domingo, 11 de dezembro de 2011

Provavelmente...


... o melhor treinador do Mundo.


Nota: Com a devida vénia à Carlsberg.

45 comentários:

Pedro disse...

Só retirava o provavelmente. É o melhor treinador de futebol da história da modalidade. É um prazer ver o Barça a jogar, ao ataque em qualquer estádio, com personalidade e organização táctica que ultrapassa as convenções do 4-3-3 ou 4-4-4 ou 3-4-3.

Luís Negroni disse...

Mais uma tareia no insuportável mourinho. Ele já nem deve poder ouvir falar em Barcelona e Guardiola. Deve ter pesadelos com eles todas as noites.

Pode deixar-se a vénia à Carlsberg de lado. Guardiola é mesmo o melhor treinador do mundo. Só não ganhou 3 Ligas dos Campeões em 3, porque um malandro chamado olegário não deixou.

Daniel Gonçalves disse...

Discordo profundamente.
Na minha opinião o melhor treinador do Mundo é o Vítor Pereira. Não se esqueçam do banho de bola que o nosso VP deu ao Pepe, no Mónaco, aquando da Supertaça Europeia. Não fosse aquele disparate do Guarin e o troféu faria agora parte do nosso palmarés.
Nem o Mourinho conseguiu secar assim o Barça.

Alexandre Burmester disse...

A minha opinião é esta: se Mourinho e Guardiola trocassem de banco, os resultados entre as duas equipas seriam muito mais equilibrados.

Não me parece que haja uma grande diferença de talentos entre as duas equipas: a diferença está no banco.

miguel_canada disse...

É um grande treinador, sem duvida. Mas que também ajuda imenso ter orçamento para Messi, Xavi, Iniesta, David Villa, Dani Alves ou Gerard Pique, ai isso ajuda.

Zé_Lucas disse...

Talvez um dia vejamos o Guardiola ganhar a Liga dos Campeões a treinar o Porto...

Alexandre Burmester disse...

miguel_canada,

Orçamento também o Mourinho tem. Aliás, esta equipa do Real Madrid custou decerto muito mais que a do Barcelona, atendendo ao número de jogadores da casa da eqipa catalã.

Zé Lucas: aí está um daqueles argumentos retoricamente inválidos, se me permite (a não ser que, por absurdo, o Guardiola viesse mesmo cá parar um dia).

reine margot disse...

Rasperrys!

dragaovenenoso disse...

Em primeiro lugar devo dizer que sempre gostei do Barcelona. Só deixei de gostar quando começamos a perder com eles, principalmente no hóquei. Não há campeões sem sorte. E este Barça tem e muita (e se nos recordarmos do hóquei, então...). O segundo golo é dos maiores pirocos da história. Depois tiveram a sorte de o Ronaldo não fazer o empate. E, claro, com uma equipa sempre a atacar, as oportunidades de contra-ataque aparecem. Nada a dizer quanto ao resultado, ganhou quem mais oportunidades criou e soube aproveitar. Mas chateia um bocado assistir às fitinhas que fazem durante o jogo. Parece que precisam disso para enervar a equipa do real.

Alexandre Burmester disse...

"Fitinhas", meu caro, faz o Mourinho constantemente. Será que precisa disso para enervar os adversários, ou, vindo dele, já é sinal de classe e categoria, e superiores "mind games"?

Zé_Lucas disse...

Então o meu caro Alexandre achava que tinha o monopólio da "invalidez retórica" ? Eu só assisti à sua vaza...
Cumps

José Correia disse...

Não sei se o Guardiola é o melhor treinador do Mundo, mas este Barça é a equipa mais entusiasmante, mais espectacular que eu vi jogar até hoje (e já vejo jogos de futebol há quase 40 anos), só comparável ao Brasil do Mundial 1982.

Daniel Gonçalves disse...

Falando agora a sério,
qual o valor da cláusula de rescisão do Pepe Guardiola?

