domingo, 27 de novembro de 2011

Hulk! Ele baralha, parte e dá!


Depois do desafogo de Donetsk, Vítor Pereira consegue fazer soltar um pouco mais o cordel que lhe envolvia perigosamente o pescoço. Com mais ritmo e alguma liberdade, a sua equipa foi-se soltando das amarras, mas é em Hulk que faz depositar todas as decisões. Sem nunca ter sido demolidor, o conjunto azul e branco construiu um resultado seguro. Pena foi aquela desconcentração final, dando uma expressão a um resultado que não ficou a condizer com o jogo.

Fazendo cumprir o adágio popular, o nosso técnico alinhou os mesmos homens que começaram a levar de vencida a equipa do Shakhtar. Um prenúncio não totalmente satisfatório dado o pouco domínio aí verificado. Mas, na verdade, algo se transfigurou construção de jogo e frente de ataque portista. A mobilidade e intensidade é outra, muito potenciada pelo posicionamento menos rígido de James e Djalma. Hulk corrobora no espírito, contribuindo no desgaste da defesa alheia. A sua técnica, expansividade e força faz o resto.

E assim foi! Hulk resolveu, com todas as letras! Um golo de cabeça a abrir, servido de bandeja por Rodriguez, o “miúdo”, numa fase onde a nossa equipa já controlava e impunha a sua velocidade, fez o 2º, para levantar o estádio. E, sem deixar morrer o clímax, estilhaçou a defesa bracarense e ofereceu o 3-0 a Kléber. Não está mal para ponta de lança improvisado. Se calhar, não é assim tão estranho, digo eu.




Numa exibição assim tão cintilante e reluzente, só mesmo a mancha da penalidade cometida já a caminho do minuto 90, fez ofuscar a prestação de qualidade do Incrível. A distracção no acompanhamento ao seu adversário directo, catapultou a equipa para um balbuciante final pouco expectável, sintomático de que algumas feridas levam tempo a sarar.

Metidos num buraco tão negro e quase sem vislumbre da sua saída, Pereira e seus rapazes aliviaram um pouco as costas do pau que estava prestes a cair-lhes em cima. A unidade ainda está longe de estar consolidada, o treinador continua a querer “brincar” ao Football Manager no nosso meio campo – aquela retirada de cena de Defour, enfim – e constata-se que só há mesmo Hulk para destoar. Valha-nos isso e mute do comando do televisor para cortar o pio aqueles campeões de la palissadas e demais calinadas que vertem ininterruptamente.

33 comentários:

Duarte disse...

O 3-0 tinha sido o resultado mais certo. Aqueles dois golos não foram justos, o Braga nada fez para os merecer. De qualquer modo, destaco a tranquilidade da equipa após o 3-2. Não houve sinais de pânico, continuamos a jogar com clarividência e o jogo acabou com a bola na grande área do Braga.

Foi um jogo melhor do que o de Donetsk. Parece que paulatinamente estamos a crescer, o que é óptimo.

Pedro disse...

Ainda pior que os últimos 5 minutos foi ver a atitude do James durante todo o jogo e ainda mais aquando da sua saída.

Se está tão enfadado não percebo porque joga.

InVicturioso disse...

Vi o jogo na Sporttv (na internet, para dizer a verdade) e realmente fiquei enojado com os comentários do Luis Freitas Lobo. É um indivíduo que tem a mania que percebe muito de bola, inclusive mais que os treinadores, questionando toda e qualquer opcao que ultrapasse a sua ilimitada sabedoria.

Quanto ao jogo, gostei...Muito sinceramente gostei. Muitos defeitos ainda por resolver, mas vi uma intensidade muito aceitável quando comparada com o tem sido habitual.

Caro Nelson Carvalho,
eu tal como voce nao gostei de ver Defour sair, mas na verdade foi essa substituicao que nos permitiu chegar ao 2-0. É que com a entrada de Souza, Moutinho ficou muito mais livre para participar nas manobras ofensivas tendo sido ele quem serviu o Incrível.

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

caríssimos,

sucintamente: foi uma enorme vitória (do) Incrível ;)

somos Porto!, car@go!
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todos vós! ;)

Miguel | Tomo II

Louro disse...

