quarta-feira, 17 de agosto de 2011

A Caminho do Abismo?


Este defeso provavelmente assistiu ao maior dispêndio conjunto de todos os tempos dos três grandes (e, prosa politicamente correcta à parte, não ponho aspas, porque são de facto os três únicos grandes, até porque Portugal apenas tem dois grandes centros urbanos).

Estávamos até habituados a que esses clubes gastassem muito, mas normalmente isso sucedia depois de venderem bem. Mas os "lagartos" aparentavam até uns cofres exauridos, mas que, de repente, se apresentaram plenos de pujança. Do Benfica já ninguém se admira, até porque Luís Filipe Vieira é o maior gestor e "businessman" desde os tempos de John D. Rockefeller, e muitos ficaram até surpreendidos que tenha sido preterido em favor do Prof. Álvaro Santos Pereira (que prefere ser tratado por "Álvaro") na pasta da Economia, etc...

Mas no nosso clube, que é o que de facto me preocupa - e onde, ainda não há muito, o presidente declarava não haver petróleo, no que eu acredito piamente - também se entrou numa maré gastadora que ninguém que saiba fazer contas entende. Claro que as fortunas já dispendidas na compra de jogadores sem que nenhum tenha sido vendido virão, muito provavelmente, a ser arcadas em parte pelos fundos que por vezes aparecem nestas alturas. Mas mesmo assim, é caso para apreensões. Pelo menos de minha parte. Pinto da Costa habituou-me à ideia de que gastava com entusiasmo quando tinha e poupava avaramente quando não tinha. Agora, quer-me parecer que gasta quando não tem... Ainda agora acabamos de adquirir dois jogadores ao Standard de Liège, clube de um país com um nível de vida bem superior ao nosso, mas onde os clubes de futebol são geridos com algum rigor.

Aqui pelos "fundos" da Europa, os estados (Portugal, Grécia, Espanha) andam de mão estendida, mas os clubes de futebol são um caso à parte, especialmente na "vizinha Espanha", onde o Real Madrid e o Barcelona provavelmente virão a protagonizar o maior estouro financeiro do futebol de todos os tempos, a não ser que apareçam uns árabes a salvá-los in extremis (o que nem seria fácil, pois nenhum daqueles clubes está constituído em sociedade).

Esta situação causa-me uma desagradável sensação e um apreciável pessimismo. É que - anos a fio - também nos disseram que o Estado podia gastar à fartazana - e estamos a ver onde isso nos conduziu. Quem for accionista da SAD - eu há muito que deixei de o ser - que levante estas questões aquando da próxima Assembleia Geral, que a elas decerto a Administração responderá de bom grado, como é seu timbre.

Porque tudo isto dá que pensar...

PS É fartar, vilanagem: chamem-me Velho do Restelo, ingrato, burro, o que queiram. No problema, como diria o saudoso Sir Bobby Robson!;-)

55 comentários:

JON disse...

Alexandre, tenho as mesmas preocupações. Mas olhe que assim não tarde põem em causa o seu portismo...

Culé disse...

Tenho exactamente as mesmas preocupações, já que sou sócio com lugar anual e preocupo-me bastante com o meu clube! Mas o nosso presidente não anda a nanar e penso que estas contratações não foram feitas por acaso...é esperar para ver!!!

Abraço Portista

Nuno Silva disse...

concordo plenamente com as preocupações afirmadas.

o futebol está todo ele numa grande bolha.

Entendo que todos os interveniente neste "caldo" benificiam com a transacção de direitos desportivos... todos menos o clube e o adepto.

- o clube transforma-se numa encubadora, o adepto vê os seus atletas fugirem sem que possam usufruir na plenitude dos seus méritos desportivos

- perde-se com isto algum apego ao clube porque a equipa está sempre em transformação

depois disto quem tem mão nos atletas e nos dirigentes... são os agentes desportivos e representantes de bancos estrangeiros e fundos...


... daí que não se admirem que apareçam atletas com declarações encomendadas como o Falcão.

Filipe Costa Pinto disse...

Ainda ontem falei disto mesmo com um grupo de amigos Portistas.

Em breve vamos ver partes dos passes dos novos jogadores a serem vendidas sem lucro e depois mais tarde serem readquiridos com lucro de centenas de milhares de euros, se não mesmo milhões, para os investidores "amigos" da SAD.


Se bem que é preciso ter calma pois ainda falta ver o dinheiro que vai entrar de vendas e não esquecer também que o FC Porto desde há alguns anos a esta parte fez centenas de milhões de euros de vendas. Algum deve de ter sobrado.

Mas este post é sem dúvida sobre algo que merece reflexão pois os clubes em vez de se "tratarem" cada vez mais andam é a piorar a saúde financeira.

JPier disse...

Ó Alexandre, não era você que há meia dúzia de anos andava a dizer que a gestão da SAD era uma catástrofe e que daí a uns meses o Estádio do Dragão deixaria de ser do clube para recompor o capital e deveriamos era seguir o modelo de gestão, muito cauteloso e previdente, do zbordém? Olhe que afinal eles é que já ficaram sem estádio e sem o resto. E daqui a um ano já nem donos da SAD serão.

