domingo, 16 de outubro de 2011

O tempo e o mérito - I

Se anúncio tivesse sido em Junho o aplauso era unânime - só que não o foi.

Foi agora em Outubro e o tempo entretanto fez o favor de não ficar parado.

Basta olhar aqui para a direita deste artigo, tivemos aqui uma votação que não tem nenhum rigor científico mas que deu o seguinte resultado:

"A melhor equipa do FC Porto foi..."
2010/11 André Villas Boas com 34%
Este resultado foi obtido durante o mês de Setembro, em Maio/Junho tínhamos efectuado exactamente a mesma votação, tendo na altura o resultado sido:
2010/11 André Villas Boas com 52%
Relativamente ao cerne da questão, não aconteceu absolutamente nada que alterasse a resposta, então por que motivo caiu 18%?

Todos sabemos a resposta. É exactamente o mesmo motivo porque se ouvem hoje críticas ao Dragão de Ouro atribuído.

Pela minha parte, em relação aos Dragões de Ouro sempre defendi três coisas:

- Não fazia sentido entregá-los em Março ou Abril do ano seguinte, 9 ou 10 meses depois de acabada a época. Felizmente nos últimos anos têm sido entregues bem mais cedo.

- Os premiados devem ser anunciados no final da época - e a entrega também o deveria ser. Embora no caso da entrega perceba a dificuldade em efectuar a cerimónia em pleno início de verão e com as várias modalidades a não acabarem todas exactamente ao mesmo tempo.

- Os prémios devem ser ao mérito, quer isto dizer que independentemente de o (ou potencial) premiado estar ou não a representar o FC Porto, se o mereceu deve ganhá-lo. A atribuição também deve ser independente de já ter sido premiado ou não.

Vejo com satisfação que só falta mesmo atribuir os prémios no final da época. Pela primeira vez é atribuído a alguém que já não representa o FC Porto - André Villas Boas - e pela primeira vez alguém repete um prémio - Hulk - como futebolista do ano.

É verdade que vai ser um risco a presença (se se confirmar) de André Villas-Boas, e pela minha parte não retiro uma linha daquilo que escrevi aqui. Mas uma coisa é ter ficado fodido com ele, outra é reconhecer-lhe o mérito.

Neste caso aplaudo-o de pé (e a quem lhe atribuiu o prémio).

21 comentários:

José Rodrigues disse...

Como já disse em comentário no artigo anterior mais abaixo, para mim isto não é só uma questão de "justiça". Quem ganha estes prémios deve ser visto como um role model pelos outros, e quem sai a mal não é role model nenhum.

Já agora, recordo q Mourinho não ganhou o prémio em 03-04.

E se fosse só pela justiça, pergunto o seguinte: se em vez do Chelsea o AVB tivesse ido para o slb.. devia receber o prémio e a homenagem na mesma??

Acho q já sei a resposta de 99.9% do pessoal. Pois...

HULK 11M disse...

Esta "nomeação", que acho justíssima, só vem confirmar a minha suspeita de que já dei conta em comentários anteriores aqui no "RP": A saída do AVB teve o apoio do NGP e foi da conveniência de todas as partes. Esta época iria ser muito difícil para AVB. Os adeptos estariam agora a exigir exibições e resultados semelhantes ou melhores do que os da época anterior e o homem arriscava-se a ser assobiado pelos mesmos que agora lhe chamam "Libras Boas"!
Parabéns André!

João Saraiva disse...

@José Rodrigues

Sim, é verdade que o Mourinho não ganhou em 2004 e pessoalmente achei mal que não o tivesse ganho.

Profissionalmente o AVB não saiu a mal do FC Porto, cumpriu na íntegra o contrato que tinha assinado. A questão das expectativas que tínhamos de ele pôr o seu portismo à frente do seu profissionalismo é que foram goradas.

Se tivesse ganho o Dragão de Ouro para Sócio do ano aí a conversa era outra - a esse exigimos Portismo, ao treinador do ano exigimos profissionalismo.

