sábado, 27 de agosto de 2011

Um substituto para o Falcao... no presente

No dia 12 de Julho, à noite, Pinto da Costa foi o convidado de honra no encerramento do quinto ano de tertúlias no Casino da Figueira, tendo sido entrevistado por Fátima Campos Ferreira.

Nessa entrevista, sobre entradas e possíveis saídas, Pinto da Costa afirmou:

"Admito que possa sair alguém, mas também não ficaria nada admirado que não saísse ninguém. Se sair, temos substitutos para 10 jogadores. Se saírem dez, eu tenho um para cada lugar e até ficam mais baratos. Há um para que não tenho substituto, que é o Hulk. Posso substituir qualquer jogador, melhor ou pior, menos o Hulk. Se sair o Álvaro Pereira tem um substituto. O Falcao faria falta, mas também encontrámos alguém para o substituir... Se sair o Hulk, entrará outro, mas como não há nenhum com as características dele e o nosso jogo teria de ser diferente".

Quando fez estas afirmações, Pinto da Costa não estaria concerteza a pensar nem no Walter, nem no Kléber para substituir Falcao, até porque esses já cá estavam (a treinar com o plantel) e não precisavam de ser encontrados.

Aliás, sobre o Kléber, nas declarações que fez após a final da Supertaça Europeia, o próprio treinador admite, implicitamente, que ele terá de evoluir bastante:

"Kléber é um grande jogador, tem uma margem de progressão enorme e vai-se tornar uma referência no futuro. Não tenho dúvidas nenhumas. É bom recordar que os pontas-de-lança que saíram do FC Porto como grandes referências do futebol europeu, não eram esses jogadores quando chegaram no FC Porto. A qualidade do FC Porto permitirá esse trabalho, com certeza que faremos do Kléber um grande ponta-de-lança, uma referência no futuro.

Também me parece que o Kléber tem qualidade e até admito que poderá vir a ser a tal referência no futuro. Contudo, os grandes clubes, e o FC Porto é um grande clube, vivem do presente. E no presente são precisos resultados, vitórias, golos.

Por isso, espero que até 31 de Agosto a SAD encontre o tal substituto adequado para suprir a saída de Radamel Falcao. É que temos uma Liga dos Campeões para disputar...

25 comentários:

r.m.silva da costa disse...

Eu concordo com quem vê em Kléber um jogador com futuro. Desconheço, porém, porque é que, desde que começou a jogar no FCPorto, ainda não confirmou tudo o que já se lhe poderia exigir neste momento, sem prejuízo do empenho que tem posto para causar a melhor impressão.

Mesmo que Kléber venha a ser indiscutível e considerando que (aparentemente...) Valter não é alternativa por ora, tarda em confirmar-se o que Pinto da Costa disse no momento em que a saída de Falcao era já tida como fechada, dando a entender que a substituição seria imediata.

Maria Da Fonte disse...

Eu acredito no kléber, no Victor Pereira no plantel e sobretudo no NGP.
NÃO FAÇAMOS DE UM JOGO INFORTUNADO uma tragédia.
Já nos levantámos em situações muito mais delicadas,continuamos fortes e vamos ser muito mais fortes ,somos PORTO.
PORTO PORTO PORTO

Jorge disse...

E preciso ter alguma paciencia.
A primeira epoca do Falcao e uma excepcao para um novo ponta de lanca num clube.
E preciso ter em conta que nao so o Kleber acabou de chegar ao clube, como e muito novo e nao tem a experiencia que outros tiveram, mal jogou no Brasil e depois teve duas epocas num clube de meio da tabela em Portugal.
A unica maneira de progredir e de realizar o seu potencial e jogar.
Por isso ha que ter paciencia e nao desperdicar outro Luis Fabiano.

Daniel Gonçalves disse...