Não se pode enbandeirar em arco.
A equipa melhorou substancialmente, no entanto há lacunas na defesa que urge corrigir.
Maicon a lateral direito,NÃO P.F.! Otamendi fartou-se de apagar fogos mas terá de ter calma a sair com a bola nos pés.
Alvaro Pereira defende mal e o Hulk foi obrigado a fazer penaltie porque o Uruguaio não estava lá!
Contudo houve garra, atitude, agressividade, no fundo fomos uma equipa!
E a arbitragem ?
Depois de roubados em olhão , hoje não foi melhor!

Mário Faria disse...

Foi entretido, divertido e desagradável. Bons momentos, bons golos, algumas promessas de melhoria, e um fecho em que detectamos erros recorrentes. Apesar de tudo foi entretido e acabou com algum suspense.
Ambas as claques assobiaram os treinadores, descontentes com as substituições. Foi divertido.
O pior foi o James denunciar mais uma vez que é um miúdo mimado: a forma exaltada como saiu é indesculpável , enquanto CRodriguez (que nem entrou mal) saiu a barafustar com tudo e todos. Zangado com quê ? Que se passa ? É desagradável constatar que há sintomas de indisciplina e, provavelmente, de excessiva rivalidade no seio do grupo.
Espero que estes destemperos sejam dominados e que não seja permitido aos jogadores aproveitarem-se da “fragilidade” do treinador para fazerem o que querem e lhes apetece, porque acham que quem paga a factura não serão eles, vítimas das tibiezas do VP.

Soren disse...

A saida de Defour e Djalma sao completamente compreensiveis dado o desgaste que tiveram em Doneskt, onde também sairam depois de terem sido os dois jogadores que correram mais quilometros em campo.

Foi visivel por toda a Europa o efeito do desgaste dos jogos da Liga dos Campeoes nas principais equipas. Mostram-no mais que os resultados, as exibiçoes.

Dadas as circunstancias, o Porto fez um jogo muito bom, demonstrou frescura fisica e disponibilidade muito acima da média comparado com o que se viu por essa Europa fora (com um adversario dificil). No final do encontro a vontade e o coraçao de Hulk e o estoiro fisico completo "provocaram" um resultado enganador.

Ha jogadores chave que tiveram conversas com o Presidente. A atitude é outra. Aqueles que nao sao se chave e se queixam, em vez de trabalharem para jogar com mais assiduidade, continuam com as birras. Ha gente que nao presta e nao serve.

Gostei da entrevista de Vitor Pereira no final, curto e grosso, como merecem os jornaleiros e muitos adeptos.

Pedro disse...

Isto vai dar que falar...
Christian Rodriguez e VP

José Correia disse...

Duarte disse...
De qualquer modo, destaco a tranquilidade da equipa após o 3-2. Não houve sinais de pânico

Sim, mas só faltava um minuto para o fim do período de compensação.

José Correia disse...

Pedro disse...
Ainda pior que os últimos 5 minutos foi ver a atitude do James durante todo o jogo e ainda mais aquando da sua saída. Se está tão enfadado não percebo porque joga.

Fiquei mais apreensivo com a falta de entendimento entre James e Hulk em várias jogadas de contra-ataque, as quais, se tivessem sido bem trabalhadas, poderiam ter dado origem a lances muito perigosos, ou mesmo a golos do FC Porto.
Estaremos perante duas prima donnas a competirem entre si e a quererem brilhar uma mais que a outra?

José Correia disse...

InVicturioso disse...
Vi o jogo na Sporttv (na internet, para dizer a verdade) e realmente fiquei enojado com os comentários do Luis Freitas Lobo.

O LFL é um bracarense do tempo em que a maior parte dos bracarenses eram benfiquistas. Penso que isso ajuda a perceber o sentido de muitos dos seus comentários.

José Correia disse...

Louro disse...
E a arbitragem? Depois de roubados em Olhão , hoje não foi melhor!

Não gostei do critério disciplinar (claramente em prejuízo do FC Porto) e, principalmente, da forma escandalosa como foi anulado um golo a Hulk aos 80' (após cruzamento de Cristián Rodríguez). Só um cego não vê que o Hulk está nitidamente atrás da linha da bola.

José Correia disse...

Mário Faria disse...
O pior foi o James denunciar mais uma vez que é um miúdo mimado: a forma exaltada como saiu é indesculpável

Em 2003, o Vítor Baía puxou dos galões durante um treino, mas o Mourinho não foi de modas: tirou-o da equipa e pô-lo a treinar sozinho durante umas semanas. O Vítor até foi falar com o presidente, mas só voltou à equipa depois de pedir desculpa ao treinador.

