sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Sem nota artística, mas com eficácia


A primeira jornada já tinha deixado o aviso. Este Gil Vicente sabe tratar bem a bola e é uma equipa com um nível de agressividade positiva, capaz de desconstruir conjuntos organizados. Não demorou muito a prová-lo uma vez mais no Dragão. Só não foi capaz de suster o fulgor de Hulk e a reacção rápida do FC Porto ao golo sofrido. A vitória acabou por ser tranquila, mas a qualidade artística, como dirá Vítor Pereira, está bem longe da nota máxima.

O encontro começou logo tremido. E azedo para Sapunaru. Uma perda de bola infantil do lateral romeno abriu uma auto-estrada a Hugo Vieira, “obrigando” Otamendi a recorrer ao penálti. A nossa equipa entrava no jogo a perder e só não ficou com menos um elemento em campo por má avaliação da equipa de arbitragem. Há que assumi-lo; o central argentino deveria ter sido expulso, não pela impetuosidade do lance, mas pela iminência de golo.


A equipa sentiu o abalo e teve dificuldade em reagir à adversidade. Felizmente a ingenuidade de Sapunaru foi retribuída com gentileza por parte de João Vilela. Carga sobre Hulk que o mesmo tratou de converter e restabelecer o empate. Sem deixar respirar, e apenas 5 minutinhos depois, Sapunaru já estava a fazer a cambalhota no marcador, correspondendo a um canto preciso do Incrível.

Longe de se exibir a um nível a preceito, com um enorme susto logo a abrir, o facto é que o campeão nacional foi capaz de inverter a marcha no marcador com relativa facilidade. A equipa serenou e foi tentando ser contundente na iniciativa. Varela esteve muito interventivo, mas nem sempre decidiu bem. Os homens de Barcelos ainda não se tinham eclipsado. Criaram até alguns momentos de aperto para as redes de Helton. Felizmente não foram capazes aproveitar.


Mais ponderada e equilibrada, a nossa equipa na 2ª metade foi mais fiel à sua doutrina. Na posse, na gestão e no controlo do jogo. O Gil Vicente perdeu margem de manobra e a bomba de Hulk retirou-lhes as esperanças. A tranquilidade reinou, num triunfo que terminou fácil, mas muito longe de ser brilhante. Enalteça-se Souza, com uma prestimosa actuação e o inevitável Hulk, que já vai disparado na lista dos melhores marcadores.

Vítor Pereira aventou na antevisão deste encontro para a maior importância da vitória em detrimento de uma possível menor qualidade de jogo neste prólogo da época. Compreende-se. Assim como também é compreensível todo este entra e sai que vem agitando o plantel por estes dias. Mas, no próximo jogo não haverá espaço para ressalvas e paninhos quentes, porque é o melhor dos melhores que vamos ter pela frente e está também mais um caneco em disputa!

17 comentários:

rbn disse...

Começando pelo começo, Varela e Kleber foram 2 nulidades.
O 1º era época passada irritante, displicente, inoperante e intermitente.Neste começo de época nem essas "qualidades" mostrou.

Kleber parece que sentiu o "peso da camisa"(ditado muito popular no Brasil, quando um jogador joga muito bem no clube, e na selecção não joga nada).
Perdido em campo feito cego em tiroteio.Não cria, não tabela, não se desmarca e não marca.

FCP apático e pouco criativo, valeu Hulk mais uma vez.

Penso que toda a gente, menos Fucile, tirou o pé, para não ficar fora da Supertaça Européia.
Até aceito como argumento.

Mas, com estas falhas e desconcentrações todas, sabendo-se de antemão que Messi e cia vão cair em cima logo no início do jogo, corremos sério risco de levarmos uma goleada histórica.

Mas Viena é o melhor exemplo.
A soberba catalã pode ser a nossa maior arma.

Abraços.

Dragaoatento disse...

O jogo d'hoje, transmitiu-me grande apreensão! Se uma simples equipa como o Gil nos causa tamanhas dificuldades, que dizer de quando defrontarmos o Barça! Uma equipa que joga em velocidade, que troca a bola com uma eficiência fantástica, e que quando resolve atacar, fá-lo com um grau de eficácia tremendo! Estou deveras preocupado. A equipa do FC Porto a jogar assim: lenta, com trocas de bola muito denunciadas e imprecisas, corre o risco de ser esmagada pela equipa blaugrana. Para já a previsão é negra, mas, oxalá me engane.

nexus disse...

