sexta-feira, 27 de maio de 2011

Mate-se o mensageiro!



«A Benfica Futebol SAD pediu ao Director Nacional da Polícia Judiciária para abrir "um rigoroso inquérito que permita apurar a origem, fundamentos e intenções das notícias" divulgadas, quinta-feira, sobre as diligências efectuadas na quarta-feira no Estádio da Luz. (...)
A missiva assinada pelo presidente Luís Filipe Vieira adianta: "Estes factos provocaram indignação legítima desta instituição, lesaram a sua imagem, conformam incompreensíveis violações ao dever de sigilo e, até, de verdade e rigor".»
in jn.pt


Afinal, o problema é os factos que constam das notícias serem falsos, ou terem sido divulgados?

Mas o melhor é ver os actuais dirigentes do slb preocupados com formalismos como "violações ao dever de sigilo"? Olha logo quem...

12 comentários:

rbn disse...

Nunca vi uma época onde as VITÓRIAS foram tão COMPLETAS, ESMAGADORAS e HUMILHANTES...

Nas 4 linhas foi na supertaça, foi no campeonato, foi na taça.

E ainda VIMOS a eliminação em Braga de camarote.

E MELHOR, eles viram pela TV mais uma consagração do FCP na europa , ultrapassando-os em títulos...

Fora das 4 linhas, ganhamos mais uma no tribunal ao pavão lampião costa e sua corja, e a cereja no topo do bolo foi a machadada final da FIFA na taça latina...

E se calhar ainda não acabou, pois pode ser que a PJ ainda descubra coisas que nós nem imaginávamos...

Mas conhecendo a "instituição" como nós conhecemos, conhecendo a isenta e imparcial imprensa desportiva lisbonense, e conhecendo as mizés, quem vai pagar por isso será o...
Belenenses.

José Correia disse...

«A época acabou mas Roberto continua na ordem do dia. Agora por causa de uma investigação da Polícia Judiciária de Lisboa que se transformou num processo autónomo que está nas mãos do DIAP de Lisboa, como se sabe coordenado pela procuradora geral-adjunta Maria José Morgado. Caso que é apenas um resultante de uma investigação alargada às transferências do Benfica.

Quarta-feira, a PJ fez buscas no Estádio da Luz e apreendeu toda a documentação relativa à transferência do guarda-redes Júlio César para o Benfica. Mas esta foi a segunda busca feita pela PJ ao Benfica. Há alguns meses, a PJ esteve na Luz precisamente por causa de Roberto, tentando cruzar a documentação com o resultado de muitas escutas realizadas.

Vítima. Conforme Record conseguiu apurar, há a suspeita de que “parte significativa” dos 8,5 milhões de euros que o Benfica teve de dar por Roberto pode ter sido usada como prémio para o título conquistado pelo treinador em 2009/2010. Encontrando-se desta forma uma maneira de também fugir aos impostos. Este é um processo com características muito semelhantes ao da transferência de João Vieira Pinto para o Sporting, no qual o ex-jogador, José Veiga e Luís Duque foram recentemente pronunciados por crimes de branqueamento de capitais e fraude fiscal, com o Estado a declarar-se lesado em 3,2 milhões de euros. No caso concreto de Roberto, um eventual crime de burla terá como vítima o próprio Benfica, surgindo Luís Filipe Vieira, Jorge Jesus e o presidente do Atlético Madrid como potenciais autores dos crimes que estão a ser investigados.

Fontes próximas do empresário Jorge Mendes garantem que este apenas fez a ponte entre o Atlético Madrid e o Benfica. O clube da Luz pretendeu inicialmente contratar o guarda-redes De Gea – entretanto muito valorizado – e a seguir avançou para Asenjo – que chegou a ser examinado na capital espanhola pelos clínicos do Benfica –, mas as duas possibilidades goraram-se. Roberto tornou-se a grande “paixão” de Jesus. Na condição de amigo do CEO do Atlético Madrid, Miguel Ángel Martín, Mendes acabou por ajudar a que o negócio se consumasse. A mesma fonte garante que o agente nunca conversou com a sua assessora Bárbara Vara sobre transferências, isto a propósito de uma escuta onde se fala em “trafulhice” na contratação de Roberto.»

