segunda-feira, 13 de junho de 2011

Afinal havia outro…


«Na origem da investigação estão os 8,5 milhões de euros gastos pelo Benfica na contratação do guarda-redes espanhol Roberto. As autoridades acreditam que parte do dinheiro alegadamente pago ao Atlético de Madrid – clube que detinha o passe do guardião – terá sido desviado, tendo como destino um prémio atribuído ao treinador Jorge Jesus pela conquista do Campeonato em 2009/10. Os contornos do negócio chegam ao conhecimento da Polícia Judiciária através de uma escuta telefónica que tem como interlocutores o empresário Jorge Mendes e Bárbara Vara, filha de Armando Vara, que trabalha com o conhecido agente. Nessa conversa, Mendes diz que o Benfica lhe pediu para intervir numa “trafulhice” – o termo é utilizado pelo empresário – que envolvia a contratação de Roberto Jiménez Gago ao Atlético de Madrid. (…)
Maria José Morgado, coordenadora do Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) do Ministério Público de Lisboa, é um dos rostos da investigação que agora atinge o clube da Luz. O processo está sob a sua tutela, embora a magistrada responsável seja Fernanda Pego, titular da 3ª Secção do DIAP, onde se concentram as investigações de branqueamento de capitais, burlas e fraudes fiscais. (…) O inquérito tem cerca de um ano e as autoridades já recolheram diversos elementos, alguns dos quais de outra investigação. Agora avançaram para a apreensão de documentos nas instalações da SAD benfiquista.»
in Correio da Manhã, 28/05/2011


«O CM sabe, por outro lado, que a investigação à transferência de Júlio César é apenas uma parte de uma espécie de ‘rede de comissões’ negociadas e recebidas em função de uma estratégia de valorização de activos do fundo de jogadores do clube. Essa estratégia foi revelada por escutas telefónicas de um outro processo e permitiu aos investigadores apurarem parcelas de dinheiro que configuram comissões pagas. Estão sob suspeita praticamente todas as transferências dos últimos três anos, em particular aquelas em que Jorge Jesus pode ter tido uma influência directa. A investigação está ainda longe do fim, e as autoridades policiais acreditam que a análise à contabilidade financeira dos encarnados poderá consubstanciar o processo, em que são investigados os crimes de fraude fiscal, branqueamento e ainda de burla qualificada
in Correio da Manhã, 28/05/2011


«A maioria são conversas que envolvem homens fortes do futebol português e dirigentes do Benfica. Foram obtidas noutro processo, que está em investigação no Ministério Público, e chegaram à Polícia Judiciária em forma de certidão. Deram origem à investigação que desde o final do ano passado atinge os encarnados e dizem respeito a diversas transacções de jogadores.»
in Correio da Manhã, 30/05/2011


«A investigação às transferências de jogadores no Benfica – que só recentemente foi conhecida mas que já remonta ao ano passado – começou com escutas interceptadas no âmbito do processo ‘Furacão’ – a investigação de branqueamento de capitais no sistema bancário. Paralelamente, as escutas que tiveram como interlocutor o empresário Jorge Mendes e Bárbara Vara, sua colaboradora, e que diziam respeito ao negócio do guarda-redes espanhol comprado pelo Benfica – tal como o CM já noticiou –, estão no mesmo processo que levou no mês passado a PJ à Luz e foram apanhadas na investigação de branqueamento que tinha como alvo os azuis-e-brancos e que foram abertas na sequência do ‘Apito Dourado’. Foram extraídas certidões, e as suspeitas estão a ser investigadas pela unidade que combate o crime económico e financeiro da Polícia Judiciária.»
in Correio da Manhã, 12/06/2011


De acordo com as notícias do Correio da Manhã (jornal que se “especializou” em escutas e no ‘Apito Dourado’), os dirigentes do slb foram apanhados através de escutas cujos alvos eram outros.
Querem ver que montaram uma rede para tentar caçar o Pinto da Costa e apanharam o Luís Filipe Vieira. Que azar!...
Aliás, este caso é elucidativo de como funciona a Justiça em Portugal. Fazer escutas a dirigentes do clube do regime? Isso é que era bom.

Claro que a montanha vai parir um rato e o processo irá ser arquivado. Nunca um dirigente no activo do clube do regime será alvo de uma acusação e muito menos terá de ir a Tribunal prestar contas.
E também tenho a certeza que as gravações destas escutas nunca irão aparecer no Youtube.

