quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Uma equipa nas lonas?

Perdemos o jogo, Kléber, Fucile, confiança, ritmo, intensidade, agressividade, posse de bola, sentido táctico, e sendo assim, a derrota assenta-nos bem.

Na primeira parte, estivemos regulares, mas nunca jogámos à Porto. A equipa denotou as fragilidades dos jogos anteriores e o adversário foi implacável nas marcações. Jogou sempre em alta rotação, explorando os avanços do Alvaro e a sua lentidão a recuperar, e colocando Danny na esquerda , fazendo a vida negra a Fucile.

Marcámos um golo (na melhor das interpretações com o James em linha), mas não levámos mais perigo junto da baliza adversária. Muito marcado Hulk, com um meio campo em que só Fernando jogou ao mais alto nível e uma defesa titubeante, aconteceu o expectável, com as ajudas de Helton no primeiro golo e Fucile ao dar mão e levar consequentemente o segundo amarelo, numa acção de principiante. Foi expulsão, mesmo ao cair do pano para fecho da primeira parte.

Sem brilhar, conseguimos não ter muitos sobressaltos, no primeiro tempo. O adversário respeitou em demasia o Porto, mas teve sempre a iniciativa e foi muito agressivo, usando o corpo nos limites da falta, ou não soubessem que estavam a ser julgados por um árbitro inglês. A segunda parte prometia ser um pesadelo.

Entramos no recomeço vencidos. Sem alma, chama, condição física e anímica, fomos presa fácil: bastou ao Zenit pressionar um pouco mais, ganhar bolas e fazer transições rápidas. A equipa do Porto jogou mal com onze e perdeu-se com dez. O melhor ainda foi o resultado que poderia ter sido bem pior.

Foi uma má surpresa a pouca mobilidade de Moutinho que foi muito tenrinho e perdeu demasiadas bolas. Beluschi esteve uns furos acima. Varela nada fez de relevante e no ataque era Hulk contra mundo.

A recomposição da formação da equipa, para dar uma resposta satisfatória na 2ª parte delineada pelo treinador, não pareceu má, mas mostrou-se um desastre porque Souza não soube ser o trinco que a equipa necessitava em inferioridade numérica : perdeu demasiadas bolas, não tem a estrutura de um guerreiro (como é Fernando) e foi o primeiro responsável por um dos golos do adversário que só teve de aproveitar a auto-estrada que ajudou a abrir. James provavelmente seguraria mais a bola e daria a Hulk mais hipóteses para momentos de ruptura.

Na TV, o Freitas Lobo defendeu a passagem do Otamendi para a direita, o Maicon entrava para central e Varela seria a primeira opção para sair. Talvez fosse a alteração mais lógica, mas acho que perdíamos na mesmo. O FCP estava (está) adoentado. Uma tremedeira permanente.

Kléber aleijou-se e perdemos o único avançado (centro) de raiz. Os tempos vão carregados e o céu está menos azul. Fomos uma equipa de coitadinhos, e isso é o pior que nos poderia acontecer. No passado longínquo, acontecia com frequência cairmos numa espécie de fatalismo, pois tudo nos corria mal, sem sabermos bem porquê. Nessa altura, dizíamos que era azar. No passado recente, quase sempre soubemos ultrapassar as contrariedades.

Esta derrota só não fará mossa se reagirmos depressa e bem. O espectro do pós Mourinho tem de ser vencido rapidamente. Vamos lá a dar a volta ao texto.

23 comentários:

Fernando B. disse...

É um aroma a Jesualdo...

Daniel Gonçalves disse...

"Marcámos um golo ... mas não levámos mais perigo junto da baliza adversária" Convêm salientar que houve ainda um grande remate do Álvaro Pereira que quase dava golo não fosse uma excelente defesa do guarda-redes russo, o jogo ainda estava 1-1.

"aconteceu o expectável, com as ajudas de Helton no primeiro golo" Discordo, naquela situação com a trajectória da bola e na posição onde se encontrava Helton não a conseguiria segurar e tinha de a socar, o azar foi ela ter ido parar a um adversãrio.

