terça-feira, 22 de novembro de 2011

Um Estadista do Futebol Português


Foi com muito gosto que ouvi a entrevista de Fernando Gomes à SIC Notícias ontem à noite.

É raro ver-se em Portugal alguém pensar o futebol para além do clubismo e do paroquialismo. O Dr. Fernando Gomes, sendo um conhecido portista - antigo atleta e dirigente - demonstra as qualidades, digamos, "supra-partidárias", que há muito se não viam no futebol português.

Não conheço o seu opositor, o Dr. Carlos Marta, e como tal, nada contra ele me move. Mas como já se viu, como, por exemplo, nos elogios que muitos clubes pequenos lhe dirigiram enquanto Presidente da Liga, eu acho que a chegada do Dr. Fernando Gomes à presidência da F.P.F. seria muito bem-vinda.


PS: Só fiquei com a pulga na orelha em relação à possível reformulação da Taça de Portugal à imagem da Taça da Liga. O que a Taça de Portugal precisa não é de uma elitização, antes pelo contrário, o que ela precisa é de ser transformada numa prova totalmente nacional, como sucede em Inglaterra, onde todo e qualquer clube de futebol tem acesso às suas eliminatórias preliminares.

10 comentários:

Daniel Gonçalves disse...

A personalidade do Fernando Gomes é mais uma machadada na mentalidade benfiquista que imagina os portistas como pessoas intolerantes. A sua postura é mais um golpe no mito benfiquista que só vê as personalidades benfiquistas como seres à prova de vícios, sem defeitos e imaculados. Comparem a postura, sentido de Estado de Fernando Gomes com a de outras personalidades benfiquistas como Rui Gomes da Silva ou Fernando Seara.

José Correia disse...

Não vi.
Alexandre, queres fazer uma síntese das principais ideias transmitidas por Fernando Gomes nesta entrevista?

Armando Pinto disse...

Achei estranho mas é porque carga de água teve ele de criticar o F C Porto por na Gala dos Dragões de Ouro não ter sido apresentado publicamente...?!

Duarte disse...

Alexandre, a Taça de Portugal precisa das mudanças que referiu, mas também necessita de mudar o local da final urgentemente e, já agora, que se mude também o troféu que é horrível.

Off-topic

PS: e nós também precisávamos de ter, nem que fosse só uma vez, a sorte que o clube do regime tem durante todo o ano.

Daniel Gonçalves disse...

Num post publicado, em 2010, aqui no Reflexão Portista, tendo como pano de fundo um artigo jornalístico de Rui Frias, foi abordada pelo José Correia a possibilidade de Fernando Gomes ser, no futuro, o Presidente do FC Porto. Só espero que, a confirmar-se tal "profecia", Fernando Gomes não venha a ganhar nestes cargos que entretanto vai desempenhando "vícios" ou se deixe enredar em manobras e manipulações que posteriormente o venham a afectar negativamente.

José Rodrigues disse...

Fernando Gomes e' de facto uma lufada de ar fresco no pantano que era as instituicoes desportivas.

Sendo um homem com instintos politicos, tem uma abordagem e clarividencia muito para alem das caciquices e politiquices dos Madails e Searas deste mundo.

reine margot disse...

O problema do poder é que para lá se chegar é necessário ir vendendo a alma ao diabo... cedendo aqui e ali em compromissos finais.
A esperança de saber um povo capaz de escolher não pelos favores mas pela qualidade, acho que é mais vã do que achar que o porto vence hoje.
mas, enfim, milagres acontecem.
(que assim seja.)

o problema da taça,fazendo a leitura do dr gomes, é que necessita de patrocinadores...

David Duarte disse...

Sobre a final da Taça de Portugal, que propostas têm? Pergunto sem matreirice até porque não tenho apego algum ao Estadio Nacional (que de Estadio tem muito pouco e de Nacional apenas a convenção).

Escolher outro local fixo? Se sim qual? Alterar anualmente o local?

José Rodrigues disse...

"Sobre a final da Taça de Portugal, que propostas têm? [...]Escolher outro local fixo? Se sim qual? Alterar anualmente o local?"

Para mim e' simples: uma vez conhecidos os finalistas, marcar o estadio entre uma "shortlist" de meia duzia de estadios (de entre os utilizados no Euro).

A escolha seria feita por consenso entre os dois finalistas; faltando consenso, a decisao seria tomada pela FPF.

Sendo assim numa final entre 2 clubes do Norte a final poderia ser em Aveiro, Guimaraes, Braga, Bessa ou Dragao (caso o FCP nao fosse finalista).

Um FCP - slb numa final poderia ser disputado em Alvalade, Coimbra ou Aveiro.

Luís Negroni disse...

Realizar a final da Taça de Portugal, no estádio da luz apagada, todas as épocas (de preferência com árbitros lisboetas, vermelhos, sócios e com lugar cativo, a apitar), ad aeternum, de certeza que te agradaria bastante, David Duarte.

Pode ser que Fernando Gomes, que é tão isento, tão isento, que está sempre preocupado em se demarcar do FCP e nas televisões surge sempre ao lado de LFV, até parece um secretário ou um satélite dele, tome essa decisão se chegar a presidente da FPF, quem sabe.