Para se efectuar uma real avaliação das capacidades do Guardiola seria conveniente ele ir treinar uma equipa de topo numa Liga diferente, tipo a italiana ou a inglesa, aí sim dava para comparar as capacidades e o trabalho dele com o de outros treinadores.
Também gostava de ver esta equipa do Barça liderada por outro treinador, para aquilatar do "toque" do Guardiola nesta equipa. Porque isto de treinar uma equipa que é, por ela própria, genial dá muito jeito para a notoriedade.

Mourinho levou equipas (FC Porto, Chelsea, Inter) aos píncaros da glória que, após a saída dele, nunca mais foram as mesmas, portanto é possível comparar e avaliar o "pré" e "pós" trabalho de Mourinho nessas equipas.

José Correia disse...

miguel_canada disse...
ajuda imenso ter orçamento para Messi, Xavi, Iniesta, David Villa, Dani Alves ou Gerard Pique

O orçamento do Real Madrid é superior ao do FC Barcelona e, nas últimas épocas, o Real Madrid gastou muito mais dinheiro em contratações que o Barça.

Já agora, Messi, Xavi, Iniesta, Gerard Pique, Puyol, Pedro Rodriguez, Fabregas, são todos "produtos" da formação do Barça.
Por que razão é que o Real Madrid não faz o mesmo?

Daniel Gonçalves disse...

Só para efectuar uma comparação, Arrigo Sacchi era um genial treinador enquanto liderava o AC Milan com o trio maravilha holandês (Van Basten, Gullit, Rijkard) e com Baresi, Costacurta e outros craques. Deixando o Milan não teve qualquer exito noutros lados.

reine margot disse...

Desta vez assino por baixo o que comentou o Daniel Gonçalves: assim que o Guardiola sair do Barça, pegar numa equipe que não ganha o campeonato faz 20 anos, e jogar com jogadores de "n" nacionalidades diferentes, uns vindos da cantera local outros diretamente da rua, e ganhar, então sim, poderemos dizer que é o melhor... até lá serão "inavlidezes retóricas"?...
- Mas gostei do trocadilho Carlsberg!

Tribuna Portista disse...

Começa a ser uma evidencia....

http://tribunaportista.blogspot.com/2011/12/em-analise-12-jornada-beira-mar-1-2-fc.html

Soren disse...

Alexandre:

"Não me parece que haja uma grande diferença de talentos entre as duas equipas: a diferença está no banco."

Xavi, Iniesta e Busquets, comparados com o Xavi Alonso, o Lass e o Kedhira, meu deus...

Nao estou a dizer que o Mourinho nao ganha por ter um meio campo infinitamente inferior ao do Barcelona. Ele é que escolheu o plantel (mas o dinheiro deve andar a faltar porque nem defesa direito existe).

Agora, a grande diferença entre Real e Barcelona esta na diferença abismal de capacidade técnica entre o meio campo de uns e o dos outros.

Quando o Guardiola for campeao em Italia e em Inglaterra ja se pode dizer que é o maior.

Sem duvida, este Barcelona é a melhor equipa que ja vi na minha vida. Alias disse-o antes daquela celebre eliminatoria contra o Chelsea, ha anos atras.

Agora isso de este é o melhor, aquele é o maior... sao conversas para o recreio e para as apostas do berlinde.

Alexandre Burmester disse...

Claro que são conversas para o recreio, etc., caro Soren, e por isso eu a introduzi em tom ligeiro e ao Domingo. Mas como entre nós existe a mania de dizer "este é o melhor jogador do mundo", "este é o melhor treinador do mundo", achei interessante brincar com o assunto.

Quanto ao Guardiola ser campeão em Inglaterra, etc., por esse andar também se poderia dizer que quando o Mourinho ganhar três campeonatos da Escócia com o Aberdeen (como fez Ferguson) é que poderá dizer-se que é o melhor treinador do mundo.

Daniel Gonçalves,

Depois do Mourinho sair do Chelsea, o clube chegou a uma Final da LC (coisa que não fizera com ele ao comando) e ganhou o campeonato de 2009/10. E o Inter já era tricampeão quando ele lá chegou. Claro que o famoso autocarro de dois andares de Barcelona e o Olegário em San Siro foram um importante contributo para a conquista da LC pelo Inter, à qual, note-se não pretendo retirar brilho.

