quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Ataque frontal ao candidato do SCP

Num artigo publicado no seu website, o FC Porto fez hoje um ataque frontal e duríssimo a um dos pré-candidatos à presidência da FPF: o presidente da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis, Hermínio Loureiro (o qual já tem o apoio público do presidente do SCP e, se Fernando Seara não avançar, seguramente também terá o apoio de Luís Filipe Vieira).

“discurso vazio de ideias”, “santa ignorância”, “muito falar e nada dizer” e “putativo regenerador” são alguns dos mimos que o FC Porto dirigiu ao anterior presidente da Liga de Clubes.

E por falar em Liga de Clubes, estou curioso para saber quem é que a Liga de Clubes, ou seja, a sua Direcção, irá apoiar nas eleições para a presidência da FPF. Será, não tenho dúvidas, a prova de fogo do Dr. Fernando Gomes. A partir de Dezembro, o ex-administrador da SAD portista, e que foi eleito com o apoio público de SCP e slb, vai deixar de poder andar entre os pingos da chuva e de bem com “Deus” e o “Diabo”.


6 comentários:

Daniel Gonçalves disse...

A ideia manhosa do Sr. Hermínio Loureiro era passar-se por "candidato do Governo". Ora ninguém ouviu declarações do actual Primeiro-Ministro e de algum responsável do Governo a declarar apoio ao Hermínio ou a afirmar que este era o "candidato do Governo".
A "táctica" do Sr. Hermínio era adquirir legitimidade e probidade através de um suposto apoio por parte do Partido Político do qual é militante.
Enquanto Presidente da Liga demonstrou a parcialidade de julgamento, falta de isenção, falta de independência de carácter, falta de hombridade que se exige para o cargo de Presidente da Federação Portuguesa de Futebol. Como não possui estes atributos julga que colando o "rótulo" de um Partido/Governo à sua candidatura ganha uma legitimidade especial.
O Sr. Hermínio pertence à pior categoria de políticos, os autarcas: a maioria são ideologicamente promíscuos, habituados a esquemas subversivos para vencer nas causas que defendem, habituados a sofrer coacções variadas e também, quando necessário, a pressionar/chantagear outros (sobretudo os partidos pelos quais se candidatam), enfim, numa palavra, caciques. Não digo que todos os autarcas sejam assim, mas a maioria, seja de que Partido Político for, insere-se dentro deste retrato, e é neste quadro que eu vejo o Sr. Hermínio Loureiro, e foram estas "atitudes" que ele demonstrou possuir enquanto Presidente da Liga de Clubes.

meirelesportuense disse...

Há uma coisa interessante, então Hermínio Loureiro não é um autarca recentemente eleito?...Saiu do Futebol e foi para Oliveira de Azeméis, agora quer abandonar Oliveira de Azeméis e voltar a Lisboa, ou então dirigir a Federação através da Internet?...É preciso ter lata, saímos do Mundo Rosa for de boys e entrámos no Mundo Laranja for de boys...

Mefistófeles disse...

Subscrevo inteiramente o comentário do Daniel Gonçalves.

Entendo que estes "mimos" do comunicado do FCP a este lorpa só pecam por tardios. Mas mais vale tarde que nunca.

Este tipo de sabujos andam a mais no futebol ( e na política ).

Nelson Coutinho disse...

entre Hermínio Loureiro e Fernando Seara...venha o Diabo e escolha...

Dragaoatento disse...

...É preciso ter lata, saímos do Mundo Rosa for de boys e entrámos no Mundo Laranja for de boys...!

Dragãoatento: e o que é mais grave é que tal como o governo do Sócrates benfiquista assim como diversos seus ministros, o actual governo pretende fazer melhor: patrocinar a liderança do futebol português em Lisboa ao querer reunir o dirigente do Sporting Duque com Filipe Vieira.
Embora não o confessem abertamente esta é uma medida altamente eleitoralista do PSD principal partido do actual governo, para tentar ganhar a simpatia de quase 3 milhões de eleitores que se situam à volta da Capital.
Tal como no anterior regime há que alienar servindo-se do futebol.

FC Porto acima de tudo!

meirelesportuense disse...

Eu diria mais, saímos do "Mundo for de boys Rosa" e entramos no "Mundo for de boys Laranja"...Os outros, continuam a ter direito ao Rendimento Social de Inserção...Para já, porque amanhã nem isso.