domingo, 8 de maio de 2011

Um soluço que não travou a festa



Tempos de festa e alegria no Dragão. O troféu de campeão chegou em tempo útil e já mora nas vitrinas do clube. Longe vão os dias em que estas cerimónias eram adiadas para as calendas gregas, por incompatibilidade de agenda dos fantoches que outrora dominavam a Liga de Clubes. O Porto é campeão e continua invicto. A vitória falhou, apesar do jogo entretido, como é apanágio desta equipa de Villas-Boas. Mau mesmo só a pranchada que o Moutinho levou.

A seriedade pelo jogo do conjunto azul e branco não conhece limites. Assim parecia pelo ritmo que a nossa equipa impôs nos primeiros 45 minutos. Não foi pois de estranhar o início de encontro fulgurante dos portistas, com Falcao a marcar território bem cedo. Uma cadência que se manteria firme durante todo o primeiro tempo, com o Porto carregar sem piedade em busca de um triunfo robusto. Já perto do intervalo Hulk dobra a vantagem e põe mais justiça no marcador.

A segunda parte insólita começa precisamente por um lance estranho de Rolando. O nosso central oferece a bola a Pizzi que inicia uma noite que não esquecerá tão cedo. Falcao ainda voltou a regular distâncias, mas o jogador do Braga emprestado aos pacenses bisava… em claro fora de jogo. Partida aberta e animada…


… mas, eis que surge Nelson Oliveira a estragar a noite. Uma cacetada a Moutinho que tem tanto de despropositada como de maldosa, mandou o nosso médio para o estaleiro, colocando um ponto de interrogação na sua presença para as importantíssimas finais que se avizinham. A expulsão foi óbvia, mas faltou ao avançado do Paços um valente par de bofardos no focinho.

As substituições de Villas-Boas alteraram ligeiramente o cariz da equipa e a sua abordagem ao jogo. Algum afrouxamento que custou a vitória à nossa equipa, pese o mérito e o grande golo com que Pizzi restabeleceu o empate final na partida. O forcing final não chegou para acabar o campeonato só com vitórias no Dragão.

Muitas notas para o bloco de apontamentos do mestre André. Mas agora é hora de comemorar o título!

Fotos: uefa.com

18 comentários:

Zero disse...

Nélson Oliveira "avançado do Paços"? Talvez, mas só por empréstimo de um tal Benfica... pois é, vocês ainda acreditam em coincidências...

Nelson Machado ℗ disse...

Literalmente não foi uma derrota mas metaforicamente foi uma enorme derrota.
Porque marcar três golos e estar sempre na frente do marcador e com o controlo do jogo e acabar com um resultado de 3-3 não é mais que uma derrota estrondosa, ainda para mais deixar-se empatar com o adversário em inferioridade numérica.
Péssimo Hulk e os seus milhares de remates para todo o lado menos para onde interessa e ainda pior que isso é a constante necessidade de se atirar para o chão a tentar fazer de toda gente parva. Simulações no caso do Hulk deviam dar vermelho pelo fraco “teatro”. Estou farto dessas merdices de simulações que ele tanto faz e depois o ar de puto mimado birrento que mete nojo a toda a gente.
Se for vendido (espero que sim e por muitos milhões) terá de aprender a jogar mais ao homenzinho, ou então poderá ter a sorte de ir jogar com o C Ronaldo e fica uma parelha de manhosos a dar apoio um ao outro.
E Beto?
Desde que AVB lhe resolveu dar oportunidades que o FC Porto passou de 9 golos (se não me engano) para 16!, em 3 jornadas. É obra.
Hoje ainda para mais tínhamos Beto e Maicon e ainda o Alvaro Pereira que desceu de rendimento de à cerca de 1 mês a esta parte. Sobe muito, e bem, mas não acompanha os adversários nem os tenta atrapalhar quando pelo seu corredor se inicia um contra ataque. Está péssimo neste fim de época.

