quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Os jogadores são os mesmos da época passada…

(onze inicial do FC Porto contra o APOEL)

«Um mau jogo acontece a qualquer equipa, duas exibições fraquinhas também podem suceder aos melhores clubes, mas este FC Porto começa a desiludir e a abusar da paciência dos seus adeptos com uma regularidade surpreendente, quase chocante. Ontem viu-se uma equipa portista quase sempre desordenada, sem chama e sem ideias. Os jogadores são os mesmos da época passada (trocando Falcao por Kléber), mas parecem outros, abúlicos, como se tivessem sido mordidos por uma mosca tsé-tsé. Ao fim de apenas 12 jogos oficiais, pode até ser injusto relacionar a baixa de produção apenas com a troca de treinadores. Mas salta à vista que a margem de manobra de Vítor Pereira se reduziu muitíssimo nos últimos tempos. (…)

Ontem, a exibição portista foi ainda pior do que o resultado. Não se viu uma ideia colectiva de jogo e não houve pinta da intensidade que já se lhe viu noutros momentos. Individualmente, nem é bom falar... Salvou-se apenas Helton, que evitou o descalabro. Hulk foi bem marcado, mas ainda criou três ou quatro lances com a sua chancela. O resto foi um deserto de ideias e um conjunto de disparates, designadamente defensivos, que ajudam a explicar os vários golos sofridos esta época. Até disciplinarmente se notam diferenças: oito cartões amarelos, sendo que toda a defesa acabou "amarelada". Rolando continua numa fase de delírios permanentes (começa a justificar-se uma aposta no jovem francês Mangala) e até Otamendi parece afectado.»
Bruno Prata, 20/10/2011
in publico.pt

16 comentários:

Duarte disse...

É o fim da linha para o Vítor Pereira. Já o havia escrito a seguir ao jogo com o Zenit.

Podem-me vir dizer que no campeonato até vamos em igualdade pontual no primeiro posto, que na champions nada está perdido, mas o jogo jogado apenas demonstra que nem uma nem outra situação se irá manter durante muito mais tempo. Além disso, porque raio haveremos de mudar de treinador quando tudo estiver perdido? A mudar é agora que ainda, e sublinho o ainda, podemos dar a volta e fazer uma boa época. Relembro que com o Octávio Machado só mudamos de treinador na segunda volta, já o Sporting e o Boavista estavam a uma distância considerável. Nada feito!

Se a equipa mostrasse um fio de jogo que fosse, mas nem isso. Insistir em Vítor Pereira mais tempo é encurtar significativamente as nossas hipóteses de sucesso. Até pode ser que ele ganhe no domingo ao Nacional (é até provável), mas será uma vitória que apenas trará cuidados paliativos e esta equipa é boa, merece uma vida prolongada e não o ténue adiamento de uma morte anunciada.

Mário Magalhães disse...

Concordo plenamente com o texto do Bruno Prata, custa-me tanto ver a nossa equipa chegar a este ponto, está aos olhos de todos que esta formação, não tem alegria, ritmo, não tem alma, está moribunda... Como é possível em 3, 4 meses destruir uma equipa que tantas alegrias nos deu no ano passado, destruir, não foi venda de jogadores que é mais grave, foi sim um fio de jogo uma marca que tínhamos e agora foi-se. Só detecto um departamento culpado por todo isto, o departamento técnico, porque não lhes vejo competência, para estarem no patamar que estão, mas todos eles...
Ainda por cima esta pré época foi a que mais investimos e estamos com esta crise como é possível...
Peço a troca de toda a equipa técnica quanto antes para não perder-mos o comboio do titulo e poder-mos ainda ir buscar alguns €€€ na liga de campeões, porque manter-mos esta situação, vai ser só o arrastar de uma situação inevitável...

Gonçalo Verdasca disse...

"um deserto de ideias e um conjunto de disparates"

Acho que esta frase resume o Porto deste ano. Se formos bem a ver, aposto que mais de 50% dos nossos golos nasceram de bolas paradas(excluindo o Pero Pinheiro que não interessa a ninguém). Não temos fio de jogo, não temos nada...afinal que anda Vítor Pereira a fazer???
Porque mudar apenas quando tudo estiver perdido?? É que infelizmente, muito infelizmente, parece-me que é esse o nosso destino caso nada seja feito!
Eu acreditei na promoção de Vitor Pereira, e depois de ver o Porto-Barcelona também me pareceu correcta. Infelizmente dai para cá foi sempre a regredir, com aquele deve ser um dos melhores planteis de sempre do clube! Pelo menos o mais caro..
São demasiados erros, uma péssima visão de jogo, jogadores apáticos, enfim..faz-me lembrar os "processos" para os quais Jesualdo precisava de 4 meses. No entanto Jesualdo ao menos ainda fazia evoluir os jogadores, ia ganhando campeonatos e jogos de champions, fazendo-nos sonhar. Este não faz nada a não ser asneira.

Gonçalo Verdasca disse...

«Temos de analisar e ver o que podemos corrigir para, da próxima vez, conseguirmos o nosso objectivo, que é vencer. É ao treinador que compete, agora, ver como deve fazer isso durante os trabalhos da semana», afirmou Helton.

