sábado, 26 de novembro de 2011

A "animalização" dos adeptos


«Esta "gaiola", como muitos lhes chamam, é mais do que uma deriva securitária. Constitui-se num claro recuo do processo civilizacional que levou à retirada das vedações dos estádios, precisamente numa fase em que os números da violência nos estádios eram maiores. Esta "animalização" dos adeptos pode ter efeitos perversos que talvez não tenham sido pensados pelo zeloso clube da capital. Na verdade, e como lembrou o holandês Otto Adang, polícia e investigador dos conflitos e comportamentos colectivos nos estádios de futebol, "se tratarmos os adeptos como hooligans, eles vão comportar-se como hooligans".
Daniel Seabra, Antropólogo
in semanário Grande Porto, 25/11/2011


Do fosso à jaula, o que é que realmente distingue os dirigentes e as "elites pensantes" dos dois clubes da 2ª circular?
Tão "civilizados" que eles são... Como diz o povo na sua imensa sabedoria, estão bons uns para outros.

Nunca fui, nem tive vontade de ir, a este novo estádio da Luz que, aliás, devia mudar de nome para estádio das sombras (depois de vários casos no túnel e do apagão de Abril passado, de facto só faltava colocar uma jaula para os adeptos dos clubes adversários...).

Gosto de futebol e tenho uma enorme paixão pelo Futebol Clube do Porto, mas uma coisa garanto, nunca descerei ao nível de permitir que me "enjaulem" para ir ver um espectáculo desportivo.

Ah, e cada vez sinto mais orgulho no Estádio do Dragão, de longe o melhor estádio português e, pelos vistos, o único estádio dos três grandes em que os espectadores são tratados como pessoas e não como animais.

12 comentários:

reine margot disse...

O estádio da luz é um estádio bonito. grande, e impressionante quando cheio.
e, não tem "culpa" nenhuma que quem o dirige goste de achincalhar os adeptos.
concordo completamente que tratar as pessoas como animais só as leva a serem animais.
a ideia da evolução é extamente o contrário, mas talvez alguém por aquelas bandas tenha faltado às aulas quando se dava essa matéria...

João Saraiva disse...

e quem não se lembra daqueles heróis que na base do 'agarrem-me senão eu mato-o' se punham a subir as redes nas Antas (estádio ou pavilhão), mal havia uma falta duvidosa.

Desapareceram as redes e as personagens também se eclipsaram.

Pedro disse...

Toda a teoria de controle de multidões contraria esta invenção do regime... Quanto mais "enjaulados" e rodeados de policia mais perigosa se torna uma multidão...

Jamais pagarei dinheiro para me meterem numa gaiola mal iluminada.

Ah pois disse...

Bem, a lagartagem lançou fogo às bancadas da Luz. Das duas uma:

1) Ou são mesmo selvagens e fizeram o favor de confirmar a necessidade das medidas adoptadas pela Lampionagem

ou

2) Foram os próprios lampiões que fizeram isso para acusar os lagartos.

Sei que a segunda hipótese é mesmo absurda, mas vindo dum clube com janelas partidas no autocarro vindas não se sabe donde e com um dirigente que depois duma alegada agressão corre para a redacção da Bola em vez de correr para a Esquadra... espera-se de tudo.

David Duarte disse...

é preciso saber que o Benfica tomou esta decisão de maneira a limitar o espaço para os adeptos das equipas contrarias ao quarto anel. Neste sentido a rede é essencial pois evita que objectos sejam mandados para os adeptos benfiquistas que se encontram em baixo.

A pertinência da mudança da disposição dos adeptos no Estadio da Luz é que deve ser posta em causa e não a colcação da rede uma vez a decisão tomada. Ja os muros, não existe historico de violência entre adeptos no novo Estadio da Luz por isso acho uma medida abusiva.

Sou contra a mudança de disposição dos adeptos e por isso contra a "jaula". Antes os adeptos das equipas adversarias tinham o privilégio de, como no Dragão, estarem ao pé do relvado e assim comunicarem com a equipa e vice-versa. Agora estão metidos num canto do quarto anel... Muito mà medida que mostra pouca consideração pelos adeptos das equipas adversarias. E o argumento do "outros clubes, e dos mais importantes, também têm o mesmo método", mesmo se é um facto, não é argumento legitimo. Se os outros tomam medidas erradas, não é por serem grandes clubes que se tornam correctas.

Alexandre Burmester disse...

Eu gostava que o Benfica dissesse quem são esses "outros clubes, e dos mais importantes". Decerto que se não trata de clubes ingleses, pois desde o desastre de Hillsborough, Sheffield, em 1989, que todo e qualquer tipo de vedação é proibido em Inglaterra.

David Duarte disse...

O Basileia :) està pelo menos ao nivel de um Apoel!

Amphy disse...

Podiam colocar os adeptos da equipa adversária junto à relva e colocar os Lampiões dentro da gaiola. Ou os invisuais, que para além de terem lugares atrás dos monitores ainda ganhavam mais estes. E calhando nem notavam, ficando assim toda a gente contente.

Haja paciência para tamanha estupidez. Habituem-se que cada vez mais a sociedade portuguesa fica mais parecida com as do "3º mundo". Não bastava a corrupção e a falta de justiça, agora também a estupidez e idiotice proliferam.

p.s. - Acham que quem defende a "caixa" gostava de ficar com redes à volta nos camarotes presidenciais?

José Correia disse...

De há uns anos para cá, a Liga vem adoptando o discurso de que é preciso criar condições para atrair mais gente aos estádios e, particularmente, mais mulheres, crianças e famílias.

Esta medida – instalação de uma “jaula” para adeptos adversários – insere-se nessa estratégia da Liga?

José Correia disse...

Como é óbvio, a instalação de “jaulas” nos estádios não impede que possa haver desacatos, quer à entrada, quer dentro dos próprios estádios.

Não há medidas infalíveis, mas as que têm provado ser mais eficazes são as direccionadas especificamente aos próprios elementos que causam os problemas. Exemplos:
- detenção, no estádio, após identificação por câmaras de vigilância;
- impedir os elementos que provocaram desacatos de entrarem nos estádios;
- obrigatoriedade de apresentação na esquadra da residência à hora dos jogos.

Luís Negroni disse...

No zoológico da luz apagada é tudo ao contrário: As pessoas são metidas em jaulas e os animais (galinhas tolas aos milhares) ficam fora delas.

Papoila Saltitante disse...

Uma reflexão que o tempo se encarregou de ridicularizar, gostaria de te ouvir agora a falar de jaulas depois do FCP ter copiado a ideia que tanto criticou...