Mas para que não haja estas confusões entre Portismo e profissionalismo é que defendo que os Dragões de Ouro sejam atribuídos no final da época, aí acho que ninguém tinha a mínima dúvida do mérito.

Os acontecimentos futuros são sempre um risco, basta lembrar o José Veiga ou o Tó Neves que meses após tê-lo recebido estava a jogar no 5lb, voltou e voltou a ser símbolo do clube - e até já conquistou o primeiro troféu como treinador.

Daniel Gonçalves disse...

Está em debate aquilo que entendemos pelo prémio "Dragão de Ouro", eu pressinto 2 concepções: é exclusivamente um prémio de portismo, ou, para além desse facto, é um prémio de mérito e competência. Se a resposta for a primeira hipótese o reparo do José Rodrigues, à atribuição do Dragão de Ouro ao AVB, faz todo o sentido. Porque muitos de nós discordam que fosse atribuído ao AVB um prémio tipo "Personalidade portista do ano" ou equivalente ao "Sócio do Ano", mas depende da concepção que atribuírmos ao Dragão de Ouro. Na minha opinião o "Dragão de Ouro" é um prémio de mérito, e sendo assim entendo e considero justo a sua atribuição ao AVB.

nobigdeal disse...

registo prá contabilidade:

a minha opinião é exactamente a mesma que a do José Rodrigues, tanto no que escreve neste comentário como no anterior sobre o mesmo assunto (também me mereceu um grande lol a afirmação de que AVB "cumpriu o contrato").

sem pretender reavivar uma discussão antiga, aqui fica mais uma achega: numa sondagem alargada que fiz junto de amigos e conhecidos (aí uns 4 ou 5 :) reparei que entre os portistas/portuenses havia uma maior tendência para justificar a atitude do AVB do que entre os portistas/não portuenses.

José Correia disse...

nobigdeal disse...
também me mereceu um grande lol a afirmação de que AVB "cumpriu o contrato"

Não é verdade?
Fê-lo da mesma maneira que fizeram outros profissionais, como Vítor Baía, Domingos, Ricardo Carvalho, Deco, Lucho, Lisandro, Bruno Alves, Falcao, etc.
Ou seja, todos eles cumpriram (e bem) as suas funções enquanto cá estiveram e depois saíram, sendo a SAD indemnizada por uma valor aceite pelas duas partes.

José Rodrigues disse...

"Não é verdade? Fê-lo da mesma maneira que fizeram outros profissionais, como Vítor Baía, Domingos, Ricardo Carvalho, Deco, Lucho, Lisandro, Bruno Alves, Falcao, etc.
Ou seja, todos eles cumpriram (e bem) as suas funções enquanto cá estiveram e depois saíram, sendo a SAD indemnizada por uma valor aceite pelas duas partes."

E tu a dar-lhe, ò Zé... fosca-se.

1) nenhum desses jogadores cumpriu o contrato (nomeadamente sairam antes do termino do contrato), q fique registrado. MAS...

2) a grande diferença entre esses todos e o AVB é q no primeiro caso o FCP negociou a sua venda, no caso do AVB *não*.

O AVB agiu de forma puramente UNILATERAL, enquanto nos outros casos o contrato foi rompido de forma bi-lateral.

Fosca-se, isto é tão claro que fico de boca aberta q tenha q o lembrar aqui.

José Rodrigues disse...

"sem pretender reavivar uma discussão antiga, aqui fica mais uma achega: numa sondagem alargada que fiz junto de amigos e conhecidos (aí uns 4 ou 5 :) reparei que entre os portistas/portuenses havia uma maior tendência para justificar a atitude do AVB do que entre os portistas/não portuenses"

nobigdeal,

desculpa estragar-te a estatística mas por acaso o AVB ficou-me encravado e sou portista *e* portuense... não me parece sinceramente q haja qq correlação neste aspecto.

João Saraiva disse...

nobigdeal disse...
também me mereceu um grande lol a afirmação de que AVB "cumpriu o contrato"

Que eu saiba um contrato é o conjunto de todas cláusulas do mesmo.

