sábado, 16 de julho de 2011

Paneleirices de pré-temporada


O defeso é mesmo assim. Disparates aos rodos e vindos de todos os lados. Jogadores a suspirar pela “salvação” familiar escudados em contratos dignos de um rendimento mínimo, dirigentes a comprar tudo o que se mexe, empresários a empanturrar os bolsos, jornalistas a mostrarem credencias para argumentistas de Hollywood. Os árbitros, esses, vá lá, conseguem manter a bitola da restante temporada, ou seja, cagada seja em que circunstância for.

Enquanto neste final de tarde foi possível ver o jogo de preparação do conjunto azul e branco com o tabuleiro equilibrado, constatou-se que a continuidade é quem mais ordena. A promoção de Vítor Pereira a chefe da companhia vem nesse sentido e este mostra ponderação ao saber potenciar a bagagem construída na época passada. Algumas luzes da ribalta oferecidas aos putos da cantera que se saúda, e uma paulatina integração aos que agora chegam ao nosso clube.

Com efeito, nos 24 minutos iniciais do encontro, este Borussia Não-Sei-das-Quantas parecia presa fácil para o Dragão. A boa dinâmica patenteada pela nossa equipa, com o agitador de massas Hulk a assumir a batuta, fizeram o perigo rondar a baliza alemã. Depois veio ao de cima dois feitios manhosos e o choque foi inevitável. O nabo do árbitro esqueceu-se que estava num jogo particular e ao Hulk varreu-se a inteligência. Coisa que já não é nova, diga-se!

A recomposição da equipa retirou capacidade e fogo lá mais na frente e o Porto viveu de espaços e intermitências. Alguns contra-ataques bem gizados e lances prometedores animaram a pintura geral, numa aceitável organização como equipa. A defesa foi sacudindo o perigo imediato, mas aqui e ali permitiu alguns espaços. Nada de muito grave. A bitola de Moutinho é que não muda. Sempre bem alta.

As substituições a meio do 2º tempo deram alguma frescura ao conjunto fustigado pela carga de treinos e pela chuva que caía. O raçudo Castro é entusiasmante, apesar de não ter a leveza técnica de Moutinho. Djalma rápido e decidido no contra-golpe que teve nos pés e kléber lutou dentro das limitações conhecidas. Pena é estas paneleirices de defeso virem sempre ao de cima, e mandarem directamente para o lixo um prometedor ensaio de pré-temporada.

Amanha há mais, mas a gente não estará cá para ver…

10 comentários:

José Correia disse...

“Foi um jogo interessante até à expulsão do Hulk. Estávamos a encontrar espaços e a criar oportunidades de golo. A partir da expulsão tivemos que nos reorganizar. Mesmo com dez jogadores ainda conseguimos uma oportunidade para ganhar o jogo.
Lamento que a arbitragem tenha sido desastrada. No final do jogo existiu um penálti que o árbitro, ou não viu, ou não quis marcar. Há alguma responsabilidade do árbitro porque temos jogos importante pela frente e não teve isso em consciência”.
Vítor Pereira

Duarte disse...

Temos mais que equipa. Sem stress.

Jorge Mota disse...

Ooops Colombia ja foi!Peru marca 2-0!

Q mal..Melhor pa nos.

Hulk n vai jogar jogo Supertaça por castigo!!

Este arbitro deve ser meio def!

AMO TE PORTO

rbn disse...

Hulk fez lembrar a forma estúpida como foi expulso em Paços na 1ª jornada do campeonato dos túneis...por pura BURRICE!!!

Será que houve uma recaída?

Voltando ao post, Helton parece que também deu uma recaída com infantilidades com a bola nos pés.

De resto, o treino resume-se em AH(antes de Hulk) e DH(depois de Hulk).

Mas ainda assim na 2ª parte demos uns sustinhos e levamos uns sustinhos.

Gosto do David na lateral.
Parece que tem futuro, mas precisa de confiança e mais rotinas.

Fucile bem, dupla de zaga bem, Souza bem, Fernando amarelado como de costume, Moutinho quis enfeitar e quase entrega o ouro e Walter...o que dizer de Walter?Quantas chances mais precisa Walter?

No mais, temos time.

O VP tem que falar portugues mais claro nas entrevistas, pois não percebi nada com aqueles termos futebolísticos para encher linguiça.

meirelesportuense disse...