A SAD apresentou resultados liquidos positivos nos últimos 4 exercícios com contas publicadas. Desconfio que também apresentará no que agora fechou. E no próximo também. Isto já não é pessimismo, é caso médico.

A Bélgica é um pais com nivel de vida bem superior, mas o Standard é um clube com receitas muitissimos inferiores às do Porto. A sugestão de que é gerido com mais rigor seria risivel. Acusar os outros de gestão com falta de rigor sem apresentar uma única evidência em defesa da tese é própria de gente de pouco nível.

Filipe Costa Pinto disse...

Ah. É preciso não esquecer que dentro de poucos anos será proibido pela UEFA tais gastos e há quem diga que esta época e a próxima serão as ultimas em que se verá tanto estouro de dinheiro a nível europeu.
Pode ser também essa a mentalidade assente nesta política gastadora recente do FC Porto. Acautelar já com jovens o futuro. O problema será depois conseguir vender estes mesmos jogadores por quantias como as que se vêem actualmente.

JPier disse...

Ao Nuno Silva seria muito útil a leitura de um R&C da SAD ou o seguimento mais próximo da vida do clube.

Sem a transacção dos direitos desportivos, o Porto seria um Sporting II. A única coisa que permite ao Porto ter jogadores do calibre dos que tem é precisamente ser uma incubadora que potencia talento. Caso contrário venderia muito menos, mas os atletas que teria não seriam os mesmos certamente.

Pedro disse...

Não tenho a mesma preocupação por uma razão muito simples.

É altamente improvável que o FCP facture menos de 60 milhões de euros até dia 31 de Agosto. Isto a somar ao adeus de C.Rodriguez e Falcao na forma de salários.

Qual é o problema de gastar 65 milhões se entrarem 80 por exemplo?

DC disse...

Há uma grande diferença entre gastar e investir. Pena que tanta gente não a perceba!

Alexandre Burmester disse...

JPier disse:

"Ó Alexandre, não era você que há meia dúzia de anos andava a dizer que a gestão da SAD era uma catástrofe e que daí a uns meses o Estádio do Dragão deixaria de ser do clube para recompor o capital e deveriamos era seguir o modelo de gestão, muito cauteloso e previdente, do zbordém?"

Não, JPier, eu nunca disse isso, embora não deixe de considerar que o risco existe, como qualquer analista medianamente informado - mesmo que com pouco nível e com índices patológicos - não deixará de reconhecer. Mas devo dizer-lhe que esse é um cenário que nem me preocupa, pois, como decerto transparece do meu artigo, a minha preocupação é com a saúde financeira da SAD, a qual, ao fim e ao cabo, representa o futebol do FCP, que é aquilo que essencialmente nos motiva. É verdade, tanto me faz que o estádio pertença ao clube ou à SAD, por mais que isto possa surpreendê-lo.

Reconheço - e aplaudo - os lucros dos últimos exercícios, mas o endividamento continua alto, o que decerto preocupa a SAD e não apenas alguns carolas. Não creio, aliás, que a SAD tenha perante o seu passivo a atitude descontraída de alguns comentadores da blogosfera.

Nelson Carvalho disse...

JPier,

Como é sabido, neste espaço existe ampla abertura para que a mensagem - quer nos artigos, quer nas caixas de comentários - possa discutida, debatida, apoiada ou rebatida. Contudo jamais haverá tolerância para ataques enviezados aos mensageiros.

Os autores deste espaço assinam pelo seu nome próprio e dão a cara, pelo que só lhes confere o comprometimento que empregam nas suas opiniões e respectivo grau de responsabilidade inerente.

Muito menos é aceitável assumpções presunçosas oriundas de um perfil criado à meia dúzia de dias, mas que, pelos vistos, faz anotamentos sobre o que determinado autor dizia ou pensava à alguns anos atrás! Curiosa, é o mínimo que se pode dizer dessa sua memória.

Alexandre Burmester disse...

Filipe Costa Pinto,

Boa observação a sua. De facto, as regras do UEFA Financial Fair-Play (ou nome equivalente) vão impôr limites ao que os clubes podem gastar, passando os seus gastos a estarem subordinados às receitas - grosso modo. Pode portanto ser uma antecipação a isso aquilo a que vimos assistindo e que me levou a escrever este artigo.

José Rodrigues disse...

Isto e' assunto q da' panos para mangas, por isso vou dividir o q tenho para dizer em 2 ou 3 comentarios.

Bem, parece-me claro que estes gastos inauditos (e ja' vamos em 63M€ neste defeso, incluindo % de passes de jogadores q ja' tinhamos) serão cobertos na maioria pela venda de 2 ou 3 titulares, e em menor medida por eventuais comparticipacões de fundos.

Sendo assim não me parece q se va' criar algum grande buraco, pelo menos a curto prazo. No entanto...

Daniel Gonçalves disse...

