quinta-feira, 6 de Outubro de 2011

O pai futebolístico de Falcao


El Oporto lo trajo a Europa. ¿Qué aprendió en Portugal?

Allí se encontró con Jesualdo Ferreira, algo decisivo. Es como su padre futbolístico. Tuvo mucha suerte porque no suele haber muchos entrenadores profesionales que pierdan el tiempo enseñando a sus jugadores. Te piden cosas, pero no te enseñan. Jesualdo no es así. Falcao siempre le estará agradecido. Le corregía mucho, me lo contaba todos los días. El Falcao de hoy es también producto del trabajo de Ferreira.

Estas declarações são de Radamel Garcia, pai de Falcao, e foram feitas numa entrevista ao jornal espanhol AS.

Há cerca de um ano atrás, no dia 27 de Outubro de 2010, um outro extraordinário jogador recebeu o Dragão de Ouro. Na hora dos agradecimentos, Hulk afirmou:
É um orgulho receber este prémio. Estou agradecido por tudo. Agradeço sobretudo a Jesualdo Ferreira, que me ajudou bastante quando cheguei e me ajudou a ser melhor jogador.

Jesualdo Ferreira chegou ao FC Porto uns dias antes do início do campeonato 2006/07 (após a deserção de Co Adriaanse) e, durante grande parte do tempo, trabalhou num contexto particularmente difícil. Como é sabido, perante o impacto tremendo do Apito Dourado, e com o presidente “amordaçado”, foi ele que deu o peito às balas e protegeu o grupo de trabalho, inclusive quando houve a ameaça do clube ser excluído da Liga dos Campeões.

Contudo, e apesar dos sucessos desportivos que alcançou, Jesualdo nunca entrou nos corações dos portistas e para muitos era mesmo um mal-amado.

Saiu do FC Porto como um Senhor, respeitando o clube e sem nunca fazer (até agora) uma única declaração desagradável. Atrás de si deixou um rasto de títulos e um grupo de jogadores que ensinou e ajudou a crescer.

O tempo se encarregará de lhe fazer justiça, mas é bom ver o tributo público que lhe é prestado pelos seus ex-jogadores.


P.S. Em Maio de 2008, Jesualdo Ferreira foi a Lisboa, receber um Globo de Ouro da SIC. As palavras que proferiu, perante uma plateia maioritariamente hostil, ficam para a história:

26 comentários:

  1. Mais que justa homenagem. Pepe, Anderson, Falcao, Hulk, Raul Meireles, B.Alves e muitos outros evoluiram imenso com ele. Não foi um treinador perfeito, mas deixou obra no Porto.

    ResponderEliminar
  2. Muito bem lembrado. Gostava que ele ainda viesse a enquadrar a estrutura técnica... Mas não vejo jeito disso, até porque ele não se sujeitaria a ser inferior hierarquicamente a outro treinador.

    É um senhor. E ensina muito a outros "grandes" pequenos.

    ResponderEliminar
  3. Como acredito que é possível ganhar títulos a jogar bem, não me revejo no treinador JF.

    Como Portista agradeço os títulos.

    Como espectador de futebol espero que fique muitos e longos anos "enseñando" lá longe.

    ResponderEliminar
  4. Amigos, só queria dizer umas coisas.
    Agora falar de Jesualdo é facil, mas na altura em que ele esteve no nosso clube, quase como todos, o apoiei em quase tudo, pois era o nosso treinador e gostei de o ver ao leme do nosso barco, pois pela postura, pelos titulos que conquistou e da maneira como nos defendeu, merece muito respeito e agradecimento da nossa parte, contra ele só tenho uma coisa, era muito cagãozinho e as vezes(poucas) tb tinha paragens cerebrais, nas substituiçoes e no onze inicial, coisas que ninguem percebia, de resto um Senhor.

    Obrigado Jesualdo e quem sabe um até já...

    http://omundoazulebranco.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  5. Um Senhor do futebol. Profissional, honesto, correcto. Durante o seu reinado, o Porto pode não ter encantado como com Mourinho ou Villas Boas, mas ganhou 3 campeonatos, fez boas campanhas na Champions, ajudou jogadores a evoluir contribuindo para o encaixe de muitos milhoes nas vendas dos passes.
    Um grande Bem Haja.