É certo que o 2º golo deles é em fora de jogo mas não vamos agora mudar o que dizemos quando esse erro é a nosso favor. A lei manda em caso de dúvida favorecer quem ataca e o fora de jogo não é daqueles evidentes à 1ª vista.

Conclusão; há jogadores que bem podem ser dispensados e há sectores que precisariam de substitutos mas estão impedidos temporariamente e há outros que nunca percebi muito bem como foram parar ao FC Porto.
Para mim as três finais que faltam são três vitórias certas e até já estou a pensar na próxima época.

rbn disse...

Na minha opinião, a displicencia foi a grande culpada do empate.

Muito desperdício, muita firula, muito drible a mais, enfim em dia de festa quiseram "enfeitar mais ainda o pavão".

Mas foi um daqueles jogos em que o adversário quando rematava à baliza, era sempre perigo de golo, tipo cada tiro cada melro.


Mas, ainda invictos e campeões à mesma.

De quanto será o prémio que o aziado presidente DO GUARDANAPO ooops, do marítimo dará aos seus atletas (ou ao soprador do apito, quem sabe?) para fazerem o jogo da vida deles no sábado e tentarem de todas as formas derrotar o FCP?

Duvidam?

Luís Negroni disse...

Gostava de ver este satélitezito de merda do slb a descer de divisão e de ser o Porto a dar o golpe de misericórdia, já na próxima época se possível.

Mais uma "coincidência". Depois das fotos de Braga e da notícia falsa da Marca, agora foi a "coincidência" dum funcionário do slb a arrumar ou a tentar arrumar com um jogador insubstituível do Porto das duas finais que se avizinham. Onde está o slb, está sempre a imundície.

Para terminar, por mim, jogadores ficavam todos, adeptos é que podiam ser dispensados muitos.

Dragaopentacampeao disse...

Espectáculo em quatro actos:

1º ACTO - Festa vibrante com uma enchente a condizer. Entrega do troféu saudado calorosamente. Consagração aos Campeões nacionais de futebol Júnior e aos Tricampeões nacionais de andebol. Lindo!

2º ACTO - Primeira parte do jogo em que o FC Porto caprichou em oferecer uma exibição com nota artística elevada, com momentos do mais belo recorte técnico, sob a batuta do genial Moutinho acompanhado dos matadores Falcao e Hulk.

3ª ACTO - Segunda parte de desconcentração portista inexplicável, onde se acumularam erros fatais, sob a batuta de um trio de arbitragem no mínimo incompetente (para ser simpático) que influenciou decisivamente o resultado final. A lesão de Moutinho e o seu afastamento do jogo terá ajudado a tal desnorte.

4º ACTO - Festa de consagração dos Campeões nacionais e de todo o «staff», num ambiente caloroso e entusiasta.

O meu mais reconhecido obrigado a todos os que contribuíram para mais este êxito que me encheu de orgulho e vaidade de ser portista.

Um abraço

Pedro disse...

Caro Nelson Machado,

Acho sinceramente injustas essas críticas. A equipa atacou bem e não foram poucas as vezes que o Hulk trocou as voltas aos defesas contrários.

Também me parece despropositada essa referência ao Beto, sendo que um golo nasce de uma falha incrível do Rolando (ninguém é infalível) e outro de uma bomba que o Pizzi não deve repetir tão cedo.

Você é daqueles que depois de uma época destas e com empate cedido pese embora com bom volume de ataque, já começa a pôr uma série de coisas em causa. Enfim, acalme-se lá, afinal ontem comemoramos o campeonato,

Pedro Carriço

Hugo disse...

Muito cuidado com os jogadores do Marítimo no próximo fim de semana.
Devemos sempre desconfiar dos novos amigos do slb

DC disse...

Nelson Machado eu revoltava-me e rasgava o cartão de sócio! Onde já se viu uma equipa campeã em título, invicta, na final da liga europa e na da taça de Portugal, conceder um empate?
Estamos perdidos, desta é que vai ser o fim do mundo, os nossos jogadores são péssimos e aquele gajo que por acaso é o melhor marcador e melhor assistente do campeonato é vendê-lo na primeira oportunidadde porque ontem teve o desplante de só marcar um golo!