Luís Negroni disse...

Segundo alguns comentários, se Guardiola ganhar esta época a sua 3ª CL em 4 épocas ao serviço do Barcelona, mesmo assim será pior que mourinho, que só ganhou duas em muito mais épocas, só porque mourinho ganhou em 2 clubes diferentes.

Ou seja, segundo esses comentários, para se ser melhor, não basta ganhar mais, também é preciso ganhar em diferentes "capelinhas". Acho esta opinião fantástica.

"Bem vistas" as coisas, afinal Pedroto não foi grande coisa como treinador de futebol. Em tantos anos de carreira, ao serviço de tantos clubes, praticamente só ganhou ao serviço do Porto.

Daniel Gonçalves disse...

Alexandre,

Sim é verdade que o Olegário deu uma ajuda ao Inter de Mourinho para este vencer a Champions, mas uma coisa era a dimensão europeia, e ambição de ganhar a Champions, do Inter de Mourinho e outra coisa era a "timidez" europeia do Inter de Mancini. Sobre o tricampeonato do Inter pré-Mourinho convêm esclarecer o seguinte: o 1º título foi atribuído e ganho na secretaria, pois em campo o campeão foi o Milan; o 2º título foi ganho sem a concorrência directa, Juventus e Milan estavam a disputar a II divisão; o 3º título foi ganho com os adversários, Milan e Juve, a partirem na "pole-position" com menos 9 ou 6 pontos e em reconstrução, o que facilitou a tarefa do Inter. Agora o bi-campeonato de Mourinho foi mais difícil, os adversários estavam na máxima força e ainda apareceu a Roma em grande plano. Segundo o ponto de vista que o Alexandre usou, o FC Porto também foi tetracampeão após Mourinho, mas a equipa não era a mesma, pelo que qualquer comparação é inadequada.

Quando o Chelsea foi à final da Champions com Avan Grant como treinador, convêm salientar que a equipa era a que foi formada por Mourinho, que tinha saído por alturas do Natal. Mais, o percurso do Chelsea na Champions, nesse ano, foi mais fácil do que nos anos anteriores, não teve pela frente o Barça, e nas meias-finais defrontou um Liverpool já em decadência onde um autogolo de um jogador (Rise) do Liverpool facilitou em muito a tarefa do Chelsea.

Daniel Gonçalves disse...

Luís Negroni "segundo esses comentários, para se ser melhor, não basta ganhar mais, também é preciso ganhar em diferentes capelinhas."

É fácil ganhar enquanto se treina aquela que é uma das melhores equipas de sempre do futebol, agora construir uma equipa do nada já é mais difícil. Daí eu ter dito que para melhor avaliar as capacidades do Guardiola gostava de ver este Barça treinado por outro, já que considero que a equipa continuaria a vencer mesmo sem Guardiola, e também preciso de ver este treinar outros jogadores e formar do nada uma equipa vencedora. Arrigo Sacchi era um génio e considerado por muitos o melhor treinador da altura, pois tinha ganho tudo ao serviço do Milan, bicampeão europeu, da Intercontinantal, sempre campeão italiano, etc. Saiu do Milan nunca mais teve glória, e o seu substituto no Milan, Fabio Cappelo, continuou a vencer e foi campeão europeu com praticamente a mesma equipa, e logo vencendo por 4-0 o Braça, treinado por Johan Cruyff, com jogadores como Romário, Stoichkov, Ronald Koeman e Guardiola.

E Pedroto não venceu só no FC Porto, venceu Taças de Portugal pelo Vitória de Setúbal e pelo Boavista, e levou esses clubes a um inédito e impensável 2º lugar no campeonato. Pedroto venceria no FC Porto, assim como na concorrência - SCP, SLB - ou no estrangeiro, se para lá tivesse ido. Um treinador formidável vence em qualquer lado, e este factor constitui um critério importante para avaliar o seu trabalho e capacidades.

