quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Cláusulas de rescisão e saldos

"Realmente houve contactos com o Chelsea ao longo dos últimos dias e uma proposta final que foi recusada, não só por ficar muito aquém do valor do jogador, mas porque o próprio nos manifestou a sua vontade de continuar no FC Porto, de continuar a ganhar títulos pelo FC Porto e de continuar a contribuir para que o FC Porto seja um clube maior.
Toda a gente sabe que ele tem uma cláusula de 30 milhões de euros e que o FC Porto não tem por hábito fazer saldos, mas se a vontade do jogador fosse declaradamente a de sair, estaríamos disponíveis para o escutar.
Falei directa e pessoalmente com o Álvaro Pereira que me manifestou a sua vontade de continuar no FC Porto. Não sei o que disse o seu empresário, mas sei aquilo que me foi transmitido pessoalmente e de forma muito clara pelo Álvaro".
Antero Henrique, director-geral da FC Porto SAD


Acerca das cláusulas de rescisão e dos saldos, é preciso não ter memória curta.
Quaresma tinha uma cláusula de rescisão de 40 milhões de euros e no dia 31 de Agosto de 2008 saiu para o Inter de Milão por 18,6 milhões (mais o passe de Pelé; mais objectivos).
Bruno Alves tinha uma cláusula de rescisão de 30 milhões de euros e no dia 3 de Agosto de 2010 saiu para o Zenit por 22 milhões.
Raul Meireles tinha uma cláusula de rescisão de 30 milhões de euros e no dia 29 de Agosto de 2010 saiu para o Liverpool por 13 milhões (mais objectivos).

As cláusulas de rescisão são um mecanismo de defesa para os clubes/SAD's, mas o normal tem sido os jogadores saírem por valores abaixo da cláusula de rescisão e às vezes muito abaixo.

Segundo O JOGO, a última proposta do Chelsea foi de 20 milhões de euros mais objectivos de valor variável e indexados às performances desportivas do Álvaro Pereira. A SAD entendeu não vender e está no seu direito. No final da época (se não for antes), ver-se-á se fez bem ou mal.

19 comentários:

Zero disse...

Eu arrisco dizê-lo agora: fez bem.

Preocupam-me as finanças do FC Porto mas neste caso... fez bem.

ℙ℮₦☨∀➆➄ ♅ disse...

caríssimas(os),

é tempo de apoiar o nosso plantel, com (ou sem) as limitações que possui (ou não).
confiemos em quem dirige os destinos do nosso clube há mais de vinte e nove anos - que não são propriamente vinte e nove dias (ou meses) - e que (acredito) já previu tudo o que por aqui vamos desabafando.

por último: a partir de hoje, todos os jogadores que fazem parte do plantel principal são os meus "heróis".
obviamente que, para mim e por motivos diversos, há uns que sê-lo-ão mais do que outros...

no fundamental: somos Porto, car@go!

«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs! ;)

Miguel | Tomo II

José Rodrigues disse...

Eu simpatizo com a opinião do Zero.

Tb me preocupam as financas, mas acho q o Palito ia fazer bastante falta desportivamente falando - e estou convencido q daqui a um ano (ou ate' mesmo quem sabe em Dez) e' vendido na mesma por 20M€ ou mais.

Ou seja, acho q se adiou apenas o encaixe do dinheiro, e entretanto beneficiamos desportivamente.

E' chato ter um jogador carissimo no banco (Alex Sandro), mas e' muito jovem e precisa de adaptar-se ao FCP/Porto/futebol europeu, por isso se so' comecar a jogar regularmente daqui a um ano não sera' um problema.

Para concluir: quem mais se lixou com isto tudo foi o E. Rafael.

José Rodrigues disse...

So' mais uma coisa, e ligada a este assunto: não me admirava nada q muito em breve tenhamos MAIS OUTRO emprestimo obrigacionista...

BATCdC disse...

Helton - Sapunaru - Rolando - Otamendi - A.Pereira - Fernando - Moutinho - Guarin - Varela - Hulk...

Do onze que acabou a época passada como titular mantivemos...10 jogadores!
Revolução no plantel? Nenhuma.
Kleber no lugar do Falcao e siga que a equipa está mais do que rotinada.
Claro que as dúvidas (Varela/James, Souza/Fernando, Fucile/Sapunaru) podem levar a alguma alterações mas não há necessidade de mexer muito no onze base.

