segunda-feira, 30 de maio de 2011

A propósito do "Monstro" Barcelona


E pronto. Lá vamos ter de defrontar o Barcelona na Supertaça Europeia. Mas não temos de olhar para isso com fatalismo. Dispomos de um treinador com imaginação e versatilidade mental - atributos que tradicionalmente sempre faltaram aos técnicos britânicos, e que serão a principal causa dos falhanços ingleses no Campeonato do Mundo (e escoceses - sim, porque a Escócia chegou a ter excelentes equipas, qualificou-se para sucessivos Mundiais nos anos 70 e 80, mas na hora H falhou sempre).

O Barcelona é o que todos sabemos, e não vale a pena gastar mais adjectivos com a sua fabulosa equipa e modo como joga. Mas o "quadradismo" futebolístico britânico esteve em evidência na inflexibilidade táctica e na demora em mexer na equipa reveladas por Sir Alex Ferguson. Por alguma razão, das equipas que ocuparam esta época os dez primeiros lugares da Premier League, apenas seis - ou seja 60% - eram treinadas por britânicos, e somente duas delas (Tottenham e Sunderland) por ingleses propriamente ditos. Ou seja, o próprio "quadradismo", que tinha e tem pontos fortes, tem vindo a perder atracção na sua própria terra.

Temos equipa inferior ao Manchester United, mas temos à frente dela um homem com as meninges suficientemente elásticas para, pelo menos, darmos boa conta de nós. E também sem recorrer a autocarros de dois andares ou colocar pontas-de-lança a defesa lateral (o equivalente nacional ao "quadradismo" britânico).

Devo confessar que encaro esse jogo com grande expectativa.

7 comentários:

AG disse...

Realmente o Barcelona é a melhor equipa do mundo,mas não é imparável,a jogar como esta época o FC Porto pode dar muito trabalho.

Excelente blog,parabens.

Cumprimentos
O Nosso Futebol
http://onossofuteb0l.blogspot.com

José Rodrigues disse...

Eu acho q o FCP tem condições para fazer melhor figura do q o Man Utd fez, o q já seria bom.

Sinceramente o maior receio q tenho é q vamos ao Mónaco sem Falcão e possivelmente sem Fernando. Em geral não me incomoda q o Fernando seja vendido, mas para este adversário dava bastante jeito um Fernando em boa forma...

De qq forma aposto q muitos dos portugueses q puxaram pelo Real Madrid nas 1/2 finais e pelo Man Utd na final vão ser adeptos do Barça desde pequeninos aquando do jogo em Mónaco...

José Rodrigues disse...

Já agora e sobre o ponto específico q o Alexandre abordou, um problema do Man Utd é q os jogadores estavam muito passivos a defender. Faltou a "pressão alta" (e mais contundência na disputa de bola, nem q fosse para fazer falta), para usar um cliché.

Mas isso é bonito de falar e difícil de colocar em prática contra o Barça. Eu acho q o FCP até tem condições para dar luta e quem sabe com alguma sorte e engenho ganhar em Mónaco, mas contra este Barça não delustra a ninguém perder.

Zero disse...

Bah, este Manchester United dá pena (não o digo só por este jogo, mas sobretudo). O FC Porto desta época ganharia quase sempre a este Manchester United.
Valencia? Quem é o Valencia? ... pelos vistos alguém insubstituível por ali. E o ataque? Chicharito? O acabado Owen no banco? E aquele meio-campo em que ninguém sabe tratar uma bola e nem a cheirou durante 90 minutos? E estragar o grande jogador que era o Anderson? E aquele redes que já foi bom, mas podia ter defendido os dois primeiros golos? E aqueles laterais? Bah...
Daquele 11, no FC Porto, só queria o Rooney e o Vidic. Não temos melhor equipa?

reine margot disse...

o problema com o Braça é que eles guardam a bola depois de marcar e não a dão mais; então, o segredo é marcar antes deles (uma abertura à Bobby Robson) - o problema é que eles antes de marcar guardam a bola e não a dão...
jogam muito, mas confesso que não gosto! Lamento...
Por muito que possa parecer estar a puxar a sardinha para a nossa brasa, houve espaços de jogos este ano em que jogamos muito mais bonito... com uma irreverência brilhante...
no que vem ao tema, neste momento perdíamos... em Agosto, quem sabe?
o que vier é bom. Contra o Barcelona perder faz-nos por os pés no chão, ganhar faz-nos sonhar...

Miguel Pereira disse...

Espero que o AVB, que sabe perfeitamente analisar os pontos fracos dos rivais, veja aquilo que 25 anos de carreira não deixaram ver ao Ferguson.

Um Barça que sofre com jogo directo alto e que deixa bastantes espaços entre o quarteto defensivo e a baliza (que o Shaktar, Arsenal e Betis não souberam aproveitar depois de terem criado os lances de perigo mas que o Madrid sim, na final da Taça num dos poucos lances com pés e cabeça, literalmente, que tiveram).

Já sabemos que vamos correr atrás da bola, já sabemos que um dos centrais tem de seguir o Messi em vez de ficar a marcar com os olhos ninguém, que os laterais têm de estar atentos às diagonais do Villa e Pedro e que o meio-campo tem de morder mas depois soltar a bola com critério.

Ir para o Monaco sem Guarin (que faz isso muito bem) e Falcao (que funcionaria muito bem como pivot) é um sério handicap. Provavelmente eles também poderão estar sem o Messi, que sempre ajuda, e mais pendentes do duplo duelo com o Real Madrid na Supercopa espanhola o que joga a nosso fazer.

A Supertaça europeia é como diz o AVB uma espinha recente atravessada, ganhá-la à melhor equipa com quem jogamos seria ouro sobre azul.

um abraço

Pedro Reis disse...

Não nos enganemos, este Barça é mesmo brilhante!
O que não significa que seja invencível, muito menos num jogo apenas...
E se há treinador e equipa que nos mostraram que podem discutir qualquer jogo, com competência e de forma competitiva é o AVB e o FCP 2010-11!
A probabilidade de ganhar é baixa? É, mas existe e nós lá estaremos para a desafiar. Com a vantagem de que temos tudo a ganhar e nada a perder!