terça-feira, 6 de dezembro de 2011

A eficácia, Malafeev e a atitude


Bem tentou e forçou o FC Porto a inversão do cenário pouco animador na classificação do grupo G mas, infelizmente, a nossa equipa acordou tarde demais para esta competição, pagando uma factura muito alta pelo despeito com que abordou alguns jogos desta fase da Liga dos Campeões. O jogo do Dragão teve sentido único, com os homens de Vítor Pereira a evidenciarem um querer pouco visto ao longo do reinado que leva no banco azul e branco. A nossa falta de eficácia e Malafeev explicam o resultado.

Apoiado em duas vitórias moralizadoras, o técnico portista voltou apostar no onze que o trouxe do abismo, conseguindo impor um ritmo e construção de jogo variada, assente também numa recuperação de bola rápida, num claro sinal para incrementar intensidade. O domínio foi total, e a constante rotatividade entre os nossos atletas trocou as voltas ao conjunto russo. Num desses movimentos, Djalma, apareceu isolado após passe magnífico de Moutinho. Malafeev apresentou-se pela primeira vez ao serviço.

A nossa equipa foi insistente, procurando rasgar a defesa do Zenit, mas nem sempre as decisões mais acertadas foram tomadas. Destaque neste capítulo para Hulk, que esteve, esta noite, muito aquém daquilo que se lhe conhece. O FC Porto ressentiu-se disso e, nem a aposta numa referência na área no segundo tempo inverteu a falta de objectividade patenteada no último terço do terreno. Pedia-se rigor, inteligência e frieza para se fazer a estocada final, mas, no plantel, elementos com essas características não existem.



O risco foi assumido. Kléber e Belluschi engrossaram a linha dianteira, mas o tempo escoava e o discernimento já não era o melhor. Abdicando na defesa – com a saída de Otamendi - a equipa deu tudo, pressionando às cordas um Zenit que apelava aos anjinhos pelo fim da partida. Agradecimentos que podem ficar pelo homem que lhes guarda, e bem, as redes da sua baliza.

Pode a sorte esta noite ter sido um pouco madrasta para as nossas cores. Talvez numa das exibições mais conseguidas, a equipa vergou-se sobre o desígnio da frustração. O arrojo táctico revelou qualidades, a falta de intérpretes (ponta-de-lança) expôs as nossas debilidades. Apenas a atitude competitiva brava e destemida da nossa equipa tragou algum consolo ao espírito azul e branco. Esse empenho nunca fica esquecido perante os sócios do FC Porto. E os aplausos no final deste jogo comprova-no.

40 comentários:

PeidoMestre disse...

relembrei o célebre jogo do Schalke04...podiamos estar ali a noite toda! Contudo, bom jogo da equipa, sente-se a luta e o querer dos jogadores...não foi por este jogo...vamos continuar a lutar!!

Vitor disse...

Parabéns... mas chegaram tarde!
Onde andava este Porto??? Fizeram um jogo magnífico mas, a verdade é que não fizeram tudo por merecer estar nos oitavos. Os outros jogos também contam. É pena, pois temos equipa para ir bem longe...
Do mal o menos, venha de lá mais um caneco da UEFA. Não peço menos.

PS: Mudaram de treinador? Ah não... afinal o Bítor percebe daquilo. Ou ainda não se convenceram que o problema NUNCA foi o treinador?!
Os mercenários são fodidos, nunca se contentam com pouco... e mesmo quando é muito, sempre podia ser mais um bocadinho...

mente disse...

Uma equipa que quer ganhar, não dá 45 minutos de avanço ao adversário. Um nojo.

Daniel Gonçalves disse...

Uns apontamentos:

- Não voltaremos a estar colocados no pote 1 da Champions nos próximos tempos tão facilmente.
- Os nossos jogos contra o Apoel deitaram tudo a perder, então o segundo golo dos cipriotas quase no final do jogo, em Chipre, foi macabro.
- Hulk teve o golo nos pés, aquele lance logo no início da segunda parte foi paradigmático, deveria ter chutado com a parte interior do pé, em vez disso chutou (ou centrou) com a parte exterior.
- Que "mania" que temos de marcar os cantos à maneira curta, quantas vezes um centro para a área onde pode aparecer um cabeceamento vitorioso pode decidir um jogo, e nós nos últimos minutos de jogo - quando tinhamos os gigantes na área - com fintas após a marcação dos cantos. Irritante.

