quarta-feira, 6 de julho de 2011

Clubes, selecções e os interesses da FIFA

Como é sabido, o FC Porto tem quatro jogadores – Falcao, Guarín, Álvaro Pereira e Cristian Rodriguez – a quem paga principescamente e que, em vez de estarem integrados no plantel portista a preparar a próxima época, estão nesta altura a disputar pelas suas selecções a 43.ª edição da Copa América.

A primeira pergunta que me ocorre fazer é por que razão é que a Copa América é disputada no mês de Julho, de 1 a 24, e não no mês de Junho?

Comparativamente, o Mundial de 2010 na África do Sul, que envolveu 32 equipas (incluindo 8 americanas – Brasil, Argentina, Honduras, México, Estados Unidos, Chile, Paraguai e Uruguai), implicando muitíssimos mais jogos e um calendário mais extenso que a Copa América, decorreu entre 11 de Junho e 11 de Julho. Ou seja, não vejo qualquer razão válida para que a Copa América não pudesse ter começado três semanas mais cedo e terminado no início de Julho.

Mas pior que a Copa América é o calendário do Mundial de Sub-20, competição onde irão estar Iturbe e James Rodriguez, e que será disputado na Colômbia, entre 29 de Julho e 20 de Agosto!

Ora, faz algum sentido que uma competição mundial para jogadores seniores (até 20 anos de idade), organizada pela FIFA, tenha um calendário que em grande parte se sobrepõe ao arranque das competições oficiais de clubes (pelo menos na Europa)?

Recordo que no caso do FC Porto o primeiro jogo oficial é no dia 7 de Agosto (Supertaça nacional), mas há clubes que terão de disputar pré-eliminatórias das competições europeias (provas organizadas pela UEFA) em finais de Julho.

O futebol há muito que deixou de ser apenas um mero desporto e os jogadores de topo (que são os que jogam nas respectivas selecções) são profissionais especializados cada vez mais caros, cuja preparação para a alta competição (feita nos clubes!) leva anos e envolve treinadores, médicos, nutricionistas, fisioterapeutas, etc. Contudo, no binómio de interesses selecções-clubes, as federações continuam a usar os jogadores a seu belo prazer e com a agravante das receitas geradas irem, essencialmente, para os bolsos das federações/UEFA/FIFA, enquanto que os custos continuam a ser suportados pelos clubes. Isto algum dia vai ter de acabar.

Se há actividade profissional em que a globalização foi levada ao extremo é no futebol, mas cada vez é mais claro que a regulação não funciona, ou funciona mal.

P.S. Não tendo sido convocado para disputar a Copa América (supostamente por problemas físicos), alguém sabe por que razão é que Jorge Fucile não está a treinar no Olival?

13 comentários:

Rui disse...

Por acaso até prefiro que a Copa América seja em Julho que me Junho, pelo menos gozam as férias e já vêm com a pré época feita.

No nosso caso até temos a vantagem de serem jogadores já adaptados ao clube.

reine margot disse...

A outra hipótese era a da Copa América ser jogada em ano de Europeu, ou vice-versa... claro que era mau para fazer dinheiro com as transmissões televisivas, diz a fifa... - não vejo porquê! vendiam a pacote (compre este e leve aquele de castigo) e com a diferença horária quem quisesse ver todos os jogos veria... enfim, a Copa América até agora não tem entusiasmado ninguém em parte nenhuma do mundo...o facto é que está frio, a relva está má em quase todos os estádios, e os melhores jogadores estão cansados, e com a cabeça nas transferências...
Para falar a verdade começo a achar que só os jogadores que não anseiam por transferências ("aproveitar a montra") é que jogam bem nestas "copas"...
A fifa precisava de fazer muito mais do que gerir um negócio e encher bolsos de quem quer que seja a torto e direito...- Como é que existe isto:
1)jogadores bons com provas dadas,assim que querem ser eles mesmos o seu próprio empresário, ficam sem clube porque ninguém os quer...
2)transferências até 31 de agosto...
3)organizações que recebem o mesmo dinheiro de subsídios por estádios com condições péssimas para os jogadores e espectadores que as que cumprem as prescrições...
4)este novo escândalo no brasil em que a federação "indicava" com assinatura da fifa quem deveriam ser os empreiteiros dos estádios...
5)que os salários dos futebolistas e afins tenham chegado onde chegaram (eu sei que a maioria das pessoas acha muito bem, e que aceitaria logo, mas eu continuo a acahr que é um compressor que esmaga uma economia democrática...)
...
enfim....

quanto ao fucile -boa pergunta!

