sexta-feira, 20 de maio de 2011

A decadência do futebol no Benelux

O Ajax conquistou o seu 30º título holandês no domingo passado, ao receber e vencer o Twente por 3-1 na última e decisiva jornada.
O clube de Amesterdão, que já não festejava o título desde a temporada 2003/04, terminou o campeonato com mais dois pontos que o Twente (campeão da época passada) e mais quatro que o PSV Eindhoven, garantindo o acesso directo à fase de grupos da Liga dos Campeões, enquanto o Twente vai disputar a terceira pré-eliminatória.

Dois dias depois do Ajax, foi a vez do Genk se sagrar campeão belga pela terceira vez na sua história (*), ao empatar frente ao Standard Liège por 1-1, na última jornada do play-off de apuramento do campeão.
O Genk terminou o campeonato com os mesmos pontos do Standard Liège (beneficiou do critério de desempate) e mais sete que o Anderlecht, os dois clubes com maior historial e que nas últimas cinco épocas repartiram entre si o título belga (o Genk já não era campeão desde 2001/02). Em função do ranking da Bélgica, o Genk vai disputar a terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões de 2011/12.


De sublinhar o facto do Genk ter sido o primeiro adversário do FC Porto no trajecto vitorioso dos dragões na Liga Europa 2010/11. De facto, os novos campeões belgas tiveram o enorme azar de apanhar o FC Porto logo no play-off, sendo eliminados com um claro 7-2 (0-3 na Bélgica e 2-4 no Estádio do Dragão).

Quanto aos novos campeões holandeses, a sua aventura europeia desta época terminou nos oitavos-de-final da Liga Europa, aos pés do Spartak Moscovo, tendo sido derrotados nos dois jogos com os russos (0-1 e 0-3). O mesmo Spartak que, três semanas depois, seria esmagado (10-3!) por um “rolo compressor” azul-e-branco.


Nos anos 80, equipas como o Anderlecht, Ajax e PSV Eindhoven eram do top europeu e, para além de ganharem títulos, fizeram várias vezes a vida negra aos clubes portugueses. Cerca de 20 anos depois, é impressionante a evolução, nos dois sentidos, das principais equipas do futebol belga, holandês e português. O futebol holandês caiu tanto, que até o slb eliminou tranquilamente o PSV…

(*) O KRC Genk resultou da fusão do Watershei e Winterslag em 1988, e já havia sido campeão belga em 1999 e 2002.

10 comentários:

The Blue Factory of Dreams disse...

Realmente está em decadência o futebol por esses lados e é pena, porque estes países e estas "escolas" fazem falta, a tendência é para as ligas milionárias secarem tudo à sua volta.

O FC Porto é a figura dos Gauleses nesta história.

Cresci a ver muito futebol holandês, sofri em muitos combates do FC Porto com equipas desses lados, especialmente com Feyenoord e Anderlecht.

Com os belgas chorei e chorei, depois daquele final inglório, que nos tirou da Champions nas Antas.

E não foi nos anos 80;/

Abraço

Vitor Hugo disse...

Percebo. Infelizmente essa "evolução", como dizes, não é do futebol português enm relação à Bélgica ou Holanda (esquecendo o "Lux"), mas sim dos maiores clubes de Portugal em relação aos grandes desses países. É, no caso da Holanda, uma fraqueza que advém do facto de eles apostarem tudo na formação. É uma opção tão aceitável como a nossa de ir comprar à América do Sul, para mim, mas com a vantegem clara de fortalecer a selecção nacional. Aliás, se a equipa da Holanda quase sempre foi muito mais forte que a nossa, iremos ver, muito em breve, uma Bélgica de top, a bater-se com os melhores. O facto é que, e para terminar, o tal Benfica que ontem bateu claramente o PSV, amanhã facilmente perderá os seus veteranos e as suas 2 ou 3 estrelas internacionais, ficando nas lonas, dependente da sorte no mercado, sem equipa-base sólida.
Abraço.

José Rodrigues disse...

Nos últimos 10 anos não tem havido evolução nenhuma no q diz respeito a estes 3 países, ao nível da competitividade dos seus clubes na Europa.