Daniel Gonçalves disse...

Financeiramente esta participação da Champions - onde fomos colocados no pote 1 sem um tubarão europeu - foi péssima.

Liga Europa? Não sei que diga. Parece-me frustrante após as expectativas no início da época na Champions. Na melhor das hipóteses vamos ter outra final portuguesa.

Alguns jogadores, sem Champions, vão financeiramente desvalorizar, e não nos interessa vender em saldos.

Miguel Magalhães disse...

Não faltou atitude, faltou o ponta de lança que a SAD não comprou para substituir o Falcão.
Esta eliminação penaliza a SAD que deixa de encaixar uns milhões largos de euros, que perde algum prestígio (somos um habitual nos oitavos, somos o detentor da Liga Europa e fomos ultrapassados pelo Apoel) e que perde a oportunidade de valorizar os jogadores.
Responsáveis? Os jogadores à cabeça de todos os outros. Hoje viu-se a atitude que faltou em casa com o Apoel, em Chipre e na segunda parte em S. Petersburgo. Com um bocdo desta atitude nesses jogos, tinhamos chegado a este jogo praticamente apurados.

InVicturioso disse...

hoje, acima de tudo, faltou um jogador chamado Falcao...

tantos jogos tivemos em que a exibicao foi pior que o resultado, hoje foi ao contrário.

http://tresandaafutebol.blogspot.com/2011/12/hoje-sim-fomos-porto.html

Dragaoatento disse...

Adeus Champions League para esta época! FC Porto 0 Zenit de Moscovo 0 !
Eu não disse que o Vítor Pereira não chega para treinar o FC Porto?! Meu dito, meu feito! Infelizmente ficou mais que demonstrado que tenho razão! À equipa azul e branca não faltou: atitude, raça e querer; o que faltou foi estratégia para ganhar, e isso, é da responsabilidade do seu líder, ou não?! Em contra partida o treinador italiano do Zenit deu uma autentica lição táctica de como deve jogar uma equipa para atingir o seu objectivo! A equipa do Zenit defendeu a sua baliza com unhas e dentes e contra atacou de tal maneira que quase marcava.
Na minha opinião, para já pelo menos, o Vítor Pereira quando muito será treinador para uma equipa do meio da tabela do campeonato português.
Há quem afirme que aos dragões o que faz falta é dum goleador! Na minha opinião é uma falsa questão! O que a equipa azul e branca precisa é de avançados (até médios) com talento, capacidade, competência, para chutar às balizas adversárias. Um exemplo: o Sporting não tem nenhum Falcao e marca que se farta porque tem dois holandeses que na hora de chutar à baliza não fazem cerimónia! E isto também é da competência do treinador incentivar e treinar no duro os seus pupilos até eles ganharem confiança e acertarem com as balizas.
OBS.: O guarda redes do Zenit segurou o resultado também devido à inépcia dos nossos avançados, os quais não tiveram a frieza necessária suficiente para finalizar com êxito ( na minha opinião foram até anjinhos)!
A favor de Vítor Pereira o facto do árbitro ter beneficiado em muitos aspectos o Zenit.
Como analisa o último lance da primeira parte, em que o Defour se lesiona e um jogador do Zenit poderia (e deveria digo eu)ter visto o segundo amarelo?
Vítor Pereira: não me quero justificar com uma questão de arbitragem, mas era claramente o segundo amarelo e a expulsão do jogador do Zenit. Isso foi o que nos aconteceu em São Petersburgo e provavelmente seria mais difícil para o adversário contrariar o nosso jogo. O Defour tem uma lesão, mas vamos avaliar a situação. A verdade é que o infractor continuou em campo. Foi uma decisão que condicionou o jogo.

Duarte disse...

