sexta-feira, 14 de outubro de 2011

André é Dragão de Ouro


Muitos portistas não perdoam a André Villas-Boas a forma e o timing em que saiu do FC Porto. Há quem lhe chame ingrato, traidor, Judas, borrado, Libras-Boas, etc.

Eu, que há muito deixei de acreditar no conceito de "amor à camisola" entre os profissionais da bola, percebo perfeitamente que lhe tenha sido atribuído o Dragão de Ouro para treinador do ano 2010/11. É verdade que o André abandonou a sua "cadeira de sonho" mas, por aquilo que fez e ajudou a conquistar enquanto cá esteve, é um galardão inteiramente justo.

E quero felicitar Pinto da Costa por ter permitido este reconhecimento, mesmo sabendo que ia contra a opinião de muitos adeptos. Os verdadeiros líderes são assim.

P.S. Além de ter cumprido exemplarmente enquanto profissional, também cumpriu o contrato que assinou. Ou não é verdade que a SAD recebeu os 15 milhões de euros da cláusula de rescisão?

11 comentários:

incrédulo disse...

Esta atribuição está longe de criar consenso na família Portista mas é verdade que na época passada vivi dos melhores momentos enquanto adepto do FC Porto,coisas que nunca a minha memoria vai apagar, desde os 5-0,á reviravolta na Luz passando pela conquista da Liga Europa isto em grande parte ao André, que queiramos quer não foi dos melhores treinadores que passaram pelo nosso clube.

Posto isto acho a atribuição justa,embora jamais esqueça a forma como saiu e os danos(que ainda hoje estamos a pagar),que causou na equipa e até na estrutura FC Porto.

Rui disse...

Nada para mim apaga a forma que escolheu para sair.

Agradeço os títulos todos que nos deu e alegrias extra, mas não posso aceitar que lhe seja dado o Dragão de Ouro.

Sempre defendi que na vida o que conta não +e onde se chega, mas como se chega.

O Vilas Boas para mim nunca vai deixar de ser um Judas e se algum dia voltar ao FCP, fico uns tempos sem ver futebol.

reine margot disse...

Claro que obviamente são duas coisas distintas; uma a "traição" e as suas consequências, a outra a distinção por mérito.
Embora seja uma assunto atraente para uma boa discussão, uma ação não pode apagar a outra.
Ou, como dizem os algarvios: o que é que o cu tem a ver com as calças?

Também é natural que muitos adeptos não entendam; nem as diferenças,
nem a atribuição do "golden dragon".

Offshore disse...

polémicas à parte é um prémio mais que justo

apesar de haver outros treinadores campeões noutras modalidades não fazia sentido premiar outro que não AVB

Nelson Coutinho disse...

Penso que esta atribuicao nao merece discussao.

Sou dos que nunca perdoará André Libras-Boas pela forma como saiu do nosso clube, mas sendo o Dragao de Ouro um prémio atribuído por mérito, parece-me óbvio que ele merece este prémio.

Daniel Gonçalves disse...

Como afirmei na altura em que o AVB saiu, senti o abandono dele como uma traição, uma deserção, traduzindo: (como disse o João Saraiva num post aqui colocado) doeu. Se era para sair mal aparecesse a primeira proposta milionária era desnecessário apregoar juras de amor eterno.
Mas considerando a fenomenal temporada passada, seria injusto não valorizar e premiar o trabalho do AVB, penso ainda que com esta atitude se abre a porta para um futuro regresso, embora impossível de datar.

nunovinagre disse...

Offtopic.
Já mais alguém reparou que no anuncio do BCP com o Mourinho só em Portugal e que as taças nao aparecem no sítio certo?
Gosto de ler este grande cantinho dos portistas ,mas muito raramente comento algo.
Ps:dragão mais que bem entregue.

José Correia disse...

«A escolha de André Villas-Boas para receber o Dragão de Ouro de treinador do ano foi quase tão surpreendente quanto o anúncio da sua saída para o Chelsea a poucos dias do arranque da última pré-temporada. Esquecida a “traição”, foi com sentidos aplausos que os notáveis portistas receberam a notícia da distinção ao antigo treinador.

“Não tenho qualquer dúvida: o André Villas-Boas merece e de que maneira este prémio. Contudo, os dirigentes do clube é que estão de parabéns, pois mostraram, desta forma, que conseguiram ultrapassar o ressentimento natural que a traição do treinador provocou”, analisou Rodolfo Reis.

Pedro Marques Lopes também foi ouvido pelo nosso jornal e alinhou pelo mesmo diapasão do antigo jogador, discordando apenas num pormenor: “As reações a quente raramente são boas e, a esta distância desse acontecimento, creio que o André Villas-Boas não traiu o FC Porto. Ele tomou a opção que tinha de tomar e, agora, há apenas que enaltecer a grandeza de espírito que o FCPorto demonstrou ao atribuir-lhe o Dragão de Ouro de treinador do ano.”»
in record.pt

Pedro disse...

É um prémio justo, sem qualquer discussão. Seria mesquinho não lhe atribuir. Pinto da Costa e o FC Porto estão de Parabens por este sinal de clarividência e justiça.

A nossa amargura pela forma como saiu não deve interferir no facto de ele ter feito uma época fantástica e de nos ter dado enormes alegrias.

PS: O tal anúncio de um "special" que saiu de uma forma ainda mais cobarde e mentirosa, coloca as taças em Lisboa... Também já o tinha notado. Portugal é Lisboa isso já sabia, agora que o Porto era Lisboa já me dá assim um asco.

Radamel Furacao disse...

Reparem, que no tal anuncio, a Copa del Rey esta na Catalunha.

José Rodrigues disse...

Uma beleza do RP é q temos grande diversidade de opinião entre os próprios autores - e este é um desses casos.

Eu discordo frontalmente do J. Correia, do A. Burmester e do J. Saraiva. E começa logo por uma frase do Zé no artigo:

"Além de ter cumprido exemplarmente enquanto profissional, também cumpriu o contrato que assinou. Ou não é verdade que a SAD recebeu os 15 milhões de euros da cláusula de rescisão?"

Ó Zé, desculpa lá mas... LOOOOL

O FCP recebeu 15M€ precisamente porque o AVB NÃO cumpriu o contrato que assinou (que se prolongava por muito mais tempo). Esse era o valor a pagar de indemnização caso o contrato não fosse cumprido.

De resto para mim estes prémios vão para além de uma questão de "justiça". Eu pergunto-vos: se o P. Assunção tivesse sido o melhor jogador da época antes de sair, acham que ele devia ter recebido o prémio?

Mais: muito mais mérito teve o Mourinho em 03/04 e não o recebeu.

Não, para mim há uma questáo de justiça mas tb há uma questão de homenagearmos gente que deve ser "role models" para os outros; e alguém que saiu a mal do FCP (como AVB) NÂO É um role model para os outros.

É q não há dúvida q AVB saiu a mal: o PdC não queria de forma alguma que ele saisse e recusou-se sequer a discutir o assunto com o Chelsea.

PdC pode depois ter feito depois as pazes com AVB (quem sabe, de forma apenas fria e calculista) mas isso não apaga q AVB saiu a mal e como tal não deve ser homenageado como um role model.