    ResponderEliminar
  6. Ainda estou de pé a bater palmas a este post!!!Muito obrigado por esta homenagem a um homem que mesmo não sendo portista (agora ja deve ser) defendeu o FCPorto numa das piores fases da vida do clube! Jesualdo defendeu o FCP quando nem a direcção o fez, porque nao podia falar! E alem de toda essa defesa, ainda ganhou títulos e construiu equipa atrás de equipa!!!

    ResponderEliminar
  7. Eu assino por baixo das palavras do João Saraiva.

    Aproveito para enviar um abraço solidário aos sócios e adeptos do Panathinaikos que perderam na época passada o titulo de campeão depois do professor ter chegado ao clube numa altura que estava no topo da tabela.
    Mais um abraço por não terem conseguido o apuramento para a Champions desta época, perdendo com o Odense BK na 3ª pré-eliminatória.
    E um último abraço por não conseguirem também o apuramento para a fase de grupos da Liga Europa, eliminados pelo Maccabi Tel Aviv.

    Resta-lhes o consolo de verem os jogadores do seu clube aprenderem muito...
    Pena os jogadores do Malaga não terem tido tanto tempo para aprender na época passada!

    ResponderEliminar
  8. Subscrevo a justa homenagem que este post lhe faz, e custa-me ver a ingratidão de muitos Portistas ao trabalho que o JF fez no clube. Os títulos conquistados foram assim tão poucos?

    ResponderEliminar
  9. @miguel87
    Ao serviço do Panathinaikos, Jesualdo Ferreira não ganhou o campeonato e foi eliminado nas pré-eliminatórias das competições europeias.
    Conclusão: não presta.

    Ao serviço do FC Porto, Jesualdo Ferreira ganhou três campeonatos, duas Taças, duas Supertaças, levou a equipa três vezes aos oitavos e uma vez aos quartos-de-final da Liga dos Campeões.
    Conclusão: não presta.

    O mesmo tipo de argumentos é analisado de forma diferente?
    Não há nada como ser coerente…

    ResponderEliminar
  10. Aplaudo de pé este excelente post. Uma justíssima homenagem a um enorme treinador que tanto deu ao nosso F.C.Porto. Um "não portista" que, além dos inúmeros títulos que nos deu, defendeu a nossa camisola com unhas e dentes. Num período em que todos nos atacavam diariamente era ele quem defendia esta casa! Num período em que sucessivamente vendíamos os "craques" do plantel ele conseguia sempre reconstruir a equipa rumo a novos sucessos. O "professor" ensinou a arte a muitas actuais "estrelas" da bola.
    UM ENORME "OBRIGADO" A UM "ENORME HOMEM E TREINADOR".
    Marco Teixeira

    ResponderEliminar
  11. @José Correia
    Essa da coerencia a mim não cola, pois sempre fui contra este treinador desde a sua primeira época quando Lisandro o ensinou a ganhar um campeonato por 1 ponto na última jornada contra adversários que andavam de rastos, passando pelas diversas goleadas sofridas contra esses mesmos e outros adversários até à época final onde bastou um adversário menos fraco para nos tirar o campeonato.

    Isto sem falar na péssima qualidade de futebol apresentado ao longo de 4 anos.

    O Porto já fez campeões de vários treinadores, ao contrário de Jesualdo Ferreira, cujo contributo que tem dado aos clubes estão à vista de todos atraves dos resultados obtidos ao longo de toda a carreira extra FC Porto.

    ResponderEliminar
  12. Confesso que sempre contestei (e fi-lo aqui várias vezes) opções dele.
    Há um factor que o Porto tem de usar para ser grande, e que quando o usa, por norma sai-se bem (Mourinho e AVB) que é jogar SEMPRE com a sua filosofia e de igual para igual, e o "velhinho" era daqueles que, nos jogos grandes, inventava sempre e era aí que o criticava. Como de resto, critico o VP pelos ultimos 3 jogos (Sem contar com a académica). Daqui estamos conversados.