Como já percebi que Vítor Pereira vai continuar ad eternum, sinto-me resignado esta época.

carla disse...

Acordamos tarde demais...
Bom jogo.

JON disse...

Não perdemos ontem. Mas sim ao não termos ganho nenhum jogo ao Apoel.

O problema do Porto não é não ter ponta-de-lança. O problema do Porto é ter jogadores que querem muito brilhar e então jogam sozinhos. Hulk e James, os nossos dois melhores jogadores são prova disso. O Kléber não sei se é bom ou mau, sei que ninguém lhe passa a bola.

O Vitó conseguiu pôr a equipa a jogar com vontade, mas vontade individual... Enquanto assim for, não passamos disto. Num dia bom, o Hulk marca dois ou três, porque é um portento. Num dia mau, corre mal...

Ou o Benfica falha muito, ou vai ser muito difícil ser campeão.

Continuo a achar que o treinador é o maior culpado. Se ele não consegue motivar a equipa e uni-la, por mais que a equipa (jogadores) tenha culpa disso, é ele quem deve responder.

Agora quero ver onde é que os senhores vão buscar as receitas (P/L e caixa) previstas no orçamento com a passagem aos oitavos.

Eu vendia o Guarín em Janeiro, se alguém bater 10M que seja.

Pedro Reis disse...

Parece que nem toda a gente viu o mesmo jogo...
Numa coisa estamos de acordo, provavelmente nem que ali estivessemos a noite toda ganhávamos!
Agora apesar de haver mais entrega dos jogadores, a equipa continua quase sem fio de jogo e com demasiados equívocos. A principal culpa é do treinador que infelizmente já mostrou que não tem habilidade para mais...
Maicon a DD? Djalma titular? Jogar sem PL? E a verdade é que a equipa é tacticamente débil, não constrói com princípio, meio e fim e está sempre à espera de um rasgo individual para marcar um golo. Assim não dá!
Vi o jogo todo, sempre com a sensação de que só num golpe de "sorte" marcaríamos um golo e poderíamos ganhar...
E não venham falar de uma grande exibição do GR, porque ele esteve bem como é suposto os GR estarem e como o Helton tb está normalmente, isso é o jogo.

Pedro Reis disse...

E no final mais 3/4 milhões de euros a voar... o que infelizmente também já não é notícia no FCP, depois dos milhões que vimos "voar" nas comissões do Danilo, dos belgas, da renovação e transeferência do Falcao, etc.
Enfim, é triste...

Pedro M. disse...

grande jogo do Porto. Infelizmente foi um dia não em termos de finalização.


Em relação ao apagamento do Hulk, os russos mostraram mt respeito por ele deixando-o mt raramente em 1 para 1.
Por outro lado, não percebo como é que estando o lado direito da defensiva russa amarelada (def direito e o medio que compensava naquele lado) o porquê de o Hulk não ter tentado entrar por aquele lado. Desde que foi para extremo esteve sp encostado ao lado direito do nosso ataque.

José Correia disse...

mente disse...
Uma equipa que quer ganhar, não dá 45 minutos de avanço ao adversário.

De facto, neste jogo, contra uma equipa que se posicionou recuada no terreno, que não deu espaços e que defendeu à italiana, não fez qualquer sentido repetir a estratégia de colocar o Hulk no meio, a jogar de costas para a baliza.

José Correia disse...

Miguel Magalhães disse...
Não faltou atitude, faltou o ponta de lança que a SAD não comprou para substituir o Falcão.

Sim, isso ontem foi mais do que evidente.
Entra pelos olhos dentro que, nesta altura, quer o Walter (que nem sequer foi inscrito na LC), quer o Kleber, não têm a qualidade mínima necessária para serem o ponta-de-lança de uma equipa com a responsabilidade e os níveis de exigência do FC Porto.
No campeonato (cujo nível médio é muito baixo) a coisa disfarça, mas na LC, mesmo sem termos tido de enfrentar "tubarões", a bitola é bem mais elevada.

José Correia disse...