Concedo que possa existir apreensão pelo nº de contratações e pelo valor das mesmas, feitas pelo FC Porto, conforme este post do Alexandre Burmester. Eu também sinto alguma aprensão, mas o meu nível de confiança é superior à apreensão, pois este ano estamos na Champions e com possibilidades de fortes receitas financeiras. Temos jogadores com mercado que nos darão lucro, compramos por X e vendemos pelo dobro ou triplo. Hulk, Falcão, Moutinho, Guarin, Álvaro Pereira, Otamendi, Rolando, James Rodriguéz, são exemplos de rentabilidade, e mesmo outros jogadores possuem o seu valor, Fernando, Fucile, Varela, até o Sereno - de acordo com a imprensa -temos possibilidade de vender. Comparando com um dos nossos rívais, o Sporting, que jogadores possuem eles com possibilidade de mercado rentável? Postiga? Yanick? Evaldo????? O basquetebolista que compraram para jogar a defesa-central? Do contingente de jogadores comprados esta temporada o único que poderá ter futuro é um jovem Rubio e talvez um Rinaudo.
Portanto não me parece que estejamos em pior situação. Vamos ter calma e ver a evolução da situação, claro que convêm ter as nossas apreensões - sinal de que nos preocupamos com o clube -, mas vejo luz (no sentido metafórica da palavra) ao fundo do nosso túnel.

José Rodrigues disse...

... no entanto, verifico duas ou tres coisas.

A primeira e' q se dizia q era para repetir o Verão de 2003 e apostar forte em manter a equipa da epoca passada para atacar a Liga dos Campeões - mas isso parece-me desde ja' impossivel, ja' q não so' ja' se foi Villas Boas (e sobre isso não havia nada a fazer) como e' certinho q 2 ou 3 titulares irão ser vendidos de forma a financiar estas compras estas.

Aqui ha' meses era consensual entre os adeptos q para alem de contratacões para colmatar eventuais vendas de um ou outro titular caso aparecesse propostas irrecusaveis (e ate' mesmo ai' havia posicões em q se achava q nem era preciso contratar), faria sentido talvez 2 ou 3 contratacões extra, ja' q o plantel era muito bom (e este ano estaria um ano mais maduro).

Pois bem, ja' vamos em NOVE compras ate' ao momento, e e' bem possivel q não fique por aqui. So much for stability...

Nelson Carvalho disse...

Pedro disse:

«É altamente improvável que o FCP facture menos de 60 milhões de euros até dia 31 de Agosto. Isto a somar ao adeus de C.Rodriguez e Falcao na forma de salários.

Qual é o problema de gastar 65 milhões se entrarem 80 por exemplo?»

Não será dramático se a SAD gastar 65 milhões e conseguir encaixar 80. Mas é isso uma suposição. Porque seguindo uma análise concreta dos factos actuais, a verdade é que investimos 62 milhões e "apenas" obtivemos um bónus de 15 milhões com Villas-Boas. Parece-me de que se trata de um diferencial na balança comercial capaz de levantar legítimas apreensões.

Uma coisa é nós podermos achar que a SAD tem em mãos um bom naipe de jogadores capazes de cobrir estes gastos em aquisições. Outra, bem diferente, é aparecer clubes que paguem aquilo que nós achamos que esses atletas valem.

Depois, há também, o aspecto desportivo, em que todo este entra e sai de jogadores num período tão delicado de uma época, já em desenvolvimento, que não trás a serenidade que se deseja a equipa que está tão próxima de compromissos importantes.

Não serão legítimas estas dúvidas nos adeptos? Eu só não as teria se tivesse inside information. Como não tenho...

Ricardo Cadete disse...

Parece-me que algo de muito importante vai acontecer a nivel de vendas e não não acho que a SAD de repente entrou num clima despesita...
Acho que o Falcao vai sair, acho que o Alvaro vai sair e acho que o Micael o Moutinho ou o Fernando vao sair... si fizermos 60m€ com 3 jogadores mais os 15m€ do AVB já estamos a lucrar ou alguém percebe para que se compra um lateral esquerdo por 9,5M€ para estar no banco?? Ou porque razao se compra um medio de enorme potencial Belga por 6,5m€???

Alexandre Burmester disse...

Pedro disse: "É altamente improvável que o FCP facture menos de 60 milhões de euros até dia 31 de Agosto. Isto a somar ao adeus de C.Rodriguez e Falcao na forma de salários.

Qual é o problema de gastar 65 milhões se entrarem 80 por exemplo?"


De facto, se entrarem € 80 M, já cá não está quem falou, desde que a saída do Falcão seja devidamente compensada, claro (mas isso é outro aspecto).

Quanto à poupança com os salários de C. Rodriguez (se sair) e Falcão, bem, os jogadores que entraram, todos juntos, não devem vir auferir menos que aqueles dois em conjunto.

Presumo que o meu caro amigo esteja a contar com mais alguma saída de vulto além da do Falcão para chegar aos seus números, e eu também acredito que o Álvaro Pereira (pelo menos) saia, até porque, de outro modo, seria de difícil entendimento a dispendiosa aquisição de outro defesa esquerdo.

José Rodrigues disse...