Não deixa de ser algo estranha esta afirmação do nosso capitão...

Ah pois disse...

Bastava ao VP continuar a metodologia de treino do AVB. Era só copiar.

Ah, e escolher uma equipa técnica de jeito e não broncos mais incompetentes que ele. Rodeou-se de nabos para que em comparação ele possa ficar bem na fotografia.

Adeus 2011/12...

Alexandre Burmester disse...

É óbvio que o Presidente não vai a correr despedir o treinaodr. Primeio, poruq, como é normal com ele, o VP foi sua escolha; segundo, porque ianda recentemente veio dizer que já nos estavam a fazer o enterro mas blá, blá.

Claro que PdC tem a clarividência para actuar quando acha que as coisas passaram o limite - e, se for preciso, até arranja argumentos para isso - mas já estive mais optimista quanto à brevidade dessa sua actuação.

pedro disse...

Na minha opinião, o treinador recebeu um presente envenenado e vai ser vitima disso...ou nao! Ele ate pode ser pior que AVB, os adjuntos podem ser os piores do mundo (e parece que todos veem os treinos, tal é a certeza com que os rotulam), mas aceitou herdar uma equipa que perdera o seu timoneiro. Se saiu o timoneiro, os craques quiseram seguir a pisada, outra coisa não fazia sentido, mas acabou por sair apenas o Falcão. Agora VP tem em mãos "craques" como o Pereira, Guarin e o Moutinho que queriam zarpar, tudo forçaram na não pré-epoca para zarpar e agora pagam por isso: correm tanto como a minha avó!! A resposta seria fácil: BANCO com eles...mas não pode...até podemos perder titulos mas não podemos perder os euros que acabamos por recusar este ano. Assim levamos com o Alvaro "amuado" Pereira a correr para a frente (é o defesa mais avançado do mundo a arredores); o "gigante" Moutinho parece agora um cordeirinho ao lado de um Nuno Morais qualquer; o Guarin e o novo "el comandante" mas de poltrona!!

PS1- VP não increveu Walter pq havia problemas pessoais graves com termo incerto (claro recado a SAD que gastou pilim em suplentes e não lhe deu o PL pretendido)
PS2- por falar em montra pq jogou rodriguez em vez de rodriguez no Monaco? Para despachar o uruguaio em desespero. Não que ganhassemos, pois defendemos como o Apoel e atacamops como o pero pinheiro. Mas é tudo uma questão de MONTRA! (não sei se alhum artista não sai já para a Sibéria em Janeiro enquanto é tempo...).

Pedro disse...

É absolutamente impensável que PC mande V.P embora nesta altura. Não me parece que nas suas intervenções ou reflexões que tem feito tenha dado qualquer sinal de descontentamento. Não tenho essa esperança.

E o certo é que um novo treinador nesta altura dificilmente nos daria titulos. Na história do Porto quantos treinadores vindos a meio da época ganharam o titulo? Nem Mourinho o conseguiu e a distância não era assim tanta...

Já a restante equipa técnica é um caso a pensar. A preparação fisica da equipa é uma lástima, alguns jogadores não duram 60 minutos e até os centrais parecem ter perdido os rins. O nosso adjunto é fraquinho e sem carisma e a perda do P.Emanuel retirou uma importante fonte de motivação.

E quer se queira quer não Falcao não foi substituido. Kleber não tem qualidade (para já) para ser titular do Porto. Não faz a diferença, não é matador, não segura jogo.

Nightwish disse...

Os jogadores são os mesmos, mas não eram assobiados em casa 90 minutos por jogo.
Os jogadores eram os mesmos mas os postes pareciam bem diferentes.

Já quanto aos amarelos, parece-me claramente que o desnível entre uma equipa e outra não foi causada pelo FCP...

ℕℯℓsση ℳαcℎα∂σ disse...

Não estando completamente em desacordo com o que se tem dito e escrito, faço o apelo aqui para se relembrarem dos primeiros jogos (oficiais) feitos pelo FC Porto sob o comando de Vítor Pereira.
Não esqueçam as primeiras exibições, as quais faziam todos dizer que a jogar assim até queríamos que calhasse o Chelsea no grupo da Liga dos Campeões para mostrar ao libras boas que o clube se mantinha forte sem ele.
Não esquecer a excelente exibição frente ao Barcelona na Supertaça Europeia, jogo do qual aliás apenas o resultado foi fraco (e o arbitro).

Não se apressem a julgar os outros nem se armem em paladinos da desgraça e façam antes o contrário, apoiem e deixem trabalhar quem sabe e reconhece que tem tido pouca produtividade... como o restante país.

Até gostava de saber por quem substituíam Vítor Pereira e se uma substituição nesta altura seria mais benéfica do que manter um "homem da casa".

Para mim o que está mal e que critico mais, admito que por falta de conhecimento, é a restante equipa técnica. E aí a culpa (se tal se pode considerar) é do treinador e do clube.

miguel disse...