Miguel Magalhães disse...
Com um bocado desta atitude nesses jogos, tínhamos chegado a este jogo praticamente apurados

Praticamente?
Neste grupo, com estes adversários, o FC Porto, vencedor da Liga Europa e com o plantel mais caro de sempre, tinha obrigação de ter somado 13/14 pontos.

Com os 8 pontos que somamos (num máximo de 18), provavelmente nem iremos ser cabeças-de-serie no sorteio dos 1/16 avos da Liga Europa.

José Correia disse...

JON disse...
Num dia bom, o Hulk marca dois ou três, porque é um portento. Num dia mau, corre mal...

De acordo. E ontem, infelizmente, foi um dia em que nada, ou quase nada, saiu bem ao Hulk.

José Correia disse...

Pedro Reis disse...
E no final mais 3/4 milhões de euros a voar...

É muito mais do que isso.
Ao prémio de passagem aos oitavos da LC é preciso somar as verbas por empate e vitória que o FC Porto também deixou de ganhar (somou apenas 8 pontos em 18 possíveis).
E, o pior de tudo, é termos saído da montra da Champions, que é a competição por excelência para mostrar e valorizar jogadores (e todos sabemos como a SAD portista depende disso).

nobigdeal disse...

enfim... foi uma despedida digna.

JON disse...

José,

A mim, mais do que a falta de um bom PL, faz-me confusão o excessivo individualismo e vontade de "se mostrarem" do Hulk e do James, os nossos melhores jogadores. Tanto mais que até discutem um com o outro frequentemente.

O Kléber tem jogado sem que se dê por ele, porque também não lhe passam a bola. E depois, é uma questão de confiança... Se não lhe passam, ele não ganha confiança, se não ganha confiança, cada vez faz menos, e portanto menos lhe passam a bola.

Alguém referiu acima que há muita dependência do lance individual. Não acho que seja isso. Acho é que o lance individual origina um tipo de jogo descaracterizado.

Cabe ao treinador saber mudar a cabeça dos jogadores para que joguem em equipa.

Não é fácil, mas ele não está lá só para passear as gravatas!

Pedro Reis disse...

Eu corrijo...
..., no mínimo, mais 3/4 milhões a voar!

E já agora a história de que perdemos a eliminatória nos jogos com o Appoel é uma falácia...
Ontem jogávamos uma final em casa com uma equipa que, no mínimo, não nos é superior, e por isso tínhamos todas as condições para ganhar (e teríamos inclusivé sido primeiros no grupo). E as finais são para se ganhar e mais nada! relembro que o ano passado ganhámos as "finais" todas fosse no Dragão, na Luz (2x), no Jamor ou em Dublin, essa é a diferença!

P.S. Se querem continuar a perder "finais", deixem tudo na mesma, porque já vimos que assim "não falha"...

Luis Melo disse...

Sobre o jogo de ontem, sugiro leitura deste post: Pinto da Costa não desceu ao balneário

InVicturioso disse...

Mas que história é essa do Porto ter dado 45 minutos de avanco?!?! Essa deve ser para rir...Entao aos 15 minutos já tínhamos obrigado o Malafeev a 2 excelentes defesas e demos uma parte de avanco? Nao entendo...

Já agora, gostava de sublinhar as palavras do internacional belga do Zenit, Lombaerts:

"They were better than us, and deserved to win, but that's football". We played like that against APOEL [FC on matchday five, drawing 0-0], so we are just very happy today." The 26-year-old reserved special praise for goalkeeper Vyacheslav Malafeev: "He saved us. He played a magnificent match."

Mas tudo bem, demos "45 minutos de avanco..."

Caro José Correia,

é verdade que a montra da Liga dos Campeoes faz falta, mas a da Liga Europa nao é muito mais pequena. Aliás tivemos oportunidade de verificar isso mesmo este defesa com os "ataques" constantes dos tubaroes a Falcoes, Alvaros Pereiras, Fernandos, Guarins, Moutinhos e afins.

Luís Negroni disse...

Juntando o que disseram o mente e o Dragaoatento, está tudo dito. O Falcao faz muita falta mas muito mais falta faz um treinador a sério.