    Agora, sempre defendi que ele era um grande formador de jogadores, e professor. Quando saiu, e lhe foi oferecido um lugar na estrutura, tive pena que não tivesse ficado, e vejo jogadores no actual plantél, que gostava que tivessem a oportunidade de ser ensinados por ele, pois iriam crescer bastantes.

    Cumps

    ResponderEliminar
  13. Excelente post...
    O Jesualdo Ferreira realmente tem um lugar especial na historia do clube.

    ResponderEliminar
  14. Aplaudo a homenagem, mais do que justa!
    Há que dar mérito a quem o tem, e há qualidades que o Jesualdo tem: como ser um senhor, educado, correto, leal e profissional a toda a linha, que vão sendo raras hoje em dia. - Tivemos uma estrela a seguir, é verdade, mas tão rápido reluziu como com a mesma rapidez foi brilhar para outro lado. Cagou para o povo, e para o tal presidente. E, é portista desde pequenino. -
    É fácil tirar as conclusões.
    Como é mais fácil pegar na equipe depois de 1/3 de época a ganhar, e, esfomeada de títulos...

    A memória de alguns jogadores parece não ser curta, e alegra-me isso.

    bom post, José Correia!

    ResponderEliminar
  15. Miguel 87 disse "adeptos do Panathinaikos que perderam na época passada o titulo de campeão depois do professor ter chegado ao clube numa altura que estava no topo da tabela." Correcção o Panathinaikos não estava em 1º lugar quando o Jesualdo "pegou" na equipa, estava sim perto do 1º, e a equipa já estava em queda acelarada à chegada de Jesualdo, problemas que já vinham do treinador antecedente.
    Sou da mesma opinião do Metz, "sempre defendi que ele era um grande formador de jogadores...", Jesualdo podia não ser um génio táctico e era conservador, mas sabia motivar e potenciar jogadores. Existe por aí no campeonato português um "mestre da táctica" mas nunca ouvi nenhum dos seus ex-jogadores (Di Maria, David Luís, por exemplo) tecer elogios do mesmo teor que Falcão teceu a Jesualdo.
    Comparem Jesualdo com homens da "casa" que foram treindores, refiro-me a Octávio Machado, e digam-me qual preferem.
    Também tivemos António de Oliveira, muito agradecido ao trabalho dele, mas que também tinha as suas "invenções" - lembram-se da entrada de Costa no onze inicial em Manchester onde perdemos por 4-0 - e na 2ªtemporada de Oliveira a qualidade do futebol decresceu, não me esqueço que não passamos à 2º fase da Champions com os norugueses do Rosenborg no grupo, perdemos na Noruega e empatamos nas Antas, e só fomos (tetra)campeões porque havia Jardel, Drulovic e Artur na equipa, e quase que jogavam sozinhos.

    ResponderEliminar
  16. miguel87 disse...
    sempre fui contra este treinador desde a sua primeira época

    OK. Perante isto, nem vale a pena argumentar.

    ResponderEliminar
  17. miguel87 disse...
    péssima qualidade de futebol apresentado ao longo de 4 anos

    É uma opinião.
    Já recordei os títulos e o sucesso desportivo que Jesualdo alcançou ao serviço do FC Porto e, como não me quero desviar muito do assunto deste post – o tributo público de ex-jogadores de Jesualdo Ferreira e o comportamento deste grande profissional enquanto esteve ao serviço do nosso clube – acrescento apenas o seguinte: o professor Jesualdo Ferreira nunca disse que era portista desde pequenino e que estava na sua cadeira de sonho. E muito menos, depois de sair do FC Porto, disse que ir ao Porto era como ir a Palermo.

    ResponderEliminar
  18. Só de pensar que havia muitos adeptos portistas, alguns dos quais meus amigos, que no final da época 2008/09 entendiam que o Pinto da Costa deveria ter contratado o bronco do Jorge Jesus em vez de renovar com Jesualdo, até me dá arrepios.

    ResponderEliminar
  19. @Daniel Gonçalves
    Correcção à correcção: Não consigo precisar, mas Jesualdo chegou ao Pana por volta da jornada 12 e mão mauis tarde que isso, (http://www.zerozero.pt/edicao.php?jornada_in=12&id_edicao=16280&fase=32064) e estava com os mesmos pontos que o Olympiakos.