A somar a isto tudo, penso que temos uma maior quantidade e qualidade de opções, que vão ter mais do que tempo para se integrarem no jogo da equipa e prevenir as futuras saídas de alguns dos principais jogadores (Defour, Iturbe, Mangala).

A questão da falta ou não de mais um ponta de lança só será lembrada se o Kleber não começar a engrenar ou se os resultados não forem positivos...

Força FCP

Treinador de Bancada disse...

José Rodrigues, não vou por aí; apostava mais na venda de parte dos passes do Danilo, Alex Sandro, Defour e Mangala a um fundo.

cumprimentos (des)portistas

Mário Faria disse...

Como não temos informação privilegiada, escrevemos em função do que lemos e de alguma natural especulação em torno de alguns sinais do mercado e dos jogadores que estariam em transito para novos emblemas, nomeadamente na forma como foram integrados (OU NÃO) na equipa, nesse tempo tido como de espera.
O FCP falhou não cumpriu o que seriam os seus propósitos no fecho do mercado. Os jogadores que quereria colocar (Beto, Rodriguez, Walter, Fernando ) não conseguiu por falta de interessados, outros que estaria disposto a ceder (Alvaro, Moutinho, Guarin e Rolando) porque merecendo alguma procura nenhum clube se disponibilizou a cobrir as verbas exigidas. Talvez, por isso, não foi capaz de encontrar um substituto credível a Falcão.
Notou-se neste fecho uma tendência para não entrar em loucuras e a compra maior andou na ordem dos 13m€. Acho que esta tendência se vai agudizar : a seca chegou à Europa rica.
O treinador vai ter um trabalho hercúleo. Deve haver muito descontentamento e desmotivação. Os jogadores estão demasiado mimados e há muito vampiro a sugar no negócio e a picar as estrelas. Os projecto$ estão a minguar. Que chatice.
O plantel é bom, apresenta muitas alternativas, salvo a saída do Falcão que não foi devidamente compensada.
O encaixe das vendas terá sido escasso para equilibrar as contas e aliviar a pressão sobre a Tesouraria. Daí a um novo empréstimo obrigacionista vai um pequeno passo, acrescento à previsão do José Rodrigues.
Não vale a pena chorar. E é assim que vamos a jogo. Fico na expectativa desportivamente e um pouco preocupado sobre a saúde financeira da SAD.

José Rodrigues disse...

"Notou-se neste fecho uma tendência para não entrar em loucuras e a compra maior andou na ordem dos 13m€. Acho que esta tendência se vai agudizar : a seca chegou à Europa rica."

Bem, se ha' seca então não chegou ao FCP... ja' q se não se entrou em loucuras no fecho de mercado, investiu-se forte e feio nos 2 meses q se antecederam (tendo sido batido de longe o recorde de dinheiro gasto em passes, mais de 60M€ num Verão) - e com negocios q não me parece q tenham sido minimamente em saldos (por exemplo compramos 2 laterais com CV senior muito curto por mais de 10M€ cada).

Nelson Coutinho disse...

Ora bem, vamos a contas:

o FCP gastou cerca de 42,5M€ em contratacoes este Verao, segundo dados do Maisfutebol.
Quanto as vendas, e muitos portistas parecem ja ter esquecido isto, o FCP batou este defeso 2 recordes! Falcao foi a venda mais cara de sempre do futebol Portugues (40M€) e André Villas-Boas, terá sido possivelmente a transferencia de treinador mais cara de SEMPRE em toda a Europa. Se bem me lembro, Mourinho custou cerca de 9M€ ao Real Madrid e já nessa altura se falava que foi uma transferencia carissima, pois bem, o nosso André rendeu-nos 15M€!

Alem disso, temos que ter em mente o seguinte: a partir da proxima temporada entra em vigor a nova lei da UEFA que limita as transferencias dos clubes. Neste sentido o FCP, como sempre, já se precaveu com compras como Alex Sandro, Danilo, Defour ou Mangala que dificilmente conquistarao um lugar no onze titular desta época.

José Rodrigues disse...

"José Rodrigues, não vou por aí; apostava mais na venda de parte dos passes do Danilo, Alex Sandro, Defour e Mangala a um fundo."

Bem visto, tb e' uma possibilidade. Mas suspeito q vamos ter as duas coisas...

Alexandre Burmester disse...

