sábado, 22 de outubro de 2011

Lições cipriotas... também dos adeptos

Venho aqui falar do público, e da sua atitude. Já é um assunto batido, mas não deixa de ser actual.

Os cipriotas estiveram excelentes. Excelentes, repito, e desde o 1o minuto. Já os portistas sinceramente assobiaram sem o mínimo critério, e nunca puxaram pela equipa como deviam. Nem sequer nos primeiros 10 minutos.

Como já disse anteriormente não sou um fundamentalista anti-assobios, mas caramba... se calhar até só faz bem vaiar ou assobiar quando por exemplo um jogador está a ser extremamente guloso tendo um colega sozinho em frente à baliza; ou não corre para chegar a uma bola; ou para a equipa toda (e/ou treinador) ao intervalo ou no fim do jogo se a exibição em geral foi má. Em todos esses casos a vaia ou assobio é uma espécie de "wake up call", digamos.

Mas caramba, os adeptos no Dragão não só estão quase todos calados sem cantar/gritar na maior parte do jogo, como assobiam a torto e a direito. Se um passe ou um corte sai torto (mas a opção tomada esteve correcta), de que é que vale assobiar? Alguém executa um passe (ou um corte) mal de propósito? Por causa do assobio vão fazer melhor da próxima vez? Claro que não.

O Dragão hoje em dia não tem lá muita gente com mentalidade de "supporter", apenas "espectadores". Essa é que é essa. Será que também assobiam um filho num jogo de iniciados quando não consegue executar bem um passe? São casos algo diferentes, mas a atitude não devia ser assim tão diferente como isso.

Concluindo: o V. Pereira (e jogadores) têm alguma coisa a aprender com os do Apoel, sem dúvida, mas os nossos adeptos também.

PS - O RP agradece ao fotosdacurva.com pela foto que ilustra o artigo.

13 comentários:

JON disse...

Por essas e por outras é que eu estou farto de pipoqueiros. Ir ao futebol tornou-se um acto social para muita gente que vai para lá mostrar a roupa!
Por essas e por outras é que me podem até oferecer lugares na central que eu só tenho um destino: CURVA SUL.
Por essas e por outras é que no velho tribunal das Antas aquilo piava fino!!!

M. Teixeira disse...

Inteira e absolutamente de acordo! Excelente artigo José. Acrescentava apenas o seguinte... alguém viu os adeptos do APOEL a assobiar a equipa enquanto o Porto esteve a ganhar? Eu vi-os a puxar pela equipa! Já referi várias vezes que os portistas, enquanto adeptos, deixam muito a desejar. Estou-me a marimbar se os adeptos do Benfas ou do Esportem são piores/iguais/melhores que nós nesse aspecto... se é uma questão cultural ou não... acho que enquanto adeptos somos fracos e ponto. Ser um grande portista em épocas como 2002/2003, 2003/2004, 20010/2011,entre muitas outras... é extramamente fácil. Quando as coisas correm mal tendemos a comportar-nos mais como espectadores de um espectáculo, que pagou bilhete e portanto exige qualidade máxima,do que propriamente como adeptos do clube, como apoiantes e parte integrante do emblema. Sinceramente nao percebo a utilidade de asobiar a equipa, o treinador, os jogadores durante o jogo... ajudar não ajuda de certeza! Desde que me habituei a ver jogadores do porto assobiados mal saíam do banco para aquecer... já nada me supreende. Hoje em dia a moda é assobiar TODA e QUALQUER substituição do VP... mesmo que faça todo o sentido. Não contribuo para esse peditório. Domingo lá estarei para APOIAR e PUXAR pelo MEU PORTO.... E na próxima sexta-feira também. Entre os dois jogos quero ver se vejo um espectáculo... vou ao cinema! Força campeões!

Miguel Magalhães disse...

Poderiam ser concluídas uma de duas coisas:

1. Os adeptos não vão ao Dragão para apoiar a equipa porque nunca precisaram de o fazer - a equipa há muitos anos que ganha quase sempre. Logo, os adeptos vão ao Dragão para ver ganhar e não sabem, porque raramente precisam, apoiar. Estão mal habituados.

2. Os adeptos já não se identificam com os jogadores, percebem que eles são apenas profissinais de passagem pelo clube e pagos a peso de ouro e exigem que eles façam sempre bem o seu trabalho. Quando tal não acontece, seja por azar, incompetência, falta de vontade ou outro motivo, assobiam como assobiariam um actor que se enganasse várias vezes nas falas, um cantor que se esquecesse das letras ou desafinasse várias vezes num concerto ou uma bailarina que caisse várias vezes em palco.

O futebol transformou-se e os adeptos também.

(mas recordo-me por exemplo dos assobios ao Semedo há uns anos, e interrogo-me se as coisas terão mudado tanto assim...)

reine margot disse...

Escreveria apenas a última frase assim:
"Concluindo: o V. Pereira (e jogadores) têm alguma coisa a aprender com os do Apoel, sem dúvida, mas nós, os adeptos, também."

Carlos Santos disse...

Ora eu nao podia estar menos de acordo.