Umas das cláusulas estipulava um prazo e efectivamente essa cláusula não foi cumprida.

Mas no mesmo contrato havia outra cláusula, que cancelava a anterior e que permitia rescindir o contrato sem justificação desde que fosse paga a quantia de 15 milhões. E foi esta a cláusula accionada.

Isto, para mim, é cumprir um contrato.

José Rodrigues disse...

"Está em debate aquilo que entendemos pelo prémio "Dragão de Ouro", eu pressinto 2 concepções: é exclusivamente um prémio de portismo, ou, para além desse facto, é um prémio de mérito e competência."

Errado. Há pelo menos uma terceira, a minha: para mim é um prémio de mérito *mas* sob a condição de que o homenageado seja em geral um exemplo para os outros (não só no desempenho como noutras coisas: profissionalismo, não andar na má vida, etc).

Ora um gajo q rompe contrato de forma unilateral não é, para mim, exemplo para quem quer q seja. É este o sinal que querem dar para os treinadores futuros (e jogadores), é isso? "Vocês se vos apetecer sair contra a vontade do clube estejam à vontade q até são depois homenageados...".

Não é portanto uma questão de portismo (o AVB até podia ser lampião desde pequenino q para mim ia dar ao mesmo nesta discussão, em função dos critérios q mencionei). De todo.

De resto concluo que para o José Correia e tantos outros que por aqui andaram a dizer q o q interessa é apenas "mérito e competência", eles iam achar muito bem q ele recebesse esta homenagem na mesma se em vez de ir para o Chelsea tivesse ido para o slb. Ok, fica registrado. Enfim, critérios (em q não me revejo).

Pedro Reis disse...

Já agora porque não ter premiado o Falcao? Foi sem dúvida o jogador da época passada!

nobigdeal disse...

não estraga nada José Rodrigues, era uma brincadeira. mas é certo que para os portistas espalhados pelo mundo, como me parece ser o seu caso (portista/portuense a residir fora do país), foi uma tarefa complicada nas conversas de café assumir a defesa por mais este "ataque" ao clube :)

João Saraiva: não, não é. o José Rodrigues explica isso tão bem...

José Rodrigues disse...

"Mas no mesmo contrato havia outra cláusula, que cancelava a anterior e que permitia rescindir o contrato sem justificação desde que fosse paga a quantia de 15 milhões. E foi esta a cláusula accionada."

João, isso não faz qq sentido. Pagar uma indemnização por incumprimento de contrato (mesmo q o valor da dita-cuja fique à partida estabelecido) não pode ser visto como uma validação de q o contrato foi cumprido.

Eu lido com contratos regularmente e vou dar um exemplo concreto para ilustrar o que digo: eu estabeleço um contrato com a empresa de construção X para construir uma nova fábrica a ficar pronta em Julho, como data-limite; mas "just in case" q eles não cumpram, estabelece-se à partida q por cada semana de atraso desconto Y Euros do q lhes tenho a pagar.

Se eles se atrasarem na construção da fábrica, naturalmente eu (e toda a gente) vai entender q eles não cumpriram com o acordado. Não é por a indemnização ter ficado estabelecida à partida q esse entendimento vai mudar. O q eu queria era a fábrica pronta em Julho, da mesma forma q o q o PdC queria era q o AVB ficasse pelo menos mais um ano (a acreditar nas inúmeras declarações públicas q fez sobre o assunto, recusando-se de todo a falar com o Chelsea).

Se por ex nas obras do túnel de Ceuta aqui há uns anos o construtor estivesse atrasado 10 anos nos trabalhos tu ias dizer q eles "cumpriram" caso tivesse havido no contrato uma cláusula de indemnização por atraso? Claro q não, isso não faz qq sentido! É exactamente a mesma coisa aqui.

José Rodrigues disse...

nobigdeal,

eu percebi q era uma brincadeira. Mas olha q por acaso ninguém (lampião, etc) me chateou a cabeça por aqui por causa desta história, não precisei disso para influenciar a opinião q tenho sobre este assunto.