Tenho algumas dúvidas no cartão de Otamendi... Não me recordo de nenhum expulsão em lance similar. Nem na champions. A iminência de golo, enquadramento com a baliza e dominio de bola é demasiado subjectiva na maioria das vezes.

Quanto ao resto falta-nso demasiada gente. A.Pereira e James, Guarin ao melhor nivel, um avançado mais rotinado e opções ao Varela. Acredito que com mais 2 ou 3 semanas vamos chegar ao nivel do ano passado. Pena o Barça ser agora...

Filipe Costa Pinto disse...

Um pormenor: se Otamendi não tivesse cometido a falta que podia (e devia) ter dado em expulsão provavelmente era golo na mesma e não havia discussão nenhuma que agora será inevitável por parte dos clubes adversários.

Era uma questão de raciocínio rápido, mas há muito quem diga que normalmente os jogadores são bons com os pés e maus com o cérebro.

Já vi tanto destes lances que não percebo como não instruções dos treinadores para em casos como este, de um 0 a 0, isto ainda não foi ensinado.

Isso e o estar em frente à baliza com apenas o guarda-redes pela frente e não se precipitarem e não rematar à figura.

São coisinhas de enorme importância.


Gostei foi das palavras de ViP acerca do Jasus e tive pena que não fosse ainda mais contundente lembrando o tipo de discurso que esse tipo tinha antes de ir para o clube do bairro de lisboa e compara-lo com o que tem agora.

Pedro Reis disse...

O cartão vermelho ao Otamendi é questionável mas o penalty a favor do FCP não existiu de todo, há que admiti-lo sem rodeios. O Hulk sentiu um pequeno contacto e atirou-se para o chão. Não gosto de ganhar assim...

Quanto à exibição foi fraca, muita lentidão, tudo muito denunciado, os jogadores não se mexem e não criam linhas de passe.

Para mim os melhores foram o Souza, o Hulk e o Kléber (que segurou e passou sempre bem). O Belluschi tb entrou bem no jogo.

Contra o Barça temos que jogar muito melhor se queremos disputar o jogo e o resultado.

Mário Faria disse...

Uma equipa irritante e demasiado vedetismo. Quem não se sente bem que zarpe tão depressa quanto possível.
Muita gente, muito emigrante, todos nós merecíamos melhor espectáculo.
Valeu a vitória.
O Barça vai ser um teste muito complicado e vamos poder ver se a equipa tem alma e competência.

Nelson Coutinho disse...

Será que eu sou o único a achar que o Djalma merecia ser titular no próximo jogo do campeonato em detrimento do Varela que nos voltou a brindar com uma performance de baixíssimo nível?

Fred disse...

Discordo completamente da opinião do Pedro Reis. O penalty sobre o Hulk existiu, talvez não seja completamente visível em câmara lenta mas em velocidade normal vê-se o empurrão que o jogador do Gil Vicente efectua sobre o Hulk, o suficiente para o desequilibrar. Havia ainda um penalty que podia ter sido marcado sobre o Varela.

Alexandre Burmester disse...

Calma, amici miei! No Mónaco vai estar uma equipa para a qual ganhar a Supertaça é importantíssimo e outra que está relativamente a marimbar-se para esse caneco.

Isto não significa que o jogo me tenha agradado, mas ainda me lembro do paupérrimo espectáculo que demos na época passada na 1ª jornada na Figueira, e depois foi o que se viu!

Duarte disse...

Não, o jogo não me agradou, mas foi o melhor de todos os que fizemos até aqui. E parece que já toda a gente se esqueceu como é que o Gil Vicente se tinha portado na semana passada.

Louro disse...

Amanha , as capas dos pasquins da ao capital vao dizer que o FCP foi beneficiado pela arbitragem para vencer o jogo e para isso basta ver a cronica no site do semanario Sol.
Espantoso que nao vejam o penalti sobre o varela aos 39 mns de jogo , no entanto é discutivel a mostragem de um vermelho ao Otamendi porque nao é claro que faça golo visto que Helton saia para fazer a mancha e a bola nao ia na direccao da baliza..

Nightwish disse...