Entretanto, iremos continuar a ver o camarote VIP da Luz cheio de políticos embevecidos e, semana-sim-semana-não, a ouvir o presidente do slb, qual virgem ofendida, a falar em transparência, verdade desportiva, etc.

P.S. Numa investigação em que as suspeitas recaem nos dirigentes do slb, o Correio da Manhã conseguiu incluir na 1ª página a foto do Pinto da Costa. Isto é que são uns artistas.

Nota: Os destaques no texto a negrito são da minha responsabilidade.

6 comentários:

Costa disse...

no texto diz "azuis e brancos" é por isso!! patético...

victor sousa disse...

Isto diz bem do estado a que o Estado chegou, e "explica" bem o futuro.
A propósito de se escutarem uns e apanhar outros, é sempre bom reter aqueles que impunemente, "fazem as coisas por outro lado". Vá-se-lá saber qual foi a irrelevância detectada pela tal de Justiça...

rbn disse...

Mais ridículo ainda é o aziado zarolho filho do Amaral, que diz no reco-reco que "a máquina de propaganda azul e branca(?)" está a todo vapor para destruir o tridente orelhas-jasus-ruim costa...

Realmente, estão completamente desorientados, nocauteados e outros ados.

Não sei se recuperam tão cedo de tantas derrotas tão claras, completas e humilhantes como em 2010/2011, não apenas pelo FCP, mas também pelo Braga, no volei com a Fonte do Bastardo e no hóquei com o Candelária, ambos clubes dos Açores(um dia ainda hei de perguntar aos açorianos, porque são um antro de benfiquistas se Lisboa caga-se pra eles desde sempre) e penso que o knock-out se dará no futsal com a lagartagem.

Mas ainda assim, para 99,99% dos vermelhóides a culpa é do Pinto da Costa, do sistema, da arbitragem, não nos deixam ganhar, e etc...

Até o aziado que escreve sobre economia no reco-reco quando escreve que Pinto da Costa e o nº 49 dos melhores empresários de Portugal, na sua caixa de correio eletronico 1/3 foram elogios e os outros 2/3 foram de fúria e azia.

Nos anos 70, havia um daqueles plásticos que as bancas de jornais vendiam, que se colavam nos vidros traseiros dos automóveis que dizia : a inveja é uma merda.

Mainada.

Nelson Machado ℗ disse...

Mas o mais "engraçado" nisto tudo é que se percebe que as noticias são dadas de uma forma "ligeira" quase, diria, normal quando se trata do clube de bairro lisboeta, porém quando se trata do FC Porto e/ou de Pinto da Costa dão lhe uma ar mais carregado e acintoso que até parece que estão a falar do pior dos bandidos que alguma vez se viu.

A imparcialidade jornalística em Portugal é como a democracia da Venezuela... supostamente existe.

A vida não é só bola.

Luís Negroni disse...

Trabalham que nem uns mouros sempre em busca de qualquer coisinha que sirva para incriminarem o Pinto da Costa e o Porto e surge-lhes constantemente diante dos narizes muito mais do que o suficiente para tramarem o amigo orelhas e o seu(deles) querido slb. Isto é de uma crueldade! O que os pobres PJs lisboetas não devem sofrer!

O que vale é que depois a viúva pindérica do falecido fiscalista e amigo do orelhas, no lugar certo, mete tudo eternamente na gaveta e destrói todas as escutas e mais algumas não vá o YouTube tecê-las. Assim já os pobres PJs lisboetas ficam com a alma menos mortificada; Não têm sucesso no que queriam mas pelo menos não provocam terríveis danos colaterais em quem mais gostam.

PS Não sabia que o jazus tinha feito uma plástica para ficar parecido com o Pinto da Costa; Porque só pode ser ele que está entre o orelhas e o mendes na 1ª página do rascord, não faz sentido nenhum que seja outra pessoa.

Luís Pedro Ferreira disse...

Mais uma investigação da maria josé morgado, que não vai dar em nada, pelo que se vê na famosa carta da judiciária (de uns anonimos lá dentro descontentes com as manipulações), onde se referem as ligações dela ao orelhas, entre muitas outras praticas duvidosas e das quais a judiciaria tinha provas e nada fez. http://sic.sapo.pt/online/Images/2007/tuluis.pdf