...alem disso, constato que:

1) cada vez mais e' dificil fazer mais-valias da ordem de grandeza q tinhamos no passado ja' q os jogadores q chegam são muito mais caros (e as mais-valias, q aparecem na demonstracão de resultados, depende do valor da venda mas tb do valor do custo).

2) cada vez mais temos bancos de luxo, em termos monetarios (q não necessariamente desportivos). Se ate' ha' pouco tempo era normal q o banco fosse ocupado por jogadores cujo passe tivesse custado em media uns 2 a 4M€ (e com um salario modesto em muitos casos), pelos vistos esta epoca vamos ter muitos jogadores no banco (ou na bancada) q custaram de 6M€ para cima e com salarios bem mais elevados do q era normal.

Alem disso em media quanto mais caros os jogadores sao (e mais ganham) maiores as suas expectativas e mais dificil sera' geri-las quando nao jogam regularmente.

3) o passivo tem vindo a aumentar palautinamente ao longo dos anos (ha' uns meses era de 161M€ quando ha' 5 anos era de 125M€) e cada vez mais gastamos em juros no servico da divida (e as taxas de juro tem tendencia a aumentar). So' em juros vão-se mais de 5M€ pela janela anualmente, neste momento... e isto com os novos emprestimos com taxas cada vez mais altas.

Alexandre Burmester disse...

A questão da diminuição das mais-valias e do "encarecimento" do banco de suplentes é bem pertinente, José Rodrigues. É que, se o nosso modelo é comprar para vender mais tarde - como tem sido desde, essencialmente, 2004 - com compras caras torna-se cada vez mais difícil sustentar esse modelo.

José Rodrigues disse...

Concluindo, como disse acho q não teremos certamente um grande buraco a curto prazo, porque estou convicto que sera' tapado com vendas nos px 10 dias. Ha' ainda muita poeira no ar q tem q assentar.

Estou tb certo q uma boa parte das compras tera' em vista colmatar saidas de alguns jogadores, mas tera' certamente havido compras totalmente especulativas.

E como quase sempre, parece-me que se estara' a exagerar um bocadinho nisso, mesmo q alguma especulacao e' compreensivel. Precisavamos mesmo de tantos jogadores (e caros), incluindo por ex um Defour quando por ex um Castro servia perfeitamente para estar no banco para o q desse e viesse? E gastar 20 e tal M€ em dois defesas laterais, quando muito raros (ate' no FCP...) são os laterais q são vendidos por mais de 15M€ cada por esse mundo fora?

Vou esperar q a poeira assente para ter opinião mais formada, mas não me admirava nada q 2 ou 3 das contratacões tenham sido um bom bocado escusadas. A ver vamos.

Bem, o q ja' e' praticamente certo e' q a estabilidade desportiva anunciada para atacar a LC (e para mais quando se perdeu o treinador) vai ser em boa parte enviada 'as malvas com bastantes entradas (e saidas), e não porque aparecam clubes a pagar clausulas de rescisao a torto e a direito...

E pronto, este foi o ultimo comentario da minha parte (ufa). :-)

Dragaoatento disse...

Será que é verdade?!

Rúben Micael a caminho do Atlético de Madrid?

Segundo noticiou a TVI, o médio ofensivo do FC Porto, Rúben Micael, estará à beira de assinar contrato com o Atlético de Madrid . Será que sim ?!
FC Porto e Atlético estarão em negociações por Falcão e, segundo a Comunicação Social Desportiva espanhola, Elías, médio brasileiro poderá entrar no negócio relativo ao Falcao, desconhecendo-se se o Rúben Micael estará ou não envolvido em algum negócio.
Pelo que consta Jorge Mendes esteve hoje em Madrid, - conforme notícia do "As" e no Vicente Calderón - supostamente a tratar da negociação por Falcao, e o empresário representa também Rúben Micael.

Mário Faria disse...

Estou totalmente de acordo com o Alexandre, precisamente por conhecer as contas.
O ano passado tivemos um lucro residual e este exercício conto com um resultado idêntico, se nas contas for incluido os 15m€ da receita provenientes da rescisão de AVB.
Não creio que o futebol português (e muitos agentes que dele vivem) possa sobreviver neste quadro geral de penúria do país e com tais sinais exteriores de riqueza. Investimos ao nível dos países mais ricos. Como não estar preocupado?
Não fico constrangido por o declarar e de o dizer expressamente em sede própria na AG da SAD, a concretizar-se esse cenário preocupante.
É meu dever de sócio e de accionista interessar-me e intervir sempre que o entender . Era o que faltava ter medo de opinar sobre o meu clube, desde que o faça de forma respeitosa e tão esclarecida quanto me for possível.

Ricardo, RSW disse...

Acho que voces incorrem em erro quando partem do principio de que foi de facto com dinheiro do FC Porto que fomos dar quase 10 milhões por um lateral e outros negocios do genero.
Obvio que o FCP vai beneficiar a sua percentagem (gorda) com esses investimentos, mas acreditem que Pinto da Costa não perdeu o juizo e sabe bem o que faz, não foi atravessar o clube e meter dinheiro do FCP em risco para dar a ganhar a outros, disso podem ter a certeza, ha fundos externos metidos no negocio que injectam capital para determinadas operações.
Quanto ao Falcao, e outras vendas, esperem e verão.