"Entramos no recomeço vencidos. Sem alma, chama, condição física e anímica" É neste detalhe que eu noto uma insuficiência do Vítor Pereira: não possui um discurso galvanizador dentro do balneário, não me parece que consiga motivar os jogadores, um discurso titubiante transmite uma insegurança aos jogadores. O aspecto motivacional e a liderança do técnico é cada vez mais importante no futebol actual, lembram-se da palestra/discurso do Artur Jorge no intervalo da final de Viena em 1987, pois resultou para os jogadores, foi o suficiente para transfigurar e galvanizar a equipa

Fucile voltou a ter uma má noite europeia, prefiro o Sapunaru e que venha o Danilo rapidamente.

Dragus Invictus disse...

Boa noite,

Até entramos fortes no jogo, dominadores, e foi com naturalidade que chegamos à vantagem por intermédio de James, após boa jogada de Hulk.

Após o golo e um bom inicio de partida, inexplicavelmente perdemos o controlo do jogo, o controlo emocional, e alguns dos nossos jogadores começaram a fazer asneiras atrás de asneiras.

Sofremos o golo do empate num erro defensivo que não pode acontecer a este nível competitivo. Reagimos e Alvaro quase marcou num excelente remate ao qual se opôs o guardião russo com uma grande defesa. Este remate foi o canto do cisne no que toca a oportunidades de golo por nossa parte.

Com a lesão de Kléber o FC Porto viu-se sem soluções de banco para o centro do ataque, questão que tem sido alvo de discussão entre os portistas.
Não bastava a lesão de Kléber, e eis que surge uma das tristes figuras da partida: Jorge Fucile que esta noite foi rei e senhor no que toca a azelhice.
Depois do primeiro amarelo, adivinhava-se a expulsão do uruguaio … só Vítor Pereira é que parecia estar a dormir ao não dar uma reprimenda ao atleta aquando da primeira admoestação, e logo de seguida ao não o retirar do campo quando já tinha experimentado meter a bola à mão.

O Zenit fez o trabalho de casa e explorou o nosso ponto fraco que tem sido precisamente o lado defensivo à guarda de Fucile.
Hulk desde que foi fazer o jogo pela selecção brasileira, para no dia seguinte já estar a jogar, tem tido problemas físicos, e os russos trataram de marcar bem o brasileiro, que está sem poder de explosão, para fugir às marcações.

Com a expulsão de Fucile, Vítor Pereira vê se obrigado a mexer na equipa, e fá-lo na minha modesta opinião de forma completamente desastrosa.
Retira do miolo Fernando que a par de Otamendi eram os elementos mais lúcidos na nossa defensiva, que apagavam os fogos decorrentes quer das investidas de Danny pela esquerda, quer das investidas de Faizulin pela direita.
Ao recuar Fernando para lateral direito, e colocar Souza no seu lugar perdemos os equilíbrios defensivos, e ao retirar James, perdemos o jogador que podia desequilibrar na frente.
Foi com naturalidade que os russos partiram para cima de nós na segunda parte, colocando a nossa defesa às aranhas.
Perdemos por 3-1, e corremos o risco de ser goleados. O Zenit foi um justo vencedor.

Nós fomos uma equipa amorfa, sem chama, que depois de uma excelente entrada na partida e de ter marcado primeiro, perdemos o controlo do jogo, complicamos e fomos impotentes para dar a volta às incidências do jogo - lesão de Kléber e expulsão de Fucile.
Mais uma vez Vítor Pereira revelou-se muito mal na leitura do jogo, efectuando substituições que descompensaram a equipa.
Temos mais dois jogos em casa que temos obrigatoriamente de vencer, e com esta derrota estamos igualmente obrigados a vencer uma das duas partidas fora de casa.
Penso que iremos conseguir o apuramento num grupo com duas boas equipas de leste e com um surpreendente Apoel que lidera o grupo, depois de impor um empate na ucrânia diante do Shakhtar.

Abraço

Paulo

pronunciadodragao.blogspot.com

Di disse...

Mais uma vez o Fucile foi o enterra do Porto... é bom que os seus defensores pensem em jogos como o de Londres ante o Arsenal, ante o Benfica e esta... ele está em todas pela negativa... mas é disso que o povo gosta de um gajo que so sabe atacar e defender nada!

O Sapunaru é 1000 vezes melhor! não é por acaso que o villas apostava nele, tem uma coesao defensiva sem igual e é isso que se pede... o Fucile é bom ante o Rio Ave ou equipas do genero para a champions provou mais uma vez ser um menino...e depois de dar um ponto aos mouros na sexta...tirou nos agora a chance de fazer um bom resultado.

reine margot disse...

