quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Compra, alienação e recompra



Em 4 de Julho de 2010, a Futebol Clube do Porto – Futebol, SAD emitiu um comunicado para informar que tinha adquirido o passe (direitos de inscrição desportiva) do João Moutinho pelo montante de 11.000.000 € (onze milhões de euros).

Cerca de três meses depois, no dia 15 de Outubro de 2010, a FC Porto SAD enviou um novo comunicado à CMVM para informar o mercado que tinha alienado 37,5% dos direitos económicos do João Moutinho por 4.125.000€ à Mamers B.V.

Hoje, dia 3 de Agosto, a SAD portista informou ter readquirido, por 4.000.000€, 22,5% dos direitos económicos do João Moutinho ao Soccer Invest Fund – Fundo Especial de Investimento Mobiliário Fechado, Fundo este ao qual a Mamers B.V. cedeu a sua posição contratual relativamente aos direitos económicos que detinha.

A alienação em Outubro de 37,5% por 4,125 milhões pareceu-me, na altura, fazer sentido (4,125 = 0,375 x 11), atendendo a uma lógica de partilha de risco do elevado investimento efectuado e, possivelmente, de alguma asfixia que pudesse existir na tesouraria azul-e-branca. Contudo, a recompra hoje de 22,5%, praticamente pelo mesmo valor por que foram alienados 37,5% há uns meses atrás, dá que pensar.

Porquê esta operação? Será que a SAD tem indicações fortes de que o Chelsea vai avançar para a compra do Moutinho?
Se for esta razão é uma má notícia.

18 comentários:

ricardompr disse...

Por alguma razão se anda a falar em Defour...e cm ja se disse por aqui, o jornal abola anda a acertar mt!

T.Ferreira disse...

Boas noites. Mal soube da noticia, foi logo o que me veio á cabeça. Só vejo essa solução, já me tinham dito há umas semanas atrás que o João estaria certo para o Chelsea, como nunca avançaram, esqueci esse assunto, mas segundo consta vai mesmo ser o destino dele, e a imprensa belga continua a dar certo Defour no FC Porto, a ver vamos. Se tiver que ser, que seja agora, e não a 2 semanas do fecho do mercado de transferências. Abraçor

Amphy disse...

Estes fundos não existem para perder dinheiro, nem para fazer caridade aos clubes (Se forem legítimos, claro).

Assim sendo, admitindo que não se trata de lavagem de dinheiro (ingenuidade, talvez) procuram lucro e é o que se passa aqui.

Espero que isto não se repita muito, senão em vez do Moutinho custar 11M, passa a custar muito mais.

Talvez se transferissem os jogadores excedentários do plantel, mesmo com valores modestos, não fosse preciso tantos destes jogos.

Mas parece-me que iremos assistir a uma transferência do Moutinho para breve, senão não vejo a necessidade de gastar estes 4M neste momento.

É pena.

Filipe Costa Pinto disse...

O negócio Moutinho vai ser bom (sempre) pelo lado desportivo mas pelo lado financeiro...

Não percebi, logo na altura do anúncio do negócio, o porquê de não ter sido comprado 100% do passe se o tal contrato-promessa entre Moutinho e o sporting que falava em obrigação de venda em caso de aparecerem propostas superiores a 10 milhões, não tinha ponto nenhum onde dissesse que o clube comprador tinha de deixar o clube vendedor ficar com percentagem alguma. Já não bastou dar mais 1 milhão e o Nuno André Coelho como ainda se deixou o sporting ficar com 25%. Porquê??! Nunca percebi isto.

Se qualquer clube oferecesse 10 milhões e 100 mil euros, podia leva-lo sem qualquer hipótese de contestação possível pelo sporting.

Disse Pinto da Costa, na altura, que foi para preservar as boas relações com o clube de alvalade. Quais boas relações? São outros que tanto dão um elogio como logo a seguir estão a chamar ladrões.

Tenho pena mas este negócio foi um tiro no pé, a nível financeiro, pois não se pode esquecer, como se esqueceram agora na venda do roberto em que se falou de 100 mil euros de lucros, que certos jogadores ganham muito bem, Moutinho sem dúvida é um deles e por isso quando um dia ele sair do FCP, o clube que mais lucrará, financeiramente, será o sporting.

