sexta-feira, 22 de abril de 2011

Contra Xistra e contra todos



Como se já não bastasse a vantagem de 2 golos trazida do Dragão, ao slb saiu mais um brinde: o árbitro nomeado para a segunda mão de meia-final da Taça a disputar no Estádio da Luz foi Carlos Xistra. Para os mais esquecidos este habilidoso é o mesmo que em 23 de Fevereiro de 2002 apitou o FC Porto x Beira-Mar que terminou com a derrota do FC Porto por 2-3. Esse foi um jogo estranho, havendo sempre algo (os adversários e o árbitro) no caminho da equipa então treinada por José Mourinho. Rezam as crónicas que Xistra mostrou 5 cartões amarelos e 2 cartões vermelhos à equipa portista. Mesmo a jogar com 9 jogadores o FC Porto foi para a frente e acabou por ver Fary marcar o 3º golo do Beira-Mar. Nesse dia nasceu mais um árbitro de grande categoria nacional, assim como 3 anos antes tinha nascido outro em Campo Maior.
Depois dessa derrota caseira Mourinho esteve mais de 9 anos sem perder jogos em casa para o campeonato (a última foi há apenas algumas semanas já no Real Madrid). Pudera, nunca mais lhe apareceu um Xistra!

Mas Xistra já não é virgem em termos de penalties-fantasma contra o FC Porto. Em Fevereiro de 2009 o FC Porto deslocou-se a Alvalade para um jogo contra os calimeros a contar para a Taça SLB (“Taça da Liga” para os leigos). Depois de se ter adiantado no marcador por Farías, e a jogar com um 11 repleto de reservas, o FC Porto viu Xistra inventar 2 penalties para o Sporting dar a volta ao resultado. Podem ver os lances aqui.

Em 10 de Janeiro de 2011, depois do jogo FC Porto x Marítimo para o campeonato, o José Correia escreveu aqui no Reflexão Portista as seguintes palavras premonitórias:

“Carlos Xistra faz parte daquele tipo de árbitros habilidosos, que sabem “gerir o jogo” e enervar jogadores e público de forma inteligente. Não quero com isto dizer que também não recorra a penalties fantasiosos, ou a outro tipo de lances mais polémicos mas, por vezes, é possível atingir os mesmos objectivos sem que o árbitro corra tantos riscos de dar nas vistas.
Como? Através de amarelos cirúrgicos, dualidade de critérios, faltas ao contrário, quebras de ritmo de jogo, etc., algo em que, por exemplo, Lucílio Baptista era especialista.”


No jogo da passada quarta-feira "geriu o jogo" e ainda recorreu a um penalty fantasioso.
Mas o que é um facto é que nem com um Xistra inspirado o slb conseguiu superar o poder do FC Porto. Xistra tinha sido acusado de ser o único culpado da derrota benfiquista em Braga por ter expulso Javi García quando este deu uma estalada no Alan – Xistra já deveria saber que não se podem expulsar jogadores do slb (apenas os seus adversários). Vamos por partes.

Nos primeiros 20 minutos de jogo foram diversas as faltas inexistentes contra o FC Porto que originaram livres tão ao jeito de Luisão & Cia. O caso exemplar é o do cartão amarelo mostrado a Álvaro Pereira por suposta falta sobre Maxi Pereira. O portista nem sequer toca no adversário que passa por ele arrastando o pé e deixando-se cair. Dos livres-fantasma nada resultou, felizmente. Em qualquer das disputas de bola mais físicas, se o FC Porto ganhava o lance era falta, se era o slb então Xistra mandava seguir, qual sinaleiro apressado. Estava bem patente no rosto dos jogadores portistas o desespero por uma arbitragem tão caseira.

Há um outro caso gritante ainda no primeiro tempo. Luisão corta uma bola dentro da área do slb e assenta o outro pé ostensivamente na cara de Otamendi que tinha feito um "carrinho". O argentino ficou com a cara muito marcada. Foi tudo menos casual (ao contrário do que tentava explicar-se o desesperado comentador Sportv). Faltou o penalty e a expulsão do capitão benfiquista. Xistra mandou seguir…

Na segunda parte foi o caos total. No campo continuou a assistir-se à mesma dualidade dos critérios, técnico e disciplinar. Por um lado perdoou o segundo amarelo a Cristian Rodriguez porque sabia que o primeiro tinha sido mal mostrado. Por outro deixou que o Coentrão fosse a correr em direcção a ele e lhe chamasse tudo e mais alguma coisa, que lhe encostasse o nariz à cara e depois disto mostrou-lhe um cartão amarelo.

