sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Uma ambição que vale três pontos



Cumprindo a meta estabelecida por Vítor Pereira – somar triunfos até ao próximo jogo em casa -, o FC Porto infligiu três bolas sem resposta ao Vitoria de Setúbal, numa partida em que o resultado apenas se construiu na 2ª parte, mas que foi de sentido único na sua totalidade. Uma exibição em crescendo do conjunto azul e branco que, globalmente, terá sido a melhor da temporada até ao momento. Moutinho entrou para desbloquear, James voltou a facturar.

Com efeito, o nosso treinador apostou no mesmo esquema, mas com alguns protagonistas diferentes. Além do expectável resguardo a Hulk, João Moutinho e Fernando foram também alvos de poupança. Defour garantiu a titularidade e não se saiu nada mal. A sua simplicidade de processos agrada. Já Souza não foi além dos primeiros 45 minutos, pela necessidade de expandir o jogo no miolo portista.

Nos primeiros 20 minutos o Dragão foi incapaz de contornar a linha média sadina de 4 homens. Faltava alguma velocidade e melhor circulação de bola para a pressão se acentuar. Algumas deambulações de James para dentro e as subidas de Álvaro mexiam, ligeiramente. Mas foi apenas na sequência de bola que vieram os primeiros lances de perigo, com Souza e Rolando a cabecearem à barra.

Como não há duas sem três, Kléber pouco depois repetia a dose e atirava à trave, uma vez mais. O povo azul desesperava perante tamanho infortúnio, mas já por aquelas horas o ritmo portista imprimia uma cadência cada vez mais veloz. Sinal para o que viria e se veria na 2ª parte.



Sem contemplações, o FC Porto entrou nos segundos 45 minutos para arrasar. E fê-lo com todo saber e mérito. A ânsia pelo golo repercutiu-se na rapidez da recuperação de bola, no acerco à área de Diego, na assumpção de total iniciativa. Nesse espírito, Moutinho, após o aproveitamento uma recuperação alta disparou para justiça do golo. Finalmente o adiantar no marcador, mas não o baixar de guarda.

O comprometimento pelo jogo tinha assaltado os homens de Vítor Pereira de cabeça aos pés, e estavam certos que não queriam, nem podiam ficar por aí. A bela obra geométrica desenhada em parelha por Hulk e James deu-nos a tranquilidade. Fernando Belluschi arrumou as contas com outra clareza e grandeza condizentes com aquilo que se viu no relvado do Dragão.

Noites de futebol como esta são um regalo. E a uma sexta-feira, tanto melhor. Um prenúncio de um grande fim-de-semana, ou quiçá, de uma grande noite europeia vindoura. Os sinais foram positivos e houve uma entrega inexcedível dos jogadores. E quando assim é, todos saímos do estádio felizes.

9 comentários:

Dragus Invictus disse...

Boa noite,

Hoje fizemos um excelente jogo, sufocamos o Setúbal, e houve magia no sobre o relvado do Dragão.

O nosso meio campo esteve muito bem, sobretudo após a entrada de Moutinho, a criar muitas situações de golo.

O tridente Moutinho/Defour/Belluschi vai dar muito que falar. Grande dinâmica deste trio. Defour faz carrinhos!!!! e tem uma excelente capacidade de passe! Este jovem belga em pouco tempo poderá agarrar um lugar mais habitual na equipa.

O Setúbal só não saiu goleado do Dragão devido à exibição de Diego e à nossa falta de sorte.

Efectuamos perto de 30 remates em cerca de 60 ataques. Foi um caudal ofensivo tremendo.

Destaques individuais para Defour, Belluschi e Moutinho. Um dos três pode ser o melhor em campo.
Hulk em 20 minutos fez duas assistências para golo ... fantástico. James ... bem este menino se tiver cabecinha vai ser a revelação da época.

O Setúbal só por uma ocasião incomodou Helton.
Este Setúbal tem equipa para mais e melhor. O seu treinador estacionou o autocarro, traçando uma estratégia ultra defensiva. Na minha opinião vai ser a próxima chicotada psicológica da época.

Nota negativa para o árbitro. Uma galinha com capacidade de assoprar fazia melhor trabalho.

Realce para o fantástico apoio do público.