Portugal e Holanda têm andado ao mesmo nível há pelo menos 10 anos, oscilando (ambos) um pouco entre o 6o e o 9o lugar do ranking da UEFA; e convém não esquecer q o PSV chegou 2 vezes aos 1/4 final da LC nos últimos anos. A única novidade em relação à decada anterior é q os clubes russos e ucranianos subiram e estão hoje em dia mais ou menos ao mesmo nível de Pt e NL. Não é por o slb eliminar um PSV numa eliminatória q se podem tirar conclusões abusivas sobre "declínios" generalizados.

Já a Bélgica tem andado constantemente na última década entre o 13o e o 14o lugar do ranking, estando pois um patamar abaixo dos portugueses e holandeses em termos de competitividade, claramente. Também não tem piorado, nem melhorado.

Já em relação há 20 anos, há sim uma diferença. A competitividade portuguesa manteve-se ou deteriorou-se muito ligeiramente (já na altura o nosso lugar natural era entre o 5o e o 7o lugar do ranking da UEFA); já os holandeses (ligeiramente) e principalmente belgas perderam clara competividade (a Bélgica chegou a andar no 4o e 5o lugar do ranking da UEFA há cerca de 20 anos).

José Correia disse...

@José Rodrigues
Em termos de ranking da UEFA, a Holanda nem está particularmente mal, mas o meu ponto não é esse.
Conforme referi no texto, em pouco mais de duas décadas, é impressionante a evolução, nos dois sentidos, das principais equipas do futebol belga, holandês e português (leia-se Anderlecht, Ajax, PSV Eindhoven e FC Porto). Eu ainda me lembro do Anderlecht de finais dos anos 70 e início dos anos 80 e dos títulos europeus ganhos pelo Ajax e PSV nos anos 80.
O desempenho destas equipas na Liga Europa deste ano foi particularmente eloquente da evolução verificada nas últimas décadas.

José Correia disse...

E, já agora, o ranking da UEFA pode ser enganador, atendendo à facilidade com que se somam pontos na Taça UEFA/Liga Europa versus a dificuldade da Liga dos Campeões.
O facto de Portugal ter ficado em primeiro lugar no ranking da UEFA desta época significa que temos o melhor futebol da Europa? Claro que não.
Não é difícil verificar que, por exemplo, as subidas da Rússia e da Ucrânia no ranking da UEFA nos últimos anos se deve, essencialmente, aos pontos que os clubes destes países acumularam na Taça UEFA/Liga Europa.

Mas volto a dizer que a análise e conclusões do meu texto, não são baseadas no ranking da UEFA, mas sim no desempenho comparativo do(s) principal(ais) clube(s).

José Rodrigues disse...

Nos últimos 10 ou 15 anos o acordão Bosman lixou os clubes dos países mais pequenos em geral, porque têm menos dinheiro do q os clubes dos maiores países, e hoje em dia o dinheiro conta muito mais do q antes (havendo muito poucas limitações na contratação de estrangeiros).

Penso o declínio belga em relação há 20 anos atrás tem origens bem claras: acima de tudo, a combinação do acordão Bosman com uma matéria prima nacional muito fraca (basta vez as figurinhas q a Bélgica tem feito nos apuramentos para Europeu e Mundial). É q os clubes portugueses acabam por perder a boa matéria prima para o estrangeiro (Ronaldo, etc) mas ao menos fazem usufruto dela por custo zero (ou quase) durante 2 ou 3 épocas – enfim, os B Alves, os Nanis, os Bosingwas, os Meireles deste mundo; os belgas nem isso têm para se agarrar.

Já os holandeses tiveram apenas um declínio muito ligeiro precisamente porque a matéria prima deles é bastante boa, tal como a nossa. E a pequena diferença entre a competividade nos últimos 10 anos dos clubes portugueses e dos holandeses resume-se à diferença entre o FCP e os outros clubes em geral dos 2 países: o FCP tem sabido regenerar-se melhor, aproveitando ainda melhor essa matéria-prima nacional.

Alguns ao ler isso vão dizer-me: “mas o FCP deste ano assenta muito pouco na matéria-prima nacional!”. Sim, mas relembro que sem as dezenas de milhões encaixadas nas vendas de um B Alves e Meireles certamente não haveria esta época Falcões ou Hulks (ou até mesmo Moutinhos)...