Alexandre Burmester disse...

Daniel Gonçalves: o Mourinho foi despedido do Chelsea por volta de Setembro/Outubro, e não no Natal. Já na época anterior falhara o título nacional e, quando foi despedido, a equipa exibia um futebol muito pobre e acabara de empatar em casa com aquela equipa norueguesa (dinamarquesa?) com nome de queijo. O Avram Grant soube reanimar as tropas.

O argumento de que nessa época o Chelsea evitou equipas fortes também poderia aplicar-se à vitória de Mourinho na LC com o FCP. Tirando o Manchester United, evitámos o Milan (eliminado pelo Corunha do modo que sabemos), o Chelsea (eliminado pelo Mónaco) e o Real Madrid (eliminado pelo mesmo Mónaco). Tivemos muito mérito, mas os deuses estiveram connosco.

Quanto ao Pedroto, não ganhou nenhuma Taça ao serviço do Vitória de Setúbal; ganhou sim, duas, ao serviço do Boavista. Com ambas as equipas, é certo, conseguiu 2ºs lugares no campeonato, efez brilhantes carreiras europeias com o V. Setúbal. Mas atenção: o Vitória de Setúbal, naquela altura, tinha grandes equipas, porventura superiores inclusivamente às do FCP, e ombreando com os grandes de Lisboa. Os mais velhos não deixarão de me dar razão, ao recordarem nomes de grandes jogadores como Rebelo, Octávio, José Maria, Duda e Jacinto João.

Silver(io) disse...

e é preciso creditar ao Pepe o prejuízo causado pela saída de dois dos seus melhores jogadores que trocaram um clube vulgar por dois colossos mundiais:o agarra nolito,para o mais maior do mundo onde,finalmente se sente realizado(pode cair que é penalti e agarrar e empurrar que não passa nada)e o jefresson para o monstro calimero onde faz companhia ao peruano,perna podre.Se tais jogadores tivessem ainda ao serviço do Barça já tinham um avanço superior a 3 pontos por jornada,dada a qualidade,muito superior a um qualquer Messi ou Iniesta.

Daniel Gonçalves disse...

Alexandre Burmester,

erro meu que estava equivocado sobre o Pedroto ter vencido uma Taça de Portugal ao serviço do Vitória de Setúbal, e estive agora a confirmar Pedroto levou o Vitória Setúbal a uma final, mas perdeu-a para o Sporting.
Eu ainda nao tinha nascido por esses tempos, e o meu conhecimento provêm do que ouvi e li posteriormente, portanto o Alexandre tem mais autoridade e conhecimento sobre essa matéria.

Sobre o Chelsea, deu o braço a torcer, a sua argumentação faz sentido. Mas mantenho a ideia geral que exprimi: Guardiola, na minha opinião, ainda tem de mostar mais para eu o considerar o melhor treinador do Mundo. É como um professor apanhar uma turma com alunos inteligentes e aplicados por si próprios, tem o trabalho mais facilitado do que um professor que apanha uma turma com alunos desmotivados e com dificuldades de aprendizagem, esta exige mais para tornar os alunos mais sábios, se formos a ver unicamente os resultados dos alunos, geralmente o professor que fica com a turma de alunos inteligentes será visto como o principal responsável pelo alto nível de resultados, quando tal nem sempre é verdade e o professor da outra turma é mais competente. A mesma situação para um treinador, porque treinar uma equipa que é, por ela própria, genial dá muito geito para a notoriedade.

Daniel Gonçalves disse...

Queria escrever jeito e não geito.

Daniel Gonçalves disse...

"Sobre o Chelsea, deu o braço a torcer" Era dou e não «deu», escrever sem revisão resulta em erros.

DC disse...