Estive a ver a gravação do jogo.
Não foi empolgante mas também não me desiludiu, as incidências do próprio desafio até foram úteis, é preciso saber conviver e aprender com estas dificuldades. O árbitro esteve mal, Hulk esteve mal, mas a equipa reagiu bem e só lhe faltou um pouco mais de pulmão, especialmente nas laterais.Faltou Falcao, faltou Álvaro Pereira, faltou Guarin.
-Faltou também um João Ferreira à FCdoPorto.
Se jogássemos com mais um jogador estou convencido que ganhávamos...
Mas jogamos com menos um e empatamos.
Ficou ainda um penaltie por marcar aos 88 minutos.
-Espero que o Hulk não fique impedido de jogar no Mónaco e aprenda a não questionar os árbitros de forma tão aberta.

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Ontem vimos até à expulsão de Hulk um FC Porto agressivo, pressionante e a criar situações de golo.

Após a expulsão de Hulk, que exagerou nos protestos apesar de ter alguma da sua razão, face às entradas que sofrera desde início da partida, o árbitro quis ser protagonista, e mesmo com a intervenção dos jogadores da equipa alemã a pedir a não expulsão, pois tal facto num jogo de preparação não interessa a ninguém, o juiz decidiu colocar Hulk cá fora.

A partir daí, aquele que seria um excelente teste para ambas as equipas, num terreno pesado, ficou desfeito.

O FC Porto limitou-se a gerir o jogo para não perder, criou ainda duas situações de golo iminente, e o Borussia tentou dentro das suas capacidades o golo, colocando de algum modo em teste a nossa defesa.

Destacaram-se Moutinho, pelo empenho e raça, Sapunaru, Maicon e Rolando. Varela e Ruben desapareceram após a expulsão de Hulk.

Mas o jogador que mais gostei, foi o jovem Castro. Este miúdo pela raça e empenho faz me lembrar Paulinho Santos ou João Pinto. Na segunda parte após a saída de Moutinho, era ele quem levava a equipa para a frente. Fez um passe rasgado a isolar Kleber na melhor oportunidade de golo da 2ª. parte.
Eu gosto de jogadores assim, e espero que ele fique. Sem desprimor para Souza, entre ele e o Souza, emprestava o brasileiro.

Penso que devíamos ter tido mais um jogo de treino na Alemanha antes do confronto com o Borussia.

Um abraço e bom domingo

Paulo

pronunciadodragao.blogspot.com/

Nelson Carvalho disse...

rbn disse: «Helton parece que também deu uma recaída com infantilidades com a bola nos pés.»

Sinceramente não me recordo de nenhuma "brincadeira" mal medida por parte do Helton no tempo em que jogou. Aliás, recordo-me até de um passe em atraso com força em demasia do Maicon obrigando o Helton a ir quase à linha lateral.

De resto, acho curiosa esta corrente de opinião que se consolidou na massa adepta portista sobre o jogo de pés, hipotéticamente relaxado, do Helton. Faço a seguinte pergunta: Desde que ele está no Porto sofremos algum golo por causa disso? Eu respondo por vocês; Não.

Helton já deu frangalhadas mas não por causa de brincadeiras com os pés. Quem dera a muitos redes terem o domínio de bola e a tranquilidade que o Helton tem neste capítulo.

Jorge Mota disse...

..Supertaça Portugal..

Jorge Mota disse...

Estou a ver o jogo outra x.aceito q Hulk levasse 1 amarelo mas o q aconteceu e 1a BARBARIDADE.o pig do arbitro dos distritais entrou em disputa objectiva com Hulk e num exercicio autoritario de quem n tem autoridade manda o pa rua.n tem qq cabimento.

N vejo o q se possa apontar ao Helton..

Dragaoatento disse...

Sobre a expulsão do Hulk: o incrível tem de aprender a lidar com os parvalhões de certos juízes do apito da treta, embora concorde que seja difícil por vezes aturar os gajos.

Comentário final: Já gostei d’alguns aspectos do futebol da equipa do FC Porto, a qual , por exemplo: mostrou grande atitude, muito esforço e vontade de vencer, porem foi notória a preparação já mais avançada dos germânicos e ainda alguma inépcia por parte dos dragões na hora de finalizar: torna-se necessário mais convicção e espontaneidade na hora dos avançados azuis e brancos chutarem à baliza adversária.

FC Porto sempre!