José Rodrigues disse...

Zé Correia disse:

"Conforme referi no texto, em pouco mais de duas décadas, é impressionante a evolução, nos dois sentidos, das principais equipas do futebol belga, holandês e português (leia-se Anderlecht, Ajax, PSV Eindhoven e FC Porto). Eu ainda me lembro do Anderlecht de finais dos anos 70 e início dos anos 80 e dos títulos europeus ganhos pelo Ajax e PSV nos anos 80."

Já falei dos belgas, e da principal razão porque caíram imenso.

Quanto aos "históricos" holandeses, assinalo que enquanto o Ajax caiu muito, já o PSV conseguiu ir aguentando-se: não é por caso q na última década têm oscilado entre a 10a e 20a posição do ranking da UEFA, tal como nós (e NÃO, não é à custa da Taça UEFA porque costumam estar na LC, onde têm ido relativamente longe).

Se não estão mais alto (como há 20 anos) é porque, tal como nós, a entrada de mais clubes de países ricos na LC (ex-TC) penalizou-os, tal como o acórdão Bosman. Mas aguentaram-se relativamente bem, e volto a repetir q não é por serem eliminados por um slb q são nos dias de hoje uma equipa medíocre.

Uma andorinha não faz a Primavera (da mesma forma q falar em declínio generalizado do FCP qdo ficou atrás de um Rangers e Artmedia teria sido abusivo).

Mas se eles se aguentaram mais ou menos, o FCP aguentou-se ainda melhor; e volto a referir q o aproveitamento da matéria-prima nacional é dos factores q mais pesou nisso (contabilize-se o dinheiro feito por FCP nas vendas de Deco, R Carvalho, P Ferreira, Bosingwa, Quaresma, Meireles, B Alves e mais uns quantos: muitíssimo mais do q o PSV fez na venda no mesmo período de jogadores holandeses).

Ah pois disse...

Não esquecer o aparecimento fugaz mas meteórico dos belgas FC Malines (Mechelen) do Aad de Mos em 1988. Venceram o titular da Taça das Taças na final por 1-0 na sua primeira participação Europeia. E depois ganharam ao Campeão Europeu PSV Eindhoven na final da Supertaça Europeia.

Nuno de Campos disse...

Há que lembrar que os limites de endividamento impostos nestes países, os impedem de competir com os grandes clubes portugueses nos mercados sul americanos. Eles fazem em geral uma ou duas compras, enquanto que FC Porto e Benfica se podem dar ao luxo de arriscar em mais jogadpres para ter mais chances de acertar. No longo prazo, as finanças dos clubes Holandeses serão mais saudáveis do que as das nossas SADs.

Para complicar mais ainda o recrutamento de jogadores sul americanos para a Holanda contribui a dificuldade da língua, clima e da cultura. O FC Porto dá à maioria dos empresários mais garantias de adaptação e valorização de um jovem jogador do que o Ajax, que nos últimos anos nem tem conseguido acesso à Liga dos Campeões.

Em termos de receitas de televisão, os mercados Holandês e Português tem dimensões semelhantes.

David Duarte disse...

A decadência do futebol do benelux deve-se a muitos factos mas o mais importante penso ser o problema que afecta igualmente o futebol português depois da liberalização no futebol.

Como Portugal, a Holanda e a Bélgica tornaram-se paises vendedores. Mas ao contrario de Portugal, não souberam compensar esta mudança. Continuam a ser quase exclusivamente paises formadores. Os campeonatos de nivel médio, como Portugal e Holanda, devem continuar a sua politica de formação, mas devem igualmente apostar forte na prospecção de jogadores jovens além fronteiras.

Isto é algo que o FC Porto faz muito bem e que o Benfica tem aprendido, tão bem que mal, a fazer nos ultimos anos. Mas na holanda, tirando os holandeses que grandes jogadores sairam ultimamente para grandes clubes? Em Portugal temos muitos vindos da prospecção : Anderson, Lucho, Lisandro, Di Maria, Ramires so para citar estes casos.

Quando somos médios apenas nos safamos de juntando uma boa politica de formação com uma prospecção inteligente.