Daniel Gonçalves disse...

Ao contrário do Ricado Cadete que afirma ("alguém percebe para que se compra um lateral esquerdo por 9,5M€ para estar no banco??") que a nossa SAD já estava a prever muitas saídas, a mim não me parece, apostou-se tudo na continuidade da equipa-base para a próxima temporada, só que a Copa América suscitou o interesse pelo Álvaro Pereira, mas mesmo sem o interesse nele ter-se-ia contratado o Alex Sandro numa perspectiva de futuro, não é comum no nosso clube um jogador jovem pegar logo de estaca no onze titular no primeiro ano no plantel, para mim, Alex Sandro seria suplente do Palito, apesar do valor da contratação do brasileiro, e só para o próximo ano com as exibições da Champions estariamos a pensar vender Palito e outros jogadores.

Pedro disse...

Falcao auferia 2,5 milhões época, C.Rodriguez 1,5. Não acredito que Mangala, DEfour, Danilo e Alex Sandro juntos cheguem a este valor.

Quanto ao chegarmos aos 80 milhões... bem Villas Boas + Falcao + Fernando são as minahs apostas. Com Ruben também na calha.

Existe ainda outro factor importante que se estão a esquecer. Quando o Benfica confirmar os 40 milhões dos direitos televisos não se esqueçam que PC previu isso muito bem. A clausula do nosso contrato com a Oliverdesportos prevê que o FCP receba sempre pelo menos 80% do valor que o Benfica auferir.

http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=277263

Daniel Gonçalves disse...

Alexandre Burmester afirmou "É que, se o nosso modelo é comprar para vender mais tarde, com compras caras torna-se cada vez mais difícil sustentar esse modelo."
Parece-me que será este o modelo seguido, mas daí a existência dos referidos fundos para vender e "re-comprar" jogadores. Também me parece que é a única alternativa viável para termos equipas competitivas e vencedoras: os jogadores - mesmo que de valor elevado - suplentes vão-se ambientando e ganhando o espírito da equipa, em vez de uma "entrada" de chofre ou de rompante no onze titular, lembram-se dos casos do Fabiano e do Diego em 2004/2005, ambos eram excelentes jogadores, mas não renderam o que se esperava deles, a responsabilidade pode não ter sido exclusiva - houve outros factores - do "fardo" da titularidade num tipo de futebol diferente do que estavam habituados, mas que teve importância, teve.

Pedro disse...

"Refira-se que, no contrato celebrado entre os portistas e Oliveira, está prevista uma cláusula em como o clube nortenho recebe 80% do valor pago ao Benfica.

Ler mais: http://aeiou.expresso.pt/benfica-vende-jogos-por-836440-milhoes-e-ataca-sport-tv=f668393

Sempre é uma fonte mais fidedigna. Isto para dizer que os lucros de Porto e Benfica irão subir consideravelmente em breve.

Dragaoatento disse...

Bom Amigos, para já só vejo muita especulação...

Porque não esperar pelo 31 de Agosto para vermos quem entra e quem sai, e a seguir fazermos contas?!

Nelson Carvalho disse...

Isso do clube lá de baixo confirmar 40 milhões anuais dos direitos televisivos não me parece que seja assim tão liquído.

Não dúvido que o Joaquim Oliveira suba a parada para moldes identicos aos do FCP, ou seja o dobro, mas daí a atingir o patamar dos 40 milhões vai uma enorme diferença.

Alexandre Burmester disse...

Caro Ricardo, RSW,

Eu - e os outros autores do blogue - limitamo-nos a discorrer com os dados que temos. Se o nosso caro amigo dispõe de outros que ajudam ao debate, desde já agradecemos no-los divulgue.

Abraços

Alexandre Burmester disse...

Caro Pedro,

Essa questão dos direitos televisivos é de facto importante para este debate, pelo que significa de potencial aumento de receitas. Mas, mais uma vez, a um aumento da receita vai corresponder um aumento da despesa, e entretanto o passivo está nos valores acima referidos pelo meu colega José Rodrigues.

Abraços

David disse...

Decerto que daqui até ao fim do mês vai haver vendas chorudas, logo parcialmente consumidas por novas compras, também elas chorudas, até porque ninguém acredita que fiquemos dependentes de Walter e Kléber como pontas-de-lança.

Mas de facto entrou-se numa bola de neve assustadora. Contudo, a imaginação tem sido fértil. Oxalá assim continue...

Eu cá por mim fico à espera da próxima emissão obrigacionista para investir parte dos meus parcos cabedais: estão a dar um belo juro!

JPier disse...

1. Qual é a relevância da subida do passivo por si só? Alguém explica?

2. Parece óbvio que a ideia era manter o maior número possível de jogadores mas que isso não foi possível por vontade deles (como não foi possível manter o treinador). Jogadores como o Bruno Alves, Meireles, Costinhas e Maniches nas ultimas épocas é que não. A maioria das compras deve-se claramente a suprir essas saídas.