Eugénio Queirós
in Record, 27 de Maio de 2011

José Correia disse...

«Os casos Júlio César e Roberto têm sido tratados genericamente pela Comunicação Social com paninhos quentes e amplificando os sucessivos desmentidos e pedidos de indemnização.
Este jornalismo de desmentidos é uma vergonha para a classe. Não só revela os compromissos como também o medo de tocar num produto que teoricamente vende. É uma tristeza.
Fosse Pinto da Costa o protagonista desta história e a esta hora estavam todos aos gritos!

PS - Já agora, porque será que a PJ pediu o levantamento do segredo bancário no Benfica? Será por excesso de zelo?»

Eugénio Queirós
in Record, 27 de Maio de 2011

Daniel Gonçalves disse...

Essa contradicção está bem apontada José Correia. Mas mais grave foi ver ontem o Telejonal da RTP 1, às 20:00, abrir com a "notícia" das investigações da PJ, mas a peça jornalística deuturpava/distorcia por completo a realidade factual: foi feita uma reportagem no Restelo e entrevista aos responsáveis do Belenenses, mas não é o Benfica o suspeito????? E a notícia só falava/abordava o Belenenses e da responsabilidade dos seus dirigentes, omitindo o papel nesta história do SLB. Um puro acto de desinformação (logo vindo da RPT, canal público, pago com erário público/dinheiro dos contribuintes, e que deveria sustentar a isenção, imparcialidade e rigor na análise dos factos), e a intenção é óbvia: desviar atenções sobre o papel suspeito do SLB e atirar com a responsabilidade para os dirigentes do Belenenes. Um clara deturpação e manipulação dos factos, típica de um sistema informativo vigente num regime totalitária, que leva à conclusão que a direcção benfiquista possuí na estrutura da RTP um elemento(s) - Carlos Daniel????? - que acata as "indicações" dos dirigentes benfiquistas que "fabricam" e televisionam as notícias conforme as ordens dadas. Também leva à conclusão de que existe um político/responsável da entidade pública (Secretário/Secretaria de Estado), que exerce as funções de fiscalização do canal público, que é conivente e deixa passar em claro, fazendo "vista grossa" a esta deturpação da realidade factual, pois a direcção de informação da RTP e os jornalistas em causa sentiram-se compeltamente à vontade para produzir semelhante notícia e sem receio de sanção pelo orgão de fiscalização.
Porque tudo nesta "notícia" foi planeado e predemitado, até a hora a que passou: logo no início do Telejornal, onde a possibilidade de audiência era superior do que se fosse no meio ou no final do noticiário. A SIC e a TVI não iniciaram os notíciários com a notícia de buscas da PJ, mas sim com a campanha eleitoral, só a RTP fez disto a "manchete" televisiva, dá que pensar.

Daniel Gonçalves disse...

Essa contradicção está bem apontada José Correia. Mas mais grave foi ver ontem o Telejonal da RTP 1, às 20:00, abrir com a "notícia" das investigações da PJ, mas a peça jornalística deuturpava/distorcia por completo a realidade factual: foi feita uma reportagem no Restelo e entrevista aos responsáveis do Belenenses, mas não é o Benfica o suspeito????? E a notícia só falava/abordava o Belenenses e da responsabilidade dos seus dirigentes, omitindo o papel nesta história do SLB. Um puro acto de desinformação (logo vindo da RPT, canal público, pago com erário público/dinheiro dos contribuintes, e que deveria sustentar a isenção, imparcialidade e rigor na análise dos factos), e a intenção é óbvia: desviar atenções sobre o papel suspeito do SLB e atirar com a responsabilidade para os dirigentes do Belenenes. Um clara deturpação e manipulação dos factos, típica de um sistema informativo vigente num regime totalitária, que leva à conclusão que a direcção benfiquista possuí na estrutura da RTP um elemento(s) - Carlos Daniel????? - que acata as "indicações" dos dirigentes benfiquistas que "fabricam" e televisionam as notícias conforme as ordens dadas. Também leva à conclusão de que existe um político/responsável da entidade pública (Secretário/Secretaria de Estado), que exerce as funções de fiscalização do canal público, que é conivente e deixa passar em claro, fazendo "vista grossa" a esta deturpação da realidade factual, pois a direcção de informação da RTP e os jornalistas em causa sentiram-se compeltamente à vontade para produzir semelhante notícia e sem receio de sanção pelo orgão de fiscalização.
Porque tudo nesta "notícia" foi planeado e predemitado, até a hora a que passou: logo no início do Telejornal, onde a possibilidade de audiência era superior do que se fosse no meio ou no final do noticiário. A SIC e a TVI não iniciaram os notíciários com a notícia de buscas da PJ, mas sim com a campanha eleitoral, só a RTP fez disto a "manchete" televisiva, dá que pensar.

