terça-feira, 14 de junho de 2011

Sócios: paixão e razão (I)


«O FC Porto quer aprofundar a relação entre o clube e o associado com o lançamento de uma campanha de angariação e fidelização de novos sócios. E vai apostar também na disponibilização de mais produtos, desde descontos nos combustíveis, nos cinemas, ginásios, viagens e outras áreas. “Há uma falta de conhecimento da parte do associado do FC Porto de um conjunto de serviços que já disponibilizamos. E vamos aumentar o leque de serviços, que têm a ver com as necessidades e hábitos diários. Se o sócio usufruir desses serviços, acaba por ter uma poupança superior à própria quota mensal que paga ao clube. Queremos que os sócios do FC Porto percebam esse valor”, acrescentou.
Quanto ao momento conjuntural do país e ao risco de perda de sócios com a proposta de aumento de quotas, Angelino Ferreira mostra-se tranquilo. “Fizemos uma ponderação criteriosa sobre o lado positivo e negativo da proposta. O risco de perda de sócios foi medido”.»
in O Jogo, 12/06/2011


Acho muito bem que o FC Porto avance com uma campanha de angariação e fidelização de sócios, a qual deverá ser dirigida a todos os portistas, a começar por aqueles que nos últimos 10 anos deixaram de pagar as cotas. Mas, para conseguir recuperar uma parte significativa, é fundamental que, antes de mais nada, o clube perceba a(s) razão(ões) que levaram esses adeptos a deixarem de ser sócios, precisamente no período de maior sucesso da sua História.

Parece-me também que, para ter sucesso, a campanha deve ser segmentada. Por exemplo, é notório que o número de adeptos do FC Porto tem crescido imenso e, hoje em dia, já há muitos portistas em locais onde há 30 anos eram uma raridade. Mas, como transformar esta nova geração de “adeptos distantes” em sócios? Ou seja, o que fazer para que o número actual de sócios correspondentes (apenas 4282 em 31 de Dezembro de 2010) possa, pelo menos, duplicar ou triplicar?

Eu diria que, para além de lhes oferecer uma oferta melhorada de serviços, algo que terá de ser comum a todos os sócios, é preciso criar condições para reforçar a ligação dos sócios correspondentes ao clube. Neste domínio, uma das coisas óbvias é permitir que estes sócios possam votar nas eleições para o clube, sem terem de se deslocar centenas de quilómetros para virem propositadamente à cidade do Porto exercer o seu direito de voto. Dispondo o clube de dezenas de casas e delegações, em Portugal e no estrangeiro, e podendo recorrer às mais modernas tecnologias de informação e comunicação existentes, a obrigatoriedade do voto presencial no estádio do Dragão é algo que já não faz qualquer sentido.

Outra medida que podia ser implementada é a criação de sinergias entre o estatuto de sócio correspondente e o ser sócio de uma determinada delegação do clube (por exemplo, dos Dragões de Lisboa). Em termos práticos, como é que isto podia ser feito? Por exemplo, privilegiando esses sócios na distribuição e preço dos bilhetes dos jogos que o FC Porto disputasse na região/país dessa delegação.

Voltando à entrevista de Angelino Ferreira, ele diz que “vamos aumentar o leque de serviços, que têm a ver com as necessidades e hábitos diários”.
Espero bem que sim, porque há imenso por fazer neste domínio, a começar por entidades que estão directamente ligadas ao FC Porto. Exemplos:

i) Health Club – Sabiam que o desconto na mensalidade cobrada no Solinca existente no estádio do Dragão é maior para os detentores do cartão Sport Zone (um cartão gratuito!) do que para os sócios do FC Porto?


ii) Saúde – Porque razão não é estabelecida uma parceria com a Clínica Saúde Atlântica, de modo a que os sócios do FC Porto pudessem beneficiar de algum desconto nas consultas/exames/análises aí efectuados?

iii) Seguros – Sendo a FC Porto SAD detentora da PORTOseguro Sociedade Mediadora de Seguros, porque não incentivar (a sério!) os sócios a fazerem os seus seguros (automóvel, casa, vida, acidentes pessoais, etc.) através desta mediadora, dando-lhes descontos crescentes em função do número de seguros e/ou montante dos prémios dos mesmos?


iv) Aniversários – A Porto Comercial promove a realização de festas de aniversário no estádio do Dragão, para crianças entre os 3 e os 12 anos, mas o preço mínimo é 225 euros (15 crianças a 15 euros cada). Do universo de sócios portistas, quantos estão em condições de pagar este valor mínimo? Dentro da Porto Comercial, já alguém se deu ao trabalho de comparar com as alternativas existentes no mercado, de forma a tornar o preço mais competitivo e apelativo?

(continua)

15 comentários:

Offshore disse...

Um pouco à margem desta questão dos benefícios para sócios mas igualmente importante.
Ao contrário do que acontece na concorrência ainda não foram divulgados os programas dos campos de férias da Dragon Force para a escola em Lisboa.
É necessário disponibilizar a informação o quanto antes.

Diogo disse...

ideias muito boas, mas que teriam de ser apresentadas em AG para surtirem algum efeito. Eu acho que estas ideias que surgem na blogosfera podiam ter uma força especial nas AGs. Se os bloggers se unissem em torno de algumas boas ideais que vão surgindo, teriam força suficiente para fazer pressão por essas ideias.