Abraço e bom fim de semana

Paulo

pronunciadodragao.blogspot.com

José Correia disse...

Dragus Invictus disse...
Efectuamos perto de 30 remates em cerca de 60 ataques

34 remates em 58 ataques.

José Correia disse...

Dragus Invictus disse...
Este Setúbal tem equipa para mais e melhor

O fosso entre o FC Porto e a esmagadora maioria das equipas do campeonato português é abissal.

Nos jogos contra estas equipas, para além de azar e erros de arbitragem, é preciso muita incompetência de treinador e jogadores para o FC Porto não ganhar.

José Correia disse...

Dragus Invictus disse...
Destaques individuais para Defour, Belluschi e Moutinho. Um dos três pode ser o melhor em campo.

Gostei da exibição destes três jogadores, particularmente do Moutinho mas, na minha opinião, o James voltou a ser o melhor em campo.
Que jogador fantástico é este miúdo colombiano!

Silvestre disse...

Boa Noite

Isto começa a carrilhar e o Defour, cuidado com o rapaz. O Setúbal nem conseguia jogar, há mais pressão, mais luta pela posse de bola da nossa parte.
Com excepção dos primeiros 20 minutos, realizamos uma grande exibição.

Cumprimentos azuis e brancos que o fim de semana promete

ℙΣ₦╬∀ ➆➄ ☣ disse...

caríssimos,

ainda estou belluschiado® com a exibição de hoje ;)
penso que paulatinamente o nosso mister está a conduzir a água ao seu moinho.


«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs! ;)

Miguel | Tomo II

Vitor disse...

Pelo que tenho visto, PdC fez asneira, ou seja, os tais 18 milhões de cláusula do nosso Vítor Pereira vão saber a pouco! Posso estar enganado mas parece-me que o nosso Mister percebe muito da poda e não tem os pruridos do AVB quando abre a boca. Ainda vou ouvir algum pseudo-jornalista a ser enviado para a put@ da mãe dele a meio de alguma flash-interview, pois continuam a não perceber ou a não querer perceber que esta entrevista rápida é para falar apenas e somente do jogo e não do universo do futebol. Um dia vamos rir... ainda mais!
Sem querer tirar o mérito ao AVB, que o teve, cada vez mais me convenço que este nosso VP tem grande cota de responsabilidade no sucesso da época passada. A ver vamos como corre esta, que para já vai correndo bem...
Ontem, em nossa casa e com o já habitual magnífico relvado, fizemos uma grande jogatana. Conforme já foi referido aqui por outro camarada, espalhamos a nossa magia. Na 1ª parte fizemos uma pressão esmagadora e enúmeros ataques onde o azar dos ferros irritou o mais calmo e apático dos adeptos. Aqule remate do Kléber (3º no ferro) seria um golaço magnífico! Já na 2ª parte, viu-se florescer um autêntico triângulo-das-bermudas onde a eventual técnica ou capacidade do adversário simplesmente desaparece e depois faz acontecer aquela maravilha do jogo colectivo que é o 2º golo. É o Porto a começar a jogar à Porto... É o que uns chamam de "tiki-taka"... Eu chamo-lhe "magia"...

PS:papagaio louro, viste o jogo? E ficaste cagado, não?

Alexandre Burmester disse...

Excelente e promissora exibição contra um adversário bem organizado defensivamente. A demora no primeiro golo foi frustrante, especialmente atendendo às bolas aos ferros da primeira parte.

PS Temos um meio-campo de luxo!

Dragaopentacampeao disse...

Jogo com algumas dificuldades iniciais, sobretudo na conquista de espaços da manobra ofensiva, de algum modo superadas depois dos vinte minutos iniciais.

Depois foi uma exibição em crescendo, com belos nacos de futebol fluído, dinâmico, inteligente e por vezes belo.

O segundo golo foi, para mim, o corolário do melhor, explanado em campo. Lance corrido, simples, muito bonito e eficaz, ao melhor estilo do famoso Tiki-Taka catalão.

O 3-0 final acaba por não reflectir a gritante diferença de nível das equipas nem faz jus à qualidade do futebol ofensivo portista bem como às enumeras oportunidades desperdiçadas. Só a barra desfez três dessas oportunidades!

Um abraço