Ribeiro DeepBlue disse...

Alguns jornais referem Júlio César e Roberto.
A Bola, sempre solícita, opta por não referir Roberto e fala apenas em Júlio César.
É sabido o proteccionismo dado ao SLB por parte da Bola, mas chegará a vergonha tão longe ao ponto de omitir factos e verdades (partindo do princípio de que realmente existem investigações sobre a transferência do Roberto).
O "jornalismo desportivo" é uma vergonha para a classe.

José Correia disse...

«PJ investiga crimes de branqueamento de capitais, fraude fiscal e burla

A Polícia Judiciária está a investigar as transferências de jogadores para o Benfica e o possível pagamento de luvas. Estão em causa os crimes de burla, fraude fiscal e branqueamento de capitais, e ontem as autoridades fizeram buscas nas instalações do clube encarnado. O processo está a cargo do Departamento de Investigação e Acção Penal, liderado por Maria José Morgado.

Na origem da investigação estão os 8,5 milhões de euros gastos pelo Benfica na contratação do guarda-redes espanhol Roberto. As autoridades acreditam que parte do dinheiro alegadamente pago ao Atlético de Madrid – clube que detinha o passe do guardião – terá sido desviado, tendo como destino um prémio atribuído ao treinador Jorge Jesus pela conquista do Campeonato em 2009/10.

Os contornos do negócio chegam ao conhecimento da Polícia Judiciária através de uma escuta telefónica que tem como interlocutores o empresário Jorge Mendes e Bárbara Vara, filha de Armando Vara, que trabalha com o conhecido agente. Nessa conversa, Mendes diz que o Benfica lhe pediu para intervir numa "trafulhice" – o termo é utilizado pelo empresário – que envolvia a contratação de Roberto Jiménez Gago ao Atlético de Madrid.

A PJ investiga ainda outras transferências de jogadores que envolvem o emblema liderado por Luís Filipe Vieira.»

Eduardo Dâmaso/Tânia Laranjo /Sérgio Pereira Cardoso
in Correio Manhã, 26 de Maio 2011

penta1975 disse...

off-topic:

caríssimas(os),

faz hoje 24 anos que se escreveu, a ouro, uma página brilhante da nossa história.

«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs! ;)

Miguel | Tomo I

Daniel Gonçalves disse...

"Porque tudo nesta "notícia" foi planeado e predemitado"

Eu queria dizer premeditado.

penta1975 disse...

off-topic:

caríssimas(os),

faz hoje 24 anos que se escreveu, a ouro, uma página brilhante da nossa história.

«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs! ;)

Miguel | Tomo I

dragaovenenoso disse...

Cheira-me que querem correr com o jesus e esta é a melhor forma de o fazer...a ver se estou enganado...

Amphy disse...

"F.C. Porto dirige Porto Canal a partir de Julho"

Com esta boa nova pode ser que a mensagem Azul e Branca comece a passar convenientemente por outros meios que não o site do Clube e sem os habituais filtros e montagens.

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Media/Interior.aspx?content_id=1863367&page=-1