Jorge disse...

A maior parte dos beneficios para socios sao para pessoas que vivem na area do Porto. Se o Porto quer ser um clube internacional ou pelo menos nacional, poderia diferenciar associados de acordo com a regiao em que vivem e os beneficios de que poderiam usufruir.

José Rodrigues disse...

As medidas q o José Correia menciona parecem-me fazer todo o sentido, começando acima de tudo pela primeira (a possibilidade de votar sem ir ao Dragão).

É inadmissível q no século XXI tenha q se deslocar pessoalmente para votar. Até nas eleições legislativas e há já décadas q é possível para os emigrantes votarem, por exemplo. Há muitas maneiras de mudar isso e de forma pragmática e muito barata, seja pela internet (como já se faz mesmo em eleições legislativas em alguns países/estados), seja comparecendo em casas do FCP, seja pelo correio.

A direção do FCP tem feito muitíssimo pouco para encorajar a participação activa dos sócios, vendo-os apenas como consumidores de produtos (i.e. potenciais fontes de receita) e em menor medida como úteis cheerleaders. Espero q seja para mudar, porque o clube bem precisa.

Ah, e mais: o mesmo se aplica aos accionistas da SAD. É ridículo q as AG da SAD sejam convocadas com pouca antecedência e a meio de um dia de trabalho, tal como que não se possa votar sem estar presente (ao contrário por exemplo de muitas multinacionais privadas).

Zé Luís disse...

Não sou sócio e não conheço grandes benefícios, mas descobri, casualmente, há dias que o meu cartão galp fan (FCP), que perdi, foi renovado pela galp (sem perda dos pontos acumulados) mas sem o símbolo do FCP e a associação de fan...

Perguntei porquê. Disseram-me que tinha acabado a parceria (?!), cujos efeitos nunca soube quais eram.

Coisas simples, mas que servem para tudo...

João disse...

http://www.ionline.pt/conteudo/129489-ricardinho-o-cardinal-e-mais-adepto-do-fc-porto-do-que-eu

José Correia disse...

Diogo disse...
ideias muito boas, mas que teriam de ser apresentadas em AG para surtirem algum efeito

Para serem apresentadas numa AG, as ideias que apresento teriam de ser aprofundadas e mais bem trabalhadas.

Mas, talvez alguém ligado à estrutura do FC Porto dê uma espreitadela a este blogue de vez em quando e, se gostarem de alguma ideia, é de graça.

José Correia disse...

Zé Luís disse...
o meu cartão galp fan (FCP)

Estas coisas são tão pouco divulgadas, que eu nem sabia que havia um cartão Galp Fan FC Porto.

Zé Luís disse...

Ao subscrever o cartao galp, há uns anos, havia essa facilidade de escolher a ligação a um clube. Foi o que fiz. Mas nunca soube a vantagem. Agora é que me disseram que a parceria (com o clube) tinha acabado.

Diogo disse...

sim, teriam de ser mais aprofundadas e trabalhadas, mas se isso fosse tratado entre os mais importantes bloggers portistas, seriam ideias com bastantes apoiantes porque já se teria uma ideia de como seriam aceites atraves dos blogs

Justiceiro Azul disse...

Eu tenho um cartão de telemóvel Dragão Mobile. Não pago nada para falar com outros Dragão Mobile, fiz os meus pais mudarem para Dragão Mobile. E vocês porque é que não fazem o mesmo?
Pago tudo o que posso com cartão VISA BPI FCP, não pago anuidade, tem o símbolo escarrapachado em grande no cartão.
Nas bombas REPSOL tenho desconto maior que o próprio cartão da Repsol e igual ao do ACP na BP.
Neste tempo de crise todos os euros contam.
Deviam fazer o mesmo. É bom para nós e é bom para o Porto.

José Correia disse...

Justiceiro Azul disse...
Eu tenho um cartão de telemóvel Dragão Mobile. Não pago nada para falar com outros Dragão Mobile, fiz os meus pais mudarem para Dragão Mobile. E vocês porque é que não fazem o mesmo?

Convencer um ou dois talvez não seja difícil, mas convenhamos que, num universo de dezenas/centenas de contactos, não é fácil convencer familiares, amigos e contactos profissionais a mudarem para o Dragão Mobile.

José Correia disse...

Justiceiro Azul disse...
Pago tudo o que posso com cartão VISA BPI FCP, não pago anuidade

Eu também tenho o cartão VISA BPI FCP mas, infelizmente, desde o início do ano passou a ter uma anuidade de € 12,50.
Pode verificar aqui:
http://www.fcporto.pt/incfcp/pdf/cartao_socio/cartaosocio_bpi.pdf

José Correia disse...

Justiceiro Azul disse...
Nas bombas REPSOL tenho desconto maior que o próprio cartão da Repsol e igual ao do ACP na BP

Irei falar neste caso na 2ª parte do artigo, a publicar amanhã.

André disse...

Infelizmente agora no Solinca os sócios do FCP já não têm desconto nenhum...por isso na minha última inscrição lá tive de optar pelo cartão sport zone