Caro ℙ℮₦☨∀➆➄ ♅ ,

Embora simpatizando com o seu grande entusiasmo, devo dizer-lhe que aqui somos todos portistas e, como tal, e como eu já disse há pouco tempo a outro "comentador", não adianta pregar a convertidos!;-))

Quanto ao cerne da questão, é sabido que as cláusulas, de hoje em dia, se destinam não apenas a garantir um bom negócio mas, e cada vez mais principalmente, a impedir saídas à francesa, como a do Paulo Assunção (whatever happened to him?), ao abrigo do "Acordão Webster".

No que se refere às finanças da SAD, também acho que serão necessários novos balões de oxigénio a curto prazo, mas ignoro se os mesmos terão a forma de empréstimo obrigacionista, venda de parte de passes a fundos ou mesmo vendas em Janeiro.

Finalmente, acabo por concordar com que se não tenha cedido ao Chelsea no "affaire" Álvaro Pereira. Também o Tottenham fez o mesmo (e por valores mais altos) com o Luka Modric. Há que pôr um travão a certos tubarões, quer se chamem Chelsea, Manchester City, Barcelona ou Real Madrid (claro que, para o Sr. Platini, só os clubes ingleses são tubarões).

José Rodrigues disse...

Caro Nelson Coutinho,

1) podemos ter batido o recorde individual de transferencia de um jogador ou um treinador, mas certamente não batemos o recorde de encaixe em transferencias num defeso. Em Verões anteriores encaixamos mais ou menos a mesma coisa em vendas, ainda q vendendo mais jogadores.

2) não gastamos "apenas" 43M€ em passes de jogadores neste defeso, mas sim mais de 60M€ (ao comprar partes de passes de jogadores q ja' tinhamos, comecando pelo Moutinho mas nao so'). Esse custo tera' q ser financiado de algum lado, um euro gasto no passe de um jogador e' um euro independentemente de ser num jogador novo no plantel ou velho

3) do lado das despesas, não so' batemos de longe o recorde de dinheiro gasto em passes num defeso, como temos q financiar em parte um defice corrente; e no ano passado esse defice aumentou por causa de estarmos fora da LC

Concluindo, a situacão de tesouraria da SAD não deve estar nada famosa. Não havendo mais vendas de jogadores, sobre cubri-lo com novos emprestimos ou quica' vendendo parte de passes a fundos. Ou as duas coisas...

miguel87 disse...

Eu acho que não li mal numa entrevista de Angelino Ferreira ao Jogo à cerca de 2 meses em que ele afirmou que as vendas de B.Alves e R. Meireles apenas foram contabilizadas nesta época... mais ninguem reparou nisso? É que sempre são mais 35 a juntar aos 42,5 milhões deste defeso!

Alexandre Burmester disse...

Pois, caro Miguel87, mas se as vendas de B. Alves e R. Meireles só foram contabilizadas no exercício de 2010/11, também a de Falcao só será contabilizada no actual, o de 2011/12, pois teve lugar depois de 30 de Junho.

Mas isso são questões contabilísticas. O principal problema financeiro da SAD é decerto o fundo de maneio, o "cash" disponível.

JPier disse...

Isso da situação de tesouraria não passam de especulações sem um mínimo de base porque ninguém sabe os prazos de pagamento das compras e das vendas excepto que os 15 milhões do AVB já estão pagos.

Também não percebo como é que o autor do post equipara vender abaixo da clausula com fazer saldos - e o Antero não faz isso. Se o AP fosse vendido por 25 milhões seria fazer saldos? Eu acho que não. Como o Quaresma, o Bruno Alves e o Meireles não foram em saldos. Nos dois primeiros casos até acho que os preços de venda foram muito inflacionados.

José Correia disse...

miguel87 disse...
as vendas de B.Alves e R. Meireles apenas foram contabilizadas nesta época...

As mais-valias resultantes das vendas dos passes do Bruno Alves e do Raul Meireles, bem como, os 15 milhões da cláusula de rescisão do André Villas-Boas, serão contabilizados no exercício 2010/11 (terminou em 30 de Junho).

As mais-valias resultantes das vendas dos passes do Falcao e do Ruben, bem como, os 0,5 milhões do Postiga, serão contabilizados no exercício 2011/12.

Pedro disse...

"Isso da situação de tesouraria não passam de especulações sem um mínimo de base porque ninguém sabe os prazos de pagamento das compras e das vendas excepto que os 15 milhões do AVB já estão pagos. "

Por acaso dá para ter uma ideia sobre a pressão de tesouraria pelo último balanço, referente a 31 de Março do corrente ano.

