domingo, 1 de maio de 2011

Festa num bar do Columbim

Por João Branco


Um dos episódios mais interessantes do dia da minha primeira experiência na cidade do Mindelo, onde cheguei por mão e conselho do músico Vasco Martins – a quem sou, também por isso, eternamente grato – foi ter sido levado, no próprio dia de chegada à ilha, até casa de uns amigos do Vasco, para entre muita euforia assistir a um clássico do futebol português entre o Sporting e o Benfica. Fiquei espantado com a forma entusiástica e conhecedora com que se acompanhava o campeonato luso, algo que se mantém até hoje, até com mais visibilidade.

Nunca mais me esqueço de assistir a alguns jogos na rua, à porta da casa do fotógrafo Djibla, que apanhava a emissão com a sua antena e, de forma generosa, colocava uma televisão num parapeito da sua casa para que os amantes da bola pudessem seguir as incidências das principais partidas do campeonato português. Nessa época não havia Internet, nem SportTV, nem transmissão de jogos pela televisão nacional de Cabo Verde. O futebol era seguido pela rádio, com o mesmo entusiasmo com que é seguido hoje pela televisão.

Aqui também “aprendi” a passear orgulhosamente pela cidade a camisola do meu clube que, como não podia deixar de ser, é o FC Porto. E desde que conheci, também nesses primeiros tempos, um taxista entusiástico adepto dos dragões que coleccionava camisolas do clube, passei a fazer o mesmo, mais ainda nos dias de hoje, onde por questões de marketing, estas mudam de formato e cores quase todas as épocas. E felizmente que nestes últimos vinte anos tenho tido todos os motivos e mais algum para passear esta indumentária pelas ruas do Mindelo: o FC Porto é um clube diferente que, graças às muitas vitórias nacionais e internacionais, ao seu poderio e competência, continua a fazer crescer a olhos vistos os adeptos que vai conquistando um pouco por todo o mundo. Não é por acaso também que as minhas duas filhas são hoje acérrimas adeptas do clube azul e branco e que para a mais nova Inês, a música preferida seja a dos Filhos do Dragão.

Na cidade do Mindelo, assim que festejamos o último campeonato com um cheirinho à-la-Electra (*) – com um delicioso apagão em pleno Estádio da Luz – ouviam-se da janela da minha casa, em Monte Sossego, inúmeras buzinas e gritos de vitória. Adeptos gritando o nome do seu clube das janelas e varandas das suas casas. Somos cada vez mais. E é natural que assim seja. Neste mundo triste e perigoso, as vitórias do nosso clube do coração são um bálsamo para a alma. Por isso também, foi delicioso estar ontem num bar do Columbim a abarrotar de adeptos do FC Porto para testemunhar mais um momento extraordinário do clube que, ao golear por 5-1 o adversário numa meia-final de uma competição europeia, deu mais uma prova do seu poder de fogo dentro de campo. Neste local, havia dois bares, cada um com a sua televisão, cada um passando o seu jogo. E devo dizer, sem que isso queira dizer nada, que no lado onde se festejou cinco vezes, o número de clientes era substancialmente maior. Coincidências...

(*) "apagão à-la-Electra" está relacionado com a Electra – Empresa de Água e Luz de Cabo Verde, conhecida pelos inúmeros apagões com que brinda a população quase todas as semanas...

(clicar para ampliar)


Foto 1: Mindelo, Cabo Verde
Foto 2: Cidade da Praia, Jantar Portista no Hotel Praia Mar, 24/03/2008 (fonte: Casa FCP - Praia, Cabo Verde)

Nota final: O 'Reflexão Portista' agradece ao João Branco a elaboração deste artigo.

4 comentários:

Saci Pererê disse...

É um orgulho ser portista em qualquer parte do mundo. Eu também vivo essa experiência fora de portas e não ha duvida, que enquanto dentro uns tentam manchar o mérito com a inveja e pequenez que lhes caracteriza, aqui todos sabem perfeitamente qual o melhor clube português e único temido na Europa.

Jorge Aragão disse...

Eu testemunhei esta adoração pelo campoeonato português em Cabo Verde faz muitos anos - mais de 15 - quando estive de férias na ilha do Sal(por quatro vezes).
Fiz amizade com um portista fantástico, chamado Péricles, e passava algumas horas no Café da Vila de Santa Maria a discutir futebol, na boa, com portistas, benfiquistas e sportinguistas...
Achei uma coisa fantástica, esta ligação a Portugal de um Povo também fantástico...
E verifiquei que os Portistas eram cada vez mais e grandes entusiastas...
Daí não me surpreender o teor da crónica, que me aguça ainda mais a curiosodade e o desejo de conhecer o Mindelo, a capital cultural de Cabo Verde, um País que adoro...(Conheço o Sal e Santiago).
Se o Péricles, com quem não mantenho já contacto, por acaso ler estas linhas, um grande abraço para ele e para Cabo Verde em geral.

Abel Cardoso disse...

Grande João Branco.

Infelizmente não o conheço pessoalmente, mas é como se já tivéssemos assistido ao Dragão juntos.

Um grande abraço aqui da cidade da praia.

O nosso projecto vai conhecer evoluções muito em breve, pelo que logo logo estaremos em sintonia.

Abraços
Abel Cardoso
casafcpcv.blogspot.com

JB disse...

Zé, ficou muito bom. Desculpa não ter enviado fotos, ms não encontrei mesmo. Mando-te um desenho feito em computador pela Laura, portista de gema, para usares como e se quiseres!

Abraço do Mindelo!

JB