O lance do segundo golo do FC Porto é claramente em fora-de-jogo, mas a decisão de deixar jogar foi do auxiliar, não foi de Xistra.

O penalty que dá o único golo ao slb é anedótico. Saviola atira-se para o chão sem que Sapunaru lhe chegue a tocar. Este argentino voa imparável para o chão em qualquer relvado deste país. Não admito ingenuidades ou erro de avaliação neste lance. É pura má-fé de Xistra. Mas quando ocorreram lances bastante mais duvidosos (e, esses sim, passíveis da marcação de grande penalidade) na área do slb Xistra mandou seguir. Para variar. Num deles ainda se deu ao luxo de mostrar cartão amarelo ao Hulk por simulação. Xistra é o verdadeiro Calabote dos tempos modernos.

Com uma arbitragem escandalosamente caseira o FC Porto conseguiu vencer na Luz por 3-1 de forma categórica. E mais uma vez se prova a máxima de que para o FC Porto triunfar não lhe basta apenas ser o melhor, tem de ser muito melhor porque do outro lado poderá sempre aparecer um Xistra.

9 comentários:

iachsj disse...

Acho importante por ai a correr o video do Coentrão para evitar exageros com o Sapunaru! Não vi o que fez Sapunaru, mas vi como não foi expulso o Coentrão!

José Rodrigues disse...

"O lance do segundo golo do FC Porto é claramente em fora-de-jogo, mas a decisão de deixar jogar foi do auxiliar, não foi de Xistra."

É fora-de-jogo, sem dúvida, mas num lance difícil de descortinar sem ser pela repetição: tanto que ninguém reclamou na hora (nem jogadores, nem público).

No entanto este foi o mesmo fiscal-de-linha que perto do fim assinalou um fora-de-jogo a A. Pereira quando estava 1 metro em jogo e ia isolado para a baliza. Curiosamente desse lance só houve uma repetição e nunca mais se falou nisso.

Mais não fosse, isto demonstra que certamente não estava de má de fé contra o slb no lance do 2o golo.

Pedro disse...

não ha' falta do luisão no lance com o otamendi, ele tinha de se apoiar em algum lado. o ota e' q quis disputar o lance ate' ao limite.

r.m.silva da costa disse...

"E mais uma vez se prova a máxima de que para o FC Porto triunfar não lhe basta apenas ser o melhor, tem de ser muito melhor porque do outro lado poderá sempre aparecer um Xistra."

Isto é tanto mais verdade quanto o são as manobras para a escolha os protagonistas destes jogos decisivos para o clube da Dona Victória, como foi a desta nomeação do Xistra descrita no jornal "O Jogo", de hoje.

Ah pois disse...

Pedro, achas mesmo que não houve falta? Diz-me lá que o Luisão fez um esforçozinho, por mais pequeno que tenha sido, de erguer a pata e não tentar arrancar os dentes do Otamendi com os pitãos...

https://picasaweb.google.com/lh/photo/yOT4IQl5IQxZvYQzbMSjx18jymDC8ZMtl0myFvOEtc8?feat=directlink

victor sousa disse...

é realmente lamentável a falta de seriedade que emana destes pretensos dirigentes.
O futuro só pode ser o fim destas competições.

Jorge Mota disse...

roubou para os 2 lados

n percam tempo com isto


(adoro dar uma de bom!)

Jorge Mota disse...

Pedro disse...
não ha' falta do luisão no lance com o otamendi, ele tinha de se apoiar em algum lado. o ota e' q quis disputar o lance ate' ao limite.



WHAT??!!

Pronto,ta o caldo entornado..

Mefistófeles disse...

Ainda ninguem falou da sarrafada do Carlos Martins ao Alvaro Pereira que nem amarelo viu !! E o idiota do CM ainda a discutir se era falta com a besta do Xistra e este como se nada fosse. So visto !!