Ontem houve todo o querer do mundo dos jogadores - na grande montra os jogadores nunca fazem frete, quanto mais não seja pensando neles próprios, a teoria da "folha" ao treinador não faz sentido algum aqui - mas não houve futebol para mais porque este treinador é muito fraco, quer na parte futebolística propriamente dita, quer na parte mental.

Bola passada quase sempre para o pé, quase nunca para o espaço, para jogadores de costas para o adversário completamente dados à marcação e que muito facilmente perdem a bola com grandes possibilidades de contra ataques perigosíssimos, ausência de linhas de passe constante, futebol sempre lento, mastigado, previsível, sem ponta de surpresa para o adversário, descrença total na hora do remate, jogadores que tentam resolver sozinhos e que tomam sistematicamente as decisões mais estúpidas, tudo isto e muito mais são sinais evidentes dum treinador que nem tem ideias de futebol nem tem capacidade mental para dar crença, determinação e alegria de jogar aos jogadores.

Qualquer treinador que venha a substituir este, nem que seja um Paulo Bento ou um Pedro Martins, será melhor que este, de certeza absoluta, pelo menos já mostraram muito mais que este, que nunca mostrou nada por onde passou.

Nunca - nos últimos 30 anos, pelo menos - um plantel tão bom teve um treinador tão mau.

Luís Negroni disse...

E prá coisa doer mais o Shaktar ganhou ao Apoel. Um golo e tínhamos ganho o grupo.

O post talvesse devesse ter o título: Atitude sem eficácia e sem inteligência.

Pedro Vale disse...

InVicturioso disse...
é verdade que a montra da Liga dos Campeoes faz falta, mas a da Liga Europa nao é muito mais pequena. Aliás tivemos oportunidade de verificar isso mesmo este defesa com os "ataques" constantes dos tubaroes a Falcoes, Alvaros Pereiras, Fernandos, Guarins, Moutinhos e afins.

É infinitamente mais pequena, em termos monetários!

Em 2004, o Porto como vencedor da Champions ganhou 18,7 milhões de euros e em 2011 na Liga Europa ganhou 7,8 milhões de euros. Com 7 anos de diferença que representam um aumento enorme nos prémios.

Só para comparação, a equipa que no ano passado ganhou menos na champions foi o MSK Zilina que ganhou 7.412.000 (praticamente tanto como o vencedor da Liga Europa).

Pedro Reis disse...

Luís Melo,
Já li o post, mas infelizmente descordo em toda a linha: o FCP não tinha e continua a não ter, fio de jogo. A única coisa que mudou foi que os jogadores (que se calhar ouviram das boas) passaram a entregar-se mais de pois de Coimbra (o que convenhamos também não era difícil). Mas isso, como se viu ontem, em jogos a sério claramente não chega! E não me falem mais em GR do Zenit, que fez 3 boas defesas (nem sequer foram fantásticas) a remates do Djalma, do Moutinho e do James. Mais nada...

mente disse...

Definição de "dar 45 minutos avanço": jogar sem ponta-de-lança (e o Kléber servia, como se viu na 2ª parte); inutilizar o melhor jogador (Hulk) colocando-o numa posição que não é a dele; alinhar com 3 médios sem vocação atacante; colocar um defesa-central (que até fez o melhor jogo da carreira) a defesa-direito, sendo certo que não sabe atacar/ajudar no ataque (e eu nem gosto do Fucile). Posso estar enganado, mas esta organização, eu usa-la-ia se NÃO QUISESSE PERDER, que é muito diferente de TER DE GANHAR.

Mário Faria disse...

Considero que o jogo FCP-Zenit foi um jogo excelente. Não marcámos, acontece aos melhores. O adversário era forte e não são os orçamentos que ganham jogos . Se fora assim, seria natural que o Zenit e o Shaktar saíssem para a fase seguinte da CL com relativa facilidade.

Ontem, não vi pontos fracos no FCP. Faltou confiança para não falharmos nas ocasiões que dispusemos. Somente no fim da primeira parte baixámos o ritmo e na segunda atacamos sem discernimento no último quarto de hora. Faltou um Hulk que fizesse a diferença e fosse um pouco mais astuto, face às opções a tomar contra uma marcação cerrada a que foi sujeito.