Isto já para não falar das verbas da alienação dos 37,5% e da recompra destes 22,5%.

Nelson Coutinho disse...

Receio bem que sim...E o PdC já nos anda a preparar para isso há algumas semanas desde que afirmou que só para o Hulk é que não tem substituto...

Nelson Coutinho disse...

O meu medo maior, é que há umas semanas atrás, falava-se muito de uma venda de Moutinho e FALCAO por 60 a 70M em conjunto, precisamente para se evitar pagar uma verba muito alta ao Sporting.

reine margot disse...

1. Não acredito que o Moutinho saia; não para já!
Seria um rombo no couraçado, e não vejo isso nos planos da SAD...
Para além de que a SAD não trabalha para hoje, trabalha sempre para amanhã ou depois de amanhã...

2. Um jogador não é só negócio entre o deve e o haver; se pouco se lesiona, se colabora activamente para as vitórias, se chama investidores e adeptos, se vende camisolas, é óbvio que faz dinheiro...

The Blue Factory of Dreams disse...

O Porto anda a gastar dinheiro como gente grande ;), bem aplicado ressalve-se, mas em clara demonstração de força.

Se Moutinho vai sair? Não sei, mas o Porto hoje está mais precavido do que ontem, para o efeito.

Moutinho foi essencialmente um investimento desportivo, com claros resultados, mas para mim seria uma frustração se só ficasse entre nós durante um ano.
Não acredito que saia já e gostei do pormenor de o ver de braçadeira, pode ser um indicador, de qualquer forma o clube está devidamente precavido.

E o Sporting, que tanto o insultaram e tentaram enxuvalhar, que está ao fim de um ano a rezar pelo que será o maior negócio de sempre do clube dos falidos viscondes.

Nem o Cristianinho deles lhes rendeu semelhante maquia!

Qualquer esquema legal que lhes retirasse o proveito da xuxa das mais valias eu apoiava! PAcotes, seja lá o que for, que estrebuchem e chorem que já estão bem habituados.

O Porto terá de vender alguém.
Eu espero que seja Fernando, Rolando e Cristian, se houver comprador.

Seria o melhor que podia acontecer.

Perder Moutinho era um rombo sério na equipa. Um dos imprescindíveis.

Abraço

http://thebluefactoryofdreams.blogspot.com/

Daniel Gonçalves disse...

Espero e tenho confiança que Moutinho não saia esta temporada. Chelsea? Não me parece, pois eles querem contratar o Pato ao AC Milan.

Martinho da Bica disse...

Ou então houve intenção de compra e o fundo pressionou o FCP a, como se diz na gíria, "chegar-se à frente" para segurar o jogador e manter satisfeito toda a gente. Parece-me que este ano o FCP tenciona apostar forte, até para garantir alguma vantagem "moral" relativamente aos adversários. A sair alguém, imagino que passe por jogadores "facilmente" substituíveis, como Rolando ou Fernando. Isto no pressuposto de um chelsea qualquer aparecer e dinamitar o projecto.
Abraço

meirelesportuense disse...

Não precisamos de especular, o Porto -a sua Admn- vai fazendo o que acha melhor, resta-nos esperar pelos resultados.

À atenção do Platini:
-Artur, Maxi Pereira, Luisão, Garay e Emerson; Javi Garcia, Witsel, Aimar, Gaitán, Nolito; Saviola.
Tudo Portugueses...

HULK 11M disse...

Penso que nestes negócios de partilha dos direitos económicos sobre os contratos dos jogadores existirão clausulas que obrigam o clube detentor dos direitos desportivos a ter que vender esses direitos quando existam ofertas de compra superiores a determinadas verbas, devidamente especificadas no contrato.
Sendo assim, eu penso que quando existem ofertas de compra por parte de outros clubes e o FCP não quer vender, então é obrigado a comprar a parte partilhada pelo mesmo valor da oferta de compra. Isto tem acontecido noutros casos que já conhecemos.
Por outro lado, os fundos precisam de realizar mais-valias e podem pretender alienar os seus direitos e o FCP pode entender que é um bom negócio fazer a recompra, Reparem que o fundo que detinha inicialmente os direitos sobre o Moutinho já os tinha alienado a outro fundo. Na altura o FCP não fez a recompra por uma de duas razões: problemas de tesouraria ou não se previa, ainda,a transferência do jogador!

