segunda-feira, 4 de julho de 2011

Censos 2011 vistos do Porto

Os dados preliminares dos Censos 2011 mostram que o concelho do Porto continua a perder população. Em 1981 tinha 327 mil habitantes, número que desceu para 302 mil em 1991, 263 mil em 2001, tendo chegado agora aos 237 mil. Aliás, o Porto foi a capital de distrito que perdeu mais população (variação negativa de 9,72%). Números para o Dr. Rui Rio reflectir.

Em contrapartida, a população residente aumentou em todos os cinco concelhos que rodeiam o Porto – Gaia, Matosinhos, Gondomar, Maia e Valongo – passando de 828 para 873 mil habitantes.
E nos 16 concelhos que constituem a Área Metropolitana do Porto a população aumentou ligeiramente (1,28%) para 1,67 milhões de habitantes.

A evolução da população da concelho do Porto (menos 90 mil habitantes nos últimos 30 anos), a que acresce o facto de uma parte significativa da população actual estar envelhecida, é algo que me parece não dissociável da crise que afectou uma parte dos clubes históricos da cidade, como é o caso dos centenários Académico Futebol Clube, Sport Comércio e Salgueiros, Boavista Futebol Clube e Clube Fluvial Portuense.

É verdade que o FC Porto ultrapassou há muito a barreira da circunvalação, sendo um clube com cada vez mais adeptos em todas as partes do país, incluindo em zonas onde dantes encontrar um portista era uma raridade. Contudo, não podemos esquecer as origens e o facto de ser na Área Metropolitana do Porto que se concentra a maior fatia de adeptos portistas. Daí a importância dos dirigentes azuis-e-brancos olharem para os números do Censos 2011 com atenção e, inclusivamente, de os cruzarem com os dados que possuem acerca da origem dos sócios do FC Porto.



P.S.1 Só por curiosidade, e porque há cada vez mais pessoas a falar da fusão Porto – Gaia (algo de que eu sou um entusiasta defensor), o concelho PortoGaia teria perdido cerca de 12 mil habitantes, tendo actualmente uma população de 539651 habitantes.

P.S.2 Braga foi a capital de distrito que mais habitantes ganhou, passando de 164 mil para para 181819 residentes.

5 comentários:

Carlos Mouta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Mouta disse...

Bom dia, esses dados podem estar errados, pois como eu muita gente pode não ter passado cartão aos censos e eu sou precisamente 1 habitante que o Porto cidade e clube ganharam, como habitante da cidade desde precisamente fins de 2001 e sócio do clube desde 2006. Cumprimentos.

David disse...

O fenómeno da diminuição da população das cidades e aumento da dos seu subúrbios é geral em toda a Europa e Portugal não é excepção. Aliás, o Porto não é excepção: a população de Lisboa vem também diminuindo há decadas, enquanto que a de concelhos como Sintra, Loures e Amadora vem aumentando.

José Rodrigues disse...

Sinceramente acho q os resultados dos censos são totalmente irrelevantes para o FCP.

Como o Jose' Correia mencionou, a populacão do Grande Porto (AMP) esta' estavel (aumentou mesmo muito ligeiramente).

E e' ai' que se concentra o publico-alvo para bilhetes, lugares anuais etc.

Para o FCP e' totalmente irrelevante se eles moram mais especificamente na cidade do Porto, em Gaia, em Gondomar ou em Matosinhos. Aqui ha' uns 30 anos quando se demorava uma eternidade a chegar ao estadio para quem morasse em Geifães, Valbom ou Espinho, ate' sim; hoje em dia (quando em 15mins se chega por ex de carro de Espinho ao Dragão), não.

David disse...

Plenamente de acordo com o seu comentário, José Rodrigues.

Penso até que a maior parte dos sócios do FCP não vive no Porto. Os limites da cidade são, aliás, uma coisa artificial, e a expressão "Grande Porto" tem algum significado.