O habitual na nossa estrutura é termos um jogador que já vinha da temporada anterior - onde alternava o banco com a titularidade - onde ia ganhando experiência na equipa e se ambientava ao espírito de equipa, ora eu penso que era o que se tinha em mente com Walter, mas ele não esta a merecer essa aposta. Porquê? Não sei a resposta, mas se a equipa técnica não aposta nele lá devem ter os seus motivos que nos desconhecemos.

Maria da Fonte disse:"Eu acredito no kléber, no Victor Pereira no plantel e sobretudo no NGP." Também partilho desta opinião, ao Presidente pela sua obra ao serviço do nosso clube, ao Vítor Pereira por aquilo que demonstrou no jogo de ontem e nos jogos anteriores e pela confiança que a Admin. lhe deu; no Kléber também tenho confiança, mas ele ainda esta "verdinho" e nós precisamos de um avançado para já/hoje (senão para ontem) e não para daqui por 4 ou 5 meses, ainda lhe falta entrosamento com o resto da equipa, e nós temos a Champions à porta, com equipas "duras de roer" como o Shaktar e o Zenit.

Cumprimentos para aí, para a Póvoa de Lanhoso.

Alexandre Burmester disse...

Quando um jogador tem categoria suficiente, pega de estaca, seja em que campeonato for. Em Portugal é que há esta mania das "integrações", "ambientações" e outras tretas semelhantes. Em Inglaterra um jogador assina à 5ª feira e no sábado já está a jogar pela sua nova equipa.

Jardel, Zahovic, Drulovic, Falcao, Lucho González (e outros poderia nomear) não precisaram de qualquer "integração" ou "ambientação".

Deixemo-nos de esquisitices.

Posto isto, acho que o Kleber tem qualidades mas não é nenhum super-craque, pelo que há que contratar um jogador mais qualificado.

miguel87 disse...

Tivesse Kleber a cabeça fria para concretizar os lances isolados que teve em Guimarães e mais um pouco de felicidade num cabeceamento um pouco ao lado do poste na 2ª parte do jogo com o Gil - numa jogada que ele próprio brilhantemente lançou à entrada do meio campo ofensivo - e não acredito que se estivessem agora a lançar tantas dúvidas sobre a qualidade do ponta de lança.
Pelo potencial que demonstra com a idade que tem, o toque de bola, movimentação em campo e os golos que marcou e deu a marcar na pre-epoca estou convencido que é uma questão de tempo até pegar de estaca e fazer esquecer Falcao da maneira que este tinha feito com Lisandro e este com Mcarthy and so on and so on...

Como alguém aqui escreveu, Falcao foi realmente uma excepção na maneira célere como chegou, viu e venceu e estou convencido que no patético de madrid não irá além dos 10-15 golos na liga - vão ver os números dele antes de chegar ao Porto (e já agora na seleção) e pensem nisso.

Quanto às palavras de PC não tenho duvidas que objectivo era acima de tudo preparar mentalmente os adeptos para a saída dos mais importantes jogadores do plantel, para alem de Hulk.

Alexandre Burmester disse...

"Tivesse Kleber a cabeça fria para concretizar os lances isolados que teve em Guimarães e mais um pouco de felicidade num cabeceamento (...)"

Pois, precisamente por ele não ter tido nada disso é que nós dizemos o que dizemos.

"Como alguém aqui escreveu, Falcao foi realmente uma excepção na maneira célere como chegou, viu e venceu (...)".

Como eu escreveu, Falcao não foi nenhuma excepção. Os grandes jogadores não precisam, regra geral, de períodos de adaptação. Os outros é que sim. E posso juntar mais um flagrante exemplo aos que dei: Benni McCarthy, com 12 golos em 11 jogos na 2ª metade de 2002/03, em que esteve cá emprestado.

Nelson Coutinho disse...

Alexandre Burmester: curioso que nessa lista nao incluas o nome de Lisandro, que passou 1 época inteira quase sem jogar e hoje é o que toda a gente sabe...

DC disse...

Gostava muito de ver o Bendtner no Porto!

Alexandre Burmester disse...