Guardiola é fantástico e quero la saber se tem que ir para Itália, Inglarerra, Chipre ou Qatar.
Ele pegou num Barça cheio de vedetas e dispensou "só" Zambrotta, Ronaldinho e Deco!
Mais tarde ainda despachou Eto'o, Marquez e Henry. Tirou o ponta de lança da equipa, promoveu putos como Busquets, Pedro, Cuenca, Thiago. Foi buscar um puto que não jogava no Man Utd e transformou-o no melhor central do Mundo.
Mudou a táctica, arriscou o 4-3-3, transformou o Mascherano num central, Abidal num defesa cheio de classe, Messi no melhor jogador da história do futebol!
Já deve ter lançado uns 10, 15 jovens, o futuro do Barça está assegurado, quantos lançou o Mourinho em toda a carreira? Zero??

E agora dizem, Mourinho é melhor porque ganhou no Porto, Chelsea e Inter. Mas o que aconteceu depois de Mourinho sair? Mourinho usa os clubes mas arrasa-os. Quantos jovens lançou ele no Porto? Joca??
No Inter, o futuro estava assegurado?
Mourinho é bom no momento e sabe disso, treina a equipa 2 ou 3 anos, sempre nos píncaros da motivação e do esforço físico, mas depois? Depois sai, será porque quer outros desafios ou porque sabe que não consegue manter a bitola?
É mais fácil motivar quem não ganha ou quem ganha sempre?
Porque é que é mais valorizado ganhar em campeonatos diferentes do que ganhar SEMPRE na mesma equipa?

Guardiola pode não ser o melhor do Mundo, mas é o melhor treinador para o Barcelona e o Barcelona é a melhor e mais bela equipa do Mundo. Isso chega!

Zé_Lucas disse...

Peço desculpa pela intromissão, mas a argumentação do AB em relação à saída do Mourinho do Chelsea, é, no mínimo, simplista, para não lhe chamar aquilo que de facto é, falaciosa. Basta ler os jornais da época, associar um pouco de memória não selectiva, et voilà, o que temos? Um campeonato perdido para o Man United que fez lembrar o campeonato que o Porto perdeu em Campo Maior. Problemas de ego enorme com o Abramovich, potenciadas e muito pela pouca ou nula rentabilidade do Shevchenko. Para acabar, e a interpretação é minha, o reconhecimento do Mourinho que estava na altura de mudar de ares...

Cumps

Alexandre Burmester disse...

Zé_Lucas,

Ora essa, não está a intrometer-se e os seus comentários são, obviamente, sempre bem-vindos.

Bem, eu não disse que o despedimento do Mourinho nada teve a ver com um proprietário caprichoso. É óbvio que teve. Apenas estava a contraditar o Daniel Gonçalves, que dera a entender que a chegada da equipa à Final da LC era essencialmente mérito do Mourinho. E o que eu disse acerca do que o Chelsea estava ajogar quando o Mourinho foi despedido, mantenho.

Quanto ao título perdido "à Campo Maior", não concordo, mas as coisas são mesmo assim: não se pode estar sempre de acordo com as opiniões alheias.

Alexandre Burmester disse...

DC,

Praticamente concordo com quase tudo o que escreveu. É fácil agora dizer-se que o Barça tem uma grande equipa, retirando-se com isso mérito ao treinador que a construíu (sim, não a herdou), mas também o Barça de Frank Rijkaard tinha uma grande equipa, e contudo o seu futebol não se comparava com da actual equipa.

Zé_Lucas disse...

Talvez seja uma questão do género, "quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha?", mas, ainda não li nos comentários a este post, qualquer referencia ao facto de a Espanha actual ser Campeã do Mundo e da Europa. Nunca antes tinha acontecido. O Barça é a espinha dorsal desta selecção. Será tudo fruto do trabalho do Guardiola, ou será, como eu penso, que estamos perante um conjunto de atletas a jogar na mesma equipa, como nunca se viu?
Não sei, mas parece-me pertinente.
Cumps

Alexandre Burmester disse...

Bem, Zé_Lucas, do mesmo modo a Selecção Nacional de 2004 chegou à Final do Euro e era baseada na espinha dorsal do FCP. Mérito essencial de um grande conjunto de atletas ou do treinador que os orientara no FCP?

Nota: a Espanha já fora uma vez campeã europeia.