Enfim, parece que há "portistas" que torcem para que o Porto perca só para poderem vir dizer mal!

José Rodrigues disse...

O Beto esteve impecável e não teve culpa nenhuma nos golos (e ainda safou pelo menos mais 2).

O Hulk alterna o melhor com o pior, mas ontem não esteve nada mal no cômputo geral.

joaodolobo disse...

O Beto fez excelentes defesas e não teve culpa alguma nos golos. Quem o afirma sofre de um caso sério de percepção selectiva. Enfim...

PP disse...

Gostava de ver um post sobre a vergonha dos preços das viagens para a Final da Taça UEFA. Acho que querem fazer fortuna a custa dos adeptos.
Preferem ter o estádio vazio a permitir aos adeptos a possibilidade de se deslocarem a uma final europeia. 750 por um jogo???? Quase dois salários mínimos??? VErgonhoso é o que tenho a dizer....

Daniel Gonçalves disse...

Nelson Machado disse "E Beto?
Desde que AVB lhe resolveu dar oportunidades que o FC Porto passou de 9 golos (se não me engano) para 16!, em 3 jornadas. É obra." O Beto não teve culpa/responsabilidades nos golos que ontem sofremos como já não teve responsabilidades dos golos sofridos em Portimão. E lembrar que aquando do 1º golo sofrido contra o Sporting quem estava na baliza era o Helton, e também não teve responsabilidade no lance.

Nelson Machado ℗ disse...

Leiam todos os comentários que eu alguma fiz neste blog e noutro qualquer e digam-me quando algum foi contra o FC Porto ou contra alguém do FC Porto.
Nunca, será a resposta mas estejam à vontade para o confirmar.

Criticar é uma forma de se mostrar que se preocupa e quer ajudar o alvo das criticas a melhorar.

E escrevi o que escrevi ontem porque não quero que minha equipa perca NUNCA e nem empate com jogos controlados durante 95% do tempo e ainda para mais com equipas como aquela.

E sou coerente, não sou daqueles que quando Hulk marca 3 golos seguidos é o melhor do mundo e que o criticam quando falha.
Digo dele o que sempre disse. É pouco inteligente e joga muito na tentativa(sorte) em vez de fazer algo delineado e para além disso sempre lhe critiquei o teatro fraco e irritante que todos vocês criticam aos adversários(apenas).
Ou vão-me dizer que gostam de ver Hulk correr deixando para trás 2 ou 3 e fintar mais 2 ou 3 e chegar em frente à baliza e rematar para as nuvens ou fingir que lhe tocaram e atirar-se para o chão e fazer birrinhas a pedir penalti por um sopro ligeiro nas costas e assim se perder mais uma excelente oportunidade de golo?
Já vi disto tanta vez que já me enjoa.
Mas gosto dele e ainda bem que é no meu clube que ele faz estas cenas, apenas acho que já teve tempo para aprender a ser mais jogador de futebol e não oferecer tantas bolas aos adversários e adeptos por detrás das balizas e para ser menos actor de teatro.

Mais, até digo mesmo que Falcao é um extraordinário finalizador e um tipo muito inteligente porque soube treinar-se naquilo em que podia evoluir(por exemplo antecipação de adversários e posicionamento) mas nunca terá capacidade de correr sequer 10 metros com a bola controlada ou fintar 2 ou 3 adversários para fazer uma jogada sozinho e isso, para mim, é um handicap forte para poder ser algum dia um considerado um ponta de lança completo. O que não invalida a sua qualidade e os feitos alcançados. E é um excelente jogador e profissional e um finalizador nato.

Isto foi só para dizer que não sou "bipolar", como aqueles que quando a equipa ganha é só risos e festinhas e quando a equipa perde está mal e são todos fracos e "é mata-los a todos".