Ocorreram factos relevantes posteriormente, mas o facto é que o rácio de cobertura do activo corrente sobre o passivo corrente era inferior a 70%, o que significa que a sociedade precisava em Abril, de 30 milhões, para anular os passivos correntes que não são cobertos por activos correntes. Ou seja em termos de tesouraria de curto prazo eram necessários esses 30 milhões.

15 milhões podem ser cobertos pela saída do Villas Boas. O restante das transferências não entra logo, como tb as saídas não são pagas totalmente à cabeça. Mas o provável é os prazos de pagamento e recebimento serem negociados com prazos equiparados.

Ou seja há provavelmente necessidades de financiamento em working capital de uns 15 milhões.

José Correia disse...

O user que, neste artigo, comentou sob o nick JPier, fez confusão.

Quem deu a entender que vender abaixo da cláusula de rescisão seria fazer saldos foi o Antero Henrique, quando afirmou:
"Toda a gente sabe que ele [Alvaro Pereira] tem uma cláusula de 30 milhões de euros e que o FC Porto não tem por hábito fazer saldos".

Aliás, penso exactamente o contrário. Na minha opinião, vender os direitos desportivos do Alvaro Pereira por 20 milhões de euros mais objectivos de valor variável não seria, de modo algum, fazer saldos. A cumprirem-se os objectivos (e no Chelsea isso não deveria ser muito difícil), seria mesmo o valor mais elevado que o FC Porto receberia por um lateral (recordo que nos últimos anos vendeu o Paulo Ferreira, o Bosingwa e o Cissokho).

Dragus Invictus disse...

Boa noite,

O mercado fechou, muitos de nós estávamos à espera da contratação de um avançado para o lugar de Falcao. Mas a vir tinha de ser um de qualidade, que de caras entrasse no onze.

Apesar de Pinto da Costa dizer que não precisava de substituto para o R9, o clube talvez tenha mesmo procurado mais uma solução de ataque, mas possivelmente as alternativas qualidade/preço não seriam as desejáveis.

Falcao saiu numa altura em que mercado estava a "mexer".
Nessa fase haviam mais opções de escolha, mas talvez pelo atraso do pagamento de Falcao e Ruben, não terá havido capacidade financeira para comprar Damião ... sim porque os outros não passaram de especulações.
Love já havia sido abordado, ainda Falcao estava no Porto.

O clube também tinha uma situação complicada para gerir, pois além de termos demasiados extra-comunitários e termos obrigatoriamente de colocar Walter para outro extra-comunitário entrar, sabe-se que Walter que na pré-época tinha pleno apoio do mister, está a viver um drama. A sua filha nasceu prematura, chegou a correr perigo de vida, e o atleta tem andado num vai e vem hospital - treino. Para piorar Walter teve uma pequena lesão.

Ora, sabemos como o nosso clube trata os atletas. Pinto da Costa nunca iria mandar o rapaz embora sem estabilidade.
O mesmo acontece com Rafa que estando a recuperar de uma lesão gravíssima que se calhar o irá impedir de voltar a ser o que era, também acabou por ficar.

Ruben foi apanhado quando Pinto da Costa puxou o tapete a Jorge Mendes, que assim deixou de ter qualquer atleta por si representado no nosso clube. Falcao mudou muito desde a renovação até às polémicas declarações.Cheira-me que houve dedo de Jorge Mendes.
Na selecção nacional, se não se põem a pau, ele vai minar aquilo. Ricardo Carvalho, um profissional exemplar não ia abandonar a selecção só porque ia ficar no banco um jogo. Esta é uma história incompleta.

De positivo deste fecho de mercado, temos o facto de Guarin e Alvaro permanecerem, e penso que vão ser empenhados e sérios na defesa da camisola.
Também de positivo temos o facto de nos termos livrado de muitos "monos", jogadores que jamais se afirmariam no clube.

Tive pena pelo empréstimo de Castro e Sérgio Oliveira, bem como como me entristece só ver 4 portugueses (Rafa incluído) no plantel.

Positiva também a inscrição do jovem goleador francês, Thibaut Vion, que havia sido contratado em Junho.

Vamos ter confiança no nosso mister, e contamos com os que cá estão, que terão o apoio da nação portista.

Somos Porto!

Abraço

Paulo

pronunciadodragao.blogspot.com