Tem que se dar a volta ao texto,com urgência.
Mas tem que se começar também a tirar as conclusões devidas.
Não se pode pedir que dêm o que não têm. Jogar sem treinador, sem preparador físico, sem ponta de lança, sem Falcao, e hoje sem lateral também é difícil de mais.
Depois, é o Hulk contra o mundo porque houve alguém que começou a dizer que era o único insubstituível, o que claramente cai sempre mal junto dos restantes...
Enfim.
Melhores dias virão...

José Rodrigues disse...

Nao culpo o Helton no 1o golo. O cruzamento foi excelente e se o Helton nao se tivesse esticado ao maximo para interceptar a bola, parece-me provavel q fosse golo pq a bola ia direitinha para o avancado do Zenit.

Quanto ao resto e mais em geral, amanha digo mais qq coisa. Para ja' digo apenas uma coisa: ainda bem q tinhamos um lateral e um avancado no banco, em vez de 3 extremos... [SARCASM MODE/OFF]

miguel87 disse...

Não discutindo a justeza ou falta dela, só acho incrível que no meio de tantas criticas - este perde a cabeça, o outro perde muitas bolas, aquele é tenrinho, o treinador não sabe fazer o banco - e numa altura em que Maicon já não pode jogar no Dragão sem ser assobiado e insultado, ninguém tenha reparado num central que custou 8 milhões de euros, mas que a categoria que demonstra é disputar 5 lances fazendo 6 carrinhos, que hoje, conseguiu numa situação de superioridade numérica fazer falta para amarelo e na sequência do livre ficar a olhar para o avançado à frente dele a receber a bola, rodar e rematar para a baliza e no fim ainda quis ir à queima disputar um lance que acabou por isolar o avançado que deu para o 3-1. Enfim, fala-se muito na falta de um substituto à altura de Falcao, mas acho que ficamos pior ao não reforçar como deve ser a defesa... esta que temos chega mas é para a Liga Europa, a Champions é outro nivel.

De resto, acho que no passado recente já tivemos muito mais motivo para criticar em jogos que até ganhamos, mas somos assim, um povo com tendências "resultadistas"...

nexus disse...

"Mais uma vez Vítor Pereira revelou-se muito mal na leitura do jogo, efectuando substituições que descompensaram a equipa."

Gostava de perceber quais foram essas substituições... Estavamos a jogar com menos 1, não vejo grande opção a tirar o James.

Por muito que V.Pereira esteja a desiludir não fosse Fucile e duvido que o Porto não trouxesse um resultado positivo. Qualquer análise cai por terra quando um imbecil (pela 4ª vez) é expulso num lance de fácil resolução.

Nós portistas temos a tendência de culpar sempre o treinador. Tal como no jogo contra o Benfica o que vi foram erros individuais e infantis.

rbn disse...

Eu estou de acordo com o post e maioria das opiniões, exceto na de helton, que para mim não foi falha, mas sim azar, já que a bola ia certinha para o avançado do zenite.

Neste exacto momento que escrevo este comment, vejo o tape do shaktar x apoel, onde aos 60 minutos o apoel completamente dominado e sufocado, marca o golo no 1º remate, e seu guarda-redes fez grande actuação.

Este time do chipre não é coisa que assuste ao FCP(intriga-me é como é que ganhou ao zenite).

De qualquer modo, está tudo em aberto, temos 3 pontos à mesma, mas a resposta tem de dada já em coimbra.

Meio a zero já serve, temos que vencer, jogando bem ou mal.

José Correia disse...

Fernando B. disse...
É um aroma a Jesualdo...

Eu até suspeito que a culpa da exibição e derrota de hoje foi do Jesualdo Ferreira...
Sim, do burro do Jesualdo que, apesar de todas as épocas ficar sem dois ou três jogadores do onze titular (jogadores como Pepe, Quaresma, Lucho, Lisandro, etc.), em quatro épocas ganhou três campeonatos, levou três vezes a equipa aos oitavos-de-final e uma vez aos quartos-de-final da LC.

Eu tenho a certeza que o Vítor Pereira, que fez uma tese de mestrado acerca do Barça e que da época passada para esta apenas ficou sem um jogador do onze titular, vai fazer muitíssimo melhor...

miguel_canada disse...