João Silva disse...

Se não me engano o Fucile chegou a fazer uns jogos amigáveis pela selecção e portanto está autorizado a chegar mais tarde.

meirelesportuense disse...

O Fucile acabou a época mais cedo, fracturou a clavícula num dos jogos das meias-finais da Liga Europa.

José Correia disse...

meirelesportuense disse...
O Fucile acabou a época mais cedo, fracturou a clavícula num dos jogos das meias-finais da Liga Europa.

Não foi nas meias-finais, mas sim no jogo de Moscovo, contra o Spartak, para os quartos-de-final.
Contudo, de acordo com notícias que vieram a público, aquando da final da Taça de Portugal (22 de Maio) já estava praticamente recuperado.

Filipe Costa disse...

o fucile foi autorizado a apresentar-se mais tarde porque teve na concentraçao da selecçao uruguaia. Por isso esta a acabar de gozar os ultmos dias de ferias.

hulk mocc disse...

A questão da Copa América é uma questão cultural. Para os jogadores Sul-Americanos é um orgulho representar o seu país - ao contrário de muitos jogadores europeus - nas competições internacionais o que torna essas mesmas competições inevitáveis e sujeitas ao seu proprio contexto temporal.

José Correia perdoa-me mas o teu ponto de vista aqui é como o da maioria dos europeus que apenas olham para o seu próprio umbigo.

Tens razão na questão da formação dos atletas e nos investimentos feitos anualmente, mas a menos que a FIFA regule que todo o futebol mundial se tem de passar a reger pelos ditames da Europa, infelizmente ainda terás muitos dissabores deste género.

Eu digo viva a Copa América e vivam os "nossos" que lá estão a valorizar-se para depois podermos aumentar as suas cláusulas de rescisão. Até porque quando os compramos já sabemos bem dos riscos que corremos em vê-los partir para representar as selecções dos seus países.

Alternativa: Jogar apenas com jogadores europeus, de preferência Portugueses. Mas como vimos no post anterior isso não é assim tão viável, portanto...

José Correia disse...

hulk mocc disse...
José Correia perdoa-me mas o teu ponto de vista aqui é como o da maioria dos europeus que apenas olham para o seu próprio umbigo.

Hugo, nada tenho contra a Copa América. A questão que eu levanto no artigo tem a ver com os calendários das provas.
Vês algum motivo para a Copa América 2011 não ter começado três semanas mais cedo, no dia 10 de Junho?
Repara que, conforme já referi, o Mundial 2010 teve início no dia 11 de Junho de 2010.

Rui disse...

O campeonato Argentino só acabou este mês, penso que nunca fariam a Copa América com o campeonato a decorrer, poderá ser um dos motivos para não ser realizada mais cedo.

José Correia disse...

Rui disse...
O campeonato Argentino só acabou este mês, penso que nunca fariam a Copa América com o campeonato a decorrer

No ano passado, em que dia terminou o campeonato argentino?
Presumo que a tempo da selecção argentina se preparar convenientemente para participar no Mundial da África do Sul, ou não?

Rui disse...

Caro José não faço ideia :)

Mas como é uma prova sul Americana borrifam-se para os clubes europeus.

hulk mocc disse...

Ainda mais grave é o Brasileirão estar a decorrer ao mesmo tempo da Copa América. Alguem consegue imaginar um Europeu em França com a Premier League a fecorrer ao mesmo tempo?

São "crazies" estes Sul-Americanos...

Quanto aos timmings (Junho/Julho) parece-me obvia a questão do campeonato Argentino. Mas lá que a calendarização futebolistica está de pantanas, lá isso está.

Mas não é o argumento dos jogadores serem pagos por clubes europeus que me chateia. E concordo que a FIFA deveria fazer mais esforços por harmonizar os calendários das suas subsisdiarias.

José Correia disse...

A Costa Rica e o México estão na Copa América com as suas formações olímpicas (Sub-23) e como convidados dado que não integram a Confederação Sul-Americana.

De facto, a Copa América é uma competição sui generis...