Tivesse o FC Porto um treinador com personalidade e sem medo de enfrentar as "feras" e o James ia perceber quem é que manda e qual é o lugar dele.

José Correia disse...

Mário Faria disse...
enquanto CRodriguez (que nem entrou mal) saiu a barafustar com tudo e todos. Zangado com quê? Que se passa?

Sobre este "artista" já publiquei vários artigos. Na minha opinião, há muito que já não devia fazer parte do plantel do FC Porto.

reine margot disse...

Desculpem, mas depois de mais um jogo de recuperação, mais um jogo em que os jogadores voltaram a festejar e estar alegres, vir aqui falar de pormenores de zangas ou enfados, não está com nada!...
sim, ainda não bate a bota com a perdigota em tudo, mas que diabo... estou como o cavaco: deixem-nos trabalhar!
portugal é um país muito chato. mesmo. por isso, a malta não quer ficar cá. para nós, muitos que nem o oito damos no dia a dia, só serve o oitenta. - animem-se gente. (vejam mais o positivo e vão ver que serão mas felizes!)

miguel87 disse...

50 jogos de campeonato sem perder!
Não façam como a generalidade da imprensa que ostraciza este facto... todos sabemos como seriam as parangonas se o feito fosse noutras latitudes!

PS.Já agora, não sendo um exclusivo de VP, longe disso, não deixa de ter a sua modesta quota parte neste recorde - podem destacar isso no papa recordes IV (sim, eu sei que ainda falta o III, mas paciência, ainda não foi desta contra o braga...)

José Correia disse...

miguel87 disse...
50 jogos de campeonato sem perder!

Sim, é verdade, um recorde partilhado por três treinadores:
9 jogos (Jesualdo Ferreira): 8V, 1E
30 jogos (André Villas-Boas): 27V, 3E
11 jogos (Vítor Pereira): 8V, 3E

Por falar em Jesualdo, não me lembro do miguel87 destacar alguns dos recordes positivos que ele alcançou. Exemplos:
- treinador, ao serviço de equipas portuguesas, com mais jogos na Liga dos Campeões;
- treinador, ao serviço de equipas portuguesas, com mais apuramentos para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões;
- treinador, ao serviço de equipas portuguesas, com mais vitórias fora em jogos na Liga dos Campeões;
- conquista de três campeonatos consecutivos.

Na altura, o miguel87 preocupava-se mais em destacar os resultados negativos do FC Porto de Jesualdo como, por exemplo, os jogos que perdeu com o Sporting de Paulo Bento, ou as goleadas que sofreu em Inglaterra.

Mudam-se os tempos, mudam-se os treinadores e muda-se a forma como alguns adeptos encaram os resultados e as exibições da equipa portista.

José Correia disse...

miguel87 disse...
podem destacar isso no papa recordes IV (sim, eu sei que ainda falta o III, mas paciência, ainda não foi desta contra o braga...

O miguel87 parece que continua muito incomodado com dois pequenos artigos que um dos co-autores do ‘Reflexão Portista’ – Nuno Nunes – publicou, destacando alguns recordes negativos de Vítor Pereira.

O Nuno é assim, frontal, quando não gosta di-lo directamente, sem falinhas mansas, sem se preocupar em ser politicamente correcto, sem se preocupar com o nome do treinador e sem se preocupar se agrada, ou não, a quem lê aquilo que escreve. E não se esconde atrás de nicknames, tudo o que escreve assina com o seu nome e apelido. É por isso (e por ser um grande portista) que é um dos fundadores e co-autores do ‘Reflexão Portista’.

Só é pena que o Nuno não tenha tempo/motivação para publicar mais artigos no ‘Reflexão Portista’…

José Correia disse...

reine margot disse...
vir aqui falar de pormenores de zangas ou enfados, não está com nada!...

As situações aqui referidas não foram públicas?
Não foram lamentáveis atitudes de jogadores profissionais principescamente pagos?
Não estamos a falar do diz-que-disse, mas sim de situações que foram vistas e ouvidas, em pleno estádio, por N pessoas. Por que carga de água deveriam ser ignoradas?
Metendo a cabeça na areia, ou varrendo a porcaria para debaixo do tapete, resolvem-se estes problemas?