No ultimo comentário que fiz neste blog, fui talvez demasiadamente critico e negativo em relação ao excelente treinador que temos e como tal, fui severamente criticado por alguns Portistas a quem reconheço o dom da extrema paciência ou até quem sabe, o dom de levar na peida e pedir por mais.
De facto, criticar alguém do calibre que Vítor Pereira tem demonstrado ao leme da nossa letal equipa, torna-se um exercício de estupidez pura por parte de alguém que nunca deve ter visto um jogo do miserável Porto treinado por Mourinho ou Vilas Boas!
O FCPorto, de facto, neste momento, apresenta-nos um futebol fulminantemente patético só ao nível dos grandes tubarões do Azerbaijão ou da Letónia com uma disposição táctica e uma dinâmica que faz lembrar o grande Sra.da Hora dos anos 90 e se os resultados tendem a não aparecer, é de uma injustiça atroz culpar o nosso grande treinador que, coitadinho, teve de recuperar um plantel traumatizado pelo desastre da época passada e composto por mais de 10 jogadores acabadinhos de chegar ao clube.
O nosso meio campo é todo ele um peso morto mas isto deve-se principalmente ao facto de o João Moutinho dar dois nós nos cordões das chuteiras em vez do habitual lacinho o que faz com que Belluschi, ou Guarin, ou Souza, ou Defour, ou o que calhar na rifa para esse jogo, se distraia com receio que o João tropece e caia o que obriga a que o tremendo futebol da nossa equipa se jogue habitualmente de uma forma directa entre a defesa e o Hulk!
Depois temos outro problema que é o roupeiro! Então não é que esse sacana obrigou o nosso fantástico treinador a prescindir dos serviços do Walter??? E mais, soube através de um amigo que o nosso notável treinador recebeu ameaças do dito roupeiro caso o Varela não jogasse sempre!!! A ponta de lança, na esquerda ou na direita... não interessa! O Drogba da Caparica ou joga ou aquilo está tudo lixado!!!
Enfim, ou se despede o roupeiro ou se obriga o João Moutinho a dar um lacinho nos cordões das chuteiras senão, o pobre do nosso impressionantemente capaz treinador nunca terá condições para desenvolver o seu magnifico trabalho e levar o nosso clube às grandes vitorias como as anteriormente conquistadas por outros ícones do nosso clube como foram Jesualdo Ferreira, José Couceiro, Vitor Fernandez ou Luigi del Neri.

Mário Magalhães disse...

Boas,

Passadas umas horas depois de um tremor de terra que aconteceu no reino do dragão, e depois de pensar e repensar sobre as coisas só tenho uma conclusão, "que dia de aniversário". Eu durante uns tempos não falei sobre a situação do nosso clube, porque quando as coisas correm bem ou minimamente bem, prefiro estar quieto.
Agora que as coisas no meu ponto de vista estão péssimas, falo e defendo mudanças o quanto antes, porque o alongar das coisas só vão piorar e tardar o inevitável. Já não me lembrava de ver um treinador na história recente do Porto com tantos erros em tão pouco tempo, substituições mal feitas, equipa desanimada, fisicamente um desastre, em termos tácitos ninguém sabe o seu lugar, enfim muita incompetência junta só dá nisto, FAÇO UM APELO AO VP se és Portistas como somos todos e amas o nosso clube deixa o lugar de sonho para outro com mais competência...
Para não falar de que esta pré época foi a que mais dinheiro gastamos na nossa história, e vamos para esta competição só com um ponta de lança, será que a culpa é só do VP????
Só espero amanha acordar com um destaque nos jornais, VP DEIXA FCPORTO…

Alexandre Burmester disse...

É a sequência de exibições abúlicas que me deixa preocupado. Começa a ser vezes de mais para ser um acaso.

E, no banco, temos um homem claramente pouco vocacionado para a função de "timoneiro".

Bi-Bota disse...

Dá dó o desnorte da nossa equipa. Não há fio de jogo. Não há linhas de passe. É um vazio de estratégia e a rapaziada não sabe o que fazer à bola. Cagados de medo.

Vivemos apenas dos livres do Hulk, pois este bronco do banco até o altruísmo do Hulk destruiu. De tal forma que faz lembrar o Hulk agarrado à bola acabadinho de chegar da 2ª liga japonesa.

Dá dó o analfabetismo crónico do Pereira a ler o jogo.

Arriscaria mesmo dizer, que os raros fogachos daquilo que mais se aproximam daquilo que entendemos como sendo uma jogada de futebol, são apenas fruto do acaso, da classe natural dos jogadores que temos e do seu gosto óbvio por jogar à bola. Talvez ainda, faça-se justiça, se lembrem de algumas jogadas de cor das que faziam o ano passado.

