sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Perguntar não ofende...


Uma perguntinha: qual era o valor da cláusula de rescisão do Ruben Micael? Decerto muito superior ao valor da sua venda.


Antes que os espíritos malévolos digam alguma coisa, devo referir que esta minha pergunta pretende apenas demonstrar que, de hoje em dia, as cláusulas de rescisão não são para ser levadas a sério.

19 comentários:

HOOLIGAN disse...

tenho orgulho neste presidente que de olhos fechados vê, REALMENTE, muito mais do que todos de olhos abertos. este madeirense era um FLOP e tinha de ser despachado. se possível, sem prejuízo - e foi.

Miguel disse...

Cláusula de rescisão = Valor a partir do qual o clube se vê obrigado a aceitar a proposta de outro clube.

Acho que há muita gente que não sabe o que é uma cláusula de rescisão.

David disse...

Certo, muita gente não saberá o que é uma cláusula de rescisão, mas quem se farta de dizer que os jogadores só saem pelo valor da respectiva cláusula é o idolatrado NGP...

Miguel disse...

Ó David isso é show-off como é óbvio para vender pelo valor mais alto possível. Ia dizer o quê? Que a cláusula é 45 milhões mas aceita negociar por 30?

É a melhor maneira de dizer: Não temos interesse em vender, e mesmo assim se quiserem comprar, preparem-se que as negociações vão ser duras.

Hugo disse...

Sinceramente, e não gostando de idolatrar aqueles que são pagos para exercerem (bem) as suas funções, não vislumbro como não estamos todos hoje a dar os parabéns à SAD do FCP pelo excelente negócio realizado.
Há um mês atrás o Falcão teria saído por 30 milhões de euros e ontem foi vendido, no mínimo, por mais € 10 milhões de euros.
Para além disso ainda se encaixou mais € 5 milhões de euros com a venda de um jogador que, no meu humilde ponto de vista, não tinha lugar no actual plantel do FC Porto.
E, ademais, só não vê quem não quer ver que a venda do madeirense apenas serviu para o FC Porto lograr obter os tais 45 milhões de euros pela venda do Falcão. Se assim não fosse com certeza que o Atlético já não lhe teria dado guia de marcha mesmo antes dele chegar (aliás, o Mazano até se mostrou surpreendido anteontem na conferência de imprensa de antevisão do jogo com o Guimarães quando lhe falaram que o madeirense ia para o Atlético).
Se noutras (poucas) vezes podiamos discutir, não compreender ou até criticar, desta vez devemos parabenizar o nosso Presidente.

meirelesportuense disse...

As cláusulas de rescisão são um dique às possibilidades de transferências existentes anteriormente...Hoje essas cláusulas garantem sempre que o Clube esteja irredutível, o pagamento de verbas consideradas suficientemente compensadoras...Mas elas são metas indicadoras, não são por si só, metas fixas, defendem sim quem quer negociar dentro de determinados valores...E quem quer vender pode fazê-lo baixando essas condições sempre que o desejar...Acho que tudo isto é muito claro.

O jogador não é a parte mais importante neste tipo de transacções?...Parece-me óbvio que sim, e o Micael deve ter querido e muito ir para Espanha, não me acredito que alguém no seu juízo, e ainda por cima prima-dona como qualquer jogador de futebol é, possa ser instrumentalizado de qualquer forma como parecem querer afirmar.
Não façam de pessoas bem informadas e cientes dos seus direitos, seres sem coluna vertebral.
-Não eram dois legumes que foram negociados.

meirelesportuense disse...

A resposta que pode merecer o nosso crédito!
O caso do Rúben é igual a diferença está nos valores envolvidos...

"O avançado Radamel Falcao já está confirmado como jogador do Atlético de Madrid, contratado ao FC Porto por 40 milhões de euros, e, na sua mensagem de despedida revela que irá ser sempre adepto do clube portista.

"Não vos posso prometer que um dia irei regressar, mas uma coisa posso garantir: serei Dragão até ao fim", frisou o colombiano numa nota publicada no seu site oficial, falando dos seus tempos de FC Porto como "duas épocas incríveis" onde aprendeu e cresceu "muitíssimo".

"Todos me receberam da melhor forma possível, desde os meus companheiros, às pessoas do clube e da cidade", acrescentou Falcao, que agradeceu a "fantástica oportunidade" que lhe foi dada por "toda a família portista, liderada pelo seu presidente".

Duarte disse...

David, se calhar tens muitas razões de queixa do Pinto da Costa ou da forma como o Porto é gerido. Claro que nos negócios se cometem incoerências e bluffs em prol dos interesses próprios. E neste caso, os interesses do NGP são também os do nosso clube.

Não sei de quanto era a cláusula do Ruben, mas sei que a do Sereno, por exemplo, é de 30 milhões. Ele foi emprestado ao Colónia, mas imagina que saía por 5 milhões de euros... ficavas contente ou preferias destacar a necessária incoerência relativamente às cláusulas?

Criticaste no post anterior aquele tipo de adeptos que não se importa que o clube invista em reforços para melhorar o desempenho desportivo e depois ficam igualmente contentes quando vêem os melhores jogadores saírem. Pois bem, sou um desses adeptos. Fico contente, em parte, porque fizemos um bom negócio, recebemos muito dinheiro e, mesmo achando que o Falcao poderia sair para o ano, a sua venda tornou-se inevitável. Claro que preferia que o Porto tivesse capacidade para impor cláusulas de rescisão ainda mais altas a todos os seus bons jogadores, mas não pode.

Pedro disse...

Eu também critico com frequência questões ligadas a transferências, mas neste caso concordo com quem diz que foi um excelente negócio.