O Maicon fez um jogo notável na minha opinião, como quase toda a defesa : o Zenit é muito forte no contra-ataque, que praticamente não existiu , salvo nos últimos minutos quando o FCP meteu toda a carne no assador. Num jogo destes, a solidez tem que começar na defesa, que jogou alto e bem, como se impunha.

Fisicamente a equipa esteve melhor e Djalma movimentou-se muito bem na primeira parte. Foi caindo de rendimento na segunda e foi bem substituído. Pena é que Varela tenha estado ao seu nível habitual, ultimamente.

A passagem de James para distribuidor de jogo ofensivo conseguiu abanar os alicerces defensivos do Zenit. Esteve muito bem. Faltou alguma frieza no último quarto de hora para chegar ao golo. Atacámos muito, mas com pouco perigo. O adversário teve muito mérito nisso.

A descida à Liga Europa não é nenhum drama. Não caio nesse desespero, como se tivéssemos caído no Inferno.

Se na época passada fomos os maiores na Liga Europa, com uma carreira bonita, há que tentar tirar o máximo partido da presença na prova . O único desconsolo, relativamente ao jogo de ontem, foi o resulta e o efeito : os milhões que deixamos de ganhar.

Porém, ao êxito desportivo chega-se por diversas vias. Se o FCP foi assediado pela época do ano passado – que não passou pela CL – não vejo porque na presente temporada não possa acontecer o mesmo. Os nossos activos não se vão desvalorizar só por isso.

Sobre as considerações feitas ao jogo, atentei que o senhor que fazia os comentários num dos canais televisivos disse que o Valência tinha saído da CL de cabeça bem erguida porque tinha feito uma excelente exibição. O FCP não. Devia sair com uma cabeça que nem um melão porque não foram competentes : jogadores e equipa técnica. Porque é que o argumento que serviu para o FCP não serviu para o Valência ? Gosto de humilhar ? Vontade de enfraquecer ? Eu não caio nessa, sabendo que há muito a melhorar no FCP.

Referia, ainda, que algumas críticas relativamente a alguns jogadores me pareceramm injustas. Sempre que vejo o Alan a jogar e recordo as excelentes épocas feitas no VG e Braga, recordo quão injustos fomos na apreciação do seu potencial, incluindo provavelmente a equipa técnica e a direcção que praticamente o ofereceu ao SCB.

Sou muito exigente para com os nossos jogadores. Às vezes insuportavelmente intolerante. Mas, ontem encheram-me de orgulho. Ser Porto é também saber perder e aplaudir (como muitos justamente fizeram muitos sócio) no final do jogo quando a equipa se bate com jeito e alma . Triste, mas cheio de orgulho neste Porto.

miguel disse...

Um plantel com um orçamento colossal para o futebol Português; Uma equipa a jogar bom futebol no ano passado; Venda de apenas um jogador......

Como é possível justificar tal fracasso, 2 objectivos já falhados; más exibições.....enfim uma equipa técnica medíocre.

Pedro disse...

Excelente comentário, caro Mário Faria, como aliás é hábito. Os meus parabéns!

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

É frustrante este afastamento prematuro da LC, ainda por cima num jogo em que quase tudo fizemos para merecermos a vitória. Faltaram os golos para ser um jogo perfeito.

Gostei no geral do empenho de todos, jogadores e público.

Só não gostei da ineficácia, na hora do remate.

Enfim, resta-nos a Liga Europa.

Temos de continuar com este espírito e esta dádiva ao jogo. Se tal acontecer estaremos mais perto do nosso grande objectivo que é vencer a Liga Zon Sagres.

Um abraço

miguel_canada disse...