3. Algumas dessas saídas nem têm qualquer raiz de índole financeira (incluindo a legitima vontade dos jogadores em usufruírem de um salário mais alto, como é o caso do Falcao e do Fernando), mas dependeram da vontade de alguns jogadores em jogarem como titulares em ano de Europeu (Beto, Castro, Ruben?, Sereno?). Uma vez mais, é necessário suprir essas faltas.

4. As análises em valor absoluto revelam analfabetismo financeiro. No fundo, é muito simples: quem sugere que o risco é demasiado ou mais alto que no passado ou qualquer coisa do género deveria pegar nas contas e produzir meia-dúzia de rácios que o demonstrassem. Não o fazer apenas lhes permite situar as críticas no plano nebuloso do costume, tornando-as impossíveis de ser rebatidas por serem completamente sem sentido por si só (eg "aumento de passivo", "dinheiro para o banco") ou não verificávies por completamente abstractas.

JPier disse...

Nelson Carvalho,

Eu não ataquei fosse quem fosse. Ataco quem faz críticas não substancias em nada excepto especulação (aliás, conseguem escrever-se posts sobre contas citando um par de números e, e...); quem quiser enfiar a carapuça que o faça. Ou você discorda que "Acusar os outros de gestão com falta de rigor sem apresentar uma única evidência em defesa da tese é própria de gente de pouco nível"?

Aliás, a sua susceptibilidade só demonstra quão lamentável é que os autores deste espaço não tolerem a crítica que, tão afanadamente, reclamam para eles - como o comprovam os inúmeros comentários meus que não são publicados.

Quanto ao anonimato, qualquer pessoas civilizada sabe que o que importa é o que é dito e não por quem é dito. Para mim ser o indivíduo A ou B a dizer isto ou aquilo é absolutamente indiferente. Os argumentos e opiniões valem por si próprios, nunca por quem os emite. Isto é uma regra basilar de um debate que não esteja subordinado aos termos de selvagens.

David disse...

JPier comentou: "Qual é a relevância da subida do passivo por si só? Alguém explica?"

Posso sugerir para "explicadores" Teixeira dos Santos e José Sócrates.

José Rodrigues disse...

A importancia do passivo, e mais especificamente das dividas a bancos e em emprestimos obrigacionistas, esta' nos juros q se pagam anualmente, como eu me dei ao trabalho de explicar (mas ha' quem leia os comentarios muito por alto, pelos vistos).

E para mais a taxa de juros tem vindo a aumentar (ja' vai nos 8% e quase certamente nao vai parar ai').

Jorge Mota disse...

Voces escrevem po mundial!!

Ja me doem os olhos!!

Estamos a transformar nos num clube RICO!!!

Assusta me o upgrade de gastos nos ultimos anos.Espero q estes fundos e afins n se revelem uma AIG da bola!

Isto vai rebentar por 1 lado qq, n tarda

paulop disse...

@Snr. Alexandre Burmester
Na minha opinião o seu discurso tem um estilo cabotino depressivo, infelizmente as receitas das vendas vão ultrapassar e muito as compras, pode dormir descansado, escusava é vir com estas opiniões antes do fecho do mercado, continuo a ver o copo quase cheio, enquanto o Senhor o vê quase vazio.

VIVA O FUTEBOL CLUBE DO PORTO

Dragus Invictus disse...

Olá boa noite,
Vou na sexta ao Dragão e nem sei quem vai entrar em campo.

Vieram mais dois reforços... e eu devia estar feliz, mas não ... eu estou apreensivo!

Sei que se tratam de dois jogadores jovens com margem de progressão.

Mangala não conhecia de todo, quanto a Defour já havia pesquisado informação, e visto uns vídeos, aquando das notícias da possibilidade de rumar ao Man United ou Liverpool, e achei um jogador interessante.

Mas estas duas contratações deixam me apreensivo pelo o que aí vem ...

Primeiro Castro, jogador que aprecio imenso vai rodar mais uma época, Ruben Micael dizem que vai sair, Moutinho poderá sair?!, Rolando idem aspas aspas?! ... Falcao quer ir embora, Fernando, Cebola e Beto estão na prateleira à espera de quem os queira ... bem isto vai um reboliço que não me agrada, e a esta altura já devia estar definido quem fica e quem vai.

O facto de o mercado fechar em 31 de Agosto só prejudica a equipa. Muitos jogadores devem dormir a sonhar com contratos milionários ... ou a mandar tweets!!!

Acho que está na altura da SAD colocar cláusulas nos contratos dos atletas que imponham datas limites para saída.

E depois há outro pormenor ... estamos a tirar espaço a jovens da nossa formação, e cada vez menos o nosso plantel tem jogadores lusos.

Acho que está na hora da FPF actuar, e impor aos clubes que do plantel façam parte pelo menos 3 jogadores da formação.

