sexta-feira, 25 de março de 2011

M.A.D.

O jogo contra o slb é já forte motivo de discussão em tertúlias portistas. Um tema recorrente é o seguinte: tendo em conta o campeonato no papo e a eliminatória com o Spartak, que equipa deve AVB escolher para o onze inicial na luz?

1) O onze titular mais forte
2) Um misto de titulares e 2as escolhas (rotação limitada/moderada do plantel)
3) Um onze repleto de segundas escolhas

Pessoalmente vou pela 2a opção. Por várias razões convém evitar uma derrota no "galinheiro" (nenhum portista está disposto a aturar os benfiquistas e os media quando nos ganham, e para mais temos a possibilidade pela 1a vez na história de chegar ao fim do campeonato sem derrotas), e enveredar pela 3a opção seria meio-caminho andado para isso. Mas também não temos necessidade de dar o máximo em busca de uma vitória, sabendo-se que o jogo contra o Spartak 4 dias depois é muito mais importante.

Peço a AVB pelo menos um empate na luz, e penso que com a 2a opção temos todas as condições para isso, ao mesmo tempo pouco ou nada comprometendo o embate com o Spartak. Temos uns 15 jogadores utilizados com regularidade que dão garantias mínimas: meter portanto 4 habituais suplentes ao lado de uns 7 habituais titulares dá-me confiança num resultado positivo.

Além disso temos muito poucos jogadores sobre-carregados de jogos. Por exemplo, penso que a Falcão até só lhe faz bem jogar para recuperar ritmo (idem para A. Pereira) e perder o medo de se fazer aos lances.

Já no jogo seguinte devemos, penso eu, rodar bastante mais. Esse jogo é em Portimão e poucos dias antes do embate em Moscovo (duas longas deslocações no espaço de poucos dias). Além disso o adversário é mais fraco (e confesso que a perder com alguém, prefiro que seja no Algarve do que em Lisboa).

O único "senão" para o jogo do "galinheiro" é a possibilidade de lesões. Confesso que neste ponto tenho receio tendo em conta um ambiente "quente" e jogadores do slb que abusam amiúde de entradas impetuosas, muitas vezes com a complacência dos árbitros.

Ora é aqui que "entra" o título deste artigo. O termo "M.A.D." (Mutually Assured Destruction) refere-se ao pacto tácito entre os EUA e a URSS durante a guerra fria, pelo qual o adversário era desencorajado de despoletar um ataque nuclear sabendo que a retaliação seria automática e massiça. Isto contribuiu bastante para evitar uma 3a guerra mundial.

Da mesma forma penso que o FCP deveria deixar bem claro ao slb (de forma informal ou low profile que seja) que por cada jogador do FCP que hipoteticamente saia de campo em maca por lesão traumática causada pelo adversário, teremos jogadores do slb que também em maca hão-de sair do campo. Por cada pancada maldosa de jogadores do slb, teremos também pancadas maldosas sobre um Saviola ou Coentrão. Ora - tal como o FCP - o slb tem muito interesse em estar na máxima força para o embate da Liga Europa, e deverá (se for racional) prestar bastante atenção a esta ameaça velada.

Para concluir, penso que é óbvio para quem ler o que escrevi com "olhos de ler" que não defendo a violência em campo. Pelo contrário, é precisamente para assegurar que os jogadores das duas equipas saiam de campo em boa condição que me parece necessário recorrer ao conceito "MAD".

Para que isto funcione tal como funcionou na "Guerra Fria", é preciso "apenas" que os jogadores e treinadores das duas equipas saibam ser minimamente racionais. Tenho fé que assim venha a ser.

15 comentários:

Coriscolândia disse...

Se eu pudesse ler as estrelas como o orelhas, eu preferia PERDER dia 3, ser eliminado da taça de Portugal, mas ganhar a Liga Europa em cima dos lampiões.

Tenho um feeling que a final européia será portuguesa.

As razões são as seguintes: o FCP pela regularidade, o ben7as pela sorte no sorteio.

Nós pegaremos pedreiras até o fim, o ben7as se eliminar o PSV, com a sorte que andam a ter, terão uma longa viagem até....Braga.

Com menos sorte, até Kiev, e aí penso que não passam.

Por isso, se eu pudesse ler as estrelas como o orelhas...

Pedro disse...

na minha opinião devemos jogar com a equipa mais forte na luz.
a motivação inerente de uma vitória lá deverá suprir qualquer desgaste.

ainda assim, tb não considero que neste momento tenhamos um onze base (sendo o meio campo uma zona onde isto é evidente com a subida de forma do guarin e a nao perda de estatuto por nenhum dos outros 3).

ah.. e gostava que o Maicon jogasse por dois motivos: para jogar o fucile que tem estado bem (fucile e otamendi parecem nao ser compativeis para AVB) mas, principalmente para mostrar o grande central que é frente ao adversário contra o qual enterrou (deverá estar ainda mais motivado do que os outros).

meirelesportuense disse...

Nem queria fazer nenhum comentário, já zurzi tanto na mentalidade do Portuga que me custa repetir argumentos...O que eu acho muita graça é que passados trinta anos de liberdade de escolha, estas sejam sempre as alternativas ponderadas pelo Zé...Se não é Burro, parece.

Vítor Hugo disse...