Luís Negroni disse...

Daniel Gonçalves disse...
"É fácil ganhar enquanto se treina aquela que é uma das melhores equipas de sempre do futebol"

E porque será que esta equipa montada por Guardiola, é uma das melhores de sempre do futebol mundial? Será só pelos jogadores? E se é só pelos jogadores que as equipas valem, porque será que a equipa do Porto, esta época, em vez de valer tanto ou mais que a da época passada, vale menos? E será que a actual equipa do Barcelona, treinada por Vítor Pereira, valeria sequer metade do que vale com Guardiola?

PS Nem Pedroto ganhou nenhuma taça ao serviço do Setúbal nem o AC Milão fez companhia à Juventus na descida de divisão. Não podemos falar de cor, temos de saber aquilo que estamos a dizer.

Zé_Lucas disse...

Engraçado, mas isto que acabou de escrever, remete-nos imediatamente para o "pecado original" que nos tem posto a comentar - o seu post - . Não é que em 2004, a tal espinha dorsal que perdeu o Europeu em casa, com o treinador que o amigo não gosta, ganhou mesmo? E como sei que gosta de minudências, diga lá o que ganhou o FCP por essa altura, com o tal treinador que não se pode dizer o nome...

Daniel Gonçalves disse...

DC disse "Mourinho usa os clubes mas arrasa-os. Quantos jovens lançou ele no Porto?" Pode ter alguma razão no seu ponto de vista mas convêm salientar o seguinte:
jovens ou não, quem eram Nuno Valente, Paulo Ferreira, Maniche antes de chegarem ao FC Porto? Eram "zés-ninguéns" no mundo futebolístico, tudo o que foram como jogadores e o ponto alto da carreira deles deveu-se ao facto de fazerem parte das equipas de Mourinho.

Daniel Gonçalves disse...

Descobrir talentos escondidos também é meritório, e Mourinho nesse pormenor sabe o que faz. Foi ele quem referenciou Pepe, quando esta ainda estava no Marítimo, ao FC Porto.

"Quantos jovens lançou ele no Porto?" A questão essencial a analisar é: será que dos jovens que ele colocou a jogar no Porto, e lembro-me do Manuel José que depois foi para o Paços de Ferreira, algum teria valor para ser titular? Quantos jovens lançaram os sucessores de Mourinho no FC Porto? O Ivanildo pelo Co Adrianse? Comparando com os sucessores, Mourinho usava mais portugueses nas suas equipas, o que nos leva para outro assunto que não tem nada a ver com o tema do post, a produtividade das camadas jovens do FC Porto e o projecto 6 qualquer coisa.

Daniel Gonçalves disse...

Luís Negroni "nem o AC Milão fez companhia à Juventus na descida de divisão. Não podemos falar de cor, temos de saber aquilo que estamos a dizer." Posso estar enganado mas tenho a ideia de que o Milan esteve na II divisão assim como a Juve, se não esteve então fica o meu mea culpa.

"E se é só pelos jogadores que as equipas valem, porque será que a equipa do Porto, esta época, em vez de valer tanto ou mais que a da época passada, vale menos? E será que a actual equipa do Barcelona, treinada por Vítor Pereira, valeria sequer metade do que vale com Guardiola?" Aqui concordo consigo, e esta em consonância com os comentários que fiz aqui no RP.

Alexandre Burmester disse...

Zé_Lucas,

Se eu gosto ou não do Mourinho, é irrelevante para esta amena conversa, e, diria até, falacioso.

Quando eu fiz este descontraído mini-artigo nem estava a pensar no Mourinho (cujo nome pode dizer-se, claro), no Ferguson, no Capello ou no Sacchi, mas por motivos que, provavelmente, Ivan Pavlov saberia explicar, logo o dito cujo surgiu na ribalta.

Independentemente de eu gostar ou não do Mourinho, não poderia deixar de considerá-lo um grande treinador (só se fosse estúpido o não faria). O problema - este de outra natureza que não pavloviana - é que, em Portugal, as pessoas tendem a interpretar as homenagens como sendo sempre contra alguém, e daí haver por aqui quem possa achar que eu, ao "homenagear" o Guardiola, estava a atirar-me ao Mourinho.