Ora bem, Nelson, nem me lembrei dele, mas esse caso é até uma excepção entre os craques, e não desmente a minha tese. Aliás, o facto de o Lisandro não jogar não significava inadaptação, mas teimosia do treinador, a meu ver. Sempre que jogou mostrou categoria, apesar de ser constantemente utilizado fora de posição (a ala). Mas, repito, mesmo que o Lisandro tenha precisado do famoso "período de adaptação", tal não prova que os jogadores que têm mesmo categoria precisam desse período. Insisto que isso é para mim uma pura bizantinice portuguesa. Claro que quem não estiver de acordo comigo é livre de o dizer, escusando, contudo, de achar curioso que eu não inclua este ou aquele jogador nos meus raciocínios, como se o fizesse com segunda intenção.

Alexandre Burmester disse...

E o Bendtner, precisaria de período de adaptação, DC?;-)

Jorge disse...

O Bendtner nao tem 20 anos e possivelmente tambem precisaria de alguma adaptacao ate perceber as movimentacoes e o tempo de passe do Hulk e quejandos e estes perceberem as movimentacoes do Bendtner.
Qualquer jogador precisa de algum tempo de ambientacao seja ele o Higuain, o Benzema, o Villa, o Torres ou o Kleber. Esse tempo pode ser mais ou menos extenso dependendo por vezes da sorte e dos niveis de confianca.

Pedro disse...

a questão do lisandro é uma falsa questão. aposto que se na primeira época do falcão o tivessem posto a jogar a extremo ele também não teria rendido o que rendeu...

enfim, o co adriaanse era mesmo muito fraquinho

Pedro disse...

eu ontem até fiquei satisfeito pelo simples facto de, depois de um mau jogo com o gil vicente, termos demonstrado grande empenho perante o grande barcelona. no entanto, e' óbvio que precisamos de um ponta de lança de qualidade, o kleber ainda ta' muito verdinho.

Jorge disse...

Jogadores nao sao fruta, nao amadurecem na prateleira.

reine margot disse...

Quando penso que já tivemos que caçar com postigas e hugos almeidas...
Nem acho que o Kléber se tenha que ambientar: para além das toneladas de diferenças entre jogar nos barreiros ou no mónaco; acho é que é um jogador diferente do Falcao, que era um puto de rua, rato, e o Kleber é um menino... logo que ele marque o primeiro golo oficial, vai engatar ...
De todos os que o AB enumerou, qual teve o "azar" de jogar logo contra o Barça ?

José Correia disse...

"O FC Porto fez uma proposta, mas foi considerada baixa pelo CSKA. Não há novidade por enquanto, mas vamos esperar esta semana. Já estou aqui há sete anos, seria bom respirar novos ares.
Tenho ambição de conseguir títulos noutros países, de vencer uma Liga dos Campeões. O CSKA tem uma boa equipa, mas para ganhar a Champions é difícil. Tenho ambições e gostaria de ir para outro lugar."
Vagner Love, avançado brasileiro do CSKA Moscovo

Daniel Gonçalves disse...

Tenho um palpite que, após essa recusa do Wagner Love, será um avançado vindo do mercado sul-americano, até porque na Europa já não restam muitas - e boas - alternativas. Por onde andará o Luís Fabiano?

miguel87 disse...

Alexandre Burmester disse...
"Tivesse Kleber a cabeça fria para concretizar os lances isolados que teve em Guimarães e mais um pouco de felicidade num cabeceamento (...)"

Pois, precisamente por ele não ter tido nada disso é que nós dizemos o que dizemos."

Relembro que o Falcao era jogador para falhar várias vezes aqueles lances que pareciam golos já feitos e também houve períodos em que nem sempre marcava. Isso comprovadamente não quer dizer que não fosse um fora de série. Continuo a achar que apenas falta um golito ao Kleber para lhe dar a confiança necessária e as coisas começaram a engatar... penso que é mais ou menos consensual que no futebol é mesmo assim.