Eu gostava era de ver o Guarín a espetar - pelo menos - uma das suas bombas quando (e se) jogar na Luz!
E atenção que, a propósito, ele é bem capaz de ser um dos alvos a abater pelos caceteiros de serviço, dado o bom momento que atravessa.

José Rodrigues disse...

"O que eu acho muita graça é que passados trinta anos de liberdade de escolha, estas sejam sempre as alternativas ponderadas pelo Zé"

Pessoalmente não percebi patavina (nem sequer se o "Zé" era eu, ou uma referência ao "Zé Povinho"). O meireles importa-se de explicar minimamente de q "alternativas" está a falar? Obrigado.

Daniel Gonçalves disse...

Estão a esquecer-se de um ponto especial: a equipa técnica e os jogadores devem preparar-se para, nos balneários e na ida para os mesmos - os conhecidos "túneis -, o acontecimento de possíveis emboscadas e tentativas de insultos verbais e físicos - por parte do staf benfiquista - de forma a levarem a que os nossos jogadores respondam da mesma forma, como aconteceu ano passado com Hulk e Sapunaru, dando assim azo a suspensões. Os benfiquistas são meninos para este género de brincadeiras

José Rodrigues disse...

De qq forma não tenho problema q um ou outro jogador mais sobre-carregado descanse na luz, e q se jogue com 3 ou 4 "segundas escolhas". Ainda por cima e como o Pedro diz, não sei se hoje em dia podemos mesmo sequer falar num "11 base".

Quanto aos titulares a descansar ou 2as escolhas a entrar, não tenho grande preferência, o AVB lá saberá julgar melhor que ninguém quem ao certo. Não me choca minimamente q jogue um Maicon e q não jogue um Moutinho, por exemplo, mas como disse é lá com o AVB.

Silver(io) disse...

Eu cá por mim,punha os júniores mesmo temendo que...ganhassem!

Mário Faria disse...

O FCP deve jogar com a melhor equipa, sendo que é possível rodar, sem mexer no núcleo duro: Helton, Rolando, Álvaro, Fernando, Moutinho, Beluschi, Hulk e Falcão.
O FCP deve esgotar todas as possibilidades de ser campeão na próxima jornada. E, para o efeito, deve jogar com a máxima intensidade e a "melhor" agressividade. É isso que espero.
Neste tipo de jogos é impossível controlar a ansiedade e as emoções. Esperemos que a equipa saiba contornar todos os perigos, sem medo.

Luís Negroni disse...

O Porto tem que ir lá na máxima força, jogando inicialmente com 11 dos 15/16 que podem neste momento ser considerados titulares. Este jogo é para ganhar, para acabar com o campeonato já e porque não haverá melhor tónico para o jogo com o Spartak que uma vitória sobre o slb no seu próprio reduto.

Os jogadores terão de estar devidamente mentalizados para não reagirem a provocações por piores que elas sejam, não vá o slb querer começar já a preparar a próxima época.

Terá de haver um discurso muito forte, quer de Villas Boas, quer de Pinto da Costa, nos dias anteriores ao clássico, para pôr desde logo o inimigo e os árbitros em sentido. Nada de discursos molengões, de paz e amor, como aconteceu antes do jogo no Dragão para a Taça. À conta desses discursos moles, os jogadores do Porto entraram a dormir e deram a vitória ao slb numa bandeja.

meirelesportuense disse...

-José Rodrigues:
Estava a falar do "Zé Povinho" claro...Nem sequer tinha reparado em quem escrevera o artigo.
-Simplesmente extrapolei para o quotidiano político, estava a comentar e a ver o TeleJornal.

David disse...

Ó Meireles, esses em que estás a pensar, e que pareces achar que deveriam ser a alternativa, também estiveram no poder depois do 25.4, ou já te esqueceste do Companheiro Vasco ("Força, Força!"), que nacionalizou metade da economia portuguesa com os resultados que ainda hoje se sentem?

Se tens saudades, podes sempre ir para Cuba!

Irra!

PS Peço desculpa deste desabafo, mas há por aqui, nas caixas, uma infeliz tendência para o comentário de tom político, e acho que tenho tanto direito como os outros.

Alexandre Burmester disse...

Aprovei este último comentário apenas para ajudar a ilustrar o que a seguir vou dizer:

Doravante, desde que seja eu o moderador, qualquer comentário com conotações políticas não será publicado. Quem quiser discutir política tem muitos blogues e caixas de comentários de jornais pela net fora. Aqui fala-se de futebol em geral e do F.C. Porto em particular.

Obrigado.

Felgueirense disse...

O lema do nosso clube tal como disse Villas Boas, na sua apresentação como treinador, é... vencer sempre tal como o faz desde 1893. Em todos os jogos que o Porto entra são para vencer e vocês que dizem que o Porto devia jogar com suplentes são portistas de sofá, de blogs, que não correm o país de lés-a-lés ao sol e à chuva. Eu vou estar no estádio da luz à espera de festejar lá mais um título do meu grande Porto. E se sou Portista é como o meu clube nunca deu fretes a ninguém, muito mais aquele bando de Filhos das pu***

meirelesportuense disse...

Meus "caros" confrades:
-Isto só merece uma classificação: -IGNORÂNCIA!...
É a resultante do legado de 50 anos Salazaristas...Está ainda bem marcada na Mentalidade do nosso Zé Povinho...50 anos Salazaristas e 800 anos de Reis e Clérigos Oportunistas...Chiça!