Que fazer? (como diria o tal de Ulianov)

DC disse...

Daniel Gonçalves, pedia-lhe apenas uma coisa: um nome de um jogador júnior promovido pelo Mourinho e no qual ele tenha realmente apostado.

Esteve 2 épocas e meia no Porto, ZERO
Esteve 3 épocas e meia no Chelsea, ZERO
Esteve 2 épocas no Inter, ZERO
Vai na 2a época de Real e ZERO

Nesse ponto nem chega perto de Guardiola. E se nalguns casos são as camadas jovens que têm pouca qualidade, noutros isso não é verdade como no Inter ou mesmo Chelsea. E além disso a sua preocupação com isso é nula. Como eu digo, Mourinho usa o clube em 2 ou 3 anos, não quer saber do futuro. Não contrata nem aposta em jovens.
O recente episódio com o Pedro Mendes revela que ele não quer saber da cantera, só quer saber do seu empresário.

Quanto aos jogadores que refere, de acordo que Mourinho os valorizou como fez com muitos outros, mas também já falhou muitas vezes. Faço-lhe de cabeça uma lista extensa: Maciel, Marco Ferreira, Tiago, Jarosik, Smertin, Shevchenko, Kezman, Del Horno, Scott Parker, Quaresma, Mancini, Canales...

Mourinho é um excelente treinador e um excelente condutor de homens. Quanto ao seu olho para o mercado, não me parece nada de transcendente. Trouxe para o Porto jogadores com que trabalhou no Leiria e juntou-os aos que já estavam no Porto. No Chelsea foi buscar Drogba e Essien que como os preços indicaram, já há muito que eram conhecidíssimos. No Inter o seu sucesso no mercado resume-se a um jogador em fase final de carreira, Diego Milito. No Real, foi buscar os jogadores que brilharam no Mundial pela Alemanha e fez mais 2 favores ao benfica e ao Jorge Mendes, queimando 60 milhões em 2 esquerdinos sem qualquer classe. Aliás, ultimamente as suas contratações parecem ser condicionadas pelo que o Jorge Mendes vai meter ao bolso e não pelo que a equipa necessita.

Descobrir talentos, prefiro o Wenger, formar, Guardiola sem dúvida, espremer um jogador ao máximo, Mourinho.

Daniel Gonçalves disse...

Alexandre,

desculpe-me vir chatear novamente e perdoe-me a "acusação", mas o primeiro comentário a referir-se ao Mourinho foi seu, ontem às 19:17, sobre as "fitinhas" e "mind games" do Special One, eu tenho a minha quota parte de responsabilidade quando depois me referi aos sucessos dele em diferentes campeonatos.

Para haver vencedores têm de haver vencidos, ninguém chega ao topo sem ultrapassar desafios e adversários, portanto este post sobre o Guardiola inevitavelmente levaria a comparações sobre os vencidos ou os outros treinadores que podem rivalizar com o catalão para o título de "melhor Treinador do Mundo.

Zé_Lucas disse...

Por falar em Pavlov, sentiu-se estimulado a não responder ao que lhe perguntei? Hummm, tão previsível senhor Alexandre...

UA

(over and out)

Daniel Gonçalves disse...

Correcção e mea culpa minha, a primeira referência ao Mourinho foi feita pelo Luís Negroni às 15:51 de ontem. Esqueça o meu comentário anterior.

Alexandre Burmester disse...

Zé_Lucas,

Senhor Alexande é o meu chauffeur. Eu, quando muito, serei o Sr. Burmester, mas dispenso o tratamento.

Over and out indeed.

Alexandre Burmester disse...

Desculpe,Zé_Lucas, por não ter respondido à sua questão, mas não foi qualquer reflexo pavloviano que me impediu de fazê-lo; apenas a máxima segundo a qual as perguntas retóricas não carecem de resposta.

E, agora sim, over and out.