É por essas e por outras que o FC Porto é de longe o melhor clube de Portugal. Nao tenho a mínima dúvida que o facto do FCP ter os adeptos mais exigentes em Portugal contribui para a nossa grandeza.

É uma forma de tentarmos garantir que todos os jogadores darao tudo pela camisola! Se a cada jogada mal realizada dissermos "ah tudo bem, ele ganha 100 vezes mais do que eu mas passa o jogo a passo, deixa-me la aplaudir para ver se ele ganha vontade de correr um bocadinho". NAO! Se os jogadores andam a passo e nao sabem o que fazer a bola, eu assobio o mais alto que posso.
Eles estao a vestir a camisola do FC Porto e sao pagos a preso de ouro por isso!

Mário Faria disse...

Excelente José.

Pedro disse...

A grandeza do Porto não é por ter adeptos exigentes que assobiam a torto e a direito. A grandeza do Porto foi construida pelo amor ao clube dos adeptos.

O meu pai não falhou um jogo nas Antas enquanto eramos terceiros, quintos, segundos, e os titulos voavam. E segundo rezam as crónicas o estádio estava cheio e tinham um grande ambiente.

A construção do Porto de hoje fez-se com um estádio das Antas que intimidava os adversários e não os seus próprios atletas. Hoje se calhar estamos mal habituados e demasiado conformados. Quem achar que para um atleta não faz diferença não percebe nada de desporto.

Eu por mim em 28 anos de idas ao estádio nunca, mas nunca assobiei a equipa. Aceito e não sou fundamentalista anti-assobio, mas não me vejo a assobiar o clube do meu coração.

alex disse...

assobiar a equipa, nunca .
já à uns anos os adeptos do apoel deram grande espetaculo no dragão apesar de terem perdido (é o sangue turco).
aqui ,e contra mim falo, viramos espectadores .

força porto

Alexandre Burmester disse...

O adepto não é mais ou menos exigente por assobiar ou estar calado. O assobio é um tiro no pé. Se não gostam do que vêem, assobiem apenas no fim dos jogos, como os ingleses fazem (durante os jogos apoiam sempre a equipa).

Alexandre Burmester disse...

Não é o "sangue turco", caro alex, até porque APOEL é a sigla do nome do clube: Clube de Futebol Atlético dos GREGOS de Nicósia";-).

Abraço

Jorge disse...

Totalmente de acordo, e por isso que cada vez gosto mais ver futebol ingles e cada vez me custa mais ver jogos de equipas portuguesas.
Acho que o problema e cultural e nao se limita so ao desporto. O assobio e um resultado de uma atitude que tambem se observa nos comentarios feitos por comentadores independentemente das suas qualificacoes.
Parece-me que o dizer mal ou assobiar e a forma como algumas pessoas acham que demonstram niveis de entendimento e exigencia elevados. A verdade e que nao havendo ninguem perfeito e sempre possivel e ate facil encontrar defeitos naquilo que fazem. No futebol entao as pessoas respondem sobretudo ao resultado e nao ao comportamento em si. Assobiam o golo falhado, o passe que nao chega ao destinatario, o corte que nao e feito, mas sao normalmente incapazes de apontar o que e que o jogador/treinador fez de mal tecnica ou tacticamente.

Dragon fan disse...

O amigo José Rodrigues sabe por acaso quanto custa uma época a acompanhar o FC Porto?
No meu caso São 200 e tal KM de gasóleo + portagens + jantar + Dragon Seat + Quotas. tudo isto a multiplicar por 2 (eu e o filho)e numa altura em que todos andamos a contar os cêntimos.
Embora não seja dos que assobiam, não posso concordar com quem quer por em causa o Portismo de quem tanta legitimidade tem para mandar uns assobios. Concorde-se ou não.
Uns gastam o que têm e o que não têm para acompanhar o clube e são criticados por umas assobiadelas, a uns meninos mimados que ganham milhões e o mínimo que teriam que fazer é dar o litro durante 90 min.
Não sou dos que assobiam, mas não posso deixar de defender os melhores adeptos do mundo só porque assobiam á falta de atitude, sim, falta de atitude e falta de respeito pelos adeptos que tantos sacrifícios fazem para estar presentes.
Não posso esquecer há 2 anos quando os lampiões podiam ser campeões no Dragão, mesmo com o 3º lugar já definido foram estes adeptos que assobiam que fizeram questão de estar presentes, enchendo o Dragão. Na época passada a situação inverteu-se e o estádio do recreativo estava meio.
Os adeptos do Porto são exigentes sim, mas apenas para com a atitude da equipa e a falta dela dá toda a legitimidade a quem assobia.
Agora comparar isto aos jogos dos nossos filhos é que não.

Vasquez da Gama disse...

Os adeptos do Apoel foram a melhor coisa que aconteceu naquele jogo.
Os adeptos do FCP são uns stressados e assobiando passam o stress para a equipa. Eu penso que os adeptos fazem parte do jogo, e deviam apoiar a equipa e levantá-la. Se assobiar acontece muito nas Antas, devia haver muito mais apoio, não só quando estão a ganhar. As "claques" são no fundo os únicos a puxar pela equipa, mas devia-se educar também o público para elevar positivamente a equipa. algo que o PC pode tentar fazer, mas acho que nunca o fez.