sexta-feira, 17 de junho de 2011

FCP: um clube bem gerido

Serve este artigo para assinalar o excelente trabalho, comparativamente falando, da direcção do FCP clube com o dos rivais da 2a circular no que diz respeito à gestão economico-desportiva.

Para começar, convém assinalar que falo aqui do clube, não do futebol (SAD). Hoje em dia muita gente confunde as duas coisas, mas - pelo menos para já - ainda são duas coisas bem distintas, ainda que muitos dos dirigentes máximos (pelo menos no caso do FCP) sejam os mesmos.

Não excluo o futebol deste artigo porque acho que não seja aí feito bom trabalho (há, e muito, como se tem visto). - mas quero focalizar neste artigo o trabalho feito nos clubes em particular, onde penso que a diferença entre o FCP e os rivais é (ainda) maior.

Pois bem, qualquer dos 3 grandes tem gerido os clubes em boa parte de forma subordinada aos interesses das SADs para o futebol, como se vê por exemplo na forma como as receitas de merchandising vão por inteiro para a SAD: no entanto parece-me claro que o FCP é o clube, dos três, que melhor tem sido gerido.

E porquê? Pois muito bem, porque:

1) as contas do clube estão bem controladas (ainda que de forma apertada)

2) o património do FCP clube é excelente e tem aumentado (falta apenas o museu...) e mantém-se nas mãos do clube (ao contrário de por ex o slb, onde o estádio foi incorporado na SAD, na qual o clube tem apenas cerca de metade das acções)

3) os resultados desportivos estão à vista de todos, batendo claramente os rivais

Concluindo, penso que o FCP clube além do sucesso desportivo tem o futuro assegurado, que é mais do que posso dizer dos clubes rivais (e eu ficaria furioso se o clube perdesse o estádio para a SAD, como aconteceu recentemente no slb). E espero que quando o project finance do estádio acabar (e ainda faltam muitos anos) a SAD continue a pagar uma renda anual jeitosa pelo seu usufruto, que poderá ser muito útil seja para as modalidades, seja para investir no património.

Por isto, o meu agradecimento a Pinto da Costa, aos 14 vice-presidentes, aos directores e restantes funcionários.

Isto não quer dizer que ache é tudo um mar de rosas na gestão do clube, longe disso; se na vertente económico-desportiva acho que tem estado bem e muito melhor que os rivais (ainda que ache que uma maior % das quotas deva ir para o clube, tal como uma pequena % das receitas de merchandising), já na vertente relação com o adepto/sócio acho que podia estar muito, muito melhor (quase 10 anos sem museu - nem que fosse temporário para os principais troféus; a fraca oferta de interactividade e produtos na Net; a fraca divulgação e mobilização dos adeptos para os jogos das modalidades; a ausência pura e dura das modalidades no merchandising; em geral, a forma como trata o sócio como um mero consumidor e fonte de receitas - e apenas ou quase para o futebol - não o encorajando a participar mais na vida do clube, como alias foi muito bem abordado na serie de posts "socio - paixão e a razão"). Esperemos que também aqui haja melhorias, porque seria a cereja no cimo do bolo.

1 comentário:

Miguel Pereira disse...

"FC Porto devia jogar com portugueses". Este Platini quer mesmo ser presidente do Benfica ou é impressão minha..ehehehe

Excelente texto José!

um abraço