Fico triste por não ver jovens da formação no plantel, sei que alguns têm que ganhar maturidade e estabilizar, mas também é difícil, quando sabem que qualquer puto vem de fora e lhes rouba o lugar no plantel.
Na minha opinião Sérgio Oliveira e Castro tinham lugar no plantel. Bastava sair Fernando e Souza e não ter entrado Defour, embora a contratação deste jovem belga tenha sido uma oportunidade de negócio, pois é um jogador com mercado. Relembro que já esteve na órbita de clubes ingleses de topo.
Concluindo, se o Ruben e Beto sairem só contamos com 3 jogadores lusitanos no plantel ...

Resta-nos ter a mesma confiança de sempre no nosso presidente que vai arrumar a casa, e na sexta vamos ao Dragão apoiar a equipa.

Abraço

Paulo

pronunciadodragao.blogspot.com/

Alexandre Burmester disse...

Sr. Paulop,

Cabotino-depressivamente, agradeço os seus comentários.

nexus disse...

Todo o post e discussão decorrente são precipitadas. Só a 31 de Agosto se faz as contas e a analise ao plantel. Parece-me óbvio que a receita será superior á despesa. Para quê especular com isso antes do fim?

Mesmo saindo Falcao, Fernando, C.Rodriguez, Sereno, Beto o Porto fica com um plantel muito forte e equilibrado.

Só falta saber quem vai substituir Falcao.

meirelesportuense disse...

Não sou o "Pensador" mas eu também penso, logo existo...E existindo, penso que estas entradas de jogadores têm muito mais a ver com alguma conjuntura favorável que o Clube de certo modo encontrou, que com algum devaneio dos nossos dirigentes...Os anúncios da criação da Escola de Futebol no Brasil, do Museu do Clube, das contratações de alguns jovens jogadores sul-americanos tem muito a ver com essa conjuntura muito especial.
-Por isso acredito que nada existe de anormal, anormal é acontecer precisamente agora, num momento de intensa crise Económica na Europa, mas não podemos esquecer que a situação no Brasil é muito diferente da nossa...Enquanto a nossa Economia estagna a deles cresce aceleradamente e por lá, o dinheiro abunda e é necessário aplica-lo...
Temos que saber ler estes sinais e tentar entendê-los sem grandes alarmismos.

Pedro disse...

Eu diria que a preocupação faz todo sentido. De facto os últimos 3 exercícios tiveram resultado positivos mas estes foram tão residuais, que o capital próprio continua pouco acima dos 30 milhões de euros. Parece muito? Bastaria repetir a época de 2006 para voltarmos a uma situação de falência técnica.

Ou seja entre perdas e ganhos o saldo dos resultados acumulados continua negativo em mais de 40 milhões desde o início da SAD. Sobre o passivo, de facto um número é irrelevante, mas um rácio de Dívida líquida/Ebidta pode ser considerado para considerar se o passivo é ou não alto. E este rácio na SAD não me tranquiliza minimamente.

Pode advogar-se que a equipa é forte, as expectativas são altas .. mas se o activo está valorizado pelo montante aplicado em aquisições, cria-se um desgaste de tesouraria imediato e potencia-se uma despesa de amortização pesada para os próximos anos.

Ou seja torna-se ainda mais obrigatório vender caro para poder continuar com resultados no verde. Pinto da Costa sabe negociar, mas nem sempre um bom negociador consegue tudo o que quer..

Pedro disse...

Correcção:
O valor do capital próprio mais actualizado é de 20,8 milhões, ou seja os prejuízos acumulados (somando lucros de todos os anos) soma 54 milhões.

Filipe Costa disse...

la está é o problema deste forum. para se fazer notar imparcial tem de criticar doravante a gestao do porto e do seu presidente. desde já digo que acho isso das maiores ingratidoes. e falando do contexto actual se se informar melhor poderá constatar que este investimento está financeiramente calculado. o que é normal no FUTEBOL CLUBE DO PORTO. mas tenho pena ate porque tenho em boa conta este blog e para mim digo com as maiores das sinceridades está no top 3 dos melhores logs sobre o FCPORTO.

JON disse...

Caros, já disse e volto a dizer...

Questionar o que a Administração faz, não pode ser alvo de críticas de anti-portismo, ou ingratidão.

O PORTO SOMOS NÓS! Não é o Pinto da Costa... Quando o Pinto da Costa deixar de ser presidente, nós continuaremos a SER PORTO!!!

Como tal, questionar é apenas sinal de que nos preocupamos e de que vivemos em democracia.

Mas lá está, para alguns, o Pinto da Costa é como o Grande Líder...

José Rodrigues disse...

"A questão da diminuição das mais-valias e do "encarecimento" do banco de suplentes é bem pertinente, José Rodrigues. É que, se o nosso modelo é comprar para vender mais tarde - como tem sido desde, essencialmente, 2004 - com compras caras torna-se cada vez mais difícil sustentar esse modelo."