Segunda-feira assisti pela terceira vez ao vivo de um jogo do nosso próximo adversário. Faço figas para que o nosso próximo treinador seja o Pedro Emanuel.

Garanto-vos que com o Pedro ao leme a equipa por mais fraca que seja não parte e joga o jogo todo equilibrada. A ele os jogadores ouvem e respitam. A ler o jogo também dá 10 a zero ao Pereira.

Bem que podíamos aproveitar a viagem a Coimbra para acertar uma troca de treinadores entre os clubes.

Louro disse...

ai ai ,,este treinador gosta de inventar...
Fernando tão bem como estava no meio campo, foi para lateral direito e quase que fomos goleados..não da para perceber..!
Ou ganha domingo ou ...

Louro disse...

Quem é o preparador fisico da equipa,? e o adjunto ?
e agora sem ponta de lança na Champions?..
a maior parte dos comentários pôs o dedo na ferida...
PS:O Alvaro Pereira tinha sido tão bem vendido por 22 milhoes...é que ele não defende uma beata !

José Rodrigues disse...

Enfim, grande desilusao, principalmente a partir do momento em q nos vimos a ganhar aos 10mins. Ainda por cima o VP continua a meter agua a ler o jogo; Fernando ia varrendo (bem) 'a frente da defesa, e ao passar para lateral criou-se 2 problemas: o meio-campo passou a ser uma auto-estrada para o Zenit (pq o Souza pode ser jeitoso para os jogos contra equipas pequenas, mas ainda não tem estaleca para estes jogos), e o Fernando andava completamente perdido a lateral, peixe fora de agua (defendendo mal, colocando os russos em jogo,...). Dava mesmo a impressao ate' q estavamos a jogar com 8, nao com 10.

Ainda por cima ao tirar o James o VP ficou sem plano B para o caso do Zenit marcar. Quem devia ter saido era o Varela (ele jogou?? Nao dei por ela), mas como tinha entrado ha' pouco o VP nao teve cojones. Enfim, erros cometem todos, mas ja comeca a ser erros a mais num curto espaco de tempo. Para ja ainda lhe dou o beneficio da duvida, mas estou bastante apreensivo. Carago, ainda por cima o gajo herdou 10 titulares do ano passado e conhecia ja muito bem o plantel (tirando os novos, claro).

Enfim, para acabar numa nota positiva a derrota em si nao compromete muito, se ganharmos os px 2 jogos podemos mesmo chegar 'a 5a jornada ja' apurados.

No entanto se não tivermos Kleber contra o Apoel e com o Walter sem estar inscrito (gracas em boa parte a não termos qq jogador da casa no plantel, tendo ficado 4 vagas por preencher nas inscricões), não vai ser nenhuma pera doce para marcar golos.

O Apoel não e' nenhum papão, longe disso, mas e' um osso duro de roer como se viu nos 2 jogos feitos (em q alias sofreram apenas 2 golos em 2 jogos contra os mesmos adversarios q nos marcaram 4 golos tb em 2 jogos, ou seja, a defesa não e propriamente um ponto fraco deles)...

Finalmente: gerir o balanco de investir no imediato vs medio prazo não e' facil, mas quando temos uns 40 M€ gastos em passes de jogadores q por opcão (do treinador, da SAD ou de ambos) ontem não foram utilizados (Sandro, Danilo, Walter, Mangala, Cebola, etc), o q equivale a metade do orcamento da SAD, receio q se tenha descurado um pouco o curto prazo... por ex, gastou-se uns 20M€ em laterais e descurou-se a posicão de PDL (precisamente a unica onde saiu um titular), onde fomos poupadinhos.

Ha q precaver o futuro, sem duvida, mas mais importante ainda e' precaver o imediato. Temos no plantel inteiro um PDL baratucho e verdinho (mas com margem de progressão) e outro q nao conta de todo para a LC (e para o campeonato pouco mais do q isso, pelos vistos). Parecia-me à partida muito pouco e parece-me cada vez mais q assim e'.

Dito isto, a maior preocupacão q tenho não e' no plantel, mas sim na equipa tecnica. Tb essa à partida parecia muito lightweight (e não e' so' o treinador principal, e' tb os adjuntos!), e cada vez mais parece q esse receio tinha razão de ser.

Pedro Reis disse...