Boas, hoje tive uma "inside information" que o adjunto do VP teve uma discussão bastante acesa com o Ruben Micael e logo se tratou de o encaminhar para não dar mais confusão, o que quer dizer que a saída AVB lançou a confusão dentro da equipa, juntando o facto de muitos dos nossos jogadores quererem sair, o que foi mal gerido pela direcção, só havia uma conclusão.....a asneira está à vista uma equipa técnica sem poder nem rumo

Duarte disse...

"É absolutamente impensável que PC mande V.P embora nesta altura"

Então vai mandar quando? Quando estiver tudo perdido?

"Não esqueçam as primeiras exibições, as quais faziam todos dizer que a jogar assim até queríamos que calhasse o Chelsea no grupo da Liga dos Campeões para mostrar ao libras boas que o clube se mantinha forte sem ele.
Não esquecer a excelente exibição frente ao Barcelona na Supertaça Europeia, jogo do qual aliás apenas o resultado foi fraco (e o arbitro)."

As primeiras exibições também não foram nada de outro mundo. Vitória periclitante na Supertaça, vitória em Guimarães com uma exibição igual à da Supertaça, derrota com o Barcelona, em que não se exigia a vitória, mas sempre me pareceu despropositado a sobrevalorização exibicional que foi feita pelos adeptos desse jogo, já que afinal perdemos. Não foi caso para se tecerem críticas duras - tal seria irrealista dado o valor do adversário -, mas os elogios foram excessivos. De boas exibições salvam-se os jogos com o Setúbal e Shaktar (neste jogamos contra 9 durante um largo período), em casa, e com o Leiria, fora.

No ano do Octávio Machado demos 8-0 ao Barry Town, 4-1 ao Boavista e 3-0 ao Celtic. Também houve bons jogos, o pior foi o resto.

Miguel disse...

Não discordando completamente do artigo, essa teoria da equipa indisciplinada no jogo de ontem acho um pouco disparatada... Sim, estavam abúlicos, sim não jogaram nada, sim, o Vitor Pereira tem vistas curtas principalmente quando tem de mexer na equipa a meio do jogo. Agora, como já ontem li aqui num artigo, dizer que foi por isso que o FC Porto foi indisciplinado ao ponto de ver 8 cartões amarelos, só mesmo de quem não viu o jogo ou não reparou como foram exibidos os cartões amarelos.

Daniel Gonçalves disse...

Concordo com o Duarte a mudar é agora, depois pode ser demasiado tarde. As exibições vão continuar a piorar, e o problema não é só dos adjuntos é também do Vítor Pereira, este ainda não possui maturidade para ser técnico principal do FC Porto.

Pedro disse "E o certo é que um novo treinador nesta altura dificilmente nos daria titulos." Discordo completamente, nunca se sabe se um novo técnico nesta altura consegue transfigurar a equipa. Agora continuar com um treinador desajustado e incompetente é que não nos dá título, isso sim.

"Na história do Porto quantos treinadores vindos a meio da época ganharam o titulo? Nem Mourinho o conseguiu e a distância não era assim tanta..." Comparação absurda, não estamos a meio da época, e logicamente que mudar de técnico quando tudo está perdido não dá resultados, a mudança a ser feita é quando ainda existe margem de manobra. Mourinho quando entrou para o FC Porto, já estavamos eliminados da Taça e no Campeonato longe dos primeiros.
Querem exemplos de mudanças que feitas a tempo deram resultado (apesar de não serem do noso clube): quando o Sporting acabou com o jejum de 18 anos e foi campeão começou a época com um treinador italiano - o Materrazi - os maus resultados levaram ao afastamento desse treinador, pelos idos de Novembro, e foram buscar o Inácio, foi remédio santo.
Outro exemplo: o Milan em 1996, na época em que o defrontamos e ganhamos por 3-2 em Milão, tinha acabado de ficar sem o Fábio Capelo, e contratou um treinador sul-americano de prestígio (não me lembro do nome, mas que tinha ganho a Taça dos Libertadores e outros títulos), após a derrota com o FC Porto e outros maus resultados na Champions e no Calcio, foi substituído por alturas do Natal, foi uma mudança cirúrgica e no devido tempo, pois mesmo assim ainda conseguiram ser campeões italianos.

Ricardo Rodrigues disse...

@Daniel Gonçalves

Esse treinador era (é) Óscar Wáshington Tabárez Silva, hoje é o selecionador do Uruguai.

Daniel Gonçalves disse...

Ricardo Rodrigues, obrigado pelo apontamento.

"É absolutamente impensável que PC mande V.P embora nesta altura. Não me parece que nas suas intervenções ou reflexões que tem feito tenha dado qualquer sinal de descontentamento" "É óbvio que o Presidente não vai a correr despedir o treinador"
Para mim uma coisa é certa, se esta época for um desastre (espero que não se concretize o pior e que tenhamos o maior nº de títulos, mas as perspectivas são desanimadoras), a maior responsabilidade cabe à Administração, pois quando se tornou evidente que o treinador escolhido para suceder a AVB não dava conta do recado, a Administração não soube tomar «a tempo» (sublinho esta parte) a atitude mais racional e pragmática: a mudança de técnico.