Para mim esta discussão resume-se ao seguinte: quem defende a atribuição deste prémio ao AVB por "ele ter tido o mérito e (sic) cumprido contrato", ia ser forçamente obrigado a achar bem q ele merecesse o prémio na mesma se tivesse ido antes para o slb em vez do Chelsea.

Ora eu sou muita coisa mas não sou masoquista. Se eu fosse um jornalista do planeta Urano que atribuísse estes prémios sim, preocupava-me apenas com o mérito, mas não sou. Sou portista. Tal como quem os atribui.

João Saraiva disse...

Podemos pegar em muitos exemplos, mas aqui estamos a falar em relação laboral, por isso prefiro exemplos laborais.

Se eu contratar duas pessoas por 1 ano, assino com elas um contrato que tem x cláusulas derivadas das leis do trabalho, uma dessas cláusulas permite-lhes sair da empresa antes do fim do prazo, desde que cumpram determinados pressupostos - para o caso não vale a pena estar aqui a enumerá-los, mas acho que devem ser do conhecimento de qualquer trabalhador Português.

Se uma dessas pessoas a meio decidir sair da empresa, mas cumpre todos os pressupostos só me resta deixá-la sair. Tudo o que a pessoa fez está ao abrigo do contrato assinado.

Mas se a outra pessoa chegar à empresa e disser que no dia seguinte já não vai trabalhar, não está a cumprir o contrato e se efectivamente não aparecer eu tenho motivo para entrar com uma acção no tribunal de trabalho.

Ambas denunciam o contrato, uma fá-la cumprindo as cláusulas do mesmo, outra não.

Podemos dizer que o AVB não avisou com antecedência, mas pelo que defiro das palavras de PdC não havia nenhum prazo - só tinha de avisar e mandar o cheque, senão teria feito finca-pé como fez por exemplo há anos com o McCarthy.

E como o FCP não entrou com nenhum acção por incumprimento de contrato...

I rest my case

José Correia disse...

José Rodrigues disse...
a grande diferença entre esses todos e o AVB é q no primeiro caso o FCP negociou a sua venda, no caso do AVB *não*

Mas quem te disse que o Pinto da Costa foi surpreendido com a "saída intempestiva" de AVB?
Quem te disse que o FC Porto não negociou a saída do AVB e que a posição que a Administração assumiu publicamente mais não foi que uma estratégia para obrigar o Chelsea a pagar a totalidade - 15 milhões de euros - da cláusula de rescisão?

Mais. Quem te disse que, por exemplo, jogadores como Quaresma, Bruno Alves, Raul Meireles não forçaram a sua saída?
Olha, no caso do Raul Meireles, o próprio Pinto da Costa afirmou publicamente que o jogador andou a treinar no FC Porto para depois brilhar na Selecção (isto durante a época 2009/10).

José Rodrigues disse...

"Quem te disse que o FC Porto não negociou a saída do AVB"

R: o PdC, e por diversas vezes.

Não tenho qq razão para acreditar q estava a mentir neste caso, tudo indica q não tinha o minimo interesse em deixar sair o AVB (tão cedo).

Mais: estou convencido q para fazer dinheiro o PdC preferia de longe vender um jogador a vender o AVB.

Mas a pergunta q se coloca é antes: quem te disse o contrário? Que provas ou indicações é q tens de q o PdC negociou a saída do AVB?

De qq forma esta discussão é para ti irrelevante, presumo, já q os argumentos q apresentaste em defesa da atribuição do prémio tb se aplicariam se ele tivesse ido por ex para o slb. Pela lógica apresentada a clausula foi batida, ele foi profissional enquanto cá esteve, isso chega não é?

José Rodrigues disse...

"Quem te disse que, por exemplo, jogadores como Quaresma, Bruno Alves, Raul Meireles não forçaram a sua saída?"

O facto de q sairam abaixo da clausula de rescisao, o q automaticamente implica q -TEVE- q haver consentimento da parte do FCP.