Nelson Coutinho disse...

Eu pergunto-me se Sapunaru também nao terá mercado?! É um jogador do qual gosto, mas nao me chatearia demasiado se viesse a sair, até porque este ano penso que vamos ter Fucile ao mais alto nível e com Álvaro Pereira na esquerda estamos muito bem servidos.

Filipe Costa Pinto disse...

Escrevi ontem neste mesmo espaço que não percebia o porquê de não se ter ficado com a totalidade do passe de Moutinho quando o comprámos na época passada, embora achasse estranho a comunicação do FC Porto referir 85%. Pensei que seria um jogo de palavras ou que então eu estava mesmo mal informado e que o FC Porto tinha mesmo comprado ao sporting a totalidade do passe.

Ninguém me corrigiu nem ninguém abordou esse assunto e hoje vejo isto*. Mas afinal alguém sabe dar uma informação fidedigna que ilumine esta minha (e de muitos, ao que parece) duvida?

*http://www.ojogo.pt/27-216/artigo939672.asp

Pedro disse...

Moutinho não sai esta temporada, o Chelsea não vai contratar mais nenhum médio ( a não ser um trinco puro), a obsessão deles neste momento são os jogadores ofensivos, sobretudo nas alas.

Creio que esta operação é uma pré renovação de contrato... Com dinheiro que provavelmente vem duma venda futura do Cebola e de Fernando.

Pedro disse...

Este negócio é uma das desvantagens de ter passes partilhados. Provavelmente houve uma proposta de 17,7 milhões pelo Moutinho e que o tal fundo, que é dono de parte do passe, estaria na disposição de aceitar.

Se a transferência fosse do agrado do jogador, o Porto não teria outra hipótese que não o de cobrir a oferta pela parte do passe que não detém ou então aceitar vender também.

Nuno de Campos disse...

Apure-se exactamente quem está por trás destas entidades obscuras chamadas "Fundos" e logo se compreenderá o que se passou. Nestas negociatas de compra vende, volta a comprar, etc, os protagonistas muitas vezes são os mesmos.

rogério paulo almeida disse...

Realmente não entendo tanta especulação e os fantasmas que por aqui se podem ver. Numa altura de "vacas magras", e falo da época passada, em que não tinhamos LC, para a reconquista do ceptro decidimos apostar forte e dotar o nosso plantel de qualidade em quantidade. E todos gostaram, certo? Investimos cerca de 30ME em jogadores... Otamendi, Souza, Moutinho, Walter, James... Para que esse investimento fosse possível, recorremos a parcerias para a sua efectivação. No caso de Moutinho, que nem era uma contratação inicialmente prevista, o mesmo se fez. Dividimos o encargo financeiro e o risco do negócio em si. Talvez haja quem pense que se disponibiliza 11ME para a compra de um jogador, assim, num abrir e fechar de olhos. A solução encontrada, face à possibilidade da sua contratação, foi essa. Parceria para aliviar a tesouraria. Hoje, passado um ano, com um plantel bastante valorizado, LC no relvado e nas contas, com mais certezas de mais-valias futuras, ou seja, com um desafogo financeiro previsível, decidimos avançar para a recompra de determinada percentagem. Qual é a dúvida? Onde está o fantasma? O nosso Clube consegue uma percentagem maior de um jogador indiscutível e ficamos todos chateados? O mesmo foi feito com James. E só ainda não aconteceu em relação a Walter pois este ainda não nos dá a confiança necessária para efectuar esse reforço. Danilo e Alex Sandro são situações idênticas. Daqui a algumas semanas será, provavelmente, formalizada publicamente a cedência de parte dos respectivos passes com certo e determinado parceiro ou fundo. Quanto à questão se Moutinho vai sair ou não... alguém pensa que Moutinho vai se eternizar aqui? Se não sair este Verão, sairá no próximo, ou no máximo no seguinte. Onde está o espanto? Qual é a política do nosso Clube? Qual é a única forma de nos mantermos neste patamar de excelência? Não é potenciar jogadores, tirar o rendimento desportivo, conquistar títulos, estar presente nos grandes palcos e, posteriormente, retirar os dividendos financeiros com a venda dos atletas, e iniciar novo ciclo, num patamar acima do anterior?

Abraço