InVicturioso disse...

Caro José Correia,

ja leio este blog ha tempo suficiente para saber que voce é um acérrimo defensor de Jesualdo, quanto a mim confesso que nunca fui grande fa do seu trabalho, mas é realmente impressionante a lista de recordes que voce refere.
No entanto, gostava de sublinhar que todos esses recordes foram alcancados ao servico do...FC Porto. O que obviamente nao é nenhuma coincidencia!

Caro Miguel87,

nao se faca de desentendido, voce sabe perfeitamente quais foram os factos que motivaram a elaboracao dos artigos que refere.

Leceiro disse...

O trabalho do Prof. Jesualdo teve os seus aspectos positivos e negativos, como qualquer treinador que por aqui passou. Agora, não entendo o porquê de tanto elogiar o seu trabalho quando os seus recordes foram ensombrados com pingas históricas.

Talvez se possa traçar um paralelo entre o trabalho do VP e do Prof. mas ainda assim acho que já chega de comparações com o passado recente.

miguel87 disse...

Sim, fui acérrimo critico do Prof. Jesualdo a partir do final da 1ª época no clube depois de ver o triste futebol que a equipa jogava e continuou a jogar nos anos seguintes e já foi mais do que escalpelizado que os 3 titulos que venceu coincidiram com anos piores que péssimos dos concorrentes directos. Sim, já sei que na champions se qualificou em grupos com o Liverpool e Arsenal, da mesma maneira que fomos eliminados por um modesto Shalke 04 e no mesmo periodo em que fomos derrotados em Liverpool por 4 e em Londres por 4 e 5 golos!

Mas isto é completamente diferente do que vir para aqui realçar recordes negativos de um treinador que nem 6 meses tem no cargo e em circunstancias muito adversas em que pegou na equipa.
Alias, basta olhar a diferença de atitude dos jogadores nos dois ultimos jogos para ver a razão porque os resultados negativos aconteceram - se há uma série de vedetas que não foram transferidos para clubes mais ricos a culpa não é do treinador.

miguel87 disse...

"Caro Miguel87,
nao se faca de desentendido, voce sabe perfeitamente quais foram os factos que motivaram a elaboracao dos artigos que refere."

Pois sei, os factos é que os jogadores não foram profissionais, não correram, não fizeram o que lhes compete.
Daí achar extremamente injusto o tom das criticas ao treinador.

miguel87 disse...

"O Nuno é assim, frontal, quando não gosta di-lo directamente, sem falinhas mansas, sem se preocupar em ser politicamente correcto, sem se preocupar com o nome do treinador e sem se preocupar se agrada, ou não, a quem lê aquilo que escreve. E não se esconde atrás de nicknames, tudo o que escreve assina com o seu nome e apelido. É por isso (e por ser um grande portista) que é um dos fundadores e co-autores do ‘Reflexão Portista’."

JC, ainda bem que o Nuno é frontal - deviamos ser todos assim - e não é PC nem se esconde e tal... já somos dois, por isso não tenho nenhum problema em dizer o que digo do Jesualdo, desde o tempo em que ganhava os campeonatos e não apenas quando ele deixou de o fazer.
Ah e apesar do nick, até tenho foto e não me escondo, estou todos os jogos no Dragão na bancada poente, sector 5, fila 31, cadeira (de sonho) 25 e sempre disposto a reflectir sobre o nosso clube (mas não assobiar).

"Só é pena que o Nuno não tenha tempo/motivação para publicar mais artigos no ‘Reflexão Portista’…"

Sim, tambem tenho pena que o pouco tempo/motivação do Nuno só dê para publicar criticas nos momentos maus da equipa...

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

O Campeão está de volta! É a melhor crítica que posso fazer à exibição portista frente à competitiva formação bracarense.

Sem ser um jogo excepcional, o FC Porto demonstrou que quando há empenho a vitória é quase um dado adquirido.

Hulk em grande, apesar de algumas falhas irritantes, Defour e Moutinho preciosos, Fernando muito concentrado e imperial, enfim, o futebol portista começa a dar uma imagem positiva e a mostrar que chegar em primeiro no final do campeonato é uma questão de atitude.

Um abraço

Daniel Gonçalves disse...