Por muito q um jogador chie ou amue, se o clube não o quiser vender nada feito (qdo a clausula de rescisao não é coberta). Se o clube o vende é pq acha q é melhor vende-lo do q ficar com ele, como diria o sr de Lapalisse (seja por que razão for). Decisão portanto bilateral.

Mas já agora digo-te q caso esses jogadores tenham tido um comportamento muito incorrecto aquando dessas negociações, acho muito bem q não recebessem o Dragão de Ouro (e por acaso nenhum desses jogadores o recebeu no ano em q saiu). Sou perfeitamente consistente pq como disse a questão de serem exemplo para os outros (ou não) conta para mim na atribuição do prémio.

Já para quem o q interessa é apenas se mereceu em campo (ou no banco) e cumpriu contrato, tudo isto é irrelevante. Até podiam ter dito cobras e lagartos do FCP (pelo menos após serem vendidos) e ir para o slb, q "mereciam" a homenagem na mesma - recebendo o trofeu em frente dos sócios e dos restantes jogadores e treinadores, q presumo os iriam aplaudir.

José Rodrigues disse...

"Mas para que não haja estas confusões entre Portismo e profissionalismo é que defendo que os Dragões de Ouro sejam atribuídos no final da época, aí acho que ninguém tinha a mínima dúvida do mérito."

João, volto a repetir q nem sequer tem nada a ver com portismo, se o gajo fosse benfiquista para mim era igual nisto de merecer receber o prémio ou não.

"E como o FCP não entrou com nenhum acção por incumprimento de contrato..."

Olha, se eu bater com a porta amanhã aqui na minha empresa podes estar seguro q esta não me vai processar por incumprimento de contrato, pq não pode. Mas tb podes ficar seguro q ninguém me vai atribuir um prémio pelo trabalho feito no último ano (q os temos). Aliás, se mo atribuissem ia ser um pequeno escandalo (a unica excepcao possivel seria para o caso de me ter reformado).

De resto concordo contigo q seria melhor atribui-los no fim da epoca, mas nao sei se isso será exequível na prática (até pq pelo menos de 2 em 2 anos temos muitos jogadores q vão directamente para as seleccoes mal a época termina, só para dar um exemplo).

José Correia disse...

José Rodrigues disse...
Pela lógica apresentada a clausula foi batida, ele foi profissional enquanto cá esteve, isso chega não é?

1) O AVB teve um desempenho excepcional enquanto treinador do FC Porto;
2) A saída do AVB foi feita às claras (que eu saiba não houve reuniões secretas no restaurante Camelo…), sendo o interesse do Chelsea do domínio público pelo menos desde o dia 22 de Maio;
3) Para além do seu desempenho profissional, o AVB saiu do FC Porto cumprindo, escrupulosamente, as condições que estavam previstas no contrato laboral assinado entre as duas partes;
4) Para além dos sucessos desportivos, o AVB proporcionou à FC Porto SAD um ganho directo de 15 milhões de euros, pagos de uma só vez e a pronto;
5) O AVB não reagiu, ou reagiu com elegância, mesmo quando o Pinto da Costa trouxe para a praça pública conversas privadas e o acusou de ser medroso;
6) Desde que saiu do FC Porto, o AVB não fez uma única declaração negativa, ou provocatória em relação ao FC Porto.

Por este conjunto de razões e não apenas por uma delas (ou por aquilo que tu interpretaste do que eu escrevi), entendo que é justíssima a atribuição do Dragão de Ouro de treinador do ano (época 2010/11) e estou inteiramente de acordo com essa atribuição.

Daniel Gonçalves disse...

José Rodrigues afirmou: "os argumentos q apresentaste em defesa da atribuição do prémio tb se aplicariam se ele tivesse ido por ex para o slb".

O amor ao FCP do AVB não o deixaria ir para o SLB, aliás publicamente ele afirmou que não se via a treinar o SLB nem colocava tal hipótese, portanto não é concebível tal atitude do AVB, se a direcção benfiquista desejasse contratar o AVB e colocado os € 15M da cláusula de rescisão - como o fez o Chelsea - o AVB recusaria sair do FCP.