a maledicência, ou para cultivar ódios contra outros clubes."
não é verdade.

O senhor Artur era useiro e vezeiro no tema escutas do pífio dourado e usava as mesmas para maledicência indirecta contra Pinto da Costa, tanto na sua escrita como em entrevistas faladas.
Sendo que não era grosseiro não deixava de dar as suas alfinetadas ao nosso clube e ao nosso presidente.

Mesmo assim com certeza não deixa de me merecer(quase) todo o respeito e não deixa de ser um exemplo de vida.
Que descanse em paz.

ricardompr disse...

Que descanse em paz. :(

Leceiro disse...

Não sou desse tempo mas segundo os meus familiares, era juntamente com o Nuno Brás e mais tarde o Gomes Amaro, as vozes mais conhecidas no campo dos relatos desportivos e acima de tudo, com uma enorme qualidade.

Mefistófeles disse...

"Pois, mas basta ler o que escrevem, ou o que dizem, indivíduos como José Manuel Delgado, Fernando Guerra, Leonor Pinhão, João Querido Manha, Octávio Ribeiro e tantos outros jornalistas da capital, para se perceber a diferença em relação a Artur Agostinho."

Exactamente ! E o mesmo que comparar bosta com perfume.

Morreu um senhor. RIP.

meirelesportuense disse...

Foi uma figura incontornável do Futebol Nacional durante muitos anos, grande radialista, Sportinguista convicto, pessoa -penso que sim- correcta.
O meu profundo respeito.

Do meu canto disse...

O FCP vai estar presente no seu funeral

meirelesportuense disse...

Numa geração marcada pela comunicação essencialmente difundida pela Rádio este homem pertencia a um grupo de locutores de eleição como Pedro Moutinho, Sidónio Serpa, Alves dos Santos e muitos, muitos mais...Mas este homem foi alguém que para além disso soube envelhecer muito bem, com muita dignidade, até por isso, merece toda a minha simpatia e reconhecimento...No fundo, a verdade é que todos estaremos sempre juntos enquanto a nossa memória não se extinguir definitivamente.