    "Também tivemos António de Oliveira,(...) e só fomos (tetra)campeões porque havia Jardel, Drulovic e Artur na equipa, e quase que jogavam sozinhos."

    E então Falcao, Hulk, Lisandro, Lucho e Cª também não jogavam sozinhos?
    Mas este argumento só reforça aquilo que eu já disse: o Porto já fez campeões de muitos treinadores. Ao contrário, exceptuando Pedroto, talvez o inverso nunca possa ser afirmado com toda a certeza (refiro-me apenas desde o final dos 70's/inicios dos 80's).

    ResponderEliminar
  20. Grande homem, sim senhor. Discret, eloquente, e conseguiu excelentes resultados com a constante venda de peças chave. Claro que isso faz parte do ADN do Porto, mas creio que nas últimas duas épocas, as vendas foram feitas de forma bastante mais comedida e reinvestindo uma parte mais substancial na novas aquisições.

    ResponderEliminar
  21. Este suposto ADN do Porto - de criar talentos e vendê-los a bom preço - só surgiu no pós-2004, e só mais tarde foi assumido como "ideologia oficial" nos Relatórios e Contas. Antes disso vendíamos por mera necessidade, sem o assumirmos como estratégia.

    Seja como for, isto é estratégia de "clube pequeno" - quer se queira, quer não. "Pequeno", claro, devido ao mercado nacional em que está inserido, mas "pequeno" na mesma em termos europeus, pese embora a sua grande massa adepta.

    Quanto a Jesualdo Ferreira, quem ganha três títulos de campeão nacional tem de ficar na história do clube, obviamente!

    ResponderEliminar
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  24. Como diria Herman José:

    ESTE HOMEM É UM SENHOR.....

    ResponderEliminar
  25. Miguel 87: pode ter razão, mas se o Panathinaikos estava em 1º lugar, era em igualdade pontual mas perdendo no confronto directo ou perdendo no gool average, o que equivalia ao 2º lugar para o efeito de classificação, aliás o antecessor (que desconheço quem era) de Jesualdo foi despedido por esse mesmo facto: ter perdido o 1º lugar no campeonato.

    "Também tivemos António de Oliveira,(...) e só fomos (tetra)campeões porque havia Jardel, Drulovic e Artur na equipa, e quase que jogavam sozinhos." (...)E então Falcao, Hulk, Lisandro, Lucho e Cª também não jogavam sozinhos?" O que eu quis dizer era que na 2ª temporada de Oliveira a equipa estava "jardeldependente", o que nunca aconteceu na era Jesualdo, nunca houve um jogador que por si só obrigasse toda a equipa a jogar em função dele. Após o brilhantismo da 1ª época de Oliveira, o tricampenato, a 2ª temporada foi perdendo fulgor e a táctica limitava-se a centros para grande área adversária onde se esperava que Jardel resolvesse o jogo, ou então num lance de bola parada - Doriva, Barroso - resolver o jogo. Por alguma razão António Oliveira não continuou após ser bi-campeão em 2 temporadas, em condições normais não havendo propostas para nos comprar um técnico campeão aquele continuava, ora tal não aconteceu, porque a Administração compreendeu que Oliveira estava a deixar a equipa definhar.

    É evidente que para um técnico ter sucesso é necessário ter uma equipa recheado de jogadores de valor. Que seria de Mourinho sem Deco, Costinha, Ricardo Carvalho de 2002 a 2004?

    ResponderEliminar
  26. Entre um Jesualdo (de quem nunca gostei muito) um bocado encolhido mas prudente, que praticamente só inventava contra grandes equipas inglesas em Inglaterra e com o qual contra grandes equipas europeias - tirando os colossos - só perdemos uma vez fora e por 1-0 (Schalke04), e um Vítor Pereira com o destemor e a imprudência dos inconscientes e que não se enxergam bem, que está permanentemente a inventar, que inventa na lista da Uefa, que inventa nas equipas iniciais e nas substituições, e que logo no primeiro jogo fora da CL, contra uma equipa igual ou pior a muitas a quem ganhámos com Jesualdo, perdeu, com o Porto a parecer uma equipa de coitadinhos e a só não ser goleado por mero acaso, está claro que prefiro um Jesualdo.

    ResponderEliminar