Maus resultados em 3 jogos, que embora (felizmente) não comprometam em nada a época e a hipótese de vencer títulos, confirmaram que não estamos no bom caminho e que os equívocos que o FCP cometeu na preparação desta época estão a mostrar-se de forma inequívoca e preocupante:
1. Não comprámos um ponta de lança para substituir o Falcão, mas pior ostracizamos o Walter, apesar de não o termos emprestado/vendido e nem sequer um "junior" no plantel temos para 3ª (ou 2ª ou 1ª) opção;
2. Comprámos por um balúrdio 2 laterais, mas que só vamos poder utilizar em Janeiro (quando a 1ªfase da CL tiver terminado e o campeonato já for bem lançado...)
3. Comprámos um jovem prodígio argentino, mas que parece que não é para jogar... ???
4. Fizemos uma escolha discutível para treinador, que eu até compreendo, mas que infelizmente além de poucos dotes oratórios, começa a dar sinais de não ter também mãos para comandar o FCP! 1º não levou o James para a Supertaça Europeia; o Walter continua a fazer não se sabe o quê na equipa; mudanças constantes e grandes na estrutura da equipa, jogadores em sobresforço (como Hulk com o Leiria) e outros a precisar de descansar cada vez que fazem 1 jogo...; erros crassos na leitura e substituições; ontem tira o James q era o jogador mais fresco, põe o melhor médio a defesa direito, qd tinha o Otamendi e além disso escusava de perder um tanque para o combate; contra o Benfica sai o Guarin que era um dos melhores médios, etc. etc.

Por fim uma palavra para o Fucile e para quem o defendeu por causa da suposta agressão do Cardozo: estava à vista que um tipo limitado de cabeça e que ainda por cima se vê "elevado a herói" quando devia era ser criticado, não ía demorar a fazer m****...

João Arem disse...

Bom dia a todos,

De facto, e apesar de ser apenas início de época existem vários sinais de que as coisas não estão a ir pelo caminho.

Por um lado, o treinador parece-me que tem duas facetas, uma delas, excelente, a preparar a equipa - salvo raras excepções é costume entrar bem no jogo, dominar e marcar - e depois muito pouco clarividente nos momentos em que será necessário mexer na equipa, seja com substituições ou através de mudanças posicionais dos jogadores. Neste caso concreto, retirar Fernando do miolo foi um autêntico hara-kiri.
Acresce tudo isto o sub-rendimento de elementos nucleares - que atribuo a uma pré-época mal planeada e o desnorte nas contratações - Danilo poderá ser mesmo muito bom, mas com aquele dinheiro íamos buscar um ponta de lança que dava garantias de imediato e que permitisse o crescimento de Kléber.
Quanto aos erros infantis do Fucile, temos de levar com eles até vir o super-lateral direito contratado por um valor recorde - e espero que ñão se demore muito a adaptar...
O Álvaro já desde a época passada,essencialmente contra equipas pequenas não recuperava, obrigando o Moutinho a bascular, pelo que esta época é, para mim, mais do mesmo. Não deixa de ser muito bom, mas a concorrência do Alex Sandro irá deixá-lo em sentido (pelo menos assim o espero).
Acredito que daremos a volta por cima, mas este treinador tem de começar a preparar melhor as acções a tomar no decurso do jogo, julgo até que seria isso que Mourinho fazia (preparava tudo ao pormenor de modo a que não tivesse a emoção a toldá-lo no momento das tomadas de decisão).
Vamos PORTO!

Daniel Gonçalves disse...

José Rodrigues disse "O VP nao teve cojones..."

A experiência passada diz-nos que quando um treinador perde a capacidade de motivar os jogadores, não tem o controlo emocional e a liderança no balneário começa a ter os dias contados, ainda desconheço se Vítor Pereira tem esse problema, mas que existem sinais alarmantes que apontam nesse sentido existem.

Luis Melo disse...

A propósito escrevi no meu blogue FC Porto e Vítor Pereira: Benefício da dúvida.. dar ou não dar, eis a questão

Alexandre Burmester disse...

Bom artigo e bom blogue,caro Luís Melo! Um abraço.

bruno cláudio disse...

o helton quis fazer bonito e agarrar com uma mão! é evidente!
o kleber teve de sair por lesão + jogar com 10 a 2a parte + deixar o james de fora + má preparação física do plantel + treinador pouco astuto = sinais evidentes de desnorte e a caminhar para o mesmo desfecho de 2004/05.

ps - quem faz muita falta é mesmo o falcão!