Não será altura de começar tudo de novo?..... mais uma vez?
A época passada foi brilhante, criou muitas aspirações a muita gente e a saída do Libras foi de facto um rombo mortal no projecto super ambicioso iniciado pela Sad que se "enterrou" financeiramente não só na compra de jogadores como principalmente nas renovações e melhoramentos de contractos dos chamados fulcrais do plantel, numa perspectiva perspicaz de que essa formula de continuação nos traria um enorme retorno desportivo e acima de tudo financeiro. Ate aqui, nada a apontar na estratégia da SAD.
O abandono do Libras fez ruir toda esta estratégia porque provocou, acima de tudo um enorme desacreditar na maioria dos jogadores e consequentemente, uma vontade enorme de ir cantar para outra freguesia.
Depois, no compreensível desespero, fomos infelizes com a escolha do Vítor Pereira porque este, acima de tudo, não foi capaz de unir o plantel por uma causa e muito menos de os motivar e incentivar perante a perca.
A partir daqui e juntando a visível incapacidade técnica do treinador e seus adjuntos, estavam lançados os dados para uma época que já se previa de alguma desilusão, pelo que a pergunta que coloco agora é mesmo esta: Não será altura de começar tudo de novo?
Vendam-se as primas donas, as que querem sair, realize-se o capital necessário para adquirir meia dúzia de Iturbes e de Kelvins e recomecemos o projecto do inicio. Ja o fizemos tantas vezes... e com tão bons resultados.

Duarte disse...

Miguel, talvez tenhas razão. Já agora, acho que se pode acrescentar a essa lista o despedimento do treinador.

Parte dessas coisas que sugeres podiam-se/deviam-se fazer na paragem natalícia. A demissão de Vítor Pereira parece-me indispensável e também não é impensável que se vendam parte dos jogadores que estão desenquadrados. Agora com a perda da Champions faz finalmente sentido levantar a questão do afinco e da vontade de alguns jogadores.

Não acredito é que parte desses ajustes sejam feitos agora. Vítor Pereira continuará até, pelo menos, ao final da época. Estou resignado quanto a isso e mesmo que seja demitido entretanto, tal só acontecerá, como eu temia, quando já estiver tudo perdido. Porque é isso mesmo que vai acontecer, vamos perder tudo. Perdoem-me o pessimismo, e espero no final da época ter de vir aqui penitenciar-me, mas é para isso que caminhamos a passos largos. A Taça perdemos, a Champions idem, não conseguimos vencer um jogo decisivo, ficamos remetidos às vitórias morais (esta já é a segunda da temporada) e a segunda volta da Liga será mais difícil do que a primeira.

Estou desolado. Sinto que vamos perder uma época apenas devido à teimosia de se manter um erro de casting, ao orgulho de não se querer dar o braço a torcer. E perder apenas por teimosia custa-me muito.

José Correia disse...

InVicturioso disse...
Caro José Correia, é verdade que a montra da Liga dos Campeoes faz falta, mas a da Liga Europa nao é muito mais pequena.

A montra da Liga Europa só tem visibilidade se chegarmos à final, ou se tivermos a "sorte" de o sorteio nos por no caminho de um dos clubes de Manchester (e os eliminarmos).

Nightwish disse...

Claramente, há portistas que só apoiam quando se ganha. Já nem se lembram das falhas do ano passado nem lhes passa pela cabeça que há coisas exatamente iguais, mas que só esta época são problema.
Força, PORTO!

AZUL DRAGÃO disse...

A verdade é que o F.C.PORTO tinha a obrigação de ganhar e não ganhou !

Luís Negroni disse...

Nightwish disse...
"Já nem se lembram das falhas do ano passado nem lhes passa pela cabeça que há coisas exatamente iguais, mas que só esta época são problema"

Pois é, só esta época são problema, porque só esta época VP é treinador principal. Se ele tivesse sido treinador principal na época passada, a época tinha sido tão desastrosa que não tínhamos ganho nada, nem a supertaça para amostra. Ou alguém acredita, no seu perfeito juízo, que teríamos ganho alguma coisa?

Nightwish disse...

Acho que os problemas na defesa e no ataque não nasceram esta época, é só isso, e só apontá-los agora não é propriamente uma atitude coerente ou corajosa.
Há uns que falam bem e as coisas correm bem e são heróis. Outros têm as mesmas bolas no poste só que desta vez não entram e as falhas já são o fim do mundo.