Creio que a cláusula do Ruben seria 30 milhões, mas esse valor apenas serviria de referência se ele se tornasse tão influente como por exemplo é o Moutinho.

E para além disso a aquisição se foi pelos mesmos valores, então a SAD lucrou alguma coisa porque ainda "usou" o jogador por época e meia e por isso o valor líquido do passe seria de apenas uma percentagem do valor inicialmente pago.

Quanto ao Falcão, foi um excelente negócio que ninguém imaginaria possível há dois meses.

Frederico disse...

Depois destas 2 transferências parece-me que o Jorge Mendes deixa de ter representados no plantel do FCP. Será que estou enganado?

Tripeiro Conbictu disse...

Não sei quem escreveu isto, mas decerto que não é para ser levado a sério. As cláusulas de rescisão existem e são cada vez mais usuais, para que não aconteçam mais casos iguais aos do Paulo Assunção (Lei Webster). Além disso, as cláusulas de rescisão servem para que um clube se salvaguarde dos ataques de clubes milionários. O facto de Hulk ter uma clásula de rescisão de 100 milhões de euros, não quer dizer que só saia mediante o pagamento desse montante. Antes de escrever sobre o que não sabe, informe-se.
Tenha coragem de assumir o seu mourismo.
Nota: PC é o mais bem sucedido dirigente desportivo da história do futebol. Não quero godinhos lopes nem orelhudos no fcporto.

Pedro disse...

quem paga a clausula de rescisão é sempre o empregado

Alexandre Burmester disse...

Não sabe quem escreveu o quê, Tripeiro Conbictu? Se se refere ao meu pequeno apontamento, todos os autores do blogue assinam com os seus nomes o que aqui escrevem, o que sucede apenas com uma ínfima minoria dos que comentam esses "escritos".

A sua referência ao meu suposto mourismo é demasiado hilariante para receber resposta, além de muito pouco original. E foi por pouco que passou o crivo da moderação de comentários, pois esse é o género de observação que tendemos a não permitir nas caixas de comentários.

Não me ensina nada acerca da Lei Webster (de facto um acordão e não uma lei) e sei muito bem qual os objectivos essenciais das cláusulas de hoje em dia. Apenas pretendi realçar o facto de que quando a comunicação social alardeia os valores astronómicos das cláusulas de rescisão de muitos jogadores dos três grandes, como se isso significasse que eles vão necessariamente ser transaccionados por esses números, está a demonstrar ligeireza e leviandade.

Infelizmente, entre os adeptos do FCP há demasiada gente à caça de bruxas.

Dragaoatento disse...

Quanto à cláusula de rescisão do Rúben não sei, mas admito que tenha sido bem transaccionado!

Off the topic!

OFF the topic!

JJ faccioso e provocador: diz que penalti contra o Vitória foi inexistente...!

O Calimero chorinha-mor Godinho a reclamar isenção para o seu Sporting! Será que no relatório por ele apresentado também referiu a agressão praticada pelo Jeffren a um jogador do Olhanense?!

Somos FC Porto, sempre!

reine margot disse...

Boa resposta AB ! E bom post. De repente começaram a aparecer uns comentários de uns portistas vindos sei lá de onde, que têm um credo, e quem pensar diferente, é logo rotulado de infiel e proposto para morrer na fogueira!... Mesmo que muito provavelmente sejam adeptos portistas há bem menos anos que o AB (ou eu) e tenham passado muito menos anos a ver os outros ganhar... enfim; há espaço para todos, mas de facto, às vezes faz rir... ou faz pena... não sei.
Nem sempre concordo com as crónicas do RP, mas acho um blogue inprescindível no mundo azul e branco. Para mim, ainda bem que pensamos diferente.

Quanto ao Ruben, foi mesmo de presente, e acredito que tenha sido para limpar o balneário... mas, isto é uma boca de feeling e não que eu saiba alguma coisa...

Miguel Teixeira disse...

A venda de Falcao foi de facto um excelentre negócio, ainda que porventura ainda vamos ter algum arrependimento desportivo - diga-se o que se disser a verdade é que vendemos provavelmente o melhor 9 da actualidade...

Mas aplausos para a venda do Falcao, o negócio é excelente pelos valores envolvidos.

Aquilo que me pareceu um péssimo negócio foi a venda do Micael por apenas 5M. Gosto do jogador, é internacional português, é jovem e poderia valorizar muito mais se eventualmente fosse emprestado a um clube estrangeiro. O único argumento que imagino a favor da venda do madeirense vai no sentido do Presidente querer ver-se livre de jogadores representados pelo Mendes... julgo saber que já não existe mais nenhum no plantel do FCP...

Nelson Carvalho disse...

O Ukra e o Orlando sá os únicos jogadores do plantel representados por Jorge Mendes no plantel.

Não se tratam, portanto, de grandes referencias da equipa, tal como era Falcao e, em menor medida, Rúben Micael.

Sim, também suspeito que Mendes é "persona nom grata" no FC Porto, apesar de esta contenda nunca ter sido devidamente explicada. Porque passar de empresário de referencia a um proscrito é porque algo de grave se passou!

Pedro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
HULK 11M disse...

"...Porque passar de empresário de referencia a um proscrito é porque algo de grave se passou!"

Pois... exactamente como já tinha acontecido com José Veiga, fundador da casa do FCP no Luxemburgo, onde era chapeiro de automóveis e foi feito empresário de jogadores de futebol, precisamente pelo FCP!!! Algo de grave se passou neste caso, sem dúvida! Mas suspeito que foi algo de tenebroso para os 2 lados porque nunca ninguém do FCP alguma vez falou no assunto.

Quanto ao Jorge Mendes... talvez não se esteja a passar nada de anormal. Aguardemos para confirmar