Bem, sobre isto duas coisas são claras:

1) nunca iremos conseguir fazer mais-valias com contratacões de 5M€ para cima se eles não jogarem regularmente, por muito cartaz q ele ja' tivessem antes de chegar ao FCP. O Diego e o Cristian Rodriguez q o digam... sendo assim sera' perigoso se tivermos muitos jogadores relativamente caros no banco (como quase certamente vamos ter esta epoca, a não ser q ainda saia metade da equipa titular do ano passado, esperemos q não). Um ou outro pode esperar um anito para jogar regularmente, mas nao me parece q consigamos fazer isso com todos (alias, alguns deles irão certamente fazer pressão para sairem se nao jogarem regularmente)

2) no top 20 de mais-valias da ultima meia-duzia de anos, a esmagadora maioria foram jogadores da casa, portanto a custo zero (por ex B Alves, H Almeida) ou q chegaram ao FCP a baixo custo saidos do campeonato portugues (Meireles, Bosingwa, Cissokho, Derlei, Deco,...). So' um B Alves sozinho rendeu mais lucro do q o Lucho e o Lisandro juntos...

Esse filão tem sido muitissimo util financeiramente ao longo dos anos, mas parece estar-se a esgotar o q so' coloca mais pressão em valorizar (ainda mais) os jogadores relativamente caros q vão chegando.

Nuno Silva disse...

Caro J. Rodrigues...

tocou no busilis da questão..

não há formação !

existem equipas de formação até aos juniores... apartir daí nunca se aproveita nada.

Tem toda a razão em dizer que 1 Bruno Alves rende mais do que 2 jogadores especulados... até porque não veio para o clube já com salários milionários.

Mas não é só isso... o facto de não haver jogadores portugueses para mim tira algum "elán" ao clube... para mim o conceito de adepto desportivo é menos fidedigno do que há anos atrás em que além do clube, do presidente tinhamos grandes ou médios jogadores... mas que eram também uma referência permanente e tido como idolos... e não apenas como interpretes como agora são. agora estão enquanto estão!


pronto's... mas isto tb vale o que vale... há quem perfira olhar para relatórios de contas. tb houve que preferisse olhar para os da Grécia! deu no que deu.


Quanto as contas eu não sou catastrofista como alguns, mas tb não defendo tudo o que é do Porto só para parecer mais portista que os restantes... todos esses relatórios de contas vão sempre bater certo enquanto houverem magnatas de países ex-emergentes a limpar dinheiro em clubes europeus.


mas a verdade tb é uma... só nessa lógica alavancada e especulativa é que conseguimos os resultados a nivel internacional que temos... concordo!

The HUNTER disse...

Era bom que a administração da SAD, passasse uma vista de olhos, por estes comentários, que, na minha modesta opinião reflectem o pulsar da Nação Portista.

Miguel disse...

Caro Alexandre,

tambem a mim me preocupam tantas contrataçoes porem creio que o n/Presidente esta atento e nao vai deixar repetir-se o que se passou depois de sermos Campoes Europeus e ha 2 epocas com o Bruno Alves e o Raul Meireles.

O equilibrio entre: os possiveis negocios a fazer; nao desfalcarmos demasiado a equipa; e a possivel motivaçao de alguns jogadores em ficar nao é certamente facil mas, caramba, demos o benificio da duvida ao Presidente e ao Angelino Ferreira (mas nao ao Adelino Caldeira)...

Estou preocupado com outro assunto que, creio, nao tem sido aqui debatido: prque é que o Jorge Mendes ja nao tem jogadores no n/clube? Ha alguma zanga como houve com o Veiga? Ou ele fartou-se de serem benificiados o Antonio Araujo e outros empresarios "caseiros", certamente nao precisamos da Gestfute para respirar porem creio que isto nos prejudicara no futuro em detrimento do benificio do SLB e do SCP.

Tentem pf saber e informem.

Abraço Dragoniano.

Miguel Lima (Penta1975) disse...

caríssimas(os)

confiemos em quem gere o clube há vinte e nove anos. não são vinte e nove dias...

e como já aqui foi referido, a partir de 01 de Setembro cá estaremos para se fazerem contas sobre o "Deve" e o "Haver" da SAD azul-e-branca.
até lá, são tudo especulações.

@ Alexandre Burmester

pôs-se a jeito com este post (desnecessariamente, «penso eu de que») ;)

Pedro disse...

@Miguel

O Jorge Mendes tem pelo menos 2 jogadores do FCP, incluindo Falcao.... E na formação então... tem, sido uma porrada deles.

David disse...

Miguel,

Não creio que seja verdade que o Jorge Mendes não represente nenhum jogador do FCP, e não sei se o Araújo representa algum dos de mais nomeada.

Amphy disse...

O JN já confirma o Falcao e o Rúben no Atlético.

Para mim é uma pena a saída do Rúben. Já a do Falcao tinha de ser para pagar o que se está a gastar.

Acho uma deprimência se para o ano só tivermos 3 portugueses no plantel! A contar com o Emídio Rafael, que não deve ser titular, ou ainda vai a caminho da dispensa Não é costume dispensarem jogadores lesionados ou a virem de lesões graves). Não concordo com esta política. Claro que gosto de ver o meu clube a ganhar, mas não a qualquer preço.