Alexandre Burmester disse...

Se calhar falta mesmo um golito ao Kléber, caro miguel87, mas aqui discutia-se a "adaptação".

Claro que eu não sou obtuso ao ponto de negar que um jogador tem de ter algum tempo de adaptação ao modo como a equipa joga. Nada disso, claro. A "adaptação" cuja necessidade eu contesto é a "adaptação ao clube, à cidade, ao país", essas tretas.

Mas mesmo a adaptação à equipa, se o tipo for mesmo bom, é rápida, conforme os exemplos que dei (e que ninguém contestou).

miguel87 disse...

Alexandre Burmester disse...
"Como eu escreveu, Falcao não foi nenhuma excepção. Os grandes jogadores não precisam, regra geral, de períodos de adaptação. Os outros é que sim. E posso juntar mais um flagrante exemplo aos que dei: Benni McCarthy, com 12 golos em 11 jogos na 2ª metade de 2002/03, em que esteve cá emprestado."

Eu nem sequer falei no argumento da adaptação, que isso para mim também é tanga, um jogador ou tem qualidade ou não tem. Uma coisa diferente é o entrosamento necessário para conseguir o melhor rendimento numa equipa nova e com uma envolvente diferente além de que existem fases diferentes e picos de forma - o citado McCarthy quando regressou em 2004 ficou bem longe dessa média de mais de 1 golo/jogo. O Falcao nunca na vida dele tinha marcado tantos golos - o anterior máximo numa época eram 13 golos no campeonato e 19 no total das competições.
O exemplo citado do Lisandro acho que se aplica ligeiramente ao Walter que já mostrou bons pormenores e dotes de matador, mas parece-me um jogador de área que precisa de jogar mais acompanhado e portanto não rende o necessário num sistema de 4-3-3 como o nosso.

Alexandre Burmester disse...

Ó Reine Margot, os meus comentários ao Kleber não se prendem só, nem essencialmente, com o jogo contra o Barça. V.M., na sua extrema finura, deveria ter percebido isso.

Vamos traduzir esta famosa "adaptação" para português: "martelar, treinar, mentalizar, um jogador vulgar chegado ao FCP, até que ele se torne transaccionável por um valor interessante".

Estamos de acordo? Claro que nem todos necessitam disso. Exemplos contrastantes: Carlos Paredes e Fernando.

condor disse...

O Vagner love?pelo amor de Deus!
Só se for para preencher o imaginário das gajas cá da parvónea!
Deixem a poeira assentar e vão ver que daqui a pouco tempo já estamos a desejar que aumentem a clausula de rescisão ao Kleber!

José Correia disse...

«O FC Porto - e todas as equipas europeias - tem quatro dias para fechar o plantel e o ataque será o sector que mais preocupações causará ao treinador e à administração. Falcao saiu e Kléber deu sinais no Mónaco de ainda estar verde para a alta roda do futebol europeu. E mesmo que Vítor Pereira insista nos elogios públicos ao brasileiro, a SAD continua activa no mercado em busca de um avançado que se traduza num bom negócio. Até porque Leandro Damião parece ser demasiado caro e o empréstimo de Lukaku por parte do Chelsea não passará de um rumor.»
in ojogo.pt

José Correia disse...

«No meio de toda esta torrente de informação e contra-informação encontra-se Walter, o único concorrente directo de Kléber no actual elenco portista e cujo futuro continua envolto numa enorme interrogação. A hipótese de ser cedido até final da temporada a um emblema europeu, por forma a poder jogar com regularidade, mantém-se em aberto. No FC Porto, foi opção esporádica na época passada e, pelas indicações dos quatro jogos oficiais desta (tem 10´ de utilização), o cenário não será muito diferente, mesmo com a partida de Falcao. Esta semana falou-se do Bordéus e do Saint-Étienne, mas a situação não teve qualquer evolução nos últimos dias.»
in ojogo.pt