quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Os números do negócio Falcao


A informação seguinte foi extraída do Relatório e Contas Consolidado da FC Porto SAD, correspondente ao 1º Trimestre 2011/2012:

«(...) no período de três meses findo em 30 de Setembro de 2011 foram renegociados os contratos com os jogadores Radamel Falcao e Álvaro Pereira, com reflexo ao nível do valor das respectivas cláusulas de rescisão, prazos de duração do contrato de trabalho e remunerações associadas, que foram aumentados. Estas renegociações significaram encargos com assinatura de contrato e serviços de intermediação de, aproximadamente 6.585.000 Euros relativos ao jogador Radamel Falcao e, aproximadamente, 973.500 Euros relativos ao jogador Álvaro Pereira (...)»
in R&C, página 17

«As alienações no período de três meses findo em 30 de Setembro de 2011, que geraram mais-valias no montante de 20.338.365 Euros, resultam essencialmente da alienação dos direitos de inscrição desportiva do jogador Falcao ao Atlético de Madrid, pelo montante de 40.000.000 de Euros, que gerou uma mais-valia de, aproximadamente, 20.170.000 Euros, após dedução de: (i) custos com serviços de intermediação no montante de 3.705.000 Euros prestados pelas entidades Gestifute e Orel B.V.; (ii) de responsabilidades com o mecanismo de solidariedade no montante aproximado de 2.000.000 Euros; (iii) da proporção no valor de venda do passe detido pela Natland Financieringsmaatschappij B.V. no montante de 1.805.000 Euros; (iv) do efeito da actualização financeira das contas a receber e a pagar a médio prazo originadas por estas transacções, no montante de, aproximadamente, 1.690.000 Euros; e (v) do valor líquido contabilístico do passe à data da alienação, no montante de, aproximadamente, 10.629.000 Euros, que incluía os encargos com os prémios de assinatura acima referidos e respectivas comissões de intermediação.»
in R&C, página 18


6.585.000 Euros pagos em encargos com assinatura (renovação) de contrato e serviços de intermediação;

3.705.000 Euros pagos em custos com serviços de intermediação aquando da venda;

1.805.000 Euros correspondentes à percentagem do passe que não era detida pela FC Porto SAD.

Só em serviços de intermediação e encargos com a renovação do contrato de Falcao, foram pagos mais de 10 milhões de euros em pouco mais de um mês (renovação em 14/Julho e venda ao Atletico Madrid em 18/Agosto).

De facto, o futebol movimenta muitos milhões para os bolsos de indivíduos de fato e gravata, a maior parte dos quais nunca deram (nem sabem dar) um pontapé numa bola...
E, também por causa disto, há negócios que se fazem e outros que também não.

6 comentários:

Zé Luís disse...

Estou siderado.

Mas já antevia algo do género. Por isso fui dos poucos, senão o único, a achar um péssimo negócio. Apressado e mal rendibilizado. Pior, sem alternativa válida. Portanto, um desastre. Obrigado pela informação.

Nelson Carvalho disse...

Resumindo, para tanta chouriçada feita à socapa em pouco mais de um mês, bem que poderiam ter deixado em vigor a clausula de rescisão anterior que o efeito seria o mesmo. Ou se calhar não...

Já esteve mais longe o dia em que reencaminharei o valor das minhas quotizações para o bolso de quem não trata o dinheiro assim, a modos que, com tamanha e desavergonhada ligeireza!

Alexandre Burmester disse...

Eu repito o que já há tempos disse: por que raio de razão pagam os clubes comissões por renegociação de contratos, e a quem?? Se se trata do agente do jogador em causa, este último que lhe pague, além de essa situação configurar um caso típico de conflito de interesse, pois o referido agente não pode representar condignamente os interesses do jogador se no fim for receber uma comissão do clube com quem está a negociar.

InVicturioso disse...

É assustador.
É por isso que os agentes dos jogadores o que querem é que eles vao sempre mudando de clube, para garantir que ganham a sua comissao.

Hugo disse...

Não tenho palavras para a forma como se actualmente gerem as finanças na SAD.
Um desastre para ser meigo

Miguel Pereira disse...

Uma realidade que ajuda a explicar a evidente falta de liquidez que tem a SAD. Todo o dinheiro gastos nesta (e noutras) transferências, compras de percentagens e renegociações de contractos eram suficientes para a) manter jogadores chave b) reforçar a equipa com jogadores de maior qualidade.

No entanto já há muito que se percebeu que a SAD do FCP está para fazer dinheiro e distribuir dinheiro por quem está à sua volta mais do que para velar pelos interesses da equipa. Falcao foi vendido à pressa, como disse o Zé Luis, porque as contas estavam no vermelho e ninguém dava os tais 30 ou 40 milhões que o clube queria. Foi preciso inventar este filme com um clube que, já por si só, é proclive a estes negócios circenses para levantar uma cortinha de fundo...e depois esperar que os adeptos descarguem a raiva no treinador de low profile de turno. Antes foi Jesualdo, agora Vitor Pereira...

Trabalhar no FCP pode dar titulos a muitos técnicos mas também os faz comer o pão que o diabo amassou...