Concordo com o Leceiro, o trabalho do Prof. Jesualdo teve, como o comum dos mortais, aspectos positivos e aspectos negativos, só os génios produzem unicamente aspectos positivos.

Miguel 87 "e no mesmo periodo em que fomos derrotados em Liverpool por 4 e em Londres por 4 e 5 golos..." Sim, é verdade mas vamos analisar as coisas dentro do respectivo contexto, porque descontextualizar e ver as coisas fora de contexto leva a análises erradas: ainda não é possível comparar o trabalho de Vítor Pereira com o Jesualdo, pelo simples facto de que Vítor Pereira ainda não teve o mesmo tempo de treinador de Jesualdo, sobre as goleadas convêm avaliar com lucidez e concluir que por muito pouco não levamos 5 ou 6 golos contra o Zenit na Rússia, para a Champions; o Jesualdo nunca perdeu contra o Apoel como aconteceu ao VP; se, em vez de defrontarmos o Apoel para a Champions, tivessemos tido esse péssimo jogo contra uma equipa inglesa no seu melhor teríamos perdido por 6 ou 7, e o Vítor Pereira teria batido o record do Jesualdo pela negativa. A sorte do VP (e nossa), durante esse péssimo momento - que acredito já ter passado - na Champions, foi não termos defrontado equipas inglesas.

Ah e o Jesualdo, em quatro temporadas, nunca perdeu com a Académica em Coimbra, e logo por 3-0.

Duarte disse...

Miguel, o Jesualdo começou por pegar na equipa em circunstâncias bem mais adversas que as de Vítor Pereira.

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

sinceramente:
estas "quezílias" em torno de um amor comum, cansam-me.

gosto muito deste espaço de discussão; tem boa gente que escreve bons artigos.
mas acho que há muitos de nós que se julgam mais portistas do que os outros e/ou mais papistas do que o nosso Papa.

ser crítico não é ser acrítico, evidentemente; mas podemos (devemos?) ver sempre as "coisas" pela perspectiva do copo meio-cheio, não?

esta é uma crítica que não é dirigida a ninguém em particular, ok?
só estou cansado de, chegar aqui, e ler sempre e sentir constantemente um bota abaixo que não tem razão entre portistas - como se já não bastassem os nossos adversários e a conivência da Comunicação Social...

somos Porto!, car@go!
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todos vós! ;)

Miguel | Tomo II

Jorge Mota disse...

4-2!

N foi mau

Siga para mais e melhores

AMO TE HULK

José Correia disse...

miguel87 disse...
estou todos os jogos no Dragão na bancada poente, sector 5, fila 31, cadeira (de sonho) 25

Caro miguel87, tem várias coisas em comum com o Nuno Nunes:
1) São ambos portistas;
2) São ambos detentores de um dragon seat;
3) Ambos foram críticos (mais ou menos acérrimos) do Prof Jesualdo Ferreira;
4) Ambos foram entusiastas de André Villas-Boas e do futebol praticado pelo FC Porto na época passada.

Pelos vistos, onde discordam é na avaliação que fazem de Vítor Pereira como treinador principal do FC Porto. Não é grave. Pelo contrário, é um bom tema de discussão entre portistas e um bom pretexto para tomarem um café num dos próximos jogos do FC Porto no Estádio do Dragão.

miguel87 disse...

Óptimo, pago um café ao Nuno no próximo jogo com o Zenit.
Desde que não venha para a minha beira assobiar :)

Luís Negroni disse...

O pior de tudo, foi a arbitragem toda ao contrário do soares dias júnior. Se nós portistas fossemos bonzinhos como os adeptos do slb que dão cabeçadas e partem dentes aos árbitros lisboetas, estas coisas não nos aconteciam com árbitros portuenses; Mas como somos maus, temos de levar com arbitragens destas, em nossa casa, especialmente com árbitros portuenses vermelhos (os vermelhos portuenses é sabido que são os piores de todos os vermelhos).

Mas também não foi bom ver os maus modos do puto James, que deve andar convencido de que já é uma grande estrela do futebol mundial e que tem de ser metido nos eixos pra bem do Porto e dele próprio. Se o treinador for capaz disso, claro.

Nuno Nunes disse...

miguel87, passo pelo seu lugar no jogo com o Zenit para tomarmos café!

Obrigado, José Correia, pelo elogio!