Os meus dois cêntimos mais IVA de quem só viu a segunda parte e o resto em +- em resumo.
Vermelho seria indiscutível para Otamendi, penso que o árbitro teve pena porque falhou por uma unha na bola, mas era só o jogador rematar. Quanto a ele n ter ido à bola é de rir, pois só nos últimos jogos tivemos carrinhos de risco onde tudo correu como devia e não houve problemas.
Penalty sobre o Hulk tal como penalty do Sapunaru, na dúvida sobre se à força suficiente ele que não tenha ali o braço que não está ali a fazer nada.

Pedro disse...

fomos ajudados e devíamos ter perdido para abrirem a pestana.

otamendi devia ter sido expulso;
ha' um penalti sobre o varela;
ha' várias faltas e mãos não assinaladas dos jogadores do gil vicente;
ha' um lance duvidoso na área do porto aos 85' entre sapunaru e hugo vieira

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Estávamos avisados para a qualidade do onze de Barcelos, nomeadamente Hugo Vieira, mas Sapuranu completamente a "dormir", com um perda de bola infantil permite que o gilista se isole, obrigando Otamendi a cometer falta para grande penalidade, que lhe poderia também ter custado a expulsão. O Gil Vicente chegou assim à vantagem logo aos 3 minutos.

Os cerca de 44 mil no Dragão, após a conversão da grande penalidade, em constante apoio, empurraram uma equipa nervosa, trapalhona, e incapaz de criar oportunidades de golo, para a reviravolta no marcador ainda na primeira parte.

Primeiro de penálti, a punir uma falta sobre Hulk e depois de canto, com o incrível a colocar com conta peso e medida a bola na cabeça de Sapunaru que não perdoou.

Após a reviravolta no marcador, pensei que o FC Porto fosse acordar para o jogo, mas não, continuavam os disparates, o nervosismo, e o Gil Vicente criou pelo menos duas oportunidades para levar o jogo empatado para o intervalo.

Na segunda parte, foi mais do mesmo, e só Hulk tranquilizou as bancadas ao fuzilar de livre a baliza gilista.

Até ao apito final, foi um jogo entediante, que só Djalma e Belluschi sacudiram.

Quanto à performance dos jogadores, os mais lúcidos foram claramente Helton, que tentava motivar os 4 da sua frente, e Hulk o melhor em campo. Nota de realce também para Otamendi.


Resumindo, após a semana conturbada com as saídas de Falcao e Ruben, e do alegado interesse em Moutinho e Alvaro, a equipa ressentiu-se, entrando nervosa e trapalhona.
Valeu Hulk que em plena época de caça "matou" o galo com aquele balázio de livre que tranquilizou as bancadas e companheiros de equipa.

Nota de realce para o muito público que marcou presença no Dragão, e que após o penalti foi importante no empurrar da equipa para a reviravolta, embora fossem escusados os assobios a Varela.


Temos de melhorar em termos mentais, e para tal é necessário que o mais rapidamente possível esteja definido o plantel 2011/2012.

Na próxima sexta-feira diante do Barcelona, não podemos ter a atitude de ontem sob pena de sermos cilindrados

Boa semana
Paulo

pronunciadodragao.blogspot.com

Pedro disse...

o otamendi esteve horrível.. e o rolando quase lhe seguiu o rasto. bem esteve o souza

Miguel Magalhães disse...

O pior do jogo de ontem foi a incapacidade da equipa sair a jogar.
O Gil Vicente fez uma pressão enorme sobre os nossos defesas (foi assim que o Sapunaru foi surpreendido no lance do penalti) e a equipa ficava partida ao meio - os 4 defesas e o Souza a tentarem safar-se da pressão e o outros 5 escondidos sem criarem linhas de passe - sempre que tinha posse de bola na defesa.
Sabendo-se que o Barcelona faz da pressão e da posse de bola o seu jogo tipo, se não corrigimos este ponto vai correr mal na supertaça.
Quanto ao resto, penalti sim penalti não, expulsão sim expulsão não, fomos superiores e ganhariamos sempre com maior ou menor dificuldade.
(Ainda) não estamos a jogar bem mas estamos no início de época. Falta melhorar a atitude (mais garra) e falta jogarem com as linhas mais juntas.
E, tal como li escrito por alguém há uns tempos, temos que esquecer a época anterior quando analisarmos o desempenho desta pois o desempenho do ano passado foi verdadeiramente excepcional e, por isso, anormal.

Nightwish disse...

A equipa parecia que não conseguia fazer uma recepção de bola em condições, ia sempre para o sítio errado, ou com força a mais. Desaprenderam?