Quanto ao Beto acho por demais evidente que nem vou dizer mais nada. Ou melhor vou dizer que ele pode ser melhor do que tem mostrado, mostrou-o no Leixões, mas tem estado tão mal que acho que o único jogo que fez sem sofrer golos esta época foi o 1º que fizemos para a Taça de Portugal com uma daqueles equipas da terceira divisão, não me lembro do nome.
Talvez precise de mais rotina de jogo, mas é um facto que não tem feito defesas que se esperam de um guarda redes de equipa de alto nível como é o FC Porto.

Agora as opiniões são como os gelados, uns gostam mais de chupar outros de lamber e outros de trincar. Por mim estejam à vontade e façam-no.

Zero disse...

O Beto ontem, para além de não ter hipóteses em nenhum golo, só fez uma das defesas mais espantosas que me lembro de ver num jogo de futebol.
Foi no remate do Filipe Anunciação quando estava 3-2 e que anunciava o empate.
Que defesa inacreditável. Merece entrar num compêndio dos melhores momentos do futebol.
Já agora, o problema ontem foi jogar 10 contra 11. Nós é que éramos os 10 - o Mariano é sempre jogador do adversário.

fimoze disse...

Desculpe, mas poucas vezes vi uma arbitragem tão bem conseguida como a que foi ontem proporcionada por aquelas três sumidades. Um luxo! ( lamento a gralha, mas o i não quis aparecer na palavra,” benfiquices!”).

Nelson Machado ℗ disse...

Já agora deixo aqui um link que explica porque critiquei a exibição de ontem.
E como depois de ler todos os comentários fiquei com a sensação que devo ser demasiado exigente, peço desculpa por querer ver a minha equipa ganhar e a jogar bem e a bater recordes(que já não vai bater).

Silver(io) disse...

Enfim, parece que há "portistas" que torcem para que o Porto perca só para poderem vir dizer mal!

Ingenuidade...o parece!!Há e muitos.
Atentem,quem lá foi ao Villarreal,derrotados á partida na eliminatória e o apoio até ao final,seguiso de uma tremenda ovação!Por cá assobiadelas a torto e a direito.Se estes 3 malfeitores arbitrassem,assim,num certo campo das trevas eram capas e mais capas..
No Maritimo ainda vai ser pior e só lá deviam ir o Beto,Sereno,Sousa,Bigorna,Maicon,Mariano e o Belluci,para rodar sendo o resto Juniores que acabaram de ser campeões e já terminaram a epoca vencendo na Escuridão do Seixal..
Muitos não merecem,se é que são,o clube que têm.

Daniel Gonçalves disse...

Nelson Carvalho disse:"peço desculpa por querer ver a minha equipa ganhar e a jogar bem e a bater recordes(que já não vai bater)." Não a que record se refere o Nelson, mas se é ao nº de pontos perdidos num campeonato convêm esclarecer que o Benfica em 1973 foi campeão num campeonato com 14 equipas, portanto foram 26 jogos no total com 2 empates e 24 vitórias encarnadas. O FC Porto neste campeonato, até ao jogo de ontem, em 28 jogos tinha 26 vitórias e 2 empates, o record não só foi igualado, como superado, mas o nosso objectivo é ser campeão sem derrotas. De salientar ainda que nessa época o SLB foi eliminado logo nas primeiras eliminatórias da Taça de Portugal e das competições europeias, ao contrário o Porto ainda tem 2 finais para jogar, logo a poupança de jogadores e de esforço é compreensível, se continuassemos nesta parte final do campeonato com a mesma pedalada do início ou do meio da temporada, e se não tivessemos ainda as finais para ganhar, de certeza que não teríamos empatado ontem nem sofrido o nº de golos que sofremos nas últimas jornadas.
E que não se compare a competividade e a qualidade das equipas de um campeonato